+ Responder ao Tópico



  1. #25

    Padrão Re: Sistema Solar com segundo carregador de Bateria

    Sobre alternador, a medida "95A" é medida instantanea mas circula 95A por hora.
    Os alternadores automotivos de 95A tem capacidade desses 35A na lenta, isto é, com o alternador girando a uns 900RPM. Como vai girar isso? Por meios eólicos complica. Mas tem outro problema: A conta simples pra transformar força física em potencia é algo tipo "Cada cavalo-vapor produz uns 700W de energia". E 30A em 12V são 360W, praticamente meio cavalo-vapor. 1/2 cv é muita força, tem motor eletrico em bicicleta eletrica com potencia até menor que leva elas a uns 70Km/h. Então você vai precisar algo com um belo torque pra manter 900RPM (Com reduções, imagino) se o consumo for de 30A.

    E um motor a gasolina/diesel/alcool é a pior opção porque só pra se manterem em baixa rotação (Uns 900RPM) eles gastam cerca de 1 litro por hora nos modelos maiores (Carro), você teria 15V 30A que dá uns 450W gerador ao custo de 1 litro, quase R$ 4 nuns locais. Ou seja, pra gerar 1KW levaria 2 horas, e R$ 8 em combustível, enquanto na sua conta de luz cada KW custa R$ 0,5 a 0,7. Opções menores tipo motor de mobilete ou de rocadeira de 23cc não necessariamente são uma boa, o rendimento até melhora (Comparado a um motor grande na lenta) mas ainda assim vai gastar 1 litro pra 2KW produzidos. Teria que pegar um motor de uns 200CV, botar nele um gerador de 200KW, aí sim terá geração por algo tipo R$ 0,3 em combustível por cada KW (Mas tem que consumir isso tudo, se consumir só 1KW o gasto de combustível não cai muito, existe gasto alto pra manter rotação em motor a combustão).

    Roda d'agua pra rodar polia redutora pra fazer alternador chegar em 900RPM precisa ser grande, ACHO que precisa uma de 2m, por 40cm de largura, com agua suficiente pra manter elas nuns 45RPM.
    (Aí é tanta agua que fica mais fácil usar turbina peltier, as pequenas fazem passar de 2000RPM, peltier aproveita muito melhor a força motirz que roda d'agua)

    Controlador de carga em paralelo dá no mesmo problema que fontes chaveadas em paralelo: Eles lêem a tensão de saída pra definir o pulso de entrada, então com fontes/controladores em paralelo um vai medir a tensão que o outro está mandando, salvo poucoas excessões a REGRA é um atrapalhar o outro e OU o rendimento será baixo demais, OU alguma vai dar mensagem de erro, OU um vai queimar.

    Controlador de carga bom é PWM ou MPPT. PWM mede a tensão na bateria e deixa um pulso mais largo ou mais estreito passar, o limite de corrente neles é o limite do mosfet de saída, a maioria dos controladores a venda é microcontrolado, tipo:
    Clique na imagem para uma versão maior

Nome:	         Capture1.PNG
Visualizações:	4198
Tamanho: 	50,8 KB
ID:      	58162
    Esse é um circuito escalonavel, tem 2 mosfets que são o limite de corrente, pode colocar outros (Ou fazer um banco) conforme a corrente que deseja circular.

    Mas PWM não permite rendimento tão bom, os melhores controladores são MPPT. Eles basicamente tem um conversor dc-dc que passa a tensão na entrada (Geralmente 10 a 30V) pra tensão de flutuação/carga das baterias, isso permite o ótimo aproveitamento do paineis. Controlador MPPT mais barato só reduz a tensão (17 a 55V, reduz pra 13,5V) mas já é muito melhor que PWM, porque com sol fraco tem pouca captação de energia mas esse tipo de controlador consegue aproveitar ela (Enquanto um PWM não consegue aproveitar direito uma tensão de entrada tipo 14V).

    Controler de carga de alternador é 10x pior que PWM, é o pior tipo de controlador, o foco deles é ser resistencia, e não ter rendimento bom. Pra algo que já está gastando 10 litros de combustível por hora não faz efeito gastar 100ml a mais devido ao rendimento ridículo do controlador de carga do alternador.

