+ Responder ao Tópico

  1. Sobre hardware ATX "comum", só cuida que as vezes o baixo consumo da placa-mãe + processador é tão baixo que faz a fonte ATX gastar MAIS.

    Caso de uma MB com APU gastando digamos 25W, se ligar isso numa fonte ATX comum de 350W esses 20W representam só pouco mais de 7% da capacidade, essa fonte rende provavelmente uns 50% quando tem consumo tão baixo (Ou seja, a MB gasta 25W, mas com rendimento de 50% a fonte ATX consome da tomada uns 50W!)

    O melhor rendimento das fontes ATX geralmente fica entre 30 e 70% da capacidade nominal, nessa faixa o rendimento é maior, tem menos ripple, e até tem menos calor e portanto mais durabilidade. Se pegar uma fonte ATX comum de 200W, 30% disso é 60W, e 70% é 140W. Com consumo abaixo de 60W essas fontes não ficam "mais tranquilas", elas na verdade tem mais spikes (Por falta de carga na saída), além do rendimento ser ruim a maioria não dura mais por serem subutilizadas!

    Enfim, por isso tem desktop HP ou Lenovo com proc. de baixissimo consumo que vem com fonte mini-ITX de 100 a 150W, muito MELHOR ter uma fonte de 100W se o hardware gasto no pico uns 50W, do que colocar uma fonte MAIS BARATA (Devido a demanda as mais vendidas são as mais baratas, não é questão de potência) de digamos 200W.

    Eu sou mais fã de pegar uma CPU razoavel (Pentium, digamos, G3220, pico de 60-65W na MB, em iddle provavelmente 25W igual o seu), mas economizar energia no resto, usando só 1 pente de ram (1 pente de 4 ou 8GB ao invez de 2 ou 4 de 2-4GB, pois CADA pente tem consumo de 3 a 8W), uso de SSD ou HDD 2,5", não plugar CD/DVD (Mesmo sem uso consomem 3 a 10W, um drive VAZIU pode consumir mais que um SSD!), e procurar fonte ATX com selo 80plus que tenha potencia tipo 180 a 250W, porque o selo 80plus não obriga que abaixo de 20 ou 30% da capacidade o rendimento seja bom.

    Alias, placa-mãe espaçosa (Não compacta) geralmente ventila melhor naturalmente, um fan extra de 80mm significa as vezes 5W a mais de consumo, além de ter durabilidade melhor. Pra processador comum as placas-mãe comuns de 4 fases servem bem, se pegar uma placa-mãe com VRM de 6 fases é normal ela ter rendimento ruim com BAIXO consumo (Se colocar um Celeron G1820T digamos), quanto mais fases maior a estabilidade em alto consumo (i5/i7 e cia) mas em compensação ela não consegue estabilidade ao desligar muitas fases, não são "eletricamente" econômicas apesar de caras.

    Enfim, hardware comum tipo fonte ATX barata, placa-mãe barata, pente de ram único, HD green barato, é o que há de mais econômico em matéria de eletricidade! Hardware caro só fica interessante no calculo de "gigaflops por watt", mas... no uso pra um provedor você não PRECISA muito processamento, você não acumula processamento pra próxima hora, responde quando o cliente navega e hora que ele para de navegar o servidor fica parado, nessa hora ele deve ser economico, provavelmente serão 10 horas.dia perto de iddle, não é lucrativo ter um hardware gastador de energia que vai ficar umas 10h por DIA bem subutilizado.

    (Isso afeta pouco o tempo de um nobreak, 20 a 30% a mais de uptime talvez, talvez aumente a vida útil das baterias em uns meses, afeta mais é a conta de luz mesmo, é fácil economizar R$ 50 por MÊS na conta com hardware mais modesto, esse valor paga uma bateria 12V 7Ah por mês)

  2. Citação Postado originalmente por rubem Ver Post
    Sobre hardware ATX "comum", só cuida que as vezes o baixo consumo da placa-mãe + processador é tão baixo que faz a fonte ATX gastar MAIS.

    Caso de uma MB com APU gastando digamos 25W, se ligar isso numa fonte ATX comum de 350W esses 20W representam só pouco mais de 7% da capacidade, essa fonte rende provavelmente uns 50% quando tem consumo tão baixo (Ou seja, a MB gasta 25W, mas com rendimento de 50% a fonte ATX consome da tomada uns 50W!)

    O melhor rendimento das fontes ATX geralmente fica entre 30 e 70% da capacidade nominal, nessa faixa o rendimento é maior, tem menos ripple, e até tem menos calor e portanto mais durabilidade. Se pegar uma fonte ATX comum de 200W, 30% disso é 60W, e 70% é 140W. Com consumo abaixo de 60W essas fontes não ficam "mais tranquilas", elas na verdade tem mais spikes (Por falta de carga na saída), além do rendimento ser ruim a maioria não dura mais por serem subutilizadas!

    Enfim, por isso tem desktop HP ou Lenovo com proc. de baixissimo consumo que vem com fonte mini-ITX de 100 a 150W, muito MELHOR ter uma fonte de 100W se o hardware gasto no pico uns 50W, do que colocar uma fonte MAIS BARATA (Devido a demanda as mais vendidas são as mais baratas, não é questão de potência) de digamos 200W.

