+ Responder ao Tópico



  1. #1

    Padrão Fontes POE queimando com frequencia

    Prezados,

    Uso Nanostations há cerca de 3 anos, para uso pessoal (PTP dentro da minha empresa).

    Trata-se de um ótimo produto, mas acho que estou fazendo algo errado, e queria a ajuda de vocês.

    Hoje tenho cerca de 10 antenas, e a cada 3-5 meses tenho uma queima de POE. O que ocorre, é que o conector que liga na porta POE sai queimado (escuro), e a porta POE da fonte também fica danificada. Em todos os casos a antena resetou sozinha (factory defaults).

    Alguns dados:

    * Todas as antenas indoor (que ficam dentro da varandas, janelas, etc) , nunca tiveram problemas deste tipo

    * Este problema só ocorre nas antenas externas, que ficam em mastros

    * A queima sempre ocorre no conector e na fonte POE. Nunca queimou nem danificou na antena em si, sempre na fonte.

    * As fontes são originais da Ubnt, padrão de fábrica. Não sei quantos volts, mas são as que vieram com o equipamento.


    * Nunca usei nobreak nem estabilizador para elas.

    * Em um caso queimou uma que tinha ao lado um para-raio alto e bem dimensionado. Em 2 casos queimou uma em um local aonde não havia para-raios.

    * Em 2 casos a queima ocorreu em uma casa aonde a energia flutua com certa frequencia, pois tem 3 chuveiros eletricos. A caixa trifasica, mas quando se liga um chuveiro sempre baixa a tensão.

    * Uso cabos e conectores comuns. Não uso blindados nem nada.

    * Não uso aterramento.

    É claro que vocês vão dizer que é necessario usar um cabo blindado, etc.. Concordo plenamente.. Mas não queria gastar tanto $ nestes links PTP.

    Então pergunto: será que alguem sabe se este tipo de queima pode ter sido por flutuações na rede eletrica, picos de luz, etc ?

    O que me intriga, é por que os nano's indoor NUNCA queimaram ?

    Pras estações servidoras (AP) mais importantes, estou providenciando agora nobreaks. Mas queria uma luz sobre o que posso fazer pra melhorar esta rede sem gastar tanto $.

    Muito obrigado!!

  2. #2

    Padrão Re: Fontes POE queimando com frequencia

    Esse seu problema pode ser umidade dentro dos cabos. Pequenos cortes podem deixar agua entrar. Revisa o cabeamento. Logo após detectar a queima, descasca o cabo, uns 30-50 centímetros antes do conector, se for umidade voce verá os cabos internos molhados.



  3. #3

    Padrão Re: Fontes POE queimando com frequencia

    Citação Postado originalmente por robertof Ver Post
    Esse seu problema pode ser umidade dentro dos cabos. Pequenos cortes podem deixar agua entrar. Revisa o cabeamento. Logo após detectar a queima, descasca o cabo, uns 30-50 centímetros antes do conector, se for umidade voce verá os cabos internos molhados.
    Uma vez até aconteceu isso, choveu muito e entrou agua. Mas das outras vezes estavam 100% secos!

  4. #4
    Avatar de Nilton Nakao
    Ingresso
    Sep 2013
    Localização
    Carlos Chagas, Minas Gerais
    Posts
    906

    Padrão Re: Fontes POE queimando com frequencia

    Uma coisa que todos deveriam fazer, mas não fazem. ATERRAR, isso mesmo, sem aterramento nos mastros a queima é notória e sua tomas precisam obrigatoriamente ter um aterramento. No meu imóvel(comércio e residencia) é todo aterrado. Tomadas, chuveiro, quadro de distribuição, mastro telescópico, antena parabólica etc



  5. #5

    Padrão Re: Fontes POE queimando com frequencia

    A vantagem de usar 127V é ter o neutro, que é aterrado mais adiante, na fonte. Muito transiente vai pro neutro, enquanto numa ligação 220V são 2 fases então os transientes da fonte ficam na fonte, aí sim é fundamental aterramento nesse equipamento (Na fonte, e no mastro da CPE, nem precisa aterrar a CPE (Com cabo e conector blindado).

    Aqui no interior isso ocorre muito, nobreaks ou estabilizadores não fazem diferença (Afinal eles não manda pra terra quaisquer sobrecargas ou transientes, eles só atuam na tensão, e tensão variando ou acabando não cria esse seu problema), as vezes um simples par de astes de 2m fincadas no gramado (Evita local seco, tipo interno, coloca onde tem umidade, terra umida é melhor condutora) acabam com as queimas de fontes e sai mais barato.

    Eu evitaria ligar aterramento de para-raios com carcaça de equipamento, mas tem que insista que isso deva ser feito. Prefiro mesmo um aterramento insuficiente do que não ter aterramento.