    Gerador eolico recente tem usado controlador MPPT, pra ter carga mesmo com pouco vento, só controlador solar tem usado PWM ainda.
    PWM hoje é mais barato fazer com microcontrolador, e se vai usar microcontrolador melhor mudar um pouco o layout e usar conversor dc-dc e virar um controlador MPPT.
    Fazer controlador MPPT em casa complica, tem que programar microprocessador/microcontrolador, mas uma solução mais simples a meu ver é:
    http://www.ebay.com/itm/150W-DC-DC-B...-/141316770525
    Painel 12V de uns 50W, a tensão no painel vai ter picos de uns 25V, então você ajusta esse step-up pra subir pra 30V, e liga a saída dele na entrada de um controlador solar 24V barato. Assim você vai aproveitar os momentos de pouco sol de forma mais eficiente. Eu não usaria circulando 150W de jeito nenhum, no maximo 75W (Metade da capacidade), mas esses circuitos são mais baratos, seja comprar pronto ou montar com CI tipo LM2577.

    Sobre inversor, por esse preço não espere nada bom. Circuito barato mete praticamente uma onda quadrada no trafo, o rendimento é ruim e a senoidal gerada é feia. Pra circuito tipo fonte chaveada (TV, notebook, desktop) só vai dar problema se as fontes chaveadas forem vagabundas (E muitas são), por precaução seria bom colocar um filtro de linha (Filtro LC duplo) no caminho.

    Inversor bom tá nesse precinho camarada:
    http://produto.mercadolivre.com.br/M...power-500w-_JM

    Mas evite inversor a todo custo, mais interessante mudar/acrescentar fonte em TV ou monitor do que usar inversor neles. Internamente usam +3,3V, +5V e/ou +12V, mais fácil usar sistema eletrico 24V e usar conversores dc-dc step-down (Tipo buck, tipo o LM2596) pra reduzir pra tensão, um pra linha de +5V, um pra linha de +12V, etc. Em aparelho moderno o consumo é baixo.

    Se a intenção de inversor é ligar motor... bom... provavelmente não vai conseguir. Vai ter que arranjar inversor bem mais caro, de senoidal perfeita, são essas coisas baratas:
    http://produto.mercadolivre.com.br/M...al-hayonik-_JM
    (Acredite, esse é o barato. Os importados senoidais estão uns R$ 2 mil)
    Mas ainda assim, pra um motor 1/8 (De geladeira de 90W) é bom um inversor senoidal de 1000W mesmo. Motor maior tipo 3/4cv, com corrente de partida maior, nem pensar. Membrana vibratória tipo bomba d'agua acho que só se for uma de consumo baixo tipo menos de 300W.

    (E quanto a isso de "por hora", isso é só o modo de nominalizar a coisa, corrente circulando de 1A é 1A, só que pra armazenar 1Ah numa bateria ela tem que circular pela bateria por 1 hora. Quanto a potencia consumida idem, algo que consome 800W consome 800W o tempo todo, mas pra saber quanto tempo a bateria duraria ou o custo na conta de luz você bota a hora na conta, 800W em 12V são 66A, então esse equipto em 1 hora vai "drenar" 66 amperes da bateria (Se for uma bateria de 150Ah ela vai durar 2 horas com esse consumo), e na conta de luz será cobrado 0,8KWh. Força "parada" se mede em joules, 1 litro de gasolina tem digamos 30 megajaules de energia, ela tá lá parada e você "transforma" em calor, movimento ou eletricidade hora que quiser, mas eletricidade circula, seria medida por joule por segundo, só que complicaria as contas porque gera numeros enormes, mais fácil usar outro padrão que leva em conta a hora (3600 segundos, de modo que 1 joule é 1000W.segundo então 1KW.h é 3600 vezes isso). Enfim, está mais pra forma de grafar, você vai consumir a mesma energia seja medindo por segundo ou por hora, mas os aparelhos e bateria te dão a capacidade e consumo com a hora como referencia. Só cuida que de bateria de 1Ah não se consome 1Ah por hora, ela é chamada de 1Ah porque em 10 horas entrega 1A, ou seja, com consumo de 0,1Ah por 10 horas a tensão cai abaixo de 10,5V então é declarada "vazia". Se consumir 1Ah de uma bateria de 1Ah ela "ficar vazia" depois de uns 45 minutos, veja nas bateria a tabela de capacidade sob C10, C20 ou C100. Sendo que C10 é a descarga em 10 horas, C20 em 20 horas, C100 em 100 horas e etc, quanto mais lentamente se descarrega uma bateria melhor você aproveita ela, por isso digo que é uma baboseira enorme usar bateria pra alimentar consumos altos tipo 50A (600W) se usar bateria pequena tipo 100 a 200Ah. Bateria é pra consumo baixo, bem baixo.

