Página 3 de 4 PrimeiroPrimeiro 1234 ÚltimoÚltimo
+ Responder ao Tópico



  1. #41

    Padrão Re: Airgrid m5

    Kandango querido, eu sei que o fórum é técnico e o pessoal é profissional responsável. Eu não diria aqui que o produto faz uma coisa que não faz. Como eu disse anteriormente, eu NÃO disse que ele vai passar, sei lá, 500kbps para cada cliente. Não disse que ele vai rodar full 480 clientes com donwload alto. Eu só disse que roda, que segura os 480, não que vá trafegar a conexão que vc bem quiser. Como o Alexandre disse, a porta é 100mbps, apesar disso, isso depende da banda q vc trabalha, que tem suas limitações, do cartão, entre outros fatores.
    Como eu disse, o processador suporta, a placa segura os clientes. Ok, vcs nunca trabalharam com esta placa, logo, não conhecem, normal surgir dúvidas sobre o que digo. Já disse tbm, não sou formada em TI nem em computação e afins, mas sei o que estou falando.
    Neste link Ikarus ????? duvidas, o próprio Alexandre cita que segurou 160 clientes num único rádio usando o firmware de nossa placa Yanomami.

  2. #42
    Eng. Telecomunicações Avatar de pkmc
    Ingresso
    May 2007
    Localização
    Foz do Iguaçu - PR
    Posts
    996
    Posts de Blog
    1

    Padrão Re: Airgrid m5

    Concordo com o amigo alexandrecorrea A RB independente de qual for só responde pelo processamento secundário, quem é responsável pela quantidade de clientes que um determinado equipamento aguenta conectados simultâneamente são os cartões Mini PCI e nesse quesito ninguem aguenta mais do que os UBIQUITI série XR pois utilizam um projeto bem avançado de aplicação dos ChipSet's Atheros, por mais que os concorrentes usem ATHEROS o projeto a da UBIQUITI é muito superior. Uma dica é mante-los refrigerados ou colocar dissipador de calor estriado em cima dos ChipSet's. E Essa história de pegar qualquer equipamento ChingLing (genérico Chinês) e querer apresentar ele como uma revolução de mercado, só por que tem um processador um pouco mais veloz, não cola mais não !



  3. #43

    Padrão Re: Airgrid m5

    veja que, o ikarus em 160 clientes sao 2 cartoes (placa wrap), 80 em cada cartao CADASTRADOS mas não simultaneo !

    ja sua "proposta" mágica diz segurar 480 simultaneamente.. é como eu disse, a conta NAO BATE !

    Thais, é perceptivel que voce nao eh formada na area de TI...

  4. #44
    Eng. Telecomunicações Avatar de pkmc
    Ingresso
    May 2007
    Localização
    Foz do Iguaçu - PR
    Posts
    996
    Posts de Blog
    1

    Padrão Re: Airgrid m5

    Citação Postado originalmente por alexandrecorrea Ver Post
    veja que, o ikarus em 160 clientes sao 2 cartoes (placa wrap), 80 em cada cartao CADASTRADOS mas não simultaneo !

    ja sua "proposta" mágica diz segurar 480 simultaneamente.. é como eu disse, a conta NAO BATE !

    Thais, é perceptivel que voce nao eh formada na area de TI...
    Concordo plenamente, essa é a diferença entre um VENDEDOR e alguem com formação acadêmica na área !



  5. #45

    Padrão Re: Airgrid m5 - zilhoes de pacotes por segundo PPS - performance - benefício - custo

    Citação Postado originalmente por pkmc Ver Post
    Concordo com o amigo alexandrecorrea A RB independente de qual for só responde pelo processamento secundário, quem é responsável pela quantidade de clientes que um determinado equipamento aguenta conectados simultaneamente são os cartões Mini PCI e nesse quesito ninguém agüenta mais do que os UBIQUITI série XR pois utilizam um projeto bem avançado de aplicação dos ChipSet's Atheros, por mais que os concorrentes usem ATHEROS o projeto a da UBIQUITI é muito superior. Uma dica é mante-los refrigerados ou colocar dissipador de calor estriado em cima dos ChipSet's. E Essa história de pegar qualquer equipamento ChingLing (genérico Chinês) e querer apresentar ele como uma revolução de mercado, só por que tem um processador um pouco mais veloz, não cola mais não !
    Bom Dia Pessoal,

    O que precisamos entender é a evolução tecnológica do sistema de roteamento, o que vocês estão se esquecendo completamente.

