+ Responder ao Tópico



  1. #121

    Padrão Re:

    Gosulator e Andrio, eu não só sigo a lei ao pé da letra como faço um esforço enorme para que outras pessoas/empresas compreendam a importância de fazer a coisa certa.

    Em minha torre de repetição principal utilizo setoriais de 20dbi da Ubiquiti (homologadas, compradas na American Satelite) e Rocket M5 (também homologado, da mesma empresa), e nesse conjunto eu opero na potência de 5mw, 7dbm. Funcionando maravilhosamente bem já tem 1 ano.

    Obviamente, antes mesmo de subir a torre foi feito todo um projeto de planejamento da estrutura. Foi definida qual seria a dimensão da área de cobertura, o ponto estratégico que com poucas antenas cobriria de forma harmônica toda a área de cobertura (sem deixar pontos cegos ou com nível de sinal inferior), os equipamentos a serem instalados no domicílio dos assinantes, e outros fatores.

    Nos meus projetos eu procuro não construir torres altas a partir do chão, e sim células em cima da cobertura de prédios. Se for necessário construir uma torre, que se faça em um ponto de relevo alto, para evitar torres de mais de 10 metros (em função de custos, inclusive, uma vez que não utilizo torres estaiadas, apenas autosuportadas).

    Como eu já havia citado anteriormente, onde existe linha de visão clara entre os pontos, não existe a necessidade de torres altas. O que se faz necessário são ajustes finos de inclinação e alinhamento das antenas, equipamentos de polarização dupla e que possuam o protocolo N embarcado, controle nas potências de emissão/recepção e sobretudo saber operar com canalizações de 10 e 5Mhz.

    Obviamente, 20Mhz proporciona uma rate maior, podendo-se atender com até 40 mega o cliente final. Mas qual provedor a nível Brasil tem capacidade de vender 20 mega, por exemplo, para o cliente final? E se tem, não deveria utilizar antenas, e sim cabos. Como sempre, é uma questão de planejamento estratégico.


    Concluindo, eu acredito que a canalização seja o grande segredo de se trabalhar corretamente em 5Ghz. O ganho que se tem em sinal e fuga de ruídos compensa a perda de rate se comparado com 20 ou 40Mhz. De nada adianta ter rates com capacidade de passar um caminhão de dados e com uma qualidade debilitada. CCQ e Noise Floor são medições mais importantes que MCS e sinal altos.

    Em anexo capturas de tela do nível de sinal, CCQ e rate de meus assinantes. Também as configurações do Setup Wireless do meu AP.


    Clique na imagem para uma versão maior

Nome:	         Estações.jpg
Visualizações:	141
Tamanho: 	190,9 KB
ID:      	41512Clique na imagem para uma versão maior

Nome:	         Wireless Setup.jpg
Visualizações:	158
Tamanho: 	78,3 KB
ID:      	41511

  2. #122

    Padrão Re: 5 Ghz - Um Pedido de Socorro

    Perfeito. Essa torre onde estou montando esse ptmp vai ter 42m, seria uma torre de 30mt, mas como ela estava muito debilitada eu preferi trocar logo, e como estão subindo muitos prédios de 3 andares por aqui, andei perdendo alguns clientes e decidi pela altura nova para minimizar os problemas nesse sentido. Também o fato do 5ghz ser mais sensível a visada obstruída ajudou na escolha. E como não vou me desfazer do ptmp em 2.4 ghz que já existe lá, eu ia ter problemas pra montar tudo isso no alto da torre. Com a nova eu vou poder manter o 2.4ghz na mesma altura e colocar o 5ghz no topo da torre. Depois disso pretendo reformar a torre antiga e a dividir em partes, instalando elas no topo de prédios pela cidade. Mas isso é plano mais pra frente devido ao fato deu trabalhar em cidade com mais de 500 mil habitantes, e ainda estar bem descaptalizado. Também estou meio receoso de como vão ficar os ptp em 5ghz entre as torres, junto com os ptmp na mesma faixa.



  3. #123

    Padrão Re: 5 Ghz - Um Pedido de Socorro

    Citação Postado originalmente por mascaraapj Ver Post
    Eu acredito,
    Alias, eu faço isso.

    Mais um detalhe...
    Quando se usa a faixa 5.4 (5470 a 5725) a potencia e.i.r.p esta diretamente ligada a largura do canal (mhz).
    o e.i.r.p maximo é de 1 Watt (caso o equipamento tenha DFS).
    Mas voce somente vai conseguir usar 1Watt se estiver usando em 20 ou 40 mhz.
    caso baixe para 10 mhz, poderá usar no máximo 0,5Watt
    caso baixe para 5 mhz, poderá usar no máximo 0,25Watt

    largura do canal X 50 = EIRP
    Entendo. Não seria mais interessante pra a Anatel que o pessoal usasse largura de canal as mais estreitas possiveis? Qual o motivo de ela exigir menores potências quando trabalhando com larguras de canal mais estreitas? Tem embasamento técnico? É muita potência em muito pouco espaço?

