Página 4 de 4 PrimeiroPrimeiro 1234
+ Responder ao Tópico



  1. #61

    Padrão

    Citação Postado originalmente por pablozac Ver Post
    Caro, @Zucchi. Aprendi mais com o @rubem nesse tópico do que 6 anos trabalhando em provedor... Quem sabe, sabe... Essas dicas me deram um novo conceito e vou trabalhar na rede inteira por conta disso. Não só no POP ou na cidade que estou tendo problema... @rubem, se não vai lançar livro não ???
    Faço das suas palavras as minhas !

  2. #62

    Padrão Re: AP Ubiquiti x Cliente Mikrotik = Sofrimento de mais de 1 ano

    Boa tarde,
    O Forum deveria ter mais tópicos cativantes e cheios de informações como esse. Parabéns à todos aqueles que fizeram seus posts.
    Uma pergunta que gostaria de saber é sobre a possibilidade de em uma antena MIMO, clientes SISO podem ser conectados na 2 portadoras. Se alguém possuir material ou explicação seria interessante. Outro ponto é sobre o principal fator de desvanecimento onde vc possui um AP MIMO totalmente nivelado e clientes que ao longo do tempo perdem o nivelamento da instalação. Qual é a diferença aceitável nesses casos? Quando começo a perder percentualmente mais desempenho ?
    Obrigado e sucesso aos que usam rádio da maneira correta, estudando física !!!



  3. #63

    Padrão Re: AP Ubiquiti x Cliente Mikrotik = Sofrimento de mais de 1 ano

    Sobre MISO ou SIMO (Um lado simples outro multi-polarização), veja pelo seguinte lado:

    Um radio transmite digamos 20dBm EIRP (Digamos 10dBm de potencia no radio, e antena de 10dBi, 10+10 = 20 EIRP) em 1 polarização, é um radio com 1 chain e 1 antena na vertical.

    A 1000m desse radio esse sinal cairá 107dBm. O sinal será então 20 - 107 = -87dBm. Isso é o sinal NO AR.
    Se você colocar uma antena na vertical nesses 1000m, digamos uma antena de 10dBi, ela vai pegar o sinal na vertical e entregar pro radio com 10dBi a mais, ou seja, de -87 no ar vai passar pra -77dBm no radio.

    Mas e se colocar uma antena na vertical a 1000m? Isso depende da antena, cada antena tem caracteristicas diferentes. Uma caracteristica é o isolamento entre polarizações. Nem sempre esse dado é informado nos datasheet, mas a media de isolamento é de 20 a 35dB. Se for um Nanostation pequeno será de 20dB. Ou seja, se você DESLIGAR uma antena dos Nanostation e colocar nesses 1000m, e for um NS com antena de 13dBi, ele vai pegar o sinal na vertical e dar ganho de 13dBi, ou seja, de -87 vai subir pra -74dBm (-87 + 13 = -74). Mas se colocar essa antena de 13dBi na horizontal? Ele vai atenuar 20dB. Ao invez de -87 vai ter -107 (Ele isola 20dB da outra polarização), nesse caso aplicando o ganho de 13dBi o sinal sobe pra apenas -94.

    Nas antenas de polarização simples geralmente o isolamento entre polarizações é de 30 a 40dB. No caso dos Airgrid é de uns 35dB. Ou seja, na vertical um Airgrid 27dBi pegaria o sinal de -87 no ar e entregaria no radio -87 +27 = -60dBm. Já isolando 35dB, se virar a antena ele vai rejeitar uns 35dB, ou seja, vai cair de -60 pra -95dBm.

    Ou seja, pra antena conseguir fazer o sinal de uma polarização "virada" chegar alto o suficiente essa antena teria que gritar muito! Não tem radio em que você seleciona digamos 10dBm no chain0 e 30dBm no chain1, só assim uma comunicação MISO/SIMO seria bem eficiente.

    O que muito radio tem é: Antena de dupla-polarização mas radio com só 1 chain.
    É o caso dos Nanostation2, Nanostation5, WOG212 somente B/G, TP-Link WA5210g, e vaaaarias CPE's A/B/G, elas tinham (TEM, ainda são usadas) 2 antenas, em 2 polarizações diferentes, mas só tem 1 chain, uma saída ou entrada de TX e RX. O chipset de RF escolhe qual antena vai usar (Não aleatoriamente, ele faz uns packet probe antes de estabelecer conexão, como o sinal na outra polarização chega na outra polarização uns 20 a 25dBm mais baixo ele geralmente não é "escutado" quando se transmite rumo a uma antena simples).