    Eu sou mais fã de pegar uma CPU razoavel (Pentium, digamos, G3220, pico de 60-65W na MB, em iddle provavelmente 25W igual o seu), mas economizar energia no resto, usando só 1 pente de ram (1 pente de 4 ou 8GB ao invez de 2 ou 4 de 2-4GB, pois CADA pente tem consumo de 3 a 8W), uso de SSD ou HDD 2,5", não plugar CD/DVD (Mesmo sem uso consomem 3 a 10W, um drive VAZIU pode consumir mais que um SSD!), e procurar fonte ATX com selo 80plus que tenha potencia tipo 180 a 250W, porque o selo 80plus não obriga que abaixo de 20 ou 30% da capacidade o rendimento seja bom.

    Alias, placa-mãe espaçosa (Não compacta) geralmente ventila melhor naturalmente, um fan extra de 80mm significa as vezes 5W a mais de consumo, além de ter durabilidade melhor. Pra processador comum as placas-mãe comuns de 4 fases servem bem, se pegar uma placa-mãe com VRM de 6 fases é normal ela ter rendimento ruim com BAIXO consumo (Se colocar um Celeron G1820T digamos), quanto mais fases maior a estabilidade em alto consumo (i5/i7 e cia) mas em compensação ela não consegue estabilidade ao desligar muitas fases, não são "eletricamente" econômicas apesar de caras.

    Enfim, hardware comum tipo fonte ATX barata, placa-mãe barata, pente de ram único, HD green barato, é o que há de mais econômico em matéria de eletricidade! Hardware caro só fica interessante no calculo de "gigaflops por watt", mas... no uso pra um provedor você não PRECISA muito processamento, você não acumula processamento pra próxima hora, responde quando o cliente navega e hora que ele para de navegar o servidor fica parado, nessa hora ele deve ser economico, provavelmente serão 10 horas.dia perto de iddle, não é lucrativo ter um hardware gastador de energia que vai ficar umas 10h por DIA bem subutilizado.

    (Isso afeta pouco o tempo de um nobreak, 20 a 30% a mais de uptime talvez, talvez aumente a vida útil das baterias em uns meses, afeta mais é a conta de luz mesmo, é fácil economizar R$ 50 por MÊS na conta com hardware mais modesto, esse valor paga uma bateria 12V 7Ah por mês)
    Montei uma máquina com o antigo e excelente Core 2 Duo E8400.
    A fonte que estou usando é esta:
    http://www.short-circuit.com/images/...tx/large/0.jpg
    Mas já olhei o datasheet dela e a eficiência cai absurdos quando o consumo é baixo.
    Eu comprei algumas baterias de alarme. Bem vagabundas pelo visto, pois não consigo nem mesmo 1h de autonomia com elas. São genéricas, nem mesmo possuem informações técnicas em seu corpo. Já com bateria Unipower, consegui quase 2.5 Hs de autonomia. Minha fonte nobreak corta a descarga quando a bateria atinge 10.5V. Medi um regime de descarga na ordem de 2.1A - 2.24V.
    Eu estou pensando em baterias moura. Consigo no ML com frete grátis, saem por R$ 55,00 cada.
    http://appsisecommerce.s3.amazonaws....14800/4355.jpg

    Só vou colocar estacionárias maiores nos locais onde eu possa abrigá-las e manter temperatura. As minhas baterias vagabundas irei ligar em série para render um pouco mais. Nem que eu as use para alimentar modem DSL.




  3. Boa tarde, amigos!

    Tenho o seguinte cenário:
    1 régua PoE de 10 portas alimentando 6 equipamentos, consumo médio de 5A ligados em 24v

    Ja tive problemas com fontes nobreak e agora decidi utilizar controlador + fonte.

    Minha ideia é utilizar:
    1 Fonte Estabilizada de 24v 10A
    1 Controlador PWM 10A
    2 Baterias Estacionárias 12v/45A em serie

    A dúvida é: eu preciso aumentar a tensão da fonte para poder carregar as baterias?

  4. As baterias flutuam entre 26,4 e 27V. De cara então uma fonte 24V não serve.

    Mas os controladores PWM precisa MAIS de 26,4 ou 27V, eles tem uma queda de tensão interna de 0,5V ou mais.

    Ou seja, precisaria mais de 27,5V na entrada.

    E fonte "estabilizada" é coisa dos anos 90, eram fontes com trafo e reguladores ridículos dos anos 70 tipo os LM7824, essas joças tem rendimento ridículo tipo 50% ou menos, e os controladores PWM ou MPPT não precisam tensão "regulada".

    (É como achar que fonte ATX precisa tensão estabilizada, estabilizador é um dos maiores engodos que os brasileiros compram, as boas fontes aguentam variações muito maiores que os estabilizadores, pra 99% das resisdências e empresas é burrice comprar estabilizador, nenhum produto DECENTE atual precisa tensão estabilizada, eles precisam baixo ripple, mas aceitam MUITO BEM variações lentas na tensão)


    Então procure fonte chaveada, e não as velharias com "estabilizada" ou "regulada" no nome, isso são velharias com reguladores lineares que gastam eletricidade pra caramba (Transformam ela em calor).

