Página 2 de 7 PrimeiroPrimeiro 123456 ... ÚltimoÚltimo
+ Responder ao Tópico



  1. Pra equalizar tem varias técnicas, o normal é saturar em excesso a celula por uns 10 ou 20 minutos, com tensão bem mais alta, tipo 15 ou 16V (Em baterias 12V).

    Em carga cíclica isso pode ser feito ao fim de CADA carga, sistemas solares decentes usam isso, como TODO DIA tem uma carga e descarga eles estão sujeitos a desequalização todo dia, um carregador inteligente com algo tipo PIC ou qualquer microcontrolador programavel de R$ 10 hoje pode fazer isso tranquilo, 10 minutos de 15V e se reduz substancialmente a desequalização. Carregadores mais caros tipo Xantrex ou Morningstar usam 16V por 20 minutos, mas eles são ainda mais inteligentes, eles levam em consideração temperatura (Tem sensor interno), pressão atmosférica (Tem sensor interno) e capacidade aferida da bateria (Se a bateria tem digamos 12,125V ela aplica um consumo com um resistor de 10 ohms, se essa tensão cair pra digamos12,120V em 5 segundos (DIGAMOS) quer dizer que a bateria tem capacidade REAL pra digamos 5Ah. Chutei os valores, é só pra exemplificar como é simples medir a capacidade real de uma bateria).

    Antigamente se usava onda dente-de-serra pra limpar placas de bateria com agua, tirar cristalizações e sulfatações, e se usava 15 ou 16V, fazia efeito, mas era tempo das baterias reformaveis, se uma celula 2V ficava ruim você trocava só ela. Com gel/agm/vrla não tem liquido solto pra movimentar sulfatação e depositar ela no fundo (Bateria com agua tem espaço abaixo das placas pra isso, depositar resíduo sem dar curto em placa), então mais interessante que dessulfatar é não deixar ela sulfatar, e pra desequalização e sulfatação ser bem menor tem que usar corrente ideal de carga (Entre 8 e 10% da capacidade nominal), e flutuação com corrente baixa ou ABOLIR a flutuação, afinal bateria boa não tem mais auto-descarga preocupante. Nos anos 90 tinha estacionária cara com auto-descarga tipo 10% na semana. Hoje você tem bateria que mesmo que fique cozinhando a 35ºC ela ainda armazena 95% da carga em 30 dias parada, não vejo NENHUM motivo pra fazer flutuação hoje em dia, mas... quem disse que tem sistema inteligente pra nobreak sem flutuação? Pra bateria de lithium tem, se flutuar lithium tem grandes chances de explodir então em lithium todo notebooks, tablet ou smartphone faz carga cíclica. Atingiu 100%? Desliga o carregador e só religa quando a carga medida (É só medir tensão, simples) reduzir pra 98 ou 97%.

    Se armazenar uma estacionária barata atual tipo Freedom a 30ºC (Chão/piso de qualquer sala sem ventilação) ela deve demorar umas 3 semanas pra cair de 100% de carga pra 97% de carga (Talvez menos, não tem 30º o dia todo, seriam algo tipo 27º de noite e 31ºC de dia, é o que meço aqui no piso dos fundos da garagem nos dias mais quentes, telhado fino e a 3m de altura sem forro, o calor fica acima de uns 1m, mas encostado no chão é bem fresco. Lá pelos 1,8m de altura chega fácil a 40ºC. 10ºC a menos em 1m, racks ventilador que pegam ar pelas laterais essa hora são ruins, o ar devia entrar por baixo, tocando o piso frio.

    Dessulfatador comercial tem muita controversia porque você nunca vai encontrar 2 baterias no mesmo estado pra fazer um teste científico, você pode abrir centenas de baterias ruins e tirar uma média do estado, remontar todas (E só o desmontar e montar já remove ou movimenta muito material nas placas, aí compromete o estudo), colocar um dessulfatador, depois desmontar denovo as baterias pra ver quantas placas melhoraram. Mas... com gel ou material de viscodiade alta não bastaria soltar a sulfatação, teria que afastar elas das placas, em agua isso é facil mas em gel não dá.
    Uma forma de ir soltando de leve as pequenas sulfatadas que SEMPRE ocorrem é usar carga em PWM. Ao invez de tensão fixo, varios carregadores CAROS usam PWM, não só porque o projeto fica mais barato, mas porque cria menos desequalização. E... se for ver o que é um dessulfatador comercial ele é um circuito que gera um pico de 16V a cada 100ms, é digamos um PWM com pulso bem estreito. Nos controladores solar mais baratos ao atingir a tensão ideal (13,8V geralmente) ele já estão com um PWM de pulso bem estreito, nunca olhei no osciloscopio mas pela corrente informada imagino que sejam pulsos tão estreitos quanto de um circuito dessulfatador.