    Quando você tem um AP com suporte a MIMO e cliente somente com suporte a SISO é só virar alguns clientes, usar metade numa polarização e metade em outra, não vai dobrar o througput mas vai ter menos interferencia em cada polarização.

    Torre polarização simples e cliente dupla-polarização não vejo vantagem, pra torre entender o sinal da outra polarização o cliente teria que GRITAR 20 a 30dBm mais alto que o NECESSARIO, isso geraria sinal alto demais na polarização correta (Teria digamos -70dBm da polarização errada e -40dBm da certa se fosse antena com 30dBm de isolamento, o datarate que aceita -70 ia ter tudo distorcido com algo tão alto tipo -40dBm).

    Em radios modernos o chain0 pode transmitir na vertical ou horizontal, e o chain1 idem, então quando você fixa um radio com 2 chains (Qualquer CPE 802.11n moerna) pra transmitir digamos em MCS9 (2x MCS1, 2 streams de 13M, gera datarate total de 26M) rumo a um radio de 1 chain com 1 antena de polarização simples as vezes aparece no setup a conexão em 26M, mas isso é datarate, não é o throughput, o throughput será na prática o MESMO que se estivesse transmitindo em MCS1, porque pra mandar 2 streams ele usa o chain0 na antena 1 pra mandar uns dados, e depois o chain1 na antena 1 pra mandar outros dados, de qualquer forma só 1 antena é usada e o resultado final é: Mesma coisa que se usasse MCS1, mesma coisa que se usasse polarização simples e 1 chain nos 2 lados.

    MISO/SIMO funciona bem com antenas na MESMA polarização, roteadores de mesa e cia usam isso pra aumentar throughput (Pelo menos num sentido, roteador>notebook digamos), mas provedor em uso outdoor precisa potencia alta, colocar 2 omni uma do lado da outra exige um hardware preparado, bem poderoso. Vide o precinho camarada dos Wavion WBS2400 (Uns R$ 10 mil ainda? 6 antenas omni, é pra fazer beamforming (Cada antena transmite com uma leve diferença de potencia e atraso de modo que o sinal somado chegue mais longe, é tipo focar 2 lanternas no mesmo foco pra luz ficar mais forte, mas com 20 clientes você teria que ficar "re-focando" em 20 pontos diferetes umas 40 vezes por segundo).


    O uso de setorial dupla-polarização em cliente de dupla-polarização se consagrou porque é a melhor opção, tanto em custo como em desempenho.
    OU faz 2x2, OU faz 1x1, as outras opções são de desempenho meia-boca pro custo.

    (Omni single, com clientes usando digamos CPE Nanostation, não traz nenhuma vantagem, nem meia vantagem, a polarização que a omni não recebe nunca será usada, você está pagando mas não usando uma polarização e um chain da CPE, pessoal tem que investir mais em torre, colocando omni de dupla-polarização se for usar CPE de dupla-polarização, isso permitiria o uso de potencias menores pra usar datarates menores pra ter o mesmo throughput (Que um datarate algo que exige sinal alto em single-polarization))


    (Sobre o quanto o sinal cai pelo ar, isso depende da frequencia. Em 1000m é fácil lembrar, em 2,4GHz ele cai 100dBm, em 5,1GHz cai 107dBm, e em 5,8GHz cai 108dBm. Isso é perda ao ar livre, pelo ar, sem obstaculos. Cada obstaculo terá densidade maior que o ar, vidro, ferra e agua tem densidade alta por isso atenuam pra caramba, atenuam em 30 a 40cm o que o ar leva 1000m pra atenuar! A atenuação conforme a frequencia é mais fácil ver em TV via satelite. Banda C usa em torno de 4GHz, quando chove não fica sem sinal. Banda KU usa 12 a 18GHz, se o ganho da antena for meia-boca fica sem sinal até quando fica nublado, nem precisa chover! A atenuação criada por nuvem carregada, agua ou poeira é tão grande em 18GHz que faz o sinal cair até 50dB, isso é a diferença entre ter sinal pra fullHD e não ter sinal nenhum!)

