Página 2 de 3 PrimeiroPrimeiro 123 ÚltimoÚltimo
+ Responder ao Tópico



  1. #21

    Padrão

    Citação Postado originalmente por wagnerb Ver Post
    Pedemesa,

    Desculpe-me, mas não entendi. Esse processamento é o do rádio em si?

    Porque naturalmente existem uns poucos chipsets de rádio que são usados nestes casos e entendo que deva existir um processamento padrão do sinal e seu encapsulamento dentro da camada física e da camada de transmissão (que por sinal é sempre a mesma) do 802.11x.

    Pelo pouco que conheço do quadro 802.11 o método CSMA/CA, em uso nos nossos casos, será muito utilizado pelo rádio do pop em si, já que as antenas nos clientes estarão direcionadas (foco) nas antenas de transmissão sem haver a percepção por outros rádios de cliente, assim esse método é mais eficaz do lado do pop.

    A capacidade de transmitir um sinal (lado pop) é constante e definida pela potencia do rádio e ganho da antena. Agora a capacidade de multiplexar a informação será dada pelo CSMA/CA.

    Se houver 10 clientes a 1Mbps tentando transmitir (aleatoriamente) o rádio não irá permitir a tomada da camada de enlace (camada física - MAC) de um segundo cliente caso ocorra colisão.

    Assim eu imagino, dentro do meu pouco conhecimento que isso irá retardar um pouco a transmissão do segundo cliente.

    Bom se houverem muitos clientes pendurados em uma mesma torre então a probabilidade dos mesmos transmitirem simultaneamente será muito maior e portanto vai ocorrer um maior número de colisões sendo percebido pelo radio do pop.

    Sobra uma pergunta que ainda não consigo enxergar.

    Quando o AP no cliente consegue estabelecer a camada física com a antena do pop significa dizer que ocorreu a construção de um "fio" entre o rádio do cliente com o rádio do pop. Assim no momento em que este rádio tenta transmitir ele tenta ver se existe alguem transmitindo, como ele não consegue "escutar" o sinal dos outros rádios da redondeza ele inicia o processo de transmissão. O pop por sua vez se estiver transmitindo para outro cliente ligado a ele não vai permitir a conexão (enlace) e não responde com o ACK.

    Dai procuro. Sendo assim qual a capacidade desses rádios de entender isso?

    Desculpe-me por esse testamento em forma de post. Hora dessas eu aprendo, rs.

    Abraços,
    Bom, em primeiro lugar não se desculpe, eu estou aqui pra ajudar no que puder, mas principalmente para aprender... e por isso posso falar bobagem as vezes... Alias falei bobagem no último post, queria escrever 2 coisa e escrevi metade de cada... ficou totalmente errado o que eu escrevi... e eu sim peço desculpas... hehe... por outro lado acho que entendi o que vc disse e acredito que esteja bem isso ai mesmo! Apenas gostaria de fazer algumas considerações pra deixar bem claro tanto pra vc como pra mim (como disse, sou um aprendiz...).
    Quando vc falou da capacidade de transmissão acho que talvez teve uma confusão... o CSMA/CA é um algorítmo de identificação e tentativa de correção de erros ou colisões... Multiplexação tem a ver com o OFDM do 802.11a e 802.11, ou CCK do 802.11b (claro que existem outros padrões de multiplexação)... O CSMA/CA atua na camada de enlace sim, e nas duas pontas, no pop e no cliente, embora, como vc falou, é provável que o pop use ele mais, mas o cliente tmb usa, por interferências e etc... sobre a capacidade de transmissão ainda, ela tmb é afetada por outros fatores além do ganho e da potência... mas dai sempre para baixo... para cima são estes dois, para baixo vem a interferência, cabos, conectores, enfim... por ai vai... tudo que atenua o sinal...