    Te o processo quimico que é eletron (Negativo) saindo e criando oxidação, um dos fios é o anodo, é a situação em que só 1 de 2 fios oxida (Em telefone ocorre, tem malha de carro que passa por isso, malha de soldador de arco voltaico também ), o aterramento meia-boca visa eliminar isso, a carga estática negativa segue pelo aterramento e portanto deixa de criar oxidação (Ou anodização?) nos terminais de alimentação.
    Numa anodização pra preservar metais você coloca um fio de cobre como catodo e o cobre sai do catodo e vai pro anodo, por algum meio liquido geralmente. Em fios no ar quem vai pro anodo é o oxigenio, aí oxida bem rapidamente o fio. Nunca analisei se isso ocorre em cabos de rede mesmo, mas em outros fios com DC ocorre, e o aterramento reduz muito isso.

  6. #6

    Padrão Re: Fontes POE queimando com frequencia

    @rubem professor, um offtopic aqui, estou perto de migrar meu Cpd para 220v...
    Aqui é bifasico, o 220v é fase + fase, terei alguma eficiência em relação a consumo ?
    O que vai melhorar para mim e que vou por Ar-condicionado e os fios aqui são um pouco fora do padrão e teoricamente conseguirei passar pelo mesmo fio o dobro de Amperes correto ?
    Outro coisa, aqui tem aterramento e todas as antenas usam cabo Blindado e aterrado, ou seja não terei problemas quanto ao Fase + Fase.
    Grato pela resposta



  7. #7

    Padrão Re: Fontes POE queimando com frequencia

    Ah sim, como a corrente circulando é menor, não só há menos perdas por aquecimentos em fios usando tensão mais alta, há menos perdas também nos componentes.

    Como fonte chaveada usa PWM a diferença não é tão grande, mas dá pra dizer que é algo assim:
    Fonte 24V 1A com consumo de 0,4A ligada em 127V tem rendimento de uns 88%
    Fonte 24V 1A com consumo de 0,4A ligada em 220V tem rendimento de uns 90%

    Fonte ATX 370W alimentando um i5 ligada em 127V tem rendimento de uns 84%
    Fonte ATX 370W alimentando um i5 ligada em 220V tem rendimento de uns 86%

    Geralmente em 220V as mesmas fontes tem uns 2% a mais de rendimento, como o rendimento depende do consumo na saída essa diferença não é por todo o range de consumo, mas por boa parte das potencias usadas. O que é curioso notar é que por mais que o rendimento mude, ainda não surgiu uma fonte que renda mais de 115V do que em 220V em qualquer consumo.

    Já o "problema" de 220V é ter menos nobreaks e impressoras no mercado. Se for olhar pelo lado da segurança, rede 127V sempre tem um neutro alí do lado, pronto pra qualquer descarga de estática e cia, pra uso domestico é melhor (Sem aterramento, sem equipto caro). Mas se vai ter aterramento, e usar nobreak DC ou se já achou nobreak AC 220V pelo mesmo preço, aí realmente é melhor partir pra 220V.

    (Fora que varias fontes bivolt não-automaticas quando passadas pra 115V operam com um dobrador de tensão na entrada, é o caso de lampada fluorescente compacta e de fonte ATX barata (Co mchave pra mudar de tensão), nelas a diferença de rendimento é 3 ou 4%, não muda o mundo, mas... se quer planejar bem, isso deve contar)


    Só não ajuda nada usar nobreak com entrada 220V e saída 115V, isso é ainda pior, porque o nobreak usa o trafo interno pra reduzir a tensão, e autotrafo sempre rende mal, em nobreak comum (R$ 200-600, não-senoidel, nem de dupla-conversão) geralmente o ato de usar ele pra passar de 220V pra 115V resulta num desperdício de belos 15 a 20%.

    (Tive nobreak 220>220V da Eaton, foi barato, até medi algumas coisas no Kill-a-watt com ele, mas não lembro se anotei ou comparei, o que lembro de anotar foi o desperdício nos malditos estabilizadores bivolt, que operam do mesmo modo, sempre saída 115V, independente da entrada ser 127 ou 220V, anotei que medi no kill-a-watt rede 220V alimentando monitor CRT de 70W exatos 70W numa imagem de teste (Tive que colocar o brilho no maximo pra arredondar o numero), coloquei uma merda de estabilizador SMS bivolt no caminho (Passando de 220V pra 115V) e o consumo pulou pra 85W (Na entrada do estabilizador, enquanto na saída tinha os mesmos 70W), ou seja, 20% a mais de consumo, ou melhor, 20% de desperdício criado pela porcaria que passa a toa de 220 pra 115V, medi isso e anotei tudo por conta dos zé-oreia que sempre insistem que "se não colocar estabilizador o pc vai queimar". O modus operandi nos nobreaks comuns, seja SMS ou qualquer modelo comum (Não-senoidal, nem de dupla-conversão) e atuar assim o tempo todo, transformando ou 127 ou 220V em 115V, é uma coisa muito idiota a se fazer. Enquanto equipamento 220V tem tensão de saída igual da entrada, portanto não tem desperdício nesse momento)