    Então... carregadores solares complexos/inteligentes estão usando PWM, e pra equalizar usam PWM com tensão mais alta, dá pra dizer que é um mini-dessulfatador fazer uma equalização no começo e no final de cada carga.

    Pra quem tem um conjunto de 24V celulas 2V da Haze de 500Ah, que custam US$ 200 CADA (US$ 4800 ao todo, algo tipo R$ 13 mil) não é nada seguro usar um controlador solar de R$ 100, usam controladores inteligentes de US$ 300, tipo Xantrex ou MorningStar, que fazem isso, definem a tensão de carga com base na temperatura e pressão do ambiente (Coisa que a gente também pode fazer), quando a bateria está com baixa carga faz uma pré-equalização com PWM estreito de 16V, carrega com corrente alta mas em PWM (Como é solar não dá pra se dar ao luxo de limitar a 10% da capacidade (Até porque não tem sol a pino por 14h), eles limitam a algo tipo 40% da capacidade nominal da bateria), no fim da carga fazem uma nova equalização de 10 minutos com 16V. Esse é o jeito de bateria de US$ 4800 durarem 6 a 8 anos. Se fosse colocar elas em nobreaks DC brasileiros duvido que passariam de 4 anos, sem equalização, aquecidas devido a flutuação, sem levar em conta a temperatura pra definir a tensão de carga, etc.

  2. Pra embasar melhor minha indicação de usar PWM, uma tradução tosca das vantagem do PWM em um PDF da MorningStar, fabricante americano de controladores solares de primeira linha, desse PDF:
    http://support.morningstarcorp.com/w...anuary2000.pdf
    Na página 3 tem:
    Alguns benefícios da carga com PWM:

    1. Habilidade pra recuperar baterias com capacidade perdida e desulfatar baterias.
    2. Aumento dramatico na aceitação de carga da bateria.
    3. Mantém uma alta média na capacidade das baterias (90% to 95%) comparado a sistemas de regulação tradicional que são geralmente 55% to 60%.
    4. Equaliza celulas variando a tensão na bateria
    5. Reduz a temperatura e geração de vapores da bateria
    6. Automaticamente se ajusta a idade da bateria


    PWM não traz nenhum "malefício" pra bateria.

    Nobreaks AC, nobreaks DC, ou carregadores de emergencia usam PWM? Não.

    Quem tem PWM em carregador de tomada é caro, o @gabrielest perguntou esses dias dessa pechincha baratinha aqui:
    http://produto.mercadolivre.com.br/M...0-a-265vca-_JM
    Ele faz PWM, ajusta a tensão de flutuação, de equalização e cia, de acordo com a temperatura ambiente e pressão atmosférica. Tem pré-equalização de 16V com PWM por uns minutos, e no fim da carga denovo PWM por uns minutos em 16V pra desequalizar e dessulfatar mais um pouquinho. Fora outros controles inteligentes.

    "Se R$ 3 mil é muito pro seu bolso você é pobre" :-)
    Ninguém tem R$ 3 mil pra colocar só num controlador num provedor, então tem como usar carga PWM com opções mais baratas. Olhem as funções "inteligentes" desse controlador de carga muuuuuito mais barato:
    http://produto.mercadolivre.com.br/M...30a-brasil-_JM
    Esse "boost" que ele cita no final é um quebra-galho pra reduzir ainda mais a desequalização. Ele tem funções inteligentes tipo reduzir em 0,005V a tensão final de carga pra cada ºC (Ambiente quente precisa flutuar em tensão menor. Flutuação a 13,8V é só pra ambiente irreal no brasil a 25ºC).