    (E carro eletrico? Bom... eles usam baterias de lithium que custam R$ 15 mil, aí sim dá pra consumo 30KW sem medo. Bateria cara PODE usar de qualquer jeito, veja os preços de baterias de descarga profunda e baterias tracionárias, ou dos sistemas com lithium)

    Eu insisto, aproveita o momento de aprendizado e vai passando uns equiptos de menor consumo pra 12V ou 24V, passar uma casa toda pra solar/eolica/hidroeletrica complica, que dá dá, não sai caro, mas exige muito tempo, cada aparelho tem um funcionamento difrerente na fonte pra modificar, e geralmente nem é bom modificar, mas sim acrescentar fonte que opere a partir de 12V. Ventilação com 12/24V complica, mas circuitos eletronicos e iluminação são bem simples, a iluminação é a parte mais simples pra começar, se não quer mecher com led veja os inversores pra fluorescentes, esses sim você pode fazer em casa facilmente, tem muito circuito na web (fluorescent ou inverter 12V scheme), os mais simples são de rendimento pior mas são baratos de fazer, se ficar ruim faz outro, o custo desse tipo de produto é bem baixo, fluorescente tubular também não é cara.

  2. #26

    Padrão Re: Sistema Solar com segundo carregador de Bateria

    Rubem é tanta informação sem falar no custo, que até a pessoa fica triste. Quem vende as placas realmente não tá nem aí para informação na verdade só querem vender.
    O alternador vou ver o que faço e ver se compensa gasta pelo menos para testar, vou utilizar motor 110v ou 12v que tenho para testar para fazer girar o alternador, não tenho nenhum interesse em utilizar nenhum motor a combustível, vou ficar olhando os prós e os contra para chegar a uma solução.
    Eu estou fazendo alguns testes, eu tenho uma bateria de 9A e deixo no no-break normal e a placa solar direto com a bateria e só carregando o dia todo e no outro dia as 10:00 o controlador de carga fica piscando o led da bateria, segundo o manual, a bateria esta toda carregada eu deixo assim até as 12:00 e depois eu ligo a bateria ao no-break deixo ele como inversor e uso durante umas 6 horas até quando tem sol e junto com a fonte.
    E sobre a minha fonte o que vc achou ?
    A fonte ( temporariamente ) que estou usando junto com a placa solar , é de 5A no trafo eu coloquei uma ponte retificadora de 35A ( onda completa ) com capacitores de filtro em torno de 8.000 x 50v, que fica em torno de 17v retificado, depois os diodos que vc me falou, coloquei 04 de 6A á 10A e esquentam um pouco, ligo em paralelo junto com a placa solar no controlador de carga.
    O que eu pretendo utilizar é: Uma geladeira 90w, tv 40w os dois note book, um com bateria e outro sem, e 04 carregadores de celular para o uso dos led´s, não vou utilizar mais do que isso.
    Com sua experiência me ajude com suas dicas.



  3. #27

    Padrão Re: Sistema Solar com segundo carregador de Bateria

    É muita informação mesmo. Por isso digo que a hora de aprender o basico de eletronica é no começo da adolescencia, isso não é idade de decorar formulas e cia, mas de fazer coisas basicas, de programar coisas simples (O www.code.org investe muito nisso, infelizmente pra eletronica não temos nada, e tanto eletronica como programação estão ao redor de todo mundo todo dia, muito mais importante aprender isso na adolescencia do que aprender regra de futebol ou baboseira similar, que só entrarão na vida do adulto pela TV (Que oh, é eletronica e programação!).

    Bom, se ainda não tem alternador, ao invez de comprar um pronto e a intenção for algo eólico, uma solução simples e barata:
    http://www.instructables.com/id/DIY-...-wind-turbine/
    Uma parte giratória com imãs, veja do ebay ou no dx.com os preços do magnetos chamados rare-earth magnets, são até baratos e eles é que permitem muita geração de energia com bobinas simples. Se faltar espaço pra bobina grossa você pode colocar em lados opostos 2 em serie, mas como são varios imãs você pode ter varias em serie pra ter tensão mais alta com corrente menor, não que alta tensão seja melhor, é que isso permite rotação menor nesse tipo de rotor axial. Eu fiz um desse lá por 2005, muita resina e serragem, acho que meus magnetos não eram tão bons e fiz só 4 enrolamentos, mas com 300RPM (Pra roda d'agua de 1,2m foi o maximo de redução que consegui sem pesar, algo tipo 8:1) tinha tensão suficiente e com controlador de 1A ela se mantinha acima de uns 14V pra carregar bateria. 1A é pouco mas 24 horas de 1A é melhor que nada.

