+ Responder ao Tópico



  1. #1

    Padrão A tendencia é mesmo cabear e acabar com o wireless?

    Até quando vale e será possível cabear as cidades? E se todo provedor resolver sair do wifi e ir pro cabo, como serão os postes? O pessoal acha mesmo que as concessionarias de energia vão permitir?
    Todos estão loucos por mais estabilidade e velocidade, mas realmente vale a pena e o risco partir pro cabo? em cidades pequeninas do interior até pode valer a pena, mas o retorno será longo. Ja nas grandes e medias cidades as concessionarias ja quase não permitem mais, de tanto cabo e correr o risco de perder todo cabeamento irregular pode levar a empresa a falência.

  2. #2

    Padrão Re: A tendencia é mesmo cabear e acabar com o wireless?

    aqui mesmo comecei a adotar cabo, o cliente não que pagar 300,00 numa instalação radio, vendo que via cabo a instalação custa bem menos, ,media 50,00, sem falar na estabilidade e pouca interferência, minha cidade é pequena aqui ainda vale a pena, mas ouço boatos que as concessionarias de energia ja estão arrancado tudo que for utp.



  3. #3

    Padrão Re: A tendencia é mesmo cabear e acabar com o wireless?

    Antigamente (não muitos anos atrás) se compensava o wireless pois não se tinha muitos clientes próximos, então cabear uma rua para se por 1,2 ou 3 clientes não era economicamente viável e também antigamente um switch custava 120,00 (na época que o real tinha valor), cabo mais caro e etc. Hoje a internet se popularizou demais a ponto em que determinadas ruas por exemplo tenho 7 nanos seguidas então seria interessante e mais barato cabear sem falar na estabilidade já que um Ap dificilmente vai suportar muitos clientes e um consumo auto. Então o wireless continua funcionando porém onde ainda não se tem cabos, ruas novas que ainda não foi expandido o cabo, áreas rurais, residencias afastadas do centro e etc.

  4. #4

    Padrão Re: A tendencia é mesmo cabear e acabar com o wireless?

    Trabalho com rede em Porto Alegre no Rs, Aqui é bem complicado passar cabo (fibra) pelos postes, tem que pedir liberação para a concessionária e é uma burocracia. Quantos a cabos utp nem pensar, o próprio técnico de telecom se ver já retira do poste, deixando assim uma conexão muito instável pois não se sabe a hora que irá cair a conexão. Aqui utilizamos bastante rádios na faixa dos 5 GHZ, com visada é bem tranquilo mesmo em pontos de múltiplas antenas ao redor.



  5. #5

    Padrão Re: A tendencia é mesmo cabear e acabar com o wireless?

    Se quiser trabalhar no cabo tem que ser legalizado ... as grandes teles estão entrando na concorrencia e o espaco pra trabalhar com cabo no poste está cada dia mais apertado. Mas quem quiser trabalhar tem que apresentar um projeto à concessionaria e aguardar ser aprovado.

  6. #6

    Padrão Re: A tendencia é mesmo cabear e acabar com o wireless?

    Na região de Campinas, Hortolândia provedores estão lançando cabo UTP para todo lado nos postes em bairros mais afastados e isso tudo sem projeto ou mesmo autorização das companhias proprietárias dos postes. Está virando uma bagunça. E os caras teimam que as companhias não podem mexer nos cabos. Já vi picarem quilômetros de fibra e jogarem no chão sem darem nem satisfação ao invasor. Esse negócio de cabo jajá vai começar a dar problemas também pela quantidade de gente mexendo nos postes, pois qualquer gatonete vai começar a lançar cabo de qualquer jeito e sem pessoal qualificado. Aguardem.



  7. #7

    Padrão Re: A tendencia é mesmo cabear e acabar com o wireless?

    o problema daqui a pouco o proprio concorente vai te sacanear.

  8. #8

    Padrão Re: A tendencia é mesmo cabear e acabar com o wireless?

    Falando do ponto de vista economico, sem entrar no mérito do que pode ou não pode, eu aqui uso o sistema de ilhas e casa hub. Funciona assim: o cliente solicita net. O tecnico faz análise do local. Se for de interrese, o imovel for próprio. Oferecemos net grátis, com contrato mínimo de um ano, criámos um ponto a ponto e saimos com cabeamento para rua.



  9. #9

    Padrão Re: A tendencia é mesmo cabear e acabar com o wireless?

    Citação Postado originalmente por ronei10 Ver Post
    Falando do ponto de vista economico, sem entrar no mérito do que pode ou não pode, eu aqui uso o sistema de ilhas e casa hub. Funciona assim: o cliente solicita net. O tecnico faz análise do local. Se for de interrese, o imovel for próprio. Oferecemos net grátis, com contrato mínimo de um ano, criámos um ponto a ponto e saimos com cabeamento para rua.
    Sem usar postes da companhia? Ou faz pequenos projetos, homologa na companhia e paga o aluguel dos postes? Ou usa os postes clandestinamente?

  10. #10

    Padrão Re: A tendencia é mesmo cabear e acabar com o wireless?

    O nosso maior foco sao prédios e condomínios que sao areas particular. Nas ruas de bairro temos autorizaçao e projeto para cabear.



  11. #11

    Padrão Re: A tendencia é mesmo cabear e acabar com o wireless?

    Pois é, penso em cabear por aqui, mas com projeto e autorização da cia de energia. Mas vejo essa galera lançando cabo adoidado e ja esta uma zona.

  12. #12

    Padrão Re: A tendencia é mesmo cabear e acabar com o wireless?

    Falando nisso, alguém sabe o valor que a CPFL Paulista cobra por poste, se tem quantidade mínima, se o processo é demorado ?

    Grato.



  13. #13

    Padrão Re: A tendencia é mesmo cabear e acabar com o wireless?

    Vou aguardar o movimento do mercado ate janeiro / 2016 e ver como vai ficar esse boom. E se vai surgir alguma novidade no wireless, caso contrario o jeito vai ser cabear.

  14. #14

    Padrão Re: A tendencia é mesmo cabear e acabar com o wireless?

    Citação Postado originalmente por Luspmais Ver Post
    Falando nisso, alguém sabe o valor que a CPFL Paulista cobra por poste, se tem quantidade mínima, se o processo é demorado ?

    Grato.
    Moro em São José do Rio Preto - SP (CPFL Paulista)
    Vejo gente colocando tudo quanto é cabo nos postes. Maioria sem autorização. Problema se pegar e problema pra quem paga pra usar. Verificar o local antes do uso, diminui a dor de cabeça depois.