    Já em escritórios e casas eu sempre insisti pra que usassem 127V, já que usam impressoras laser, e 95% das a venda são apenas 127V, como se usa nobreak nesses locais por algo tipo 6 a 10h por dia, 5 ou 6 dias por semana, aí essa diferença no rendimento é insignificante (De 127 pra 115V não teria 20% de perdas, provavelmente só 10%), enquanto se usassem 220V precisariam trafo pra impressora laser, que por consumir mais desperdiçaria bem mais de 20% além do custo do trafo.

  8. #8

    Padrão Re: Fontes POE queimando com frequencia

    Agora, uma situação que percebi. As queimas SEMPRE acontecem em antenas que ficam no topo de mastros. As antenas que ficam fora de mastros, ou então naqueles mastros pequenos tipo de antena da SKY, nunca tiveram queima.

    Será que isso tem alguma relação ?

    Os mastros que uso são tubos galvanizados de 3mt, os mesmos usados em antenas coletivas.



  9. #9

    Padrão Re: Fontes POE queimando com frequencia

    Tenta pegar o costume de abrir as coisas queimas pra ver o que houve.
    Tem fonte que queima o PTC, sinal que consumiu demais. Tem fonte que estoura uns CI's, sinal de raio.
    Se a entrada da fonte (fusivel, ptc, diodos) estão bem, é de suspeitar que o dano veio de cima pra baixo, alta tensão induzia no cabo, um cabo blindado e aterrado reduziria isso, mas de qualquer forma precisa colocar no cabo alguma proteção contra sobretensão, nas 2 pontas do cabo já que a tensão é induzida no cabo esticado.

    CPE alta vai ter um cabo mais exposto a campo magnético criado por descarga proxima, ter um mastro 1m acima da CPE não ajuda nessa hora, o que ajudaria é ter cabo mais curto ou blindado e aterrado. Cabo mais curto exige CPE mais baixa, que atrapalha a zona de fresnel, que resulta em problema o ano todo e não só em caso de raio, então acho que colocar CPE mais baixa não é uma boa.

    A Ubiquiti tem protetor pra surto ou spikes induzidos no cabo:
    http://www.ubnt.com/accessories/ethe...rge-protector/
    É caro.... bem caro. Se colocar os 2 mesmo (Pra não queimar nem CPE nem fonte) fica mais caro ainda.

    Mas... se fizer "em casa" terá custo infinitamente menor, um circuito desse:
    http://alter.org.ua/docs/net/thunder/anti-thunder.gif
    Usando um keystone, um pedaço de cabo ethernet, um plug rj45, e uns diodos desse:
    http://www.ebay.com/itm/100PCS-1A-50...-/201074909043
    com esse zener:
    http://www.ebay.com/itm/80-Pcs-Axial...-/311253981474
    e colocando entre os pinos 5 e 7 um varistor desse:
    http://www.ebay.com/itm/10x-Varistor...-/311134085917
    você monta o troço com custo de uns R$ 8, e quando queima troca só varistor e zener, talvez um diodo, depende da descarga (Mas induções menores não viram em nada, se tiver um aterramento mínimo isso vai tudo pro terra).


    Enfim, tamanho de cabo influencia, e o quanto ele está exposto a induções por descargas proximas, uma casa simples com telhado simples não necessariamente está mais desprotegida, vai que na vizinhança tem arvores com solo úmido que conduz bem, a chance de indução será menor que uma casa alta, bem construída (Mas sem aterramento, claro), sem arvores ao redor, com a CPE uns 40cm acima do telhado, o cabo exthernet está exposto a campo eletromagnético de qualquer forma, seja cabo na vertical ou horizontal, cabo de par trançado se comporta como indutor e cria tensão alta nele, a blindagem reduz isso mas não acaba com isso, se a blindagem será suficiente em cada casa é outra estória.