    Tem mais conteúdo similar:
    http://www.reuk.co.uk/Wind-Turbine-A...lternators.htm
    A uns 10 anos tinha mais, acho que era no site home www.otherpower.com , hoje tem mais produto pronto a venda.

    Sobre sua fonte com trafo, o problema é o rendimento que comentei. Todo trafo rende pouco, 75% geralmente. Levando em conta que a bateria só armazena uns 75% do que circula nela, na prática você está perdendo 50%, ou seja, pra cada watt armazenado na bateria está gastando 2W da rede elétrica. Não há lucro em armazenar energia em bateria, só prejuízo, e grande, 100% a mais de consumo!
    Fora que no modo inversor o rendimento também nunca é bom, nobreak geralmente tem rendimento tipo 80%, então de cada watt armazenado na bateria (Que você gastou 2 pra armazenar usando trafo) você obtem em 127V AC apenas 0,8W.

    Mesmo que trocasse seu trafo atual por uma fonte chaveada muito cara, na melhor das hipóteses o rendimento dela seria de uns 92%, e a bateria com um controlador MPPT reteria uns 80% disso. Ou seja, 1* 0,92 * 0,8 = 0,736. Você "perde" uns 27% nesse ponto. E se conseguir um inversor muito bom ele terá rendimento de uns 85%. Ou seja, 27 + 15 = 42% de perdas no processo ao todo.

    Nobreak comum ligado 24x7 (Alimentado por AC) não é uma idéia tão boa porque os comuns são burros demais e ficam o tempo todo passando de 127 pra 115V, ou de 220V pra 115V, eles operam como um autotrafo, e autotrafo também rende mal, de 127 pra 115V as perdas devem ser de uns 5%, já de 220 pra 115V as perdas devem chegar nuns 20 a 25%. Teria que conseguir um nobreak que não fique como idiota passando de 127 pra 115V o tempo todo.

    Mas digamos que consiga um nobreak que opere com tensão de saída = tensão de entrada, ou seja, energia passando reto quando tem AC. Usa ele pra manter uma bateria interna mini, digamos 12V 2,2A. Aí SEPARADO disso você coloca a bateria de 90Ah (Não é de 9Ah como você escreveu né? 9Ah em 12V são 108Wh armazenados, mal segura um notebook comum por 2 horas) sendo carregada por painel solar, e usa um diodo pra isolar uma bateria da outra, desse modo:
    https://under-linux.org/attachment.p...6&d=1426171395

    Desse modo só a energia do painel vai pra bateria, se houver perda (E há) na bateria ou controlador não tem problema porque você perdeu energia que chegou de graça. Desse modo o equipamento AC é alimentado diretamente pela rede eletrica, sem ter perda em carregamento ou coisa assim. O que você pode fazer é digamos as 16h de todo dia desligar a rede AC do nobreak, assim ele funcionará descarregando energia que chegou de graça na bateria atraves do painel solar.

    (Os 12V 2,2A da bateria interna do nobreak são necessarios porque nobreak precisa verificar o estado de alguma bateria plugada nele. Pode até ser as celulas 4V 700mA que se vende pra lanterna de led ou raquete de matar mosquito, elas são 2 celulas de chumbo, é só colocar 3 dessas baterias 4V em serie e terá uma bateria selada de gel 12V 0,7A, o nobreak vai uns 10W pra carregar ela e depois uns 5W que é o gasto geral do nobreak sem consumo mesmo (Usando bateria pequena ou grande haveria esse desperdício por parte do nobreak, eles não são feitos pra economizar energia, são feitos pra armazenar pra emergencias, eles tem rendimento péssimo porque são baratos, inversor bom de 600VA custa R$ 600, não tem como um nobreak 600VA de R$ 250 ser eficiente).