    Temos que entender duas coisas praticamente:

    1) Recursos processados via software
    2) Recursos executados via hardware

    Para quem nasceu na geração informática, a palavra chave é MMX, quem se lembra disso? Então, para explicar rapidamente MMX, foi a tecnologia de processos executados por software migrados para um CHIPSET específico para desempenhar essa função.

    Então, transferindo hoje isso para o nosso mundo de tele-informática, temos a aplicação de inúmeros processadores voltados para o segmento de roteamento, porém, todos tem vantagens e desvantagens em relação aos outros.

    Os processadores Infineon ADM5120 usados antigamente nas RB133 eram excelentes porém, não tinham execução alguma a nível de hardware para funções de rede, o que, praticamente minava todos os recursos de hardware rapidamente.

    Quando então a mikrotik introduziu as RB5xx e seguidas pelas RB6xx, o que vimos foi a evolução do software para o hardware onde o processador RISC/MIPS executava apenas funções básicas de rede como criptografia interna e leitura de pacote, o que resolveu parcialmente o problema.

    Agora quando chegaram as placas manufaturadas com o chipset Atheros AR71xx a coisa começou a melhoras, pois, algumas outras funções de hardware tomaram a vez do software, porém, ainda não foi a solução, uma vez que esse hardware foi feito para uso doméstico e não industrial (Telecom), então, ainda que melhorado a performance morre no processador ainda que com 800mhz e na memória 256mb. http://www.atheros.com/pt/bulletins/AR7100Bulletin.pdf

    Mesmo nas RB1000/1100/800 com processadores da Freescale o problema se da na não disponibilidade de NPE que são os Network Processor Engines, que volta ao problema de ter que rodar tudo no ambiente software.

    Quando vamos para a YANOMAMI, o processador constitui se de um hardware nativo para TELECOM, ou seja, foi desenvolvido todo no conceito de network, para dar o melhor resultado tanto para a camada de hardware quanto ao processamento de software. IXP = Internet Exchange Processor.
    Olhem a página 32 = http://download.intel.com/design/net...des/316848.pdf
    Intel
    página 11 = http://download.intel.com/design/net...hts/316842.pdf

    Aqui são apresentadas as funções nativas de hardware, veja NPE:
    • Two network processor engines (NPE A and NPE C)
    Used to off load typical Layer-2 networking functions such as:
    — Ethernet filtering
    — ATM SARing
    — HDLC
    — Security acceleration (AES/DES/3DES/SHA/MD-5)

    Ou seja, enquanto as placas convencionais precisam rotear os pacotes por software isso é feito por hardware, usando as NPEs em conjunção com as placas de rede, como existe o timelapse de um acesso a outro, dois processadores de rede dão conta de até 6 dispositivos de rede simultâneo, de forma a gerir alto trafego.

    Outra coisa importante é atentar ao volume de HDLC nos links (HDLC - Wikipédia, a enciclopédia livre) mesmo não usando esse protocolo nos P2P quando existem regras de nat/firewall rodando, vão usar o mesmo recurso de alocação na NPE, fazendo com que não se use memória ou clock do processador.

    Na pagina 14 = http://download.intel.com/design/net...hts/316842.pdf vocês podem verificar a execução nativa de rede quando os NPEs estão sendo executadas, passando direto do PCI/BUS para o NPE e vice versa, sem usar clock.

    Seguindo para a Página 19 - "The NPE core is a hardware-multi-threaded processor engine that is used to accelerate functions that are difficult to achieve high performance in a standard RISC processor. Each NPE core is a 133.32-MHz (or 4*OSC_IN input pin) processor core that has self-contained instruction memory and self-contained data memory that operate in parallel. Each NPE core has 4 K x 29bit of instruction memory and 4 K words of data memory." Resumo - 133 MHz em cada NPE com multiprocessamento substituindo as funções nativas de REDE do processador central. Basta ler esta pagina e entender aonde a Yanomami ganha das outras placas.

