Página 3 de 4 PrimeiroPrimeiro 1234 ÚltimoÚltimo
+ Responder ao Tópico



  1. Fiz por brincadeira usando potencia em 5% no Greatek com antena de grade, omni e dela própria configurado como AP, distancia de 150 metros visada e 400 metros com barreira e na outra ponta também greatek. Com 5% chegou a 40% e 100% a 48% em 150 metros; já com 400 metros 50% e 60% com antena omni. Antena de grade o melhor resultado foi com 10% em todos os casos. Esse ensaio fiz abrindo streaming de vídeo, e como AP não é das melhores.

  2. Concordo com os dois engenheiros do topico, o da Toyota e o Rubem estão empatados, mas concordo muito com o da Toyota porque eu sempre quis ir pelo lado da teoria e de fazer tudo certinho e só me fu***** enquanto eu comprava antena homologada e radios tudo dentro da potencia certinha os meus concorrentes deitavam e rolavam com krazer da epoca de 1w.

    Hoje eu tenho uns 30 roteadores (inclusive o greatek 1w citado) que fui comprando só para ver tentar achar um que realmente tivesse força e desempenho para usar quando necessário, e para minha surpresa o unico que se mostrou realmente merecedor da medalha de ouro foi esse:
    http://www.link1.com.br/images/produ...W141_1_web.jpg
    N 150 L1-RW141

    Esse roteador fez tanto sucesso que ele ganhou ate mesmo do modelo superior a ele do mesmo fabricante de 3 antenas, chipset broadcom e sem etapa secundaria de amplificador de RF, pois a antena é ligada diretamente ao chipset.

    A discurssao é interessante, só acho que o Amigo Rubem deveria resumir melhor sua opnião, pois ninguem quer uma aula de Eletronica e simplesmente saber se o trem presta ou não.

    E assim a vida rola... um salve ao Rubem e ao amigo da Hilux.



  3. Citação Postado originalmente por viatel Ver Post
    Concordo com os dois engenheiros do topico, o da Toyota e o Rubem estão empatados, mas concordo muito com o da Toyota porque eu sempre quis ir pelo lado da teoria e de fazer tudo certinho e só me fu***** enquanto eu comprava antena homologada e radios tudo dentro da potencia certinha os meus concorrentes deitavam e rolavam com krazer da epoca de 1w.

    Hoje eu tenho uns 30 roteadores (inclusive o greatek 1w citado) que fui comprando só para ver tentar achar um que realmente tivesse força e desempenho para usar quando necessário, e para minha surpresa o unico que se mostrou realmente merecedor da medalha de ouro foi esse:
    http://www.link1.com.br/images/produ...W141_1_web.jpg
    N 150 L1-RW141

    Esse roteador fez tanto sucesso que ele ganhou ate mesmo do modelo superior a ele do mesmo fabricante de 3 antenas, chipset broadcom e sem etapa secundaria de amplificador de RF, pois a antena é ligada diretamente ao chipset.

    A discurssao é interessante, só acho que o Amigo Rubem deveria resumir melhor sua opnião, pois ninguem quer uma aula de Eletronica e simplesmente saber se o trem presta ou não.

    E assim a vida rola... um salve ao Rubem e ao amigo da Hilux.
    LoL
    Realmente o que você disse tem bastante sentido...
    E aprendi muito sobre frequências depois deste tópico.Desculpa ao Rubem mas ele vive muito na exata. Bobagem, o esquema é práctica.
    Gpstei

  4. Dá pra resumir que tudo que é potente terá distorção.

    Amplificador de áudio ou de RF vai ter mais distorção que um circuito sem ele no caminho, e a distorção só aparece quando a potência de saída chega meio perto do limite.

    O problema de circuito sem eles é potência baixa, coisa tipo 10dBm em MCS7 num roteador de mesa (E talvez 14dBm em MCS0).

    Se resumir "Toda potência alta trás distorção" pelo visto não adianta nada, já que todo dia tem trouxa comprando roteador que promete 1000mW, pra usar em ambiente minúsculo com só 2 paredes no caminho. Resumir pra consumidor leigo pelo visto não adianta nada, todo mundo devia estar careca de saber que não tem como afinar a voz enquanto grita então não tem como ter distorção baixa com amplificador em alta potência.