    Bom, sobre o processamento lá de cima... na verdade nem endendo se a questão do sinal em si vai gerar algum processamento, se o processar faz alguma coisa ou se tem um transmissor ao algo assim que faz esse trabalho... mas imagino que o CSMA/CA por exemplo já tenha que ter algum tipo de processamento e isso seja feito na CPU do rádio... Mas sobre o que queria dizer lá em cima é o seguinte... não é só essa a função do rádio, ele tem que encaminhar pacotes, bloquear alguns, em alguns casos rotear a conexão, em alguns casos controlar a banda, regras de firewall... e por ai vai... No caso se um rádio em bridge, que é o caso, ele ainda pode ter controle de banda, e firewall... mas nem por isso... acho que o rádio não aguenta o processamento pelo fato de que ele vai ter de receber muitos clientes ao mesmo tempo, mesmo em bridge, como por exemplo, um rádio está transmitindo, outro transmite, pow colisão, transmite denovo... ou, um rádio que não é da rede quer conectar, o pop diz, não pode, ñ pode, ñ pode... e isso toma tempo dele, processamento... Na verdade não sei exemplificar isso muito bem... mas o q quero dizer é que quanto maior o número de clientes, mais coisas o rádio vai ter de controlar/fazer ao mesmo tempo e isso é processamento do rádio... por menores que seja o processamento que um rádio conectado exija, este processamente existe e como ele não é infinito, conectando um rádio, mais outro, mais outro..., vai chegar aos 100% um zinwell (RTL8186) tem 120MHz, se não estou enganado (tenho essa lebrança, mas é quase um chute), e isso não é muita coisa... Tudo parte do princípio de que ele não foi feito para essa função de gerenciar muitos clientes... então o processador não precisa ser tão "potente"...

  2. #22

    Wink Rádios

    Citação Postado originalmente por jociano Ver Post
    O bem da verdade é que com WI-FI comum não dá para operar milagre não, ou coloca mais rádios com menos gente, ou ficará muito dificil oferecer bandas maiores com Wi-FI, tem muita promessa dos fabricantes ai, alguns testes realizados, agora é só aguardar esse equipamentos aparecerem na área para podermos ver na prática se realmente vão nos ajudar a ter uma largura de banda maior e por consequencia oferecer planos maiores ao nossos clientes. Abraços!!!
    Jociano, quais são essas promessas?

    O problema da banda não está associado a quantidade de clientes sendo processado pelo cartão?

    Abraços,



  3. #23

    Padrão

    Jociano, quais são essas promessas?
    Wagnerb, temos á Ubiquiti com a linha AirMax, temos tambem uma fabricante que não me recordo o nome agora que promete pelo menos 200 usuários por setor com 2Mbps cada e etc...

    O problema da banda não está associado a quantidade de clientes sendo processado pelo cartão?
    Wagnerb, o processamento está sendo associado ao trafego que aquele cartão aguenta em si e não somente por conta de N usuários conectados nele, pois você poderia ai ter alguns vários clientes com 24kbps e alguns poucos com 1Mbps, entendeu? Uma coisa que ainda não consegui indentificar foi se esses cartões tem limite de MAC´S, assim como os Switchs!


    Abraços!

  4. #24

    Talking

    Citação Postado originalmente por jociano Ver Post
    Wagnerb, temos á Ubiquiti com a linha AirMax, temos tambem uma fabricante que não me recordo o nome agora que promete pelo menos 200 usuários por setor com 2Mbps cada e etc...

    Wagnerb, o processamento está sendo associado ao trafego que aquele cartão aguenta em si e não somente por conta de N usuários conectados nele, pois você poderia ai ter alguns vários clientes com 24kbps e alguns poucos com 1Mbps, entendeu? Uma coisa que ainda não consegui indentificar foi se esses cartões tem limite de MAC´S, assim como os Switchs!

    Abraços!
    Beleza Jociano.

    Já vi alguma coisa da Ubiquiti da lina AirMax e acredito ser o estado da arte nesse aspecto.

    Agora, eu não consigo entender o tráfego que um cartão aguenta porque para mim olhando o frame 802.11x vejo que independente da quantidade, a capacidade de um cliente transmitir está associado a banda que foi vendida simplesmente.

    O que eu quero dizer:

    Por exemplo, 1 Mbps significa que o cliente pode trafegar (em um sentido) 1.024.000 bits/segundo isto significa que no momento em que ele montar um pacote para transmitir ele encapsula os dados no frame 802.11x e com isto ele envia no 802.11 algo como 56 quadros para o destino.

    O tempo que um quadro desses é processado pelo rádio, imaginando que não ocorra nenhuma colisão, é conhecido como latencia. Por sua vez o rádio desencapsula os dados do frame 802.11x (que pode ser puramente o TCP/IP ou o PPPoE) e passa para um outro dispositivo fazer a sua parte (uma RB simplesmente ela irá pegar esses dados e fazer o que está escrito - rotear ou jogar em uma das ethernets - depende de como vai estar configurado).

