+ Responder ao Tópico



  1. #1

    Padrão Mimosa B5-Lite fica reiniciando com chuva

    Basta no tempo fechar para chuva que um ponto a ponto B5 Lite ficam reiniciando. Ja troquei cabo, aterramento, atualizei e nada.

    Alguem ja passou por isso???

  2. #2

    Padrão Re: Mimosa B5-Lite fica reiniciando com chuva

    vc usa nobreak ? (nos mimosa)
    quando o aterramento é bom..
    se consegue ligar um gabinete de computador
    usando o positivo da rede eletrica e o cabo do aterramento.



  3. #3

    Padrão

    Citação Postado originalmente por vpnvyrtual Ver Post
    Basta no tempo fechar para chuva que um ponto a ponto B5 Lite ficam reiniciando. Ja troquei cabo, aterramento, atualizei e nada.

    Alguem ja passou por isso???

    Esta com Nobreak?????

  4. #4

    Padrão Re: Mimosa B5-Lite fica reiniciando com chuva

    Estou com mesmo problema, aqui ela desconecta só de um lado, o outro fica estável e ambos com nobreak.



  5. #5

    Padrão Re: Mimosa B5-Lite fica reiniciando com chuva

    Nunca repararam se esses nobreaks dão uns estalos de relé quando chove?

    Dependendo da rede elétrica é normal a tensão oscilar muito quando chove, varia de 122 pra 108V num instante.

    O problema é que no break comum tem a mesma BURRICE que estabilizador: Fica passando de 127 pra 115V como se alguma fonte chaveada decente da atualidade não operasse igual ou MELHOR com 127V que com 115V.

    Aí o problema é que nos 10ms entre fechar o relé do tap que reduz 12V, e acionar o outro relé que aumenta 12V, nesses milisegundos a saída fica sem alimentação.

    Quem já teve desktop com fonte ATX barata sabe bem isso, se o par de capacitores da entrada for de digamos 200uF e tiver um dualcore de uns 95W, é o no break ou estabilizador bater relé que o desktop reinicia. Já se forem capacitores de 330uF, ou um processador de 65W, aí o consumo é menor ou o tempo que os capacitores sustentam a fonte é maior, e nada ocorre.

    Não lembro das fontes dos Mimosa, mas com fonte de UBNT e MK já tive muito disso, ao invés de lidar com cliente leigo que queria a todo custo manter estabilizador (As vezes uns mesozóicos amarelados da SMS, com só 2 ou 3 taps, eficiência péssima do fim dos anos 90), era mais fácil meter um filtro LC com diodo e capacitor GRANDE (1000uF), entre fonte e CPE, pra esse capacitor grande manter a CPE alimentada por esses instantes da abertura e fechamento dos relés do lerdo no break ou estabilizador tosco, porque umas fontes vinham com capacitor de entrada de míseros 47uF (Outras 100uF) e de saída as vezes com 330uF (Outros com 470, 680 ou 1000uF). Modificar fonte as vezes é complicado, na entrada nem sempre cabe capacitor maior, na saída é mais comum caber um maiorzinho mas as vezes trocar 470 por 1000 não é suficiente, tem que manter o de 470 e ACRESCENTAR um segundo e maior na saída, porque o correto na verdade seria aumentar o da entrada (Pode passar a saída inteira do no break pra DC e colocar uns capacitores velhos de fonte pra filtragem, um mísero par de capacitores de 200uF paralelos, com os 160VDC retificador do no break, são mais que suficientes pra muita coisa.

    (Só não pode meter DC nas fontes que tem seletor de tensão, tipo as ATX baratas, essas usam dobrador de tensão, precisam AC, mas não é o caso dos rádio Mimosa, a fonte deles é full-range, pode alimentar com DC retificado tranquilo, inclusive MUITO MELHOR meter DC filtrado e retificado neles do que o AC cheio de spikes dos relés dos estabilizadores comuns)