    Sobre ligar geladeira em inversor, idéia não muito boa, precisa inversor grande e caro, e vai gastar muita energia. TV é tranquilo, quanto aos notebooks tem solução de rendimento muito melhor que inversor:
    http://produto.mercadolivre.com.br/M...aser-cb005-_JM
    Por mais barato que seja isso aguenta muita coisa, consumo de 60W já pendurei neles e foi tranquilo. Isso é basicamente um conversor dc-dc step-up , dá na mesma que isso:
    http://www.ebay.com/itm/150W-DC-DC-B...-/171151982059
    O rendimento disso passando de 12 pra 18V é algo tipo 90 a 92%.
    Você liga isso direto na bateria, sem desperdiçar mais 15 a 20% no inversor (Pra depois a fonte chaveada do notebook desperdiçar mais 10%), e direto no notebook (Um pra cada, claro).

    Quanto a carregador de celular com led, eles são fontes chaveadas 5V, tem o mesmo rendimento de uns 90%, sobre os 85% de rendimento do inversor, ou seja, está de qualquer forma perdendo 40 a 50% de energia nos leds.
    Se são leds 3,6V 3W (Devem ser), coloca 3 em serie, cria necessidade de 10,8V, isso é quase a tensão da bateria vazia, mas com ela carregada deve chegar a 13,8V tem que fazer a conta do resistor pra ele. São 9W / 10,8V = 0,83A. De 13,8 pra 10,8V são 3V, e 3 / 0,83 = 3,6 ohms. Ou seja, coloque um resistor de uns 4,7 ohms entre os 3 leds 3,6V em serie e a bateria.
    Já se forem leds 3V 3W, 3 dão 9V 9W, ou 1A. De 13,8 pra 9V são 4,8V, e 4,8 / 1 = 4,8 ohms. Ou seja, com resistor de 5,6 ohms está ok. Por precaução não uso tensão maxima dos leds na fonte, na prática eu usaria resistor de 6,8 e 8,2 ohms respectivamente nos 2 circuitos, o brilho diminui um pouco mas a vida útil do led aumenta trocentos %.

    Se já tem bateria, controlador e painel solar, o jeito de reduzir a conta de luz é usando notebook e iluminação 12V por enquanto, eles consumirão ao longo da noite provavelmente tudo o que painel solar armazenar de dia. Esse negócio de carregar bateria pela rede eletrica pra depois usar a energia só desperdiça, desperdiça 50% praticamente, é uma péssima opção, não economiza nada mas sim só aumenta o consumo.

    Enquanto puder evite a todo custo ligar motor em inversor, inversor comum (Tipo de nobreak, ou de menos de R$ 600) não aguenta nem uma geladeirinha de 90W (Tipo até 280 litros), o negócio é deixar motor na rede AC normal, e usar os 12V que o painel solar coloca na bateria de outra forma, as formas simples são iluminação (Inversor fluorescente ou led, nada de inverter pra 127V e ligar fluorescente compacta ou tubular, isso é perder 2x na inversão enquanto com inversor 12V de fluorescente perde só 1 vez uns 15%) e usar conversor dc-dc pra alimentar equipto tipo roteador ou notebook, no seu caso já que tem notebook pra alimentar tá perfeito, fonte automotiva pra notebook é barata o suficiente, alimentando com isso terá uns 20 a 25% a menos no consumo que alimentando com inversor AC e a fonte original do notebook.

    Ou o seu problema é falta de eletricidade? Se for isso, aí sim justifica usar trafo pra carregar bateria.
    Mas se a intenção não é ter reserva mas sim reduzir consumo então não pode de jeito nenhum usar energia da rede AC pra guardar em bateria e depois voltar pra AC, porque isso tem rendimento péssimo que significa PERDER muita energia, gastar MAIS ou invez de gastar menos.

    Pode olhar nas fontes chaveadas ou na ficha técnica dos trafos o rendimento, coisa tipo 70 a 85% é comum, isso significa PERDER 15 a 30% pra passar de 127VAC pra 13,8V DC.

    Bons inversores também informam o rendimento fora, geralmente algo tipo 75 a 85%. Isso significa perder 15 a 25%.

    Se somar as 2 perdas elas vão de 30 a 45%. Fora que uma boa parte do que circula na bateria vira calor, a bateria não aquece de graça, aquele calor é energia dissipada na forma de calor, a media é perder na forma de calor uns 20% do que circula no começo da carga, e uns 60% do que circula no final da carga (OU sob flutuação, a bateria tem auto-descarga tipo 1mA, mas as fontes fazem flutuação com uns 200 a 300mA, tudo isso é dissipado pela bateria na forma de calor.