    Agora o rádio (XR2, R52, etc.) simplesmente modula em OFDM ou TDMA e joga pro meio físico que no nosso caso é o ar, então fica ai a minha dúvida.

    Independente da banda que estamos ofertando como podemos mensurar a capacidade de um determinado módulo de rádio?

    Até esse momento eu notei que só a experiencia pessoal é que pode determinar isto.

    Uma outra coisa que eu nao consegui encontrar foi um arquivo com maiores detalhes sobre esses cartões que não sejam os datasheets padrão.

    Valeu pela sua atenção.

    Abraços,



  5. #25

    Post Foi mal 2...

    Citação Postado originalmente por pedemesa Ver Post
    Bom, em primeiro lugar não se desculpe, eu estou aqui pra ajudar no que puder, mas principalmente para aprender... e por isso posso falar bobagem as vezes... Alias falei bobagem no último post, queria escrever 2 coisa e escrevi metade de cada... ficou totalmente errado o que eu escrevi... e eu sim peço desculpas... hehe... por outro lado acho que entendi o que vc disse e acredito que esteja bem isso ai mesmo! Apenas gostaria de fazer algumas considerações pra deixar bem claro tanto pra vc como pra mim (como disse, sou um aprendiz...).
    Quando vc falou da capacidade de transmissão acho que talvez teve uma confusão... o CSMA/CA é um algorítmo de identificação e tentativa de correção de erros ou colisões... Multiplexação tem a ver com o OFDM do 802.11a e 802.11, ou CCK do 802.11b (claro que existem outros padrões de multiplexação)... O CSMA/CA atua na camada de enlace sim, e nas duas pontas, no pop e no cliente, embora, como vc falou, é provável que o pop use ele mais, mas o cliente tmb usa, por interferências e etc... sobre a capacidade de transmissão ainda, ela tmb é afetada por outros fatores além do ganho e da potência... mas dai sempre para baixo... para cima são estes dois, para baixo vem a interferência, cabos, conectores, enfim... por ai vai... tudo que atenua o sinal...

    Bom, sobre o processamento lá de cima... na verdade nem endendo se a questão do sinal em si vai gerar algum processamento, se o processar faz alguma coisa ou se tem um transmissor ao algo assim que faz esse trabalho... mas imagino que o CSMA/CA por exemplo já tenha que ter algum tipo de processamento e isso seja feito na CPU do rádio... Mas sobre o que queria dizer lá em cima é o seguinte... não é só essa a função do rádio, ele tem que encaminhar pacotes, bloquear alguns, em alguns casos rotear a conexão, em alguns casos controlar a banda, regras de firewall... e por ai vai... No caso se um rádio em bridge, que é o caso, ele ainda pode ter controle de banda, e firewall... mas nem por isso... acho que o rádio não aguenta o processamento pelo fato de que ele vai ter de receber muitos clientes ao mesmo tempo, mesmo em bridge, como por exemplo, um rádio está transmitindo, outro transmite, pow colisão, transmite denovo... ou, um rádio que não é da rede quer conectar, o pop diz, não pode, ñ pode, ñ pode... e isso toma tempo dele, processamento... Na verdade não sei exemplificar isso muito bem... mas o q quero dizer é que quanto maior o número de clientes, mais coisas o rádio vai ter de controlar/fazer ao mesmo tempo e isso é processamento do rádio... por menores que seja o processamento que um rádio conectado exija, este processamente existe e como ele não é infinito, conectando um rádio, mais outro, mais outro..., vai chegar aos 100% um zinwell (RTL8186) tem 120MHz, se não estou enganado (tenho essa lebrança, mas é quase um chute), e isso não é muita coisa... Tudo parte do princípio de que ele não foi feito para essa função de gerenciar muitos clientes... então o processador não precisa ser tão "potente"...
    Beleza Pedemesa . Com certeza somos todos aprendizes nessa vida e aqui no forum.

    Quando falei do CSMA/CA eu queria dizer que se houverem muitas colisões a capacidade de transmissão fica comprometida devido a perda de tempo para poder se iniciar uma transmissão qualquer.

    Olhando pelo lado do cliente eu não havia pensado na interferencia de outras fontes, até pensando em uma situação ideal mesmo. Falha nossa!

    Com relação a multiplexação é isto mesmo o OFDM é o cara, mas eu queria dizer que o rádio quando recebe um pedido de conexão de um cliente, uma vez que a camada física (PHY) já esta estabelecida no 802.11, ele pode ou não aceitar dependendo do momento.