  4. #124

    Padrão Re:

    Citação Postado originalmente por Jadir Ver Post
    Clique na imagem para uma versão maior

Nome:	         Estações.jpg
Visualizações:	141
Tamanho: 	190,9 KB
ID:      	41512Clique na imagem para uma versão maior

Nome:	         Wireless Setup.jpg
Visualizações:	158
Tamanho: 	78,3 KB
ID:      	41511
    Pensei que o AirOs não trabalhava com CCQ, que usava outro negócio pra mostrar a qualidade da conexão. Viajei legal então.

    Ô Jadir, você já testou ter o sinal dos teus clientes chegando no AP na casa dos -60? Te pergunto porque já ví algumas pessoas sugerindo isso, tentar trabalhar com o sinal dos clientes nessa casa, alegando que algo mais forte que isso começa a ser mais prejudicial do que benéfico pra tua rede. A minha meta aqui era trabalhar com sinal na entre -58 e -63, e baixar potência ou melhorar o ganho quando o cliente não conseguisse se encaixar nessa janela.



  5. #125

    Padrão Re: 5 Ghz - Um Pedido de Socorro

    Jadir, teu crescimento está evidente.
    Logo , logo vais estar palestrando sobre o assunto.
    Eu conheço pessoalmente o Jadir, e posso afirmar que ele está localizado numa área de intensa concorrência e está crescendo. E com baixa potencia.

    Um dia desses eu fiz uma pergunta sobre largura de canais e seus efeitos benéficos ou deletérios, e ninguém me respondeu. Normalmente quando ninguém responde é porque ou sua pergunta é muito sem sentido ou então é falta de conhecimento do pessoal.
    Agora me surpreendo ao encontrar a resposta que queria. Canalização de 5mhz. O raciocínio que segui para apoiar o uso de 5mhz é exatamente este que o Jadir expôs. Mas eu tinha só a teoria. Agora com a resposta prática fica evidente o caminho a tomar nesta questão.

  6. #126

    Padrão Re:

    Obrigado, Carlos! Não tenho uma rede tão grande quanto gostaria, mas todo esse crescimento que tu citaste está apoiado em bases sólidas. Dificilmente algo foge do meu conhecimento e/ou do meu controle.

    Sobre palestrar sobre o assunto, só depende de vocês quererem. Faz tempo que eu quero montar um encontro gaúcho de pequenas empresas de telecom, nos mesmos moldes do evento da Elsys.

    Só depende de todo mundo querer e mobilizar.
    Última edição por Jadir; 05-01-2013 às 11:21.



  7. #127

    Padrão Re:

    Gosulator, eu acredito que o nível de sinal por si só não vá influir diretamente na qualidade da conexão, no CCQ. O que se deve atentar e procurar manter equilibrado é o noise, o ruído. Esse sim derruba uma rede.

    Quando se tem um nível de sinal muito alto no assinante (-48, -50), o ideal é baixar a potência para o nível mínimo. Devido a sensibilidade dos chipsets que a Ubiquiti usa, por exemplo, dificilmente consegue-se "derrubar" o sinal só baixando a potência, então o segredo é manter um projeto de rede onde se trabalhe só com frequências "limpas" e canalizações menores, pra fugir da influência do ruído.

  8. #128

    Padrão Re: 5 Ghz - Um Pedido de Socorro

    quando você diz "o sinal no assinante" você quer dizer o sinal dos assinantes que chegam ao ap né?



  9. #129

    Padrão Re:

    Sinal do assinante que eu me refiro é o nível de sinal que marca na Estação, não no AP. Por isso a ideia de baixar ao máximo também a potência no equipamento do cliente, para evitar a recepção de ruídos alheios à transmissão da sua própria rede, o que prejudica muito a qualidade da conexão.

    A ideia é manter nessa média, de -55 à -70. Abaixo de -70 se torna comprometedor, e acima de -60 se torna forte demais. É um prato cheio pra derrubar o CCQ geral da rede e afetar as outras estações do mesmo AP.

  10. #130

    Padrão Re: 5 Ghz - Um Pedido de Socorro

    Jadir, quando você baixa a potencia no rádio cliente você baixa também a recepção do rádio dele?

    Ou está se referindo a ruídos gerados pelo próprio rádio em alta potencia que prejudica a recepção dele?



  11. #131

    Padrão Re: 5 Ghz - Um Pedido de Socorro

    Citação Postado originalmente por 1929 Ver Post
    Jadir, quando você baixa a potencia no rádio cliente você baixa também a recepção do rádio dele?