    Essa tensão no cabo sempre vai ir pro ponto onde há diferencial de potencial com relação a ela, geralmente o terra, geralmente o caminho mais facil pra chegar no terra é pela fonte, chegando no neutro. Nalguns casos o estabilizador opera como um filtro LC (L de bobina, ele opera idiotamente como um trafo de 220>115V ou 127>115V, ou seja, é uma bobina em serie com a alimentação), isso ameniza os picos dessa descarga e a rede eletrica absorve a maior parte, mas não que isso seja a melhor opção, estabilizador é caro e protege somente casos de picos baixos (Mas por outro lado os relés fechando criam spikes na alimentação, você troca um problema por outro), um filtro de linha (Não uma regua) ia ter a mesma função e tem preço menor. Mas se a indução for maior a fonte será o ponto de maior resistencia, será o gargalo, a descarga vai queimar ela igual. Já se a descarga induzir tensão e correntes ainda maiores, vai queimar a lan da CPE se induzir ENTRE os 2 fios do par.
    (Por isso é importante crimpar num padrão, 1 e 2, 3 e 6, nada de crimpar feito criança com 1 e 2, 3 e 4, afinal o 4 não é usado em 10/100, é do poe)

    Se o tubo galvanizado está parafusado na parede de concreto, pena que tem buchas plasticas, mas se for parede sem pintura acredite, a condução por esse tudo até o terra é razoavel, não é nada perto de um aterramento decentes com astes em terra úmida e tal mas é melhor que nada. Colocar um protetor de surto (Caseiro, ou um comprado de R$ 50) ligado nesse tubo galvanizado já ajuda muito! (Encosta numa fase AC e encosta nesse tubo pra ver o quanto circula pelo seu corpo... o suficiente pra te derrubar da escada! :-)

    Descarga grande precisa aterramento decente, pra diferença de potencial pequena pode até ir pro neutro, se tiver rede 127V pode usar o neutro tranquilo em baixo como aterramento (Com protetor de surto), não vai adiantar nada em grandes descargas (Raio no quarteirão do lado) mas vai proteger descargas menores (Raio a 1000m) e tem custo baixo.

    Qualquer ferragem de janela ou tubulação de agua sempre foi citada como um aterramento meia-boca pra raios AM ou pra não levar choque no fogão, isso ainda vale, quando a corrente na diferença de potencial é pequena, aquele choque leve, você descarrega ela em qualquer contato meia-boca com o terra, cabo ethernet geralmente induz diferença de potencial bem pequena, não PRECISA um grande contato com o terra. Em torre é fundamental isso, mas na casa dos clientes um contato mínimo com o terra ajuda, até em desktop que dá "mal contato em RAM" isso ajuda (O ato de tocar no gabinete ajoelhado no chão, tirar a ram com a mão nua, colocar de volta, resolve. Se fizer o mesmo em mesa isolada, com luva, não resolve), o consumidor tem muitas perdas porque não tem em casa nem meio pingo de contato com o terra, aí tem que queimar tudo mesmo, tudo que é diferença de potencial fica nas fiações, queimam o ponto mais frágil no caminho, geralmente a fonte POE é o que há no caminho até o terra (Num neutro proximo ou distante (Via fase passando por enrolamento de outros equiptos ou transformador).

  10. #10

    Padrão Re: Fontes POE queimando com frequencia

    Esse da ubnt custa http://www.excellinformatica.com.py/?inc=view&p=4391
    13 dolares não acho tao caro se for para proteger o radio. Acaba saindo uns 40 reais cada e a porta lan dele e 10/100/1000
    e me diz uma coisa um so ja ajudaria?



  11. #11

    Padrão Re: Fontes POE queimando com frequencia

    Malditos contrabandos paraguaios... ví em algum lugar no brasil por R$ 60, aí complica.

    Só 1 ajuda pouco, se colocar lá no alto vai evitar que a lan da CPE queime, mas a fonte POE em baixo vai ficar desprotegida.
    Se colocar em baixo a fonte fica protegida, mas a CPE lá no alto receberá qualquer alta tensão induzida no cabo.

    Tensão é induzida por toda a distancia do cabo, colocar no meio ou numa das pontas não ajuda muito, pra ter proteção efetiva o negócio é colocar nos 2 lados.

    Por isso já insisti varias vezes em fazer uma proteção dessas em casa, é coisa simples, US$ 13 é caro pra simplicidade disso (O custo maior é da caixinha placas e conectores chiques, a baixa demanda ajuda a aumentar o preço também). No Ebay tem por algo US$ 3 a 4, preso condizente com a simplicidade. Nunca vai achar o brasil por R$ 10 ou 15 porque não tem demanda, brasileiro não protege nada (Nem o sistema tributário, vai no paraguai sempre que pode), nem acredita que aterramento ou protetor de surto ajuda, preferem confiar em estabilizador.

  12. #12
    Avatar de Nilton Nakao
    Ingresso
    Sep 2013
    Localização
    Carlos Chagas, Minas Gerais
    Posts
    906

    Padrão Re: Fontes POE queimando com frequencia

    Sim. Por não ter aterramento do mastro, o próprio vento pode criar uma eletricidade estática e fazer a indução no cabo de rede ocasionando a queima.