    Bom, eu acho que o processar pacotes e rotea-los fica a cargo de outra parte e com certeza quando o rádio receber o pacote ele passa para outra parte do circuito fazer esse processamento e - no meu entender - o rádio fica pronto para receber novos pacotes.

    To começando a gostar desse tópico e vou escrever algo que eu penso pro pessoal ajudar a compor uma resposta das boas.

    Um abraço,

  6. #26

    Post 802.11x e os rádios...

    Pessoal,

    Após estudar um pouco a respeito do 802.11x e rádios pensei em escrever isto para que todos que queiram façam criticas ou sugiram coisas que podemos acrescentar e iluminar um pouco mais nossas mentes sobre a capacidade dos rádios do mercado.

    Normalmente o chipset dos rádios possuem um determinado chip ou chips denominados de SOC ou System on Chip e nesse chip (ou chips) é realizado todo um trabalho dedicado para uma determinada função ou funções. No caso do WiFi estes chips são os responsáveis pelo tratamento apenas do protocolo 802.11x, ou seja, é o responsável por encapsular e desencapsular os dados dentro de um quadro do protocolo, além de transmitir e receber o sinal de RF. Também é responsável pelo controle de colisão e da criptografia dos dados.

    O quadro 802.11x possui 2.346 bytes sendo que destes 2.312 bytes (~18500 bits) é o tamanho do payload que é onde os dados vão guardados. O pacote em si chega a ter no total 18.768 bits.

    De acordo com o protocolo e dependendo do rádio e distancia que estamos usando, podemos ter taxas de transmissão por volta de 5 Mbps, quando estabelecemos o enlace do cliente a antena do pop.

    Tomando como base que temos uma taxa de 5 Mbps estabelecida entre um cliente e o pop, e um cliente que contratou uma banda de 1 Mbps, o 802.11x irá montar algo como 56 quadros para transmitir essa banda.


    Como o quadro possui 18.768 bits os 56 quadros irão totalizar 1.051.000 bits. Se a taxa do enlace é de 5 Mbps para transmitir o 1 Mbps do cliente vamos tomar aproximadamente o tempo de 1/5 do segundo para transmitir os 56 quadros do 1 Mbps, ou seja, 200 ms.

    Sendo assim e imaginando que não ocorrerão colisões na transmissão um cliente com a banda de 1 Mbps irá levar o tempo de 200 ms para transmitir um pacote e assim, estimando um tempo de processamento de 2 ms no rádio podemos ter no mesmo rádio 5 clientes de 1 Mbps pendurados simultaneamente.

    Tomando estes cálculos como premissa o segredo é estabelecer para um mesmo rádio enlaces com no mínimo de 10 Mbps para os clientes e com isso a capacidade de clientes simultâneos cresce para 10 clientes.

    Se utilizar o 802.11g e conseguir estabelecer enlaces de 24 ou 36 Mbps entre cliente e pop (camada física do 802.11x) o número de clientes simultâneos de 1 Mbps sobe para algo como 20 ou 30 clientes respectivamente. O tempo de transmissão do pacote de 1 Mbps no caso do enlace de 24 Mbps fica em torno de 46 ms (0,046 s).

    Conclusão, quanto maior a capacidade do enlace estabelecido na camada física do 802.11x, maior o número de clientes que podem ser pendurados no mesmo rádio.

    Gente este “pensamento” está baseado no principio de que o rádio somente fará o encapsulamento/desencapsulamento do protocolo 802.11x e o processamento de controle de banda, nat, roteamente, etc. estará a cargo de outro circuito ou parte do circuito e que inicialmente neste tópico eu citei que seria uma RB433AH.

    Ficou faltando neste post uma forma de determinar a quantidade de clientes que podemos pendurar seguramente no mesmo rádio tendo em vista o uso estatistico deste tipo de rede e vou pensar em algo para postar em outra ocasião.

    Bom, este é uma ídeia inicial de uma forma de planejamento para determinar a capacidade de um pop.

    Fiquem a vontade para criticar este post.

    Abraços,
    Última edição por wagnerb; 07-12-2009 às 01:36. Razão: grafia



  7. #27

    Padrão hummm... CPU é uma coisa, rádio/transmissor/receptor é outra...