  4. #64

    Padrão Re: AP Ubiquiti x Cliente Mikrotik = Sofrimento de mais de 1 ano

    pablozac, Você colocou o STX SA e direcionou os clientes stx para o SA ou substituiu a antena UBNT pelo stx SA?



  5. #65

    Padrão Re: AP Ubiquiti x Cliente Mikrotik = Sofrimento de mais de 1 ano

    Obrigado pela aula de eletromagnetismo.
    Sobre a inclinação? Com quantos graus na ou nas portadoras dos clientes o AP inicia uma exponencial negativa no que tange seu desempenho ?

  6. #66

    Padrão Re: AP Ubiquiti x Cliente Mikrotik = Sofrimento de mais de 1 ano

    Caro @FMANDU, os 2 APs estão lá. Primeiro tentei passar todos os clientes para SXT-SA. O problema persistiu. Fiz vários ajustes que o MK permite e não estão disponíveis na rocket. Consegui minimizar o problema, porem não eliminei. Em respeito aos clientes separei MK com MK e UBNT com UBNT, mais ainda não desisti de descobrir o que ocasiona o problema.



  7. #67

    Padrão Re: AP Ubiquiti x Cliente Mikrotik = Sofrimento de mais de 1 ano

    Grande @rubem, estava tão transtornado em não conseguir solucionar que acabei errando em contas simples. Me desculpe. Para te colocar a par dos resultados, fiz tudo que você sugeriu, regulando a configuração do AP MK e todos os clientes, incluindo o sinal dentro da faixa recomendada. Não obtendo resultados satisfatórios acabei dividindo os clientes nos 2 APs. MK em MK e UBNT em UBNT. Feito isso me recordei de outras vezes que passei pelo problema, pois tudo está acontecendo de maneira semelhante e pode ser uma informação importante para chegarmos ao veredicto da questão: Os clientes UBNT no AP UBNT pararam de se desconectar imediatamente após a migração. Já os clientes SXT no AP MK continuam se desconectando. Isso me leva a crer que o "culpado" são os clientes MK SXT. O mais interessante é que ao habilitar o protocolo NV2 o problema desaparece como se fosse por mágica. Visto isso, você como profundo conhecedor, pode ter uma ideia do que torna o NV2 a solução da questão. E sabendo as diferenças entre NV2 e 802.11, pode ter alguma configuração que permita que eu resolva o problema sem o advento do protocolo proprietário da MK ?

    Um abraço !!!

  8. #68

    Padrão Re: AP Ubiquiti x Cliente Mikrotik = Sofrimento de mais de 1 ano

    Citação Postado originalmente por ebelotto Ver Post
    Sobre a inclinação? Com quantos graus na ou nas portadoras dos clientes o AP inicia uma exponencial negativa no que tange seu desempenho ?
    Fala de downtilt em setorial?
    Ou inclinação desproposital girando a CPE ou antena alguns graus?
    O 2 criam uma perda de 1 ou 2dB, nada preocupante. Nunca fiz um teste girando antena mas virando 45° a perda é de cerca de metade do que perde em 90° (Uns 17dB, no caso do SXT que tem isolamento de 35dB).

    A inclinação lateral em sentido horario ou antihorário de 1 ou 2°, por culpa de telhado ou suporte, não é preocupante, a grande diferença vem de girar 90°.

    Citação Postado originalmente por pablozac Ver Post
    Grande @rubem, estava tão transtornado em não conseguir solucionar que acabei errando em contas simples. Me desculpe. Para te colocar a par dos resultados, fiz tudo que você sugeriu, regulando a configuração do AP MK e todos os clientes, incluindo o sinal dentro da faixa recomendada. Não obtendo resultados satisfatórios acabei dividindo os clientes nos 2 APs. MK em MK e UBNT em UBNT. Feito isso me recordei de outras vezes que passei pelo problema, pois tudo está acontecendo de maneira semelhante e pode ser uma informação importante para chegarmos ao veredicto da questão: Os clientes UBNT no AP UBNT pararam de se desconectar imediatamente após a migração. Já os clientes SXT no AP MK continuam se desconectando. Isso me leva a crer que o "culpado" são os clientes MK SXT. O mais interessante é que ao habilitar o protocolo NV2 o problema desaparece como se fosse por mágica. Visto isso, você como profundo conhecedor, pode ter uma ideia do que torna o NV2 a solução da questão. E sabendo as diferenças entre NV2 e 802.11, pode ter alguma configuração que permita que eu resolva o problema sem o advento do protocolo proprietário da MK ?