    Ou está se referindo a ruídos gerados pelo próprio rádio em alta potencia que prejudica a recepção dele?
    Não...
    Ao baixar a potencia no cliente, diminui a recepção do sinal que vem do Cliente para o AP.
    Potencia muito alta vai deixar seu AP surdo

  12. #132

    Padrão Re: 5 Ghz - Um Pedido de Socorro

    Sim, de certo modo é como se fosse o lençol digital que o Gilvan falava. Todo mundo com sinal semelhante.

    Eu nunca deixo o cliente com sinal muito forte ao chegar no AP.

    Eu tinha entendido que ao baixar a potencia no rádio iria cair também a recepção no cliente. Isso seria algo estranho.



  13. #133

    Padrão Re:

    Carlos, funciona assim:

    Vamos entender a conexão sem fios como sinal de RECEPÇÃO (que é o sinal que marca no equipamento do cliente) e sinal de RETORNO (que é o sinal que marca no equipamento da torre, no AP da empresa).

    Na torre temos um conjunto Rocket M5 e BaseStation de 20dbi, e no assinante uma NanoStation Loco M5. Lá no cliente o sinal de recepção é de -58dbm, e lá no Rocket marca -61dbm.

    Porque essa diferença? No cliente temos uma antena de 13dbi recebendo uma transmissão de 5mw de uma antena de 20dbi. Por menor que seja a potência emitida, uma antena de 20dbi "amplifica" o sinal com intensidade suficiente para que até mesmo uma antena de baixo ganho capte com força.

    No caso do retorno do cliente para a torre, temos uma antena de 13dbi emitindo para uma antena de 20dbi. Esses 13dbi não amplificam a potência com a mesma intensidade que a de 20dbi. Por isso a diferença de sinal entre a RECEPÇÃO do cliente e o RETORNO da conexão na torre.


    Quando se coloca uma potência muito alta no assinante, temos os seguintes problemas:

    - além de "ouvir" muito alto a transmissão da torre, o equipamento do assinante ouve muito alto outras redes, aumentando o nível de ruído e afetando o SNR (relação entre o sinal e a interferência);

    - quando o SNR fica muito baixo (20db pra menor) prejudica-se o rate (ou taxa de transmissão), de forma que a qualidade da conexão degrada-se;

    - quando degrada-se a qualidade da conexão (o controle de CCQ), temos todos aqueles efeitos conhecidos, como aumento da latência, perdas de pacotes, entre outros;

    - além disso, com o sinal do equipamento do cliente "infectado" por ruídos alheios, degradamos a qualidade de conexão de TODO o AP da torre, resultando na situação que o Andrio citou, de ensurdecer o AP (o que não vem a ser nada mais do que a "saturação" do sinal de rádio frequência por excesso de potência).


    Em resumo: a potência do conjunto RECEPÇÃO/RETORNO deve se equilibrar para não afetar a qualidade da conexão. Se no equipamento do cliente marcar -58, no AP da torre é interessante conseguir um nível de sinal de -60, -62.

    Uma medida muito desproporcional no retorno indica interferência, seja eletromagnética como de barreiras, sejam árvores ou construções. Desproporcional tanto para mais como pra menos.

    É isso. Se ficou algum ponto mal compreendido volto ao tema. Obrigado, e um abraço aos amigos!

  14. #134

    Padrão Re: 5 Ghz - Um Pedido de Socorro

    É exatamente isso que tenho procurado alcançar.

    Já vi instalador que quando entra muita estação ele diz que vai baixar a potencia para receber menos estação. Ledo engano.

    Já faz um tempo que não compro mais equipamento cliente com antena integrada. Uso grade pois assim eu elimino muito das estações indesejadas e consigo controlar a saída do cliente para que não sature no AP.
    Eu agora estou numa nova fase. Cliente com visada ruim por árvore por ex. eu tenho refugado instalação. Todos os que foram instalados no passado nestas condições são os que vivem dando suporte.
    O ideal é na hora da instalação, entrar com o winbox para monitorar o sinal que chega no AP. Depois de achar o melhor apontamento, ir baixando a potencia no cliente. Pronto, a chega no AP fica estável. E normalmente a recíproca é verdadeira. O sinal no cliente vai ser o melhor dentro da faixa que desejamos.

    O que o pessoal normalmente faz é cravar a potencia no fundo nas duas pontas. E daí depois não sabe porque acontece as coisas.



  15. #135

    Padrão Re:

    Carlos, eu não até onde resolve substituir CPE's por antenas de grade acopladas aos rádios.

    Quando se usa uma antena de grade, no mínimo 20dbi, ganha-se na diminuição da "área exposta" da antena, em função do ângulo de abertura ser estreito (coisa de 5°, 6°). Porém, na direção em que a antena estiver direcionada a captação/emissão das ondas é MUITO maior.