    Citação Postado originalmente por wagnerb Ver Post
    Pessoal,

    Após estudar um pouco a respeito do 802.11x e rádios pensei em escrever isto para que todos que queiram façam criticas ou sugiram coisas que podemos acrescentar e iluminar um pouco mais nossas mentes sobre a capacidade dos rádios do mercado.



    ...

    Ficou faltando neste post uma forma de determinar a quantidade de clientes que podemos pendurar seguramente no mesmo rádio tendo em vista o uso estatistico deste tipo de rede e vou pensar em algo para postar em outra ocasião.

    Bom, este é uma ídeia inicial de uma forma de planejamento para determinar a capacidade de um pop.

    Fiquem a vontade para criticar este post.

    Abraços,

    Cara, acho que vc acertou em cheio... bate com o que eu tenho como sendo o modo como as coisas funcionam e ainda explicou uma coisa que não entrava na minha cabeça...
    Isso:
    "Gente este “pensamento” está baseado no principio de que o rádio somente fará o encapsulamento/desencapsulamento do protocolo 802.11x e o processamento de controle de banda, nat, roteamente, etc. estará a cargo de outro circuito ou parte do circuito e que inicialmente neste tópico eu citei que seria uma RB433AH."
    É muito importante e não tinha me dado conta... Mas é claro que tem de ser assim...

    Não sei se foi a forma como vc falou ou se eu mesmo que não entendi como devia, mas tinha para mim que rádio era o conjunto todo, processamento era só em CPU do 'conjunto todo', mas agora entendi que quando vc falou em processamento algumas vez, estava se referindo ao processamento do rádio(que para mim seria o transmissor/receptor)... E vc não está errado, afinal o encapsulamento tem de ser processado, mas isso é feito no chip do transmissor/receptor e não na CPU... acho que agora alinhamos os ponteiros... hehe como diria o kiko: "Ahhh mas se é assim, sim..." heh

    Sobre o limite de usuários, deixando de lado a questão da trasmissão/recepção, pode haver o limite por processamento de CPU, a cada cliente a mais, esse processamento aumenta (por roteamento, controle de banda e etc...) e pode-se, por exemplo atingir 100% de CPU sem atingir a capacidade do transmissor/receptor... o gargalo seria a CPU e não o transmissor/receptor... Eu nunca ouvi falar em haver gargalo no transmissor/receptor, mas sempre imaginei que existisse um limite, e é ai que a minha dúvida se torna a mesma que a sua... como saber esse gargalo... a capacidade do transmissor/receptor (ou o seu chip...)

    Pois é... se alguém puder dar uma luz! acho que é de grande valia mesmo!
    Última edição por pedemesa; 07-12-2009 às 09:47.

  8. #28

    Padrão

    Citação Postado originalmente por pedemesa Ver Post
    Cara, acho que vc acertou em cheio... bate com o que eu tenho como sendo o modo como as coisas funcionam e ainda explicou uma coisa que não entrava na minha cabeça...
    Isso:
    "Gente este “pensamento” está baseado no principio de que o rádio somente fará o encapsulamento/desencapsulamento do protocolo 802.11x e o processamento de controle de banda, nat, roteamente, etc. estará a cargo de outro circuito ou parte do circuito e que inicialmente neste tópico eu citei que seria uma RB433AH."
    É muito importante e não tinha me dado conta... Mas é claro que tem de ser assim...

    Não sei se foi a forma como vc falou ou se eu mesmo que não entendi como devia, mas tinha para mim que rádio era o conjunto todo, processamento era só em CPU do 'conjunto todo', mas agora entendi que quando vc falou em processamento algumas vez, estava se referindo ao processamento do rádio(que para mim seria o transmissor/receptor)... E vc não está errado, afinal o encapsulamento tem de ser processado, mas isso é feito no chip do transmissor/receptor e não na CPU... acho que agora alinhamos os ponteiros... hehe como diria o kiko: "Ahhh mas se é assim, sim..." heh

    Sobre o limite de usuários, deixando de lado a questão da trasmissão/recepção, pode haver o limite por processamento de CPU, a cada cliente a mais, esse processamento aumenta (por roteamento, controle de banda e etc...) e pode-se, por exemplo atingir 100% de CPU sem atingir a capacidade do transmissor/receptor... o gargalo seria a CPU e não o transmissor/receptor... Eu nunca ouvi falar em haver gargalo no transmissor/receptor, mas sempre imaginei que existisse um limite, e é ai que a minha dúvida se torna a mesma que a sua... como saber esse gargalo... a capacidade do transmissor/receptor (ou o seu chip...)