    O que desejo apresentar a vocês é a realidade por traz dos bastidores, onde, o hardware NECESSITA ganhar do software ou será impossível alcançar os resultados.

    Ao pesquisar o mercado brasileiro, na sua forma de uso, com reduções de estações radio bases e de recursos de implementações de inúmeras antenas com transmissores, iniciamos o projeto Yanomami voltado para alta densidade e concentração.

    A Yanomami consegue tranquilamente rodar 480 clientes simultaneamente, sendo divididos em 4 interfaces minipci, sim, 120 por cada cartão.

    O que não levaram em conta é o potencial aplicado, porque olharam apenas em modo ABG, e esqueceram-se do modo N, onde, é possível digerir tranquilamente 100mbps por interface em modo 1t1r draft.

    Problema dos provedores

    Desde o inicio da era moderna de Wifi todos os provedores por, não existir performance e estabilidade em OFDM para links PtMP, ou seja em modo G, usaram apenas modo B, limitando suas torres para 11Mbps (fora perda de cabeçalho teremos 9Mbps). Isso resultou no desastre de falta de banda real por cliente, porém, ao mesmo tempo, pelo link ser caríssimo, resultou em excelente custo x beneficio inicial. Tendo isso como base, teremos entao, se colocarmos 120 clientes em 9Mbps teremos 7kbps para cada cliente, ou seja, uma conexão discada. Passando isso para modo G - 54Mbps menos perdas e cabeçalhos, teremos 44Mbps, ou seja 36kbps para cada cliente, algo melhor, entretanto, o que esquecemos é o Timelapse no qual estão em uso simultâneo, se cadastrados 120 clientes em 1 minipci, e em uso simultâneo 80, os 44 mbps já são 55kpbs para cada, se falarmos em timelapse no uso da conexão, em 2/3, teremos então um aumento de 40% real de banda para cada usuário, 77kbps, o que ira funcionar dentro da expectativa de cada provedor.

    Em, 2.4G
    Se olharmos a melhor performance do mercado nos cartões xr2 / sr2 / 8603, seu hardware possui filtragem de ruído, com excelente RX e ótimo TX, se falarmos em cobertura de 5km por estação, teremos uma potencia baixa e alta sensibilidade.

    O que precisamos é de CPEs / Kit Clientes que trabalhem EXCELENTEMENTE bem em modo G com melhor sinal x ruído, trabalhando em menor potencia, recomendo fazerem um teste real da CPE SOFT Krazer 400mW real em modo G, na qual bate fácil o uso das nanostation2 no cliente, apresentando redução de custo, e excelente performance.

    Voltando ao problema apresentado no quesito 480 clientes, ainda resta uma duvida, como alimentar então 176Mbps para os cartões, via 2 portas Fast Ethernet 10/100, pronto, lembram-se ainda que o NPE é usado em todas as interfaces de REDE?

    Outro ponto a considerar são as duas portas USB 2.0 com 480 Mbps cada, basta então, usar um conversor nativo USB 2.0 OTG Gigabit e pronto, terá uma entrada Gigabit em sua placa, os mesmos estão custando cerca de 45 dólares no mercado.

    Desta forma, a Yanomami consegue sobressair sobre as outras placas pelo seu melhor hardware, solidificando assim, mais uma vez, o nome Intel no mercado.

    Abraços a todos,

    Erick MacDonald Filzek
    [email protected]

  6. #46

    Padrão Re: Airgrid m5

    Eu tinha escrito um post mas apaguei. Minha intenção nunca foi ser arrogante como alguns aí.
    Deixo só um



  7. #47

    Padrão Re: Airgrid m5

    Citação Postado originalmente por JorgeAldo Ver Post
    Olha sinceramente, concordo com a questão de aceleração de roteamentos e etc.

    Isso é de praxe, você acelera em hardware qualquer função que seja executada muitas vezes.

    Mas ainda não engoli a história de que o processamento é o gargalo.