    Já perder energia que chegou de graça pelo sol não é problema, controlador de carga PWM rende até 30% a menos que um MPPT, mas... essa perda não importa muito porque o sol é gratis, mais importante ter 80% do que um painel captou do que ter 0% e ter que usar energia da rede AC e pagar 50 a 70 centavos por KWh.



    (Já se carregar a bateria via transformador você consumir o que foi carregado com rendimento geral de apenas 50%, você vai consumir o que o painel solar trouxe graça e também o que o trafo gastou DOBRADO pra carregar)

  4. #28

    Padrão Re: Sistema Solar com segundo carregador de Bateria

    Acho que estou entendendo, trocar para as fontes DC/DC para não perder corrente na conversão para 110V, ou seja tentar mudar tudo para 12V ou o possível. A minha tv tem fonte externa creio que seja tipo a do note, más o problema será a geladeira.
    Agora adicionei uma outra bateria de 60A em paralelo com a de 100A, total 160A, trocando as fontes do note e tv, já vou economizar bastante.
    A bateria de 9A era para deixar o no-break funcionando, até a placa solar carregar a bateria de 100A. O meu controlador de carga é PWM.



  5. #29

    Padrão Re: Sistema Solar com segundo carregador de Bateria

    Pra geladeira te aconselho dar uma olhada no nobreaks pra portão eletronico, acho que a MCM tem os mais em conta. O menor acho que é de 600VA, pra geladeira dessa dá. Não que sejam muito melhores que inversor caro, mas pode ligar o nobreak via diodo nas baterias maiores, e nalgum horário desligar a alimentação AC do nobreak pra ele operar sob bateria.

    Mesmo nobreak comum de 1400VA ou mesmo 2200VA não costumam aguentar rodando motor, uma clínica aqui comprou algUNS diferentes pra freezer pequeno (Motor 1/8 de 90W igual sua geladeira deve ser) e queimou varios nobreaks, tipo 1800VA SMS, senoidal 2,2KVA barato, só resolveu quando comprou dupla-conversão (10x mais caros que os MCM pra portão-eletronico), se o motor tá ligado eles vão bem, o problema é aguentar a partida, o enrolamento de marcha consome 90W, mas o enrolamento de partida (Acionado pelo rele de partida até que a rotação atinga X rpm) consome uns 700W, o problema é que ele recebe uma onda tão feia (Parece senoidal só se for de costas, no mar, a noite...) que não consegue rotação suficiente, sob baixa rotação a carga indutiva é alta, cria muita defasagem entre corrente e tensão, isso aquece bastante os mosfets de um nobreak comum até o ponto que queimam. SE o enrolamento de partida fosse melhor (Com escovas talvez) aí um nobreak comum ia bem.

    Outra questão é: Geladeira aguenta 1 hora sem ligar e ainda assim não troca tanto calor. A minha de uns 300l fica 6h desligada até começar a pingar (E só termina o degelo em umas 12h), leva umas 10h pra temperatura interna deixar de ter agua gelada. Então é de se rever bem a necessidade de geladeira em nobreak. O que EU faria é diminuir ao maximo o uso dela sob bateria, ligando uns 20 min. a cada 2 horas.
    (Se for geladeira velha que esquenta rapido, é bom rever o imã e borracha da porta, e a forração de lã de vidro, as vezes isso molha ou apodrece e perde o isolamento, coisa boba tipo lã preta de velha e mofada, além de úmida, fazia uma geladeira 280l esquentar em umas 4 horas. Se for complicado conseguir lã de vidro veja as espumas expansíveis, não são o melhor isolamento mas são melhores que nada ou que lã molhada. Calor elas não aguentam, mas "frio" (Geladeira não esfria tanto, não dá -20°C) ela aguenta)

  6. #30

    Padrão Re: Sistema Solar com segundo carregador de Bateria

    Rubem tenho um trafo de 1.2kva de nobreak SMS e vou testar com esse projeto com o CI 4047 http://www.next.gr/circuits/Simple-l...ET-l36891.html
    E uma correção a respeito da tv, no manual informa que o consumo da tv é de 49W RMS, já a fonte da tv informa que a fonte é de 19V, 3.42A, 65 W.
    Só uma curiosidade, respeito das pessoas que tem sistema solar em casa, a energia excedente, como ela entra na corrente da concessionária ?