    Olha o tamanho de um amplificador de 30dBm, aquilo tem 2x2 mm, até uma mosca é maior. Um chipset com etapa de RF integrada tem coisa muito maior, 15x15mm, seria bem fácil caber uma etapa de 30dBm de potência neles. E... eles tem, os mosfets na litografia são enormes, é um circuito que poderia fácil passar muito dos 20dBm, mas o fabricante DO CHIPSET limita via software a potência baseado JUSTO no ruído, tá cheio de chipset QCA limitado a 10 ou 12dBm no maior data rate, mas que internamente tem circuito de potência que poderia passar dos 20dBm.

    O problema de roteador sem amplificador é com o consumidor, ele é que ACHA que precisa alta potência e não compra roteador que promete só 12dBm, ele ACHA que um que fala em WATTS de potência vai resolver tudo sozinho, justo por preguiça de usar a teoria antes da prática, não precisa NEM testar pra saber que na potência mais alta vai ter distorção (E portanto perda de pacotes), o teste é só pra medir o PERCENTUAL de erros, mas erros pra cacete vai ter, nem precisa testar nada na prática pra saber que vai ter erros aos montes.

    Link1 é da Unicoba, ela nunca teve linhas populares, nunca se focou em produtos baratos e chinfrins mas que vendem aos milhões, acho que a única coisa barata da Unicoba que vi nos últimos anos é esse roteador RW131:
    http://www.kabum.com.br/produto/6062...131/?tag=RW131

    Ele tem o mesmo chipset no RW que tem 2 antenas, mas o modelo com 2 antenas quase chega a R$ 110! E uma antena de 5dBi não custa tudo isso, logo, o circuito não é igual apesar de ter o mesmo chipset (Ou pelo menos da mesma linha. A maioria dos chipsets baratos suporte 2T2R hoje, alguns até 3T2R, usam eles no roteadores de só 1 antena porque não tem chipset mais barato).

    O que esse modelo tem: Antena plugada direto no chipset.
    Mas... ele tem um VRM (Modulo regulador de tensão) bem pobre, algo tipo um LM117 da vida, é um CI dedicado com capacidade muito baixa, algo tipo 3W, sendo que o chipset poderia passar de 3W se enchessem o firmware de firulas (É chipset que suporta até USB!). Pra evitar esse problema então o firmware não tem nada tão avançado, assim se garante que nunca terá consumo alto, e logo nunca terá ripple na alimentação, portanto os pacotes de RF saindo a 14dBm rumo a antena serão com distorção baixa.

    No modelo com 2 antenas também não tem amplificador entre chipset e antena, mas como o chipset tem mais features (E processador MIMO gasta muito mais processamento), o VRM é muuuuuito mais complexo, é CI dedicado mas é um mais potente, se tivessem usado o mesmo VRM do RW131 teria ripple na linha de alimentação, que geraria erros na CPU, na RAM, até na gravação e leitura da ROM, e geraria distorção harmônica aos montes na saída de RF, talvez mesmo limitando a 4 ou 5dBm de potência ainda teria distorção demais.

    E ripple não é teoria, ripple é justo prática, tem que meter um osciloscópio na linha de alimentação e ver a tensão DC, ver como o ripple sobe e desce conforme o consumo (Que depende do uso da CPU, e das transmissões de pacotes). DIZER que prefere a prática mas nunca medir ripple é no mínimo piada, ripple não é previsível, tem que medir pra ver qual o nível, e pra ver que percentual de erros ocorrem com cada nível de ripple. Isso geralmente só é feito na fase de projeto, se colocar o chipset com 18dBm de potencia em MCS1, e isso resulta num gasto que gera ripple de 5% no VRM em teste, e esse ripple resulta em mais de 10% de perdas nos pacotes, se testa 17dBm de potência então, caso com isso a perda de pacotes fique abaixo de 10% (9% é ruim mas não é 10%) o firmware limitará a essa potência, isso é prática mas seria burrice só fazer isso sem saber o motivo, e o motivo é bem simples, qualquer 1dBm na potência de saída muda o consumo, e mudando o consumo muda o ripple na alimentação. Uma coisa que o fabricante nem sempre testa nessa hora é usar o circuito em temperaturas tipo 50°C, comum dentro de roteador nalgumas casas do Brasil.