    Um abraço !!!
    Não tenho experiencia com NV2 em PmP. Em PTP já usei (Com SXT, inclusive, alias, ainda tenho) sem essas quedas.

    Daria pra pensar em encriptação, ou tempo de calibração. A calibração dá pra desabilitar, mas deixar sem encriptação (Ou com, se usar hoje sem) pode ser mais complicado testar.



  9. #69

    Padrão Re: AP Ubiquiti x Cliente Mikrotik = Sofrimento de mais de 1 ano

    Amigo, já passei por isso e a solução foi:
    retirei todos sxt da minha rede, são boas sao, porém minha rede era 99% ubnt então segui com ubnt mesmo sabendo da inferioridade
    outra coisa foi não deixar nenhum rocket passar de 50 simultaneos e banda passante de no maximo 20mbps, quando chegamos nesse limite o processador dele fica dando picos de 100%, e ocorre as quedas
    teve outras coisas como melhorar sinal nos clientes, tudo isso fiz em uma semana e parou
    porém me apareceu outro problema, ping alto nos jogos e em certos momentos nao chega a banda correta no cliente
    queria a ajuda do @rubem nessa se puder ajudar..
    todos meus APS são 2x2 e clientes 90% 1x1 tudo ubnt airmax ativo
    por padrão ack auto em tudo, MCS 12 no AP e no cliente 2x2 e MCS 7 nos clientes 1x1 airgrid
    o que posso mudar ai para melhorar latencia e download nesses clientes? exemplo, tenho um AP com 30 clientes simultaneos banda mal passa 10mb, mais tenho um cliente que volta e meia tem problemas de ping alto em jogos, ai se eu for la e tentar fazer um teste de download nao chega bem a banda dele 2mb
    se puder me ajudar agradeço

  10. #70

    Padrão Re: AP Ubiquiti x Cliente Mikrotik = Sofrimento de mais de 1 ano

    MCS 7 é o maior datarate de 1 chain.
    MCS0 a 7 equivale em 1 chain a
    MCS8 a 15 com 2 chains.

    Então sugiro que não use MCS6 ou 7 nos clientes, isso exige sinal muito alto chegando na torre (-55, provavelmente), use um 16QAM, que é MCS3 e MCS4 (Ou MCS11 e MCS12 em 2 chain).

    Usar MCS7 é o mesmo que usar MCS15, exige sinal muito alto. Eu colocaria os clientes em MCS3 nesse caso.
    (Mas estão alguns numa polarização e alguns noutra? Se todos os Airgrid estão na vertical então você não está usando a polarização horizontal da torre, pagou mais caro por ela e não está usando)



    Quanto a seu equipto "ser 2x2", ele suporta 2x2, mas o AP é só um lado do X, você está fazendo 2x1 (2 polarizações na torre, 1 no cliente).



  11. #71

    Padrão Re: AP Ubiquiti x Cliente Mikrotik = Sofrimento de mais de 1 ano

    Obrigado @rubem muito bem explicado
    vou começar o teste em um AP da rede desta forma, no caso eu tento deixar metade vertical e metade horizontal sempre
    eu achava que diminuindo o data rate no cliente, eu estaria fazendo ele trabalhar com menor performance, menor download e talvez prejudicando os outros clientes da celula, agora vi que nao é bem assim
    no caso meus planos são tudo com 50% de upload em relação ao download, setando MCS3 nos clientes e 11 no AP, conseguiria uma boa banda passante tipo 15mbps em cada radio AP?
    obrigado!

  12. #72

    Padrão

    No 2 x 2 seria no ap ou no cliente? No ap recomenda automático selecionado?

    Citação Postado originalmente por rubem Ver Post
    MCS 7 é o maior datarate de 1 chain.
    MCS0 a 7 equivale em 1 chain a
    MCS8 a 15 com 2 chains.

    Então sugiro que não use MCS6 ou 7 nos clientes, isso exige sinal muito alto chegando na torre (-55, provavelmente), use um 16QAM, que é MCS3 e MCS4 (Ou MCS11 e MCS12 em 2 chain).