    Caso assim fosse, teriamos um gargalo não apenas nas routerboards usadas como AP, mas em toda infraestrutura de rede (Ate no PCzinho sendo usado como portal cativo/roteador/discando no modem ADSL pirata daquele provedorzinho safadoooo la dá esquina...) onde houvesse concentração de clientes (Trafego agregado de todos os clientes).

    No entando, a prática me mostra que uma porcariazinha de um Celerom consegue fazer todas as funções que necessito (Algumas mais pesadas do que criptografia, como Squid, por exemplo) sem baterem nos seus topos de performance.

    Vou dar um exemplo, tenho um cliente com um Celeron de 900MHz cujo processador não bate 1% do uso.

    O cálculo para a performance de um canal wireless não bate.

    Temos que somar :

    Overhead de todos os cabeçalhos (IP, Ethernet, TCP etc).
    Perda no espaco interquadros (Antes de transmitir o rádio precisa ler o canal para evitar colisão - CSMA/CA)
    Colisões
    Retransmissões
    Overhead da camada de enlaçe (De vez em quando para para transmitir o Beacon, as vezes precisa processar um RTS/CTS, ou esperar um ACK, etc).
    BER (Bit error rate, pois wireless é um meio poluído)

    Somado a isso ainda temos um canal HALF-DUPLEX com arquitetura semelhante à um barramento, ou seja, toda banda é compartilhada entre todos os clientes tanto na transmissão quanto na recepcao...

    E ai já se foram seus 54MBit/Sec teóricos do padrão G.

    Não duvido que uma Yanomami seja melhor que as routerboards.

    Quer fazer essa placa se tornar realmente comparável às ubiquiti ?

    Consiga colocar modo TDMA.

    TDMA + MIMO real (2x2) e ai podemos comecar a falar.

    Lembrando que MIMO é feito pelo cartão, por exemplo o SR71, mas deve ser compatível com o software (Drivers).

    Com TDMA voce vai perder banda pela divisão do canal em time-slots, mas vai recupera-la com a eliminação de colisões, diminuição do tamanho do espaco inter-quadros, etc. De tal forma que o resultado, para uso outdoor, é compensatório.

    Eu cheguei a bolar um metodo de TDMA compatível com rádios CSMA/CA em software, usando alguns pacotes de controle do procotolo 802.11G para forçar os radios incompatíveis com TDMA a não atrapalharem a temporização correta do canal, permitindo TDMA dinâmico, com a entrada de estações novatas em intervalos regulares. Mas não tenho mais saco para escrever uma linha de código sequer.

    Quanto ao MIMO ai é questão de drivers.

    Caso vocês portassem o FreeBSD (Ou caso já exista) para essa placa Yanomami, seria possível o desenvolvimento de um firmware capaz de utilizar o recurso TDMA e MESH existente no FreeBSD versão 8.
    Na arquitetura x86 os bits de processamento em modo network, rede UDP/TCP/ou qualquer outro protocolo/camada são tratado somente em nível software (Linux, Mikrotik ou qualquer it da vida)
    Quando falamos em MOTORES de processamento, estamos apenas afirmando aquilo que foi criado para resolver o que o processador convencional não resolvia.

    Tudo o que vc falou de wireless está extremamente certo e não vamos mudar aquilo que já foi feito, porém eu gostaria de ver uma routerboard da mikrotik rodando mais de 150 clientes simultâneo sem pifar, porque, primeiro, a memória já vai pro saco e o processamento não vai aguentar isso é questão de hardware.

    Em relação a TDMA, amigo isso não é camada de hardware e sim transporte, não é meio físico e sim operacional, todos os cartões AR5212/13 ou das novas gerações tem suporte nativo no HAL (se não sabe o que é isso, é Hardware Abstract Layer, em poucos miúdos o driver wireless da atheros) a TDMA, basta acionar 1 comando nele para mudar para o formato TDMA. Outra coisa o madwifi também suporta.

    A Ubiquiti não criou porra nenhuma, apenas está fazendo uso daquilo que foi criado. Se tem dúvidas "http://www.unix.com/man-page/FreeBSD/4/ath/".

    ifconfig wlan0 create wlandev ath0 wlanmode tdma \
    ssid tdma-test tmdaslot 0 tdmaslotlen 2500 \
    channel 36 up
    O importante é saber que nas maiorias das interfaces gráficas não há suporte para isso, de forma a limitar o uso da tecnologia.