    A Linksys usa amplificador em potência baixa e limitada no mesmo nível independente do data rate por isso, em protoboard se testa o circuito do amplificador pra definir como poderia usar no mundo real, chegando a 60°C em caixa hermética no sol. Se definir que ele opera com 20dBm com distorção harmônica de 0,1% até com ripple de 5%, ele será usado em todos os projetos limitado a 20dBm, por mais que poderia ser usado a 28dBm nalgum data rate baixo. Nesse mesmo sistema em protoboard se testa o VRM, se a 60°C e com consumo de 6W ele chega a 5% de ripple, então ele será usado só em conjuntos com consumo inferior a 6W, por mais que ele poderia ser usado em circuito que consome até 8W no mundo da fantasia a 25°C.

    Se por acaso nalguma etapa do projeto se topa com um chipset e firmware que tenham picos de 7W de consumo, se tiver como capar algo do firmware pra limitar esses picos a 6W esse VRM será usado, senão vão ter que achar outro. Essas features removidas ou limitadas uns firmwares alternativos colocam de volta e as vezes dá merda por isso, o fabricante vende uma solução hardware+software, mas um DD-WRT da vida venda só um software sem muitas garantias, que na prática as vezes só funciona sem travamentos no mundo da fantasia a 25°C, ou onde a fonte está numa temperatura tão baixa e por isso não tem ripple.

    Enfim, não adianta falar em prática quando se testa em cima de mesa em ambiente com ar-condicionado ou ventilador, ou a mais de 1m da parede mais próxima, ou com 4 paredes de tijolo 8 furos de parede fina, com cimento de reboco feito com areia de solo de percentual ferrífero baixo, isso é um mundo muito diferente de um cafofo a 40°C (A varanda de casa chega nisso em dia com vento, imagina sem), com parede de tijolo deitado ou maciço, com várias camadas de tinta e com reboco grosso com argamassa fina no meio, e talvez com azulejo, e com o roteador a 20cm de uma parede assim que refletirá de volta pra antena em nível altíssimo o que acabou de ser transmitido.

    Se é pra testar na prática tem que testar direito, pra MIM até um Gothan lixinho de R$ 35 resolve, mas é uma situação muito específica que não se repete em mais que 0,001% dos usuários, o uso comum do usuário é bem diferente, metade dos problemas são por deixar o firmware todo no default, e a outra metade é por não conhecer a teoria, tipo não entender que data rate alto exige sinal alto, que data rate alto geralmente tem potência baixa, que ver nível de SSID não adianta NADA quando o pacote OFDM transmitido logo depois vem com sinal mais baixo, que o ripple de uma fonte ruim com bom capacitor aumenta quando um pico de consumo passa dos 40ms (Ou seja, o preâmbulo do pacote é transmitido em modulação naturalmente mais legível, e no começo do consumo o ripple do VRM será baixo já que o capacitor está carregado, mas hora que o tempo passa e chega no meio do pacote OFDM sendo transmitido a carga ociosa do capacitor acabou e portanto agora ele está repassando todo o ripple, o pacote OFDM terá perdas do meio pra frente, enquanto o cabeçalho inicial dele (Preambulo e cia) serão SEMPRE legíveis). Enfim, sem conhecer os detalhes do protocolo não tem como entender os problema práticos que ocorrem, esse que citei do preâmbulo ser mais legível que o meio do pacote OFDM não tem nada de teoria, é pura prática, o consumo aumenta por um período maior que o capacitor do VRM aguenta (Porque na prática a capacitância em cada frequência muda conforme temperatura e idade, não tem muito a ver com o valor nominal escrito no componente) e então o ripple surge só depois de uns milissegundos de consumo. Alias, essa questão de capacitância incorreta pro consumo (Consumo variável com capacitor fixo) é o que faz as fontes chaveadas terem ripple diferente a cada consumo e cada temperatura, a maior burrice de uns "técnicos" é justo achar que fonte de potência mais alta terá DC mais limpa, mas SE eles apreciassem a prática como dizem, verificariam o ripple em cada faixa de consumo, é fácil um consumo de 5W numa fonte 12V 1A gerar ripple de 4%, mas numa fonte 12V 10A é bem fácil também esse mesmo consumo de 5W fazer a fonte ter ripple de 6%. Se for por falta de osciloscópio pra ver isso é só ler a teoria do surgimento do ripple, não dá pra estimar facilmente algum valor (Com precisão) mas dá pra ter CERTEZA que uma fonte com consumo percentual baixo demais terá MAIS ripple que numa faixa de consumo razoável tipo 30 a 70% da capacidade, e isso de novo não é teoria mas sim prática, a maioria das fontes tem ripple demais só quando o consumo sai dessa faixa, só que sempre tem aquele zé-oreia com Bullet2HP configurado a 30dBm, sendo alimentado sozinho por uma fonte 12V 10A, pra esse tipo de tapado não adianta resumir porque já tem a info resumida na ficha técnica mas o burro não leu, na ficha técnica consta que o aparelho consome 8W, então porque alguém seria besta de usar uma fonte de 120W se o aparelho consome 8W? Só se o sujeito for tão preguiçoso que nem leu a ficha técnica (QUE É RESUMIDA!!!) do equipamento.