    Usar MCS7 é o mesmo que usar MCS15, exige sinal muito alto. Eu colocaria os clientes em MCS3 nesse caso.
    (Mas estão alguns numa polarização e alguns noutra? Se todos os Airgrid estão na vertical então você não está usando a polarização horizontal da torre, pagou mais caro por ela e não está usando)



    Quanto a seu equipto "ser 2x2", ele suporta 2x2, mas o AP é só um lado do X, você está fazendo 2x1 (2 polarizações na torre, 1 no cliente).



  13. #73

    Padrão Re: AP Ubiquiti x Cliente Mikrotik = Sofrimento de mais de 1 ano

    2x2 quer dizer 2 chains na torre e 2 chains no cliente. 2 de um lado e 2 do outro.
    2x1 quer dizer 2 chains na torre e 1 chain no cliente. 2 de um lado e 1 do outro.

    (Poderia ser 1 chain na torre e 2 nos cliente, acho bobeira diferenciar 1x2 de 2x1)

    Um radio pode ter antena de dupla-polarização mas ter só 1 chain, é o caso de CPE's B/G, tipo Nanostation2 e 5, WOG212 B/G, TL-WA5210G, etc. Então digo pra ESQUECER o numero de polarizações da antena e se focar no numeros de chains que o radio tem. 2 chains, ou 2 etapas de RF, ou 2 canais, ou 2 streams, ou 2 entrada/saída. Enfim, pra uma transmissão em 2 vias precisa 2 vias. Chipsets modernos com suporte a 802.11n tem sempre suporte a 2 ou 3 chains, o fabricante é que decide se vai usar 1, 2 ou 3.

    Comunicação em MIMO pode ser feita com 2 antenas na MESMA polarização (Tipo roteador de mesa com 2 antenas omni iguais) ou em polarizações DIFERENTES (Como CPE moderna). Mais um motivo pra esquecer polarização.


    Quanto a algo automático, pra mim qualquer coisa com "automatico" no nome é feature pra senhorinha que tem preguiça de ler pra configurar as coisas manualmente, é coisa pra noob ou preguiçoso, não recomendo nada automatico.

    Se fala da polarização de CPE em "automatico" no setup, se você está usando na torre um sistema com 2 chains (Rocket M2/M5 em antenas setoriais ou omni Airmax de dupla-polarização) você deve deixar assim porque DEVE usar os 2 chains da CPE.
    Se usar na torre antena de polarização simples, não ví diferente entre polarização automatica e manualmente setado pra pol. correta, mas... cliente não precisa alto desempenho, isso só deve fazer diferença se tiver 40 clientes assim (Mandando packet probe na polarização errada o tempo todo, pra ver se não apareceu uma nova antena), ou se fizer isso em PTP.

    Se selecionar num NS M2 ou M5 um MCS0 a 7 (que são datarates de 1 chain) e conectar ele numa antena de polarização simples, o chipset de RF vai definir qual antena (V ou H) do NS usar com base no nível de sinal, a polarização virada terá sinal 20 a 25dB menor, por isso é bom trabalhar com sinais baixos, sem gritaria tipo cliente a -40dBm.
    Se for trabalhar com sinais altos (Que passem pra outra polarização, de tão altos que são), melhor desativar a antena na polarização virada (Setar manualmente apenas V ou apenas H).

    Se selecionar um MCS8 a 15 (Que são datarates que exigem 2 chains) o chipset de RF vai usar os 2 chains, nas 2 antenas, ele vai tentar o tempo todo comunicação com os 2 chains ao mesmo tempo (Afinal você mandou ele faz isso, mandou ele usar MCS9, digamos), se a contraparte da conexão não responder na polarização virada ele vai continuar insistindo em tentar usar. A "vantagem" é que se o sinal vazar pra outra polarização (Por ser sinal alto demais) você pode conseguir uma comunicação 2x1. Não vai ter desempenho nada melhor nesse caso porque uma polarização terá sinal 20 ou 30dB menor que a outra.

    Alias, ó um equipto com suporte a MIMO mas com só 1 antena: Airgrid.
    Airgrid pode se comunicar com um AP que use MCS14, se apontar ele pra um roteador de mesa com 2 antenas na vertical ele vai mostrar RX de digamos 104M, que é MCS14. Ele mesmo vai transmitir só com o que ele consegue, que é 1 chain, ele vai usar algums MCS de 0 a 7 (Ele não consegue usar 8 a 15, afinal ele não tem 2 chains).

