+ Responder ao Tópico



  1. Amigo Mota, nas frequencias baixas é sabido que a impedância de uma antena pode ser alterada por objetos próximos.
    Por ex, uma antena direcional para vhf normalmente vem com um acoplador gama para fazer o ajuste da ROE. Quando a ROE está a menor possível é porque houve um casamento da impedência corretamente.
    Quadra Cúbica para PX e direcionais 20/40m também tem um sistema semelhante

    O princípio do stub não seria o mesmo do acoplador gamma? Ou nestas frequencias mais altas isto é irrelevante?

  2. Querido cooloverdrive,

    Primeiramente, você deveria fazer questionamentos a si mesmo antes de escrever algo para não passar vergonha. Vamos aos questionamentos:
    Você tem condição de distinguir um modelo teórico da prática?
    Você chegou a olhar, pelo menos por curiosidade o que o JPJUST provou matematicamente que não há necessidade de se fazer stub para ROE em redes wireless?
    Para finalizar, acho que você precisa fazer cursos básicos de interpretação de texto, física e lógica, para então saber que só devemos debater sobre determinado assunto se tivermos embasamento suficiente, domínio e propriedade para tal.
    Por favor pare de passar vergonha, pois muitas portas no mercado podem estar se fechando para você.
    Abraços e não fique chateado com seu coleguinha.


    Não subestime quem esta com a razão, esse topico tem ajudado a nos estudantes a não cair nos falsos 'fisicos" que andam por ai!
    Última edição por dsilva; 03-05-2010 às 11:39.



  3. Olá 1929,

    Cara, quando alguém projeta uma antena ela olha pro ganho dessa antena (de acordo com o diagrama que se deseja) e para impedância. Você tá lá no PC projetando a sua antena e se dá conta que chegou em um ganho muito bom, porém sua impedância ficou muito fora dos 50 Ohms. Com isso você vai ter que fazer com que sua antena tenha 50 Ohms, com o ganho que você quer na frequencia que você quer. Esse é o caso do gama-match em uma atena de VHF. Quando você coloca varios elementos você tem um ganho muito bom, porém sua impedância fica ruim. Aí que entra o Gamma-Match (que é um stub), que nada mais é do que um capacitor variável para tirar o efeito indutivo.

    Só que as antenas para wi-fi já vem de fábrica com impedâncias bem proximas de 50 Ohms (bem proximas mesmo). Não sei que tipo de stub o Gilvan ensina, mas existem vários tipos. Os mais comuns são pedaços de cabos (abertos ou em curto) colocados a uma distância L da antena ou do rádio utilizando-se um T (vide figura - https://under-linux.org/attachments/...-cabo-stub.jpg).

    Aí é que tá o problema (vamos pensar um pouco - parafraseando o telecurso 2000):

    Vamos supor uma antena que não tenha exatamente 50 Ohms. Vamos supor que ela tenha 30 + j20 ohms. Isso geraria em um cabo de 50 Ohms um VSWR de 2.04.

    Para um apotência de 200 mW, 180 mW seria irradiado e 20 mW seria refletido de volta pro rádio. Ohhhhhhhhhhhhhhh

    Só que genialmente você decide colocar um stub para aproveitar esses 20 mW "desperdiçados".
    Só em você cortar o cabo para colocar o Stub (também conhecido como toco) você perde -3 dB.

    Aí pergunto, o que é melhor? Perder 20 mW com VSWR igual a 2.04 ou perder 100 mW (-3db) para colocar um toco cortando o cabo coaxial em uma gambiarra imunda?

    Agora por que em baixas frequencias (PX, PY, etc..) se usa muito stub? Imagine agora que ao invés de 200 mW estejamos transmitido 200 W. Isso daria uma reflexão de 20 W voltando para o rádio que pode danificar o circuito de saída (isso nos rádios antigos, por que hoje em dia existe proteção para isso).


    Eu pergunto agora: Em wi-fi, vale a pena fazer stub?

    Saudações,




    Citação Postado originalmente por 1929 Ver Post
    Amigo Mota, nas frequencias baixas é sabido que a impedância de uma antena pode ser alterada por objetos próximos.
    Por ex, uma antena direcional para vhf normalmente vem com um acoplador gama para fazer o ajuste da ROE. Quando a ROE está a menor possível é porque houve um casamento da impedência corretamente.
    Quadra Cúbica para PX e direcionais 20/40m também tem um sistema semelhante

    O princípio do stub não seria o mesmo do acoplador gamma? Ou nestas frequencias mais altas isto é irrelevante?
    Última edição por motacosta; 03-05-2010 às 12:22.

  4. O MAIS IMPORTANTE NÃO É ACADEMICO

    Você não entendeu. Faltou só um pouquinho e você teria entendido. É como perceber um desafino, alguns são tão sutis que nos escapam na melodia. Para você escapou o jeitinho de ler 2,4GHz com um osciloscópio de 20MHz.
    A “manha” é assim: Você modula uma freqüência de 2,4GHz com um tom de 5MHz. Depois você retifica os 2,4GHz e o que sobre é os 5MHz na forma dos 2,4GHz. Moro? Você estará olhando no osciloscópio 5MHz mas este terá a forma da freqüência que o transportou. Que barbada. Se estivéssemos jogando cartas tu estarias me devendo uma caixa de cerveja. Qua...qua...qua...



  5. não entendi nada, mas foi engraçado...






Tópicos Similares

  1. Cópia física de HD em larga escala
    Por laralc no fórum Sistemas Operacionais
    Respostas: 2
    Último Post: 08-05-2006, 14:32
  2. Link dedicado para pessoa FISICA!?!
    Por daniel_tux no fórum Redes
    Respostas: 10
    Último Post: 29-11-2005, 21:11
  3. logica x fisica
    Por alesandro no fórum Sistemas Operacionais
    Respostas: 11
    Último Post: 24-02-2005, 14:03
  4. Tela Azul com estações Windows ME
    Por no fórum Servidores de Rede
    Respostas: 5
    Último Post: 27-08-2003, 11:23
  5. Memoria Fisica..
    Por no fórum Servidores de Rede
    Respostas: 13
    Último Post: 11-02-2003, 22:26

Visite: BR-Linux ·  VivaOLinux ·  Dicas-L