    O que incomoda é justamente esse ganho alto da antena. Se na direção em que a antena estiver "apontada" estiver minada de redes em frequências próximas, degrada-se muito a qualidade da conexão, e por consequência "injeta-se" um sinal de retorno de má qualidade no AP da torre.

    Nas CPE's temos antenas de ganho baixo/médio. O sinal de retorno não é tão intenso quanto o de uma antena de grade, o que reduz a captação de ruídos prejudiciais à rede. Porém, há a questão do ângulo de abertura da antena ser definitivamente maior, o que facilita a captação de outras redes indesejadas.

    Em redes wireless sempre corre-se riscos. Eu particularmente prefiro correr o risco de utilizar CPE's e captar mais redes indesejadas com um nível mais baixo de recepção e retorno, do que utilizar antenas de alto ganho e injetar ruídos de alto nível na Estação e no AP.

    Como tudo na ciência, são grandezas inversamente proporcionais: quando ganha-se uma coisa, perde-se em outra. Cabe a cada um encontrar o ponto de equilíbrio. O meu eu já achei, graças a Deus, e a rede vai bem só com CPE's.

  16. #136

    Padrão Re: 5 Ghz - Um Pedido de Socorro

    baixando a potencia de tx do cpe também diminui sua sensibilidade prp rx? Eu sempre imaginei que isso não acontecia, pelo menos não diretamente. Imaginava que podia acontecer de o troughput do rx melhorar apos baixar a potencia do cpe pelo fato do aparelho estar sendo menos forçado e isso deixar ele mais tranquilo pra "escutar melhor".



  17. #137

    Padrão Re: 5 Ghz - Um Pedido de Socorro

    Citação Postado originalmente por Gosulator Ver Post
    baixando a potencia de tx do cpe também diminui sua sensibilidade prp rx? Eu sempre imaginei que isso não acontecia, pelo menos não diretamente. Imaginava que podia acontecer de o troughput do rx melhorar apos baixar a potencia do cpe pelo fato do aparelho estar sendo menos forçado e isso deixar ele mais tranquilo pra "escutar melhor".

    Você está certo. não baixa a sensibilidade não. Eu que fiz uma pergunta ao Jadir pois tinha entendido mal o que ele escreveu. Mas ele já explicou.

    A quetão da grade, "para mim" foi a melhor Jadir. Como já conversamos no passado, minha região é cheia de coxilhas, e ainda por cima muita árvore. àrvores de 10 a 15 metros são comuns dentro da cidade.
    Tenho algumas instalações com CPE quando tenho tudo limpo à frente. Mas tenho até evitado comprar CPEs. Tenho um lote de NanoLoco e outros parados. Com kit com grade, a troca se limita a pcba. O problema é que o preço de uma grade 5.8 é injustificável. Ela é menor que uma 2.4. Se fosse um preço semelhante até seria legal.

    Quanto a grade receber mais estações, nem sempre acontece. Uma CPE muitas vezes recebe mais, por ser mais aberto. No caso da grade, mesmo que receba mais estações apontando para a setorial, sempre o sinal da setorial irá suplantar outros sinais. A não ser que a torre do concorrente esteja praticamente no mesmo alinhamento.
    Tem um vídeo da Computech onde o Luciano cita um caso de um ambiente indoor com dezenas de APs convivendo, como numa feira por ex. E todos funcionam. O mais importante é como você disse : monitorar o SNR. Este é que determina se vai dar ou não.

  18. #138

    Padrão Re: 5 Ghz - Um Pedido de Socorro

    existe algum motivo tecnico pra que os principais fabricantes só botem no mercado cpes com abertura grande? é meio óbvio que o melhor para os clientes deles (nós) que menores angulos de irradiação são melhores pro que a gente faz.



  19. #139

    Padrão Re: 5 Ghz - Um Pedido de Socorro

    Citação Postado originalmente por Gosulator Ver Post
    existe algum motivo tecnico pra que os principais fabricantes só botem no mercado cpes com abertura grande? é meio óbvio que o melhor para os clientes deles (nós) que menores angulos de irradiação são melhores pro que a gente faz.
    Uma coisa legal das CPEs com abertura 'grande' (45º e até mais) é que até eu consigo alinhar 2 numa distância não muito grande. Isso sem ter feito nenhuma instalação outdoor ainda.. É tão aberto que até deficiente visual acerta a pontaria.
    E gatonet pode usar de AP.

  20. #140

    Padrão Re: 5 Ghz - Um Pedido de Socorro

    Aproveitando que puxei o tópico da cova, e só pra deixar claro:

    -Posso usar o canal 36 num PTP?

    Também encontrei sinal nas redondezas no canal 48 e 52.
    Estou usando o inSSIDer com um adaptador Linksys WUSB600N Dual Band.