    Implementar links ponto a ponto TDMA ou multi ponto TDMA nada mais é do que criar várias conexões ADHOC-demo do mesmo modo que mesh, foi isso que esta implementado nas ubiquitis, eles se basearam na tecnologia da intel que foi a primeira do mundo a disponibilizar em suas placas o modo TDMA e optimizar os drivers atheros para tal (veja as primeiras soluções do mundo chamadas de link rurais, criadas pela intel) isso usando 802.11 wifi nativo.

    Abraços.

  8. #48

    Padrão Re: Airgrid m5

    filzek, pode me fazer uma visita e posso lhe mostrar 180 clientes simultâneos em uma RB600 em produção sem jogar a toalha, lógico utilizando 4 cartões, 45 em cada. Daí colocar mais do que isso até poderia, porém não teria qualidade. Para termos de comparação, a YANOMANI seria superior em que quesito a uma RB800, que aliás utilizas portas 10/100/1000 e não apenas 10/100 como a Yanomani.



  9. #49

    Padrão Re: Airgrid m5

    Citação Postado originalmente por Kandango Ver Post
    filzek, pode me fazer uma visita e posso lhe mostrar 180 clientes simultâneos em uma RB600 em produção sem jogar a toalha, lógico utilizando 4 cartões, 45 em cada. Daí colocar mais do que isso até poderia, porém não teria qualidade. Para termos de comparação, a YANOMANI seria superior em que quesito a uma RB800, que aliás utilizas portas 10/100/1000 e não apenas 10/100 como a Yanomani.
    Vamos passar por 2 pontos primeiro:

    1) TDMA

    A Atheros quando formou os cartoes da serie AR52xx já implementou no HAL/Driver as instruções de formação nativa TDMA nos pacotes, ou seja isso é padão nos driver, até mesmo no madwifi ou ath5k/ath9k contem a instrucao para rodar o modo TDMA.

    Não apenas no FREEBSD, todo linux roda o TDMA sem problema. Lembre-se que TDMA é apenas a formação do pacote e modulação na transmissao, mas, continua usando 802.11

    A Mikrotik utiliza sim TDMA há muito tempo, ou voce nunca percebeu o que é um NSTREME, NSTREME nada mais é do que um empacotamento TDMA com roteamento de pacotes UP/DOWN, só isso.

    Ponto de sabedoria: Qualquer linux com driver HAL (atheros) roda TDMA.

    2) 100mbps ou 1000mbps (fastethernet ou gigabit)

    Temos a consideração de portas gigabit x portas fastethernet, porém, quem tem algum link 1gigabit ou mair de 100mbps que rodam em um POP único?

    Quem for usar mais, então, pode rodar direto a compilacao kernel do linux e habilitar USB gigabit, onde 480mpbs reais de trafego irao passar por até 4 interfaces, de modo a ter 2 portas GIGABIT no final.

    O potencial é o hardwar, onde suporta inúmeras opções, segunda vou postar tudo que é possivel rodar nela.

    Abracos

  10. #50

    Padrão Re: Airgrid m5

    olá ..estou com problemas para configurar duas AirGrid M5..alguem pode me ajudar..Obrigado



  11. #51

    Padrão Re: Airgrid m5

    Recentemente fiz um ptp com airgrid m5 e na outra ponto coloquei uma omni funcionou tudo blz
    o problema e que eu não consigo pingar eles atravez do mk, como posso fazer isso

  12. #52

    Padrão Re: Airgrid m5

    ola pessoal...uma duvida...que vi nos primeiros posts..eu tenho uma rede em 5.8 normal..agora vou colocar 2 paineis rocket na mesma torre onde se encontram os 5.8 normal..pergunto a vcs? posso usar os 2 ou o 5.8 normal...vai interferir nos 5.8m..??