    É melhor tratar esse caso como 1T2R, 1 TX e 2 RX. O TX é a saída do Airgrid em 1 chain, e o RX é a entrada de 2 streams vindos de outro radio (Que tem 2 TX, sob o ponto de vista deste outro radio é na verdade 2T1R).

    Se olhar os datasheets dos chipsets de RF (Digamos um AR9220, só como exemplo) verá suportes a 2T2R, em em vaaaarios 2T3R. Mas o fabricante pode optar por colocar amplificador só em 1 chain, mas colocar 3 ativas, assim teria 1T3R (Tem notebook e smartphone fazendo isso, escutam em 3 chains, mas transmitem só em 1).

    802.11AC nasceu pra ter até 8 chains nos chipsets, não tem como isolar 8 polarizações direito numa só antena, o uso de 3 a 8 chains em AC nasceu pro seguinte: Download grande pro usuário.
    A idéia é que o usuário (Um smartphone, tablet, TV, notebook) responda só com 1 chain, só o basico (Resposta de pacotes (checksum) e requisições), mas que recebe os 3 a 8 chains com digamos 10-40Mbps em CADA chain.

    Isso quer dizer que provedores deviam seguir a tendência? Eu digo que não. A diferença é que dispositivo mobile ou indoor usa antenas bem planejadas de multiplas polarizações que permite o uso de varios chains em qualquer posição, mas são antenas de baixo ganho, baixo tipo no máximo 5dBi, e são antenas omnidirecionais. Pra uso outdoor não temos nada tão versátil, ainda precisamos antenas de foco bem fechado (Se todo cliente usar omni 12-16dBi em cima de casa o espectro vira um lixo em 2 segundos), e ainda precisamos 40 clientes num único AP pra ter lucro. AC indoor é um roteador AC3200 de R$ 1200 conectado em 4 ou 5 smartphones, notebooks ou TV's. Em uso outdoor os provedores mal querem gastar R$ 1200 pra conectar 20 clientes, é um mundo muito diferente o que o uso de multiplos chains permite e o mundo limitado do que as CPE's e AP's baratos (Menos de R$ 500 é barato, vide o preço dos AP's AC de alto nível) permite. O que provedor pode usar sem gastar muito é 2x2 ou 1x1.Pra usar 2x1 precisaria 2 antenas na mesma polarização, mas o radio teria que suportar isso, com 2 omni 9dBi eu tive um desempenho bem lixo com Rocket M2 conectando só eu mesmo (Em 2x1 uns 20% a mais de throughput do que conseguia com 1x1, de tanto que uma omni atrapalha a outra quando operam com potencia EIRP alta tipo 25dBm EIRP).

  14. #74

    Padrão Re: AP Ubiquiti x Cliente Mikrotik = Sofrimento de mais de 1 ano

    Com base no que li seu atualmente uso aqui MCS15 no AP rocket m5 mimo com airmax e automatico e no cliente nano station m5 com MCS 10 automatico estou fazendo errado? Todos clientes ubiquiti e 2x2, media de sinal minha de -50 a -69 potencia de saida 0 no maximo 7 no cliente e no Ap maximo de 5 a 9

    Obrigado



  15. #75

    Padrão Re: AP Ubiquiti x Cliente Mikrotik = Sofrimento de mais de 1 ano

    Grande @rubem,
    Pedi para alguns funcionários correrem nos cliente onde o problema estava acontecendo com mais frequência e descobri 1 cliente SXT mirando nas costas da Setorial que já foi remanejado para outro POP. Na sua opinião, um único caso desse pode gerar o transtorno que ocasionou a abertura deste tópico ?

    Abraço a todos !!!

  16. #76

    Padrão Re: AP Ubiquiti x Cliente Mikrotik = Sofrimento de mais de 1 ano

    @rubem, estive verificando, e rocket setada em MSC13 dá uma sensibilidade de -79dB. O isolamento entre polaridades da antena conectada a ela Basestation de 16dB/120º é de 22dB. Levando em conta a margem de segurança de 20dB isso me dá uma faixa muito estreita de "Sinal Ideal" no cliente (de -57 a -59). Em qual das extremidades da faixa é menos nocivo o extrapolamento. Entrar na margem de segurança ou ultrapassar o isolamento ? Nos contemple com sua totalmente embasada e importante opinião...

    Um grande abraço !!!