    As fontes chaveadas industriais de 24V tem ajuste sim, mas... das que tive uma chegou perto dos 26,8V, as outras subiram só até uns 26V ou pouco mais.

    Não é o fim do mundo meter 26V nesses controladores de carga, vai flutuar a bateria com tensão baixa e elas vão desequalizar (Ao invés de todas as células ficarem em 2,2V cada, umas vão pra 2,4V e umas ficarão em 2,1V, essas que sobem de tensão morrem cedo), devia dar uma carga decente (Até 28V) 1x ao mês pra evitar sulfatação e equalizar tudo (Carregadores decente (Não os nobreaks 24V baratos) tem isso, é a "carga de equalização", alguns minutos de tensão mais alta por dia, por semana, por mês, ou no fim de cada carga no caso de energia solar (Que descarrega todo dia)).

    Falo de fonte industrial, são as nesse estilo:
    http://www.soldafria.com.br/fonte-ch...dc-p-7600.html
    ou
    http://www.nodaji.com.br/fonte-indus...fc2462000001/p

    Pra usar 12V (Só bateria) tem a vantagem que é mais simples achar fonte industrial de 15V:
    http://www.nodaji.com.br/fonte-indus...fc1508000001/p
    Fora que até fontes de notebooks, aqueles universais com saída ajustável pra uns 16V, também servem.

    Pra carga decente, com risco baixo de desequalização e sulfatação, teria que ser fonte de uns 30V, até tem industriais dessa tensão, ou de 32V, mas são raras de achar, e nessa crise elas sumiram (Com o dolar baixo já era raro, imagina hoje).

    Fora que dependendo da resistência das baterias vazias isso gera picos de alta corrente, tem fonte que não aguenta, eu colocaria filtros LC no caminho (Entre fonte e controlador de carga), mas cada filtro bom usa diodo, e cada um derruba 0,7V a tensão, precisaria MESMO uma fonte de uns 29 ou 30V.

    (E o limite dos controladores 12V está nuns 21V, se ligar fonte 24V neles eles costumam queimar. O limite dos controladores de carga 24V está nuns 42V, se ligar fonte 48V neles eles costumam queimar)

    Ajustar uma fonte industrial pra só 26V e usar assim dá, os problemas vão demorar pra aparecer, se nunca equalizar a carga (com outro carregador, que chegue nuns 14 ou 15V por bateria (E pode fazer isso numa bateria por vez, não precisa ser nas 2 em série) talvez as baterias vão pro lixo em 2 anos. O que acho um desperdício, já que com carga decente, equalização e temperatura certa elas duram no mínimo o dobro.

  5. Essas fontes reguladas tipo trafo de 60 hz não servem para carregar a bateria a menos que instale um flutuador caseiro, mas para isso precisa ajustar a fonte para 28,6 V e mínimo em 27 V. Fontes chaveadas têm uma performance melhor, mas conforme a marca o ruído do pwm interfere em outros equipamentos principalmente rádios AM, rádios-amadores em ondas curtas, canais de TV( 2 a 6).
    Esses estabilizadores de tensão vendidos no mercado, pouco funciona mas serve de tapa-boca para quem não gosta de investir na rede elétrica, que muitas vezes basta corrigir as emendas e adicionar o fio terra no imóvel, que acredito não gastar mais do que R$2.000,00 em material mais mão-de-obra num imóvel de 50m².
    As torres de transmissão das teles, centrais de dados trabalham com vários recursos: 1- sistema principal, rede elétrica; 2- banco de baterias, se cair a rede fica de 3 minutos até 15 minutos ou horas se não tiver gerador, conectado a ela painel solar; gerador- se ficar sem energia por mais de 15 minutos, aciona o gerador( atualmente quase não se usa). Onde moro, a torre e central telefonica é calculada para 24 horas, nos distritos é duas horas ou menos.
    Bateria, muito pouco se evoluiu nos últimos 30 anos, com excessão para dispositivos móveis, mas ainda assim ocupam grande peso e volume. Usar um controlador, carregador ou flutuador adequado requer um estudo adequado por que pode variar de estação para estação e ainda não vi nenhum que possa dizer, este é bom principalmente que ninguém checa as baterias, mesmo as estacionárias.







Tópicos Similares

  1. Respostas: 8
    Último Post: 12-12-2012, 07:40
  2. Respostas: 5
    Último Post: 15-08-2012, 22:58
  3. Como Fazer BalanÇo De Cargas No Mikrotik
    Por evaristopaiva no fórum Redes
    Respostas: 1
    Último Post: 02-01-2008, 02:43
  4. Respostas: 1
    Último Post: 16-08-2006, 10:08
  5. Respostas: 3
    Último Post: 19-01-2003, 11:32

Visite: BR-Linux ·  VivaOLinux ·  Dicas-L