  5. Realmente a quem não tem noção de eletrônica, elétrica e/ou informática, ops faltou a mecânica e não têm nenhuma intenção em entender o assunto é besteira a teoria que o nosso amigo Ruben tenta explicar aos leigos. Infelizmente é isso, estudamos anos, tentando entender como é a "coisa" no campo e vem meia dúzia de "idiotas" desmerecendo os nossos estudos. Desculpem se "tomei as dores", mas por ser técnico formado em 1984 e ter trabalhado desde então no setor de difusão RF e ter trabalhado nas áreas consideradas "segurança nacional" onde somos vasculhados até... (orgãos ou autarquias públicas e empresas privadas).

    Em alguns países, aulas práticas de física, mecânica, eletrônica, química são obrigatórias além de noção de contabilidade, primeiros socorros, e trânsito ainda no ensino básico( fundamental II e médio). Física, química e trânsito fazia parte do calendário aqui no Brasil. Estes futuros acadêmicos entram na faculdade muito mais preparados, não ficariam emperrando praticamente o que aprenderam ou não em 12 anos anteriores além de diminuir a desistência dos alunos que é um fator problemático neste país. Digo isso, por que tenho dois filhos ambos universitários e o rapaz está fazendo automação e controle, e a moça farmácia onde a cabeças deles chegam a "fritar" meio que reprisando anos anteriores nos primeiros meses, daí em diante começa o curso de fato além de sofrerem com as greves, cortes de recursos nas universidades públicas.
    Na minha época, estudantes (UNE, UNES etc) fazíamos movimentos para melhorar o nível de conhecimento que já era considerado baixo e foi abafando desde a era FHC, acentuando com a era PT, das poucas que tenho saudade. Foram os estudantes e alguns professores que mais lutaram contra o regime militar, Collor foi deposto por conta dos movimentos estudantis que cercaram Brasília, revolução de 1932 culminou com a morte de 4 estudantes pelo regime de Vargas.

    Qualquer roteador doméstico é calculado para cobrir um raio de 15 a 20 metros com barreiras e alguns fabricantes de celulares em 4 metros e tendo uma boa localização não precisa mais do que 17dBm( 50 mW) irradiados, etapa de RF têm no máximo 10 a 14 dBm. No meu caso, tentei reduzir a potência mas diminui por algum erro no software(acho) a sensibilidade em Rx e o melhor que achei foi o Krazer mas não conectava os motorola depois ela pifou.






Tópicos Similares

  1. Testes Feitos com o Krazer 1 Watt
    Por niltonjrcybernet no fórum Servidores de Rede
    Respostas: 69
    Último Post: 01-11-2012, 10:57
  2. Respostas: 0
    Último Post: 13-02-2010, 21:21
  3. Problemas com PPPoe vs Windows vista e Win7
    Por ccampus no fórum Redes
    Respostas: 13
    Último Post: 13-09-2009, 19:37
  4. Problemas com Adaptador USB LinkSys
    Por admskill no fórum Redes
    Respostas: 3
    Último Post: 06-08-2008, 12:12
  5. Verificando se o backup foi realizado com sucesso.
    Por andunno no fórum Servidores de Rede
    Respostas: 4
    Último Post: 07-12-2005, 11:18

Visite: BR-Linux ·  VivaOLinux ·  Dicas-L