    Pois é... se alguém puder dar uma luz! acho que é de grande valia mesmo!
    Acima havia explicado de forma mais simples sobre isso, que quanto mais dispositivos conectados trafegando, havera um aumento da CPU, agora eu sempre tive essa sua dúvida tambem que é sobre a capacidade do transmissor e receptor. Bom... vamos estudando e discutindo, estamos chegando an resposta!

    Abraços!



  9. #29

    Wink

    Citação Postado originalmente por pedemesa Ver Post
    Cara, acho que vc acertou em cheio... bate com o que eu tenho como sendo o modo como as coisas funcionam e ainda explicou uma coisa que não entrava na minha cabeça...
    Isso:

    Sobre o limite de usuários, deixando de lado a questão da trasmissão/recepção, pode haver o limite por processamento de CPU, a cada cliente a mais, esse processamento aumenta (por roteamento, controle de banda e etc...) e pode-se, por exemplo atingir 100% de CPU sem atingir a capacidade do transmissor/receptor... o gargalo seria a CPU e não o transmissor/receptor... Eu nunca ouvi falar em haver gargalo no transmissor/receptor, mas sempre imaginei que existisse um limite, e é ai que a minha dúvida se torna a mesma que a sua... como saber esse gargalo... a capacidade do transmissor/receptor (ou o seu chip...)

    Pois é... se alguém puder dar uma luz! acho que é de grande valia mesmo!
    É Pedemesa,

    O luz me chegou quando eu lembrei de um rádio da NEC o Pasolink para um circuito que projetei para uma localidade do Amazonas (Coari) esse rádio tem o módulo de RF separado do processamento dos canais E1 e conversando com uma amigo que me falou a mesma coisa cheguei a esta conclusão.

    Fora os datasheets dos radios que encontrei eu vi que o chipset é bem dedicado a este protocolo.

    O limite de usuários tem muito a ver com a CPU, mas o rádio aguenta que sejam "enlaçados" na camada física muitos clientes remotos, já li que chegam a 100 clientes.

    Agora dependendo do número de clientes pela banda contratada podemos ter um gargalo já no rádio e isto vai depender da estatistica de acesso dos clientes de forma simultanea.

    Mas isto é coisa pra uma matematica legal e também de um controle do provedor em ficar verificando a forma de acesso dos seus clientes para determinar se um determinado rádio do pop esta chegando ao seu limite.

    Abraços,

  10. #30

    Exclamation RTL8186 chipset

    Pessoal, como eu escrevi o chipset da realtek o RTL8186 que equipa um bando de radios no mercado faz tudo q é preciso no 802.11x e chega a ter 2 portas ethernet de 10/100 Mbps.

    É equipado com um processador Lexra e possue diversas funcionalidades.

    Agora resta fazer um estudo mais detalhado desse chip pra entender a capacidade dos radios do mercado.

    Abraços,
    Miniaturas de Anexos Miniaturas de Anexos RTL8186spec_preliminary.pdf  



  11. #31

    Padrão

    Citação Postado originalmente por wagnerb Ver Post
    Quantos clientes voces acreditam que essa estrutura aguentaria simultaneamente em velocidades médias de 1024/256k (down/up).
    Bonita teoria, mas pouco disso é utilizado na prática.

    Antes de qualquer resposta, muitas perguntas são necessárias:

    1) Quantos clientes pretende ter?
    2) Qual a banda média de cada um?
    3) Qual o nível de utilização/poluição do espectro?
    4) Quais equipamentos serão utilizados, tanto na base quanto nos clientes?
    5) Qual a topologia do terreno?
    6) Qual o perfil de utilização de cada cliente?
    Última edição por netosdr; 08-12-2009 às 18:41.

  12. #32

    Padrão

    Citação Postado originalmente por netosdr Ver Post
    Bonita teoria, mas pouco disso é utilizado na prática.

    Antes de qualquer resposta, muitas perguntas são necessárias:

    1) Quantos clientes pretende ter?
    2) Qual a banda média de cada um?
    3) Qual o nível de utilização/poluição do espectro?
    4) Quais equipamentos serão utilizados, tanto na base quanto nos clientes?
    5) Qual a topologia do terreno?
    6) Qual o perfil de utilização de cada cliente?
    Acho que pegou o bonde andando... heh



  13. #33

    Padrão

    Citação Postado originalmente por pedemesa Ver Post
    Acho que pegou o bonde andando... heh
    Ixi então foi mal.. chega de ver CTRL C né..