  17. #77

    Padrão Re: AP Ubiquiti x Cliente Mikrotik = Sofrimento de mais de 1 ano

    Citação Postado originalmente por inquiery Ver Post
    @pablozac, a distância máxima das tuas estações está a no máximo 2km mesmo? (como informa a maior distancia medida pelo ACK do teu AP)

    Se sim, qual a razão de usar 27dB de potencia no Rocket?
    Eu tenho 2 rockets aqui, um que tem clientes a 7km ou mais, que dai boto uma potenciazinha maior, e outro com clientes a menos de 2km, no qual coloquei potencia de 10dB e mesmo assim to achando alto. @rubem, por que motivo você pratica 20dB de margem para a sensibilidade máxima que vc quer atingir? É para evitar variações decorrentes de ambiente? Pois mesmo um temporal infernal, a distancia de 2km, não vai atenuar o sinal nem em 5dB (pelo menos aqui não atenua). Mas de repente to falhando em perceber algo.

    Concordo com Inquery, a distancia dos clientes nao deve ser maior que 1-2Km e nessa distancia a margem de Fadding de 2 dB é mais que susficiente,. Porem para ter um link robusto perante a interferenças, o sinal recebido nao deveria ser menos que 65dB.
    Para os rocket funcionar BLZ, e com maximo trhoughput a potencia maxima nao aconselho ultrapassar 20dBm.

    Com essa configuração, cliente com sinal melhor que -65dB e AP com maximo de 20dBm , garanto a melhor qualidade de serviço.
    Respeito dos ajustes de HT e data rate, deixar todo em automatico , ACK=5Km max.

  18. #78

    Padrão Re: AP Ubiquiti x Cliente Mikrotik = Sofrimento de mais de 1 ano

    Citação Postado originalmente por pablozac Ver Post
    Grande @rubem,
    Pedi para alguns funcionários correrem nos cliente onde o problema estava acontecendo com mais frequência e descobri 1 cliente SXT mirando nas costas da Setorial que já foi remanejado para outro POP. Na sua opinião, um único caso desse pode gerar o transtorno que ocasionou a abertura deste tópico ?

    Abraço a todos !!!
    1 cliente com zona de fresnel muito obstruída já derruba o CCQ dos outros (Com AP mais barato tipo R52 ví muito disso, com XR2 ou R52HN não), imagino que conectar nas costas também. Ainda mais porque o AP está sobrecarregado de radio, pra ter muito cliente num mesmo AP tem que caprichar totalmente em visada e zona de fresnel, senão tem que limitar nuns 10-15 clientes por AP.

    Citação Postado originalmente por pablozac Ver Post
    @rubem, estive verificando, e rocket setada em MSC13 dá uma sensibilidade de -79dB. O isolamento entre polaridades da antena conectada a ela Basestation de 16dB/120º é de 22dB. Levando em conta a margem de segurança de 20dB isso me dá uma faixa muito estreita de "Sinal Ideal" no cliente (de -57 a -59). Em qual das extremidades da faixa é menos nocivo o extrapolamento. Entrar na margem de segurança ou ultrapassar o isolamento ? Nos contemple com sua totalmente embasada e importante opinião...

    Um grande abraço !!!
    Pois é, antena de isolamento pequeno é um problema, essas antenas são recentes, as primeiras de dupla-polarização eram todas com isolamento de 35dB.
    Nesses casos se for distancia pequena (Menos de 2Km) eu diria que pode trabalhar com margem de 14 a 24dB, trabalha com margem mais baixa e extrapola só um pouco o sinal sobre a outra polarização (2dB na outra polarização (Ou seja, -77) em só alguns clientes não tem como incomodar muito.
    Acima de uns 3Km complica, só 15dB de margem talvez dê CCQ ou throughput baixo.

    Mas não confie apenas no CCQ, as vezes ele erra feio (Especialmente com zona de fresnel obstruída), gosto de ping (ping comum e ping -l 1400 , ambas lado a lado) mas na minha rede tinha um cliente p2p rodando 24x7, usava pra testar velocidade, copiava via rede algum arquivo só pra ver a velocidade (Internet depende de rota, nesse caso era pc-cliente>cpe>torre>servidor>p2p-server , sem internet), ví muito CCQ de 98% mas não tinha nem 20% do throughput que outros usuarios com CCQ de 95% tinham.