    O problema desse tipo de solução é que precisa fonte de alta capacidade e tensão meio específica. Ele usa 14,60V nuns momentos, se somar com o dropout dele (Queda de tensão quando passa pelo controlador) de 0,26V isso significa que precisa entrada de 14,86V. Arredonda logo pra 15V (Ou 30V no modelo 24V).
    O problema desse modelo (Outros mais baratos sem compensação de temperatura ou sem esse "boost" não tem limitação a uns 24V e 40V pra carregador 12V e 24V respectivamente) é ter tensão de entrada limitada a 17V (Ou 34V no modelo 24V).
    Precisaria então fonte chaveada de alta capacidade de 15 a 17V, ou de 30 a 34V.
    Fonte chaveada industrial de 15V tem e não é cara, tem também de 18V, industriais tem ajuste e a de 18V pode ser ajustada pra 16,5V sem problemas.
    Mas... as fontes industriais 24V tem ajuste que vai só até uns 27 ou 27,5V, essa tensão não serve pra uma desequalização completa. Já ajuda muuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuito com relação ao carregadores típicos mas não é perfeita. Teria que pegar fonte industrial de 32 ou 36V. No brasil infelizmente as de 36V são caras, R$ 400 por uma de 10A no ML. Ela é ajustavel (Toda fonte chaveada industrial é) e pode operar com 33V, perfeito pra esses controladores solares.
    Fonte de R$ 400 + controlador de R$ 100 fazendo uma carga com PWM, com funções inteligentes, vai dar uma vida muito mais longa que qualquer nobreak DC.
    Não é problema da Volt/VA/Fag ou sei lá que fabricantes nacionais não usarem PWM nos seus nobreaks DC, isso exigiria fonte muito mais cara, cara pra caramba! Eles produzem o que o mercado dá conta de pagar, não tem como produzir no brasil uma fonte chaveada 30V 10A e implementar um controle de carga inteligente por menos de uns R$ 600 eu imagino, precisaria muita escala de produção pra baixar preço... mas nobreak DC não tem demanda nenhuma, nunca que vai ser viável produzir isso por custo razoavel.

    Controlador solar inteligente tem demanda porque a china faz e manda pro mundo todo, é produto que uma insersora montar quase completo, não tem tantos componentes caros, por isso tem custo meio baixo.

    Fonte chaveada tem varios usos, pra alimentar varios equipamentos diretamente, poucas vezes são usadas pra carga. E mesma coisa, é uma placa única, não dá pra usar insersora mas tem demanda grande o suficiente pra uma linha de manofatura completa, coisas que fazem o preço do item ser baixo.

    Se juntar os 2 produtos em 1 só você diminui totalmente os clientes em potencial, não serve mais pra quem tem painel solar ou outra fonte DC, não serve mais pra quem quer alimentar circuito eletronico, então acho meio que "perda de tempo industrial" ficar produzindo produto pronto quando não tem demanda suficiente pra ele e quando tem produto separado com custo menor e resultado MELHOR.

    Geralmente defendo produto nacional, mas no caso dos nobreaks DC não dá, eles são uma solução pra bateria estacionária comum de baixo custo, que se durarem só 3 anos tá bom. Mas parece que tem muita gente errando no dimensionamento, aplicando corrente de carga baixa demais ou alta demais nas baterias (Muito longe dos 10% da capacidade nominal) e elas duram bem menos, problema esse que com PWM seria drasticamente reduzido.



  3. Citação Postado originalmente por rubem Ver Post
    Ninguém tem R$ 3 mil pra colocar só num controlador num provedor, então tem como usar carga PWM com opções mais baratas. Olhem as funções "inteligentes" desse controlador de carga muuuuuito mais barato:
    http://produto.mercadolivre.com.br/M...30a-brasil-_JM
    .
    Bom dia Rubem. Venho acompanhando os seus ensinamentos e já perdi o medo. Eu queria comprar uma solução pronta, mas estudando os seus conselhos quero modularizar. Gostaria de tirar algumas dúvidas antes de ir as compras.
    Minha necessidade: Construir um nobreak DC para alimentar um POP que demanda um consumo médio de 21W (Aferido via kill a watt. Consumo direto da tomada já contando com a ineficiência das fontes dos equipamentos).
    Olhando vídeos na internet como este:


    Aparentemente os únicos itens necessários são o controlador de carga, bateria e fonte. Acontece que encontrei esta solução por um preço razoável http://produto.mercadolivre.com.br/M...76v3a07a-_JM#D[S:VIP,L:SELLER_ITEMS,V:5]
    Então fiquei em dúvida. Pois a fonte da VA atende a minha necessidade e ainda faz carga em 0,7A. Como irei utilizar baterias de 7ah ficaria perfeito como você costuma recomendar. Entretanto eu não teria os benefícios do carregador PWM. As minha dúvidas são se existe alguma desvantagem no uso do controlador de carga frente a fonte nobreak da VA. Por exemplo, o controlador de carga irá realizar a carga lenta que a bateria precisa? Ou irá usar toda a capacidade remanescente da fonte? Pensando nisto, qual deve ser a capacidade da fonte?
    Muito obrigado. Eu andei lendo por toda semana, talvez você já tenha respondido esta minha dúvida em meio a outras respostas, mas em geral as suas explicações são muito detalhadas e talvez eu tenha me perdido um pouco frente a tanta informação. Mais uma vez lhe agradeço por compartilhar tanta boa informação.

  4. Correto, 0,7A é perfeito pra bateria de 7Ah. Pra essas bateria baratas não vejo porque se preocupar muito com carregador caro, afinal essas baterias custam R$ 33 a 40 em distribuidor.

    Tanto carga comum como PWM meio que se adapta à resistencia interna da bateria. A bateria descarregada tem resistencia interna menor, então aceita corrente circulante maior, conforme ela carrega ela passa a aceitar menos corrente. Se você não reduzir a corrente ela passa a converter o excesso em calor, aí é o momento que cria vapores (Evapora líquido) e umas bolhas de gases são criadas nas placas (Tipo gas de refrigerante/cerveja na borda do copo) abrindo caminho pra sulfatação, cristalização ou oxidação mesmo nas placas.
    Controlador solar comum com PWM não faz um ajuste muito inteligente, são esses:
    http://www.ebay.com/itm/20A-Solar-Ch...-/141447941503
    Por esse preço não dava pra esperar muita coisa, mas isso ainda se sai melhor a longo prazo que aqueles carregadores com trafo pra carga de emergencia (Procura no ML, o DNS aqui deu pau e o ML não abre, carregador 24V 5A, ou Vonder 24V 1500 de 6-8A, são um trafo com um sistema de carga simples)

    O problema tanto de PWM comum (Esse do link do Ebay) como de carga tradicional (Tipo esse nobreak DC) é a possibilidade de desequalizar as celulas a medio ou longo prazo, cada celula numa bateria de 12V flutuando a 13,8V devia ter 2,3V, mas é comum encontrar 4 com 2,25V e 2 com 2,4V, porque elas tem resistencia internas diferentes.

    Se colocar varias baterias 12V em serie pode ter isso também, ó uma desequalização com Freedom baratinhas:
    http://gurgeleletrico.blogspot.com.b...-baterias.html
    Mas com as Optima, muito mais caras, tem desequalização igual:
    http://gurgeleletrico.blogspot.com.b...m-rodados.html

    Por isso carros eletricos comerciais tem lithium, não tem esse problema.
    (E bem que estou procurando nobreak com lithium)


    Sobre esse nobreak 24V, no ML tinha a algum tempo um modelo 24V 3A sem caixa (só a placa) por uns R$ 120, talvez seja mais interessante.