  13. #53

    Padrão Re: Airgrid m5

    Citação Postado originalmente por bigorion Ver Post
    ola pessoal...uma duvida...que vi nos primeiros posts..eu tenho uma rede em 5.8 normal..agora vou colocar 2 paineis rocket na mesma torre onde se encontram os 5.8 normal..pergunto a vcs? posso usar os 2 ou o 5.8 normal...vai interferir nos 5.8m..??
    Voce pode usar sem problemas, mas nao deixe no mesmo canal, e para cliente em 5.8 normal, vc nao podera habilitar o airmax. Se for usar cliente M5, habilita o airmax, se for usar outros, tera q desligar o airmax.

    Mesmo habilitando o airmax, os canais se interferem.

  14. #54



  15. #55

    Padrão Re: Airgrid m5

    Olá amigos, sou mais um sofredor nessa área, mas estou sempre tentando aprender. Estou com um probleminha, não sei se alguém pode me ajudar... Estou fazendo em bancada testes de um enlace onde ultilizo 2 airgrid m5, mesma marca, firmware, etc. a distância pretendida é de aprox.13 km com visada parcial. Montei a estrutura toda na bancada, ultilizo 4 base station 5.8 para transmissão aos meus clientes e outros equipamentos em 2.4, rb 433 ah, hiperlink, etc. A questão é o enlace, acabei de montar a simulação da rede, uma airgrid transmitindo a outra recebendo, entrando o link em um sv mk ether1 e saindo para os clientes(switch) ether 2, até aew tudo bem, consegui configurar as antenas, estou com net, inclusive usando nesse exato momento. A minha dúvida é a seguinte, não consigo comunicação com as airgrids na saída do servidor, somente se eu ligá-las direto no pc, porém consigo me comunicar com elas somente da central, acesso tranquilo as duas... Alguém pode me ajudar, será que eu estou fazendo algo errado, lembrando, existe internet, enlace funcionando perfeito, falta somente a comunicação com as airgrids m5.
    Agradeço se alguém puder me ajudar...

  16. #56

    Padrão Re: Airgrid m5

    @tiagolimma: o enlace esta sendo feito em WDS ?! se nao estiver.. mude para WDS !!



  17. #57

    Padrão Re: Airgrid m5

    Alexandre, configurei da seguinte forma:

    a que envia
    Modo de rede: Ponte
    Modo sem fio: Ponto de Acesso WDS

    a que recebe
    Modo de rede: Ponte
    Modo sem fio: WDS da estação

    Seria outra configuração no modo sem fio na que recebe? De WDS só resta Ponto de acesso WDS.
    Em services existe algumas opções, mas não sei como, e se funciona. Liberando uma porta, sei lá... Um colega e falou sobre criar uma VPN. Talvez alguma regra no mikrotik... Enfim, só falta isso pra fechar enlace com chave de ouro.
    Obrigado pela atenção...

  18. #58

    Padrão Re: Airgrid m5

    isto.. o lado "AP" voce configura como "ponto de acesso WDS" e do lado "station" voce coloca WDS da estacao ..



  19. #59

    Padrão Re: Airgrid m5

    Havia configurado assim desde o início... Porque na verdade, como ele(o cliente) comprou as antenas ele quer ver o sinal, etc... Se eu tivesse comprado não permitiria que eles tivessem esse acesso. Se tiver alguma outra saída, me avisa ok? Vlw...

  20. #60

    Padrão Re: Airgrid m5

    Galera estou com dulvida!

    tenho um link GVT com um ponto a ponto vindo de salvador-Ba passando por cima da baia de todos os santos usando 2 rocket com antena dele mesmo de 30 dbi com 75 km e ñ estou tento rolo com espelho d agua dai então tudo tranquilho esta passando 30MB suave, até a estação WDS que fica no sitio, para que o link chegue até meu provedor tenho que fazer um outro ponto a ponto usando AIRGRID m5 esta aconte o seguite faço os teste ele de radio para radio passando 38.97 Mbps em RX e 43.21 mbps com o AirMax desativado consigo uma passagem de quase 10MB a mais vou enviar Print SC pra vcs ver mas no geral so estou conseguido passar no maximo 17 MB fazendo o maior uso possivel da net a noite quando entra 260 clintes onlane uss ppoe uma rb 1100 para autentica clintes verifico que fica dando cortes no trafico vejo posts com uso do airgrid dando garnde satifação ao clinte a e do do sitio para minha casa so dar 8 km.

    obrigado ai quem puder mim ajudar