  14. #34

    Talking Valew!!!

    Citação Postado originalmente por netosdr Ver Post
    Ixi então foi mal.. chega de ver CTRL C né..
    Neto nao esquenta a cabeça não.

    A preocupação em ajudar ao próximo é tão grande que as vezes nem pensamos mesmo.

    Agora o que voce acredita que seja possivel de enlacar em numeros de clientes em um mesmo rádio do tipo R52, XR2, etc.?

    Abraços,



  15. #35

    Padrão

    Citação Postado originalmente por wagnerb Ver Post
    Agora o que voce acredita que seja possivel de enlacar em numeros de clientes em um mesmo rádio do tipo R52, XR2, etc.?
    Vou dar minha opniao com base no que pratico aqui.

    Para vender 1024kbps para cada um nem cogitaria 2,4, somente 5,8ghz.

    Se os clientes fossem residenciais, colocaria 50 em cada painel.

    Se fosse empresarial colocaria a metade, em compensacao poderia cobrar mais caro.

  16. #36

    Question Só em 5.8 GHz

    Citação Postado originalmente por netosdr Ver Post
    Vou dar minha opniao com base no que pratico aqui.

    Para vender 1024kbps para cada um nem cogitaria 2,4, somente 5,8ghz.

    Se os clientes fossem residenciais, colocaria 50 em cada painel.

    Se fosse empresarial colocaria a metade, em compensacao poderia cobrar mais caro.
    Porque somente em 5.8 GHz? O espectro por ai ta muito poluido e por isso não rola em 2.4GHz?

    Abraços,



  17. #37

    Padrão

    Citação Postado originalmente por wagnerb Ver Post
    Porque somente em 5.8 GHz? O espectro por ai ta muito poluido e por isso não rola em 2.4GHz?

    Abraços,
    Principalmente porque 5,8ghz possui maiores taxas reais de trasmissao

  18. #38

    Post Deixa eu ver...

    Citação Postado originalmente por netosdr Ver Post
    Principalmente porque 5,8ghz possui maiores taxas reais de trasmissao
    Sim Neto,

    Mas ai nao seria melhor usar o padrão G no lugar do B e conseguir essas taxas em 2.4GHz?

    O que eu já pesquei de informação é que um cliente no qual voce nao consegue enlacar a 10 Mbps atrapalha os demais e dependendo da qualidade do sinal nos demais clientes também porque dai vai acontecer em cascata.

    Minha preocupaçao com 5.8GHz é que nessa faixa de frequencias a coisa fica mais complicada no que diz respeito a visada.

    Abraços,



  19. #39

    Padrão

    Citação Postado originalmente por wagnerb Ver Post
    Mas ai nao seria melhor usar o padrão G no lugar do B e conseguir essas taxas em 2.4GHz?
    Até onde eu sei padrão G não funciona bem outdoor, somente indoor.


    Citação Postado originalmente por wagnerb Ver Post
    Minha preocupaçao com 5.8GHz é que nessa faixa de frequencias a coisa fica mais complicada no que diz respeito a visada.
    Tanto 2,4 quanto 5,8 são frequencias visuais, mas com certeza 5,8 precisa de uma zona de fresnel maior.

    Nem tente instalar em local com visada ruim pois como vc mesmo disse 1 só cliente vai prejudicar os outros.

  20. #40

    Padrão

    Citação Postado originalmente por netosdr Ver Post
    Até onde eu sei padrão G não funciona bem outdoor, somente indoor.




    Tanto 2,4 quanto 5,8 são frequencias visuais, mas com certeza 5,8 precisa de uma zona de fresnel maior.

    Nem tente instalar em local com visada ruim pois como vc mesmo disse 1 só cliente vai prejudicar os outros.
    Sobre usar Outdoor o G, eu já vi pessoal falando que usa e q é uma maravilha, mas já vi o contrario tmb... por isso queria saber se alguém está usando e como é o rendimento, se realmente vale... porque uma coisa é certa, B alcança maiores distâncias que G...

    Outra pergunta pertinente e interessante, seria: O 5.8GHz sabidamente precisa de visada privilegiada... Mas isso se deve exatamente à que? Modulação?(se for modução, o G vai ter o mesmo problema) Frequência em si? Mas pq?

    PS.: "Pq sim zequinha!" heh