    E... eu não sou de recomendar eles por conta desse preço, isso é basicamente uma fonte com 2 rails, ou pode chamar uma fonte 24V 3A + uma fonte 24V 0,7A com um comparador de tensão pra ler a tensão da bateria. Tem opções industrializadas em escala tipo isso:
    http://www.ebay.com/itm/24V-New-Batt...-/290959901879
    24V 1,6A dá 38W, pra baterias que custam R$ 65 a 70 o par achop que está bom. Usei dele por meio ano em 2 baterias, não tive problemas (RB433 com 2 cartões + airgrid (Ou era SXT? Não lembro, mas era cpe pro ptp + 2 setoriais). Esse tipo de controlador danifica as baterias? Sim, dificilmente um par de baterias 12V 7Ah vai durar 30 meses com um carregador desse. Mas... putz, por esse preço tá bom demais! Nobreak AC cozinha a bateria encostada no trafo e dependendo do uso igual costuma estufar em 30 meses. Nobreak DC dependendo do uso ou ambiente também costuma secar celulas dessas baterias em 30 meses, o fato desses carregadores basicos não desligarem o consumo pra "proteger" as baterias só é problema pra quem tem muito blackout, eu estou a 1000Km da capital mais proxima numa vila de 15 mil hab. e tenho 2 ou 3 blackouts por semana, sem tiver muita tempestade talvez 1 por dia, mas mal passam de 5 ou 10 minutos cada, se tiver consumo baixo tipo 20 ou 30W essas baterias vão durar 2 anos, seja com carregador comum, com nobreak DC, talvez durariam 3 anos com um carregador com PWM e desequalização, mas um carregador desse custaria R$ 300, ou seja, levaria muitos anos pro carregador se pagar (1 ano a mais na vida das baterias é R$ 35 a 40 de "lucro" por troca, ou R$ 12 a 15 por ano, mas se o carregador custa R$ 100 ou R$ 200 a mais leva quase 10 anos pra ele compensar financeiramente!

    Com baterias de R$ 300 é outra estória, se o carregador melhor (Com PWM) custa R$ 200 a mais, e prolongam a vida das 2 baterias de 3 pra 4 anos, os R$ 200 a mais do carregador são o custo anual de 2 baterias de R$ 300 cada, ou seja, o carregador com pwm se paga já na primeira troca de bateria.

    Controladores solar com fontes chaveadas, ou carregadores complex com PWM queimam, sim, mas nobreak dc também queima, por raio todos queimam, a proteção necessaria é a mesma tanto pra carga tradicional como pra por pwm, nem nobreak ac sobrevive a problemas com raios, fora que usar nobreak ac só pra carregar bateria é um péssimo negócio, custo alto, carga ruim (Corrente baixa, sem compensação de temperatura, sem corte por tensçao baixa) e custa bem mais caro. Funcionar funciona, mas até umas 15 pilhas AA alcalinas servem de nobreak por um ano, elas aceitam uns 20 ciclos (Recargas) então quem tem 1 blackout a cada 2 semanas até pode dizer "Recomendo pilhas AA alcalinas porque eu uso a meio ano e funciona". Funcionar qualquer coisa funciona, tem que ver se quer durabilidade ou baixo custo a longo prazo, com baterias de R$ 300 ou 400 é a longo prazo que a diferença aparece. Quem usa baterias ainda maiores, tipo de 400Ah, e usa sistema 48V, aí sim um controlador de carga Xantrex C60 se paga fácil facil, nada de "retificador" mequetrefe (Retificador é diodo, os produtos com esse nome são fontes, mas usam nome do tempo dos trafo 2:1 que passavam de 110 pra 55V pra flutuar 4 baterias 12V, coisa de UPS dos anos 70).



  5. Boa tarde.
    Muito obrigado rubem. Comprei um controlador de carga 24V 10A e uma fonte industrial 24V 6A. Também adquiri a fonte nobreak da VA.
    Irei levar em contar o extreme CUSTO X beneficio. Analisando o que você falou, eu moro na capital de SP. E aqui fazem uns bons anos que não sei o que é um verdadeiro blackout. No máximo, tenho pequenas quedas de energia. O que me fez correr atrás foram as pequenas interrupções de energia no período das chuvas.
    Como irei alimentar pequenas baterias de 7A, não vejo necessidade para muito mais do que isto.
    Mais uma vez, lhe agradeço o suporte.






Tópicos Similares

  1. Radios de alta capacidade de banda,qual
    Por marcoveck no fórum Redes
    Respostas: 36
    Último Post: 11-12-2008, 22:22
  2. Limitando download no squid, com exceção de users
    Por dimago no fórum Servidores de Rede
    Respostas: 2
    Último Post: 10-04-2008, 07:27
  3. Respostas: 18
    Último Post: 07-04-2008, 11:06
  4. No-break com Bateria Automotiva Recarregada
    Por WesleyDias no fórum Assuntos não relacionados
    Respostas: 2
    Último Post: 11-01-2008, 07:04
  5. Problema no Squid com tamanho de pacotes
    Por pabloblue no fórum Servidores de Rede
    Respostas: 0
    Último Post: 27-04-2007, 21:55

Visite: BR-Linux ·  VivaOLinux ·  Dicas-L