+ Responder ao Tópico



  1. #1

    Padrão MCS Um asssunto de muita importância

    Pessoal eu tenho um pop com uma Ominitik e SXT nos clientes sempre dava CCQ 20-60 e teste de download chegava apenas 10 megas.
    Ai fui testar e colocar fixo o MCS mais baixo de acordo com o Cliente
    e Pasmem CCQ foi para 99% e Download 40 megas.
    Clique na imagem para uma versão maior

Nome:	         WhatsApp Image 2019-04-29 at 23.55.10.jpeg
Visualizações:	28
Tamanho: 	60,3 KB
ID:      	69567Isso porque to usando MCS fixado no 12 (78MBs)
    Não deixem nada no automatico fixem MCS na maior banda que seus clientes conseguem aceitar

  2. #2

    Padrão Re: MCS Um asssunto de muita importância

    Faz sentido. Quando baixa o MCS a potencia aumenta e o CCQ melhora.



  3. #3

    Padrão Re: MCS Um asssunto de muita importância

    Citação Postado originalmente por emilidani Ver Post
    Faz sentido. Quando baixa o MCS a potencia aumenta e o CCQ melhora.
    Amigo é uma vergonha para Ubiquit linha antiga, eu Com Omnitik (7,5 DBI)+ SXT passei mais banda que uma LOCO M5 AP (13 DBI)

  4. #4

    Padrão Re: MCS Um asssunto de muita importância

    Isso é relativo. Depende de varios fatores porem o SXT tem mais processamento que LOCO M5.



  5. #5

    Padrão Re: MCS Um asssunto de muita importância

    O Loco M5 versão XM tem o chipset AR7240, o mesmo chipset de roteadores de mesa de R$ 100, tipo uns Intelbras. Muda um pouco a quantidade de ram mas é a mesma velocidade dela, idem pra rom, muda espaço mas firmware menor não precisa mais espaço. Muda mais é o sistema operacional. Loco M5 versão velha é pobre pra caramba mesmo, é hardware de 2009.

    Tanto é um lixo que a UBNT na versão XW dobrou a quantidade de ram (Se 32MB fosse suficiente no XM, não teria dobrado na outra versão!), aí o problema é que não tem mais um chipset de RF decente, o XM tem cpu separada do chipset de RF, nos XW é tudo junto, não adianta ter um chipset um pouco mais recente se ele terá que processar bem mais coisas.

    De qualquer forma são chipsets de R$ 10 a 20, geralmente com parte ethernet junto, não tem como achar que uma porqueirinha de R$ 10 tem capacidade de processamento pra saber selecionar sozinha qual a melhor largura de canal, o melhor canal, o melhor data rate, o melhor ack timeout, enfim, é tipo esperar que um motor de fusca puxe uma carreta, com as devidas reduções até sai do lugar, mas precisa mil cuidados a mais (Especialmente ventilação e acrescentar freio pro motor), chipset pobre e básico tem esse problema, o uso tem que ser mais restrito, não dá pra usar igual se usa hardware com CPU separada do controlador ethernet e do chipset de RF, com muita ram e rom, com amplificador de RF muito bom, e com antena direcional pra não pegar sinais espúrios da vizinhança.

  6. #6

    Padrão Re: MCS Um asssunto de muita importância

    Citação Postado originalmente por rubem Ver Post
    O Loco M5 versão XM tem o chipset AR7240, o mesmo chipset de roteadores de mesa de R$ 100, tipo uns Intelbras. Muda um pouco a quantidade de ram mas é a mesma velocidade dela, idem pra rom, muda espaço mas firmware menor não precisa mais espaço. Muda mais é o sistema operacional. Loco M5 versão velha é pobre pra caramba mesmo, é hardware de 2009.

    Tanto é um lixo que a UBNT na versão XW dobrou a quantidade de ram (Se 32MB fosse suficiente no XM, não teria dobrado na outra versão!), aí o problema é que não tem mais um chipset de RF decente, o XM tem cpu separada do chipset de RF, nos XW é tudo junto, não adianta ter um chipset um pouco mais recente se ele terá que processar bem mais coisas.

    De qualquer forma são chipsets de R$ 10 a 20, geralmente com parte ethernet junto, não tem como achar que uma porqueirinha de R$ 10 tem capacidade de processamento pra saber selecionar sozinha qual a melhor largura de canal, o melhor canal, o melhor data rate, o melhor ack timeout, enfim, é tipo esperar que um motor de fusca puxe uma carreta, com as devidas reduções até sai do lugar, mas precisa mil cuidados a mais (Especialmente ventilação e acrescentar freio pro motor), chipset pobre e básico tem esse problema, o uso tem que ser mais restrito, não dá pra usar igual se usa hardware com CPU separada do controlador ethernet e do chipset de RF, com muita ram e rom, com amplificador de RF muito bom, e com antena direcional pra não pegar sinais espúrios da vizinhança.
    As SXTs você sabe qual é a arquitetura?



  7. #7

    Padrão Re: MCS Um asssunto de muita importância

    No site mikrotik.com ou routerboard.com tem a ficha técnica de cada produto, o chipset usado é informado lá, quantia de ram também, fica mais fácil analisar quando tem isso (A Ubiquiti é meio Apple, trata o consumidor como burro por isso não passa muito dado sobre o hardware).

    Falando em hardware pra cliente, o STX Lite5 tem um ótimo AR9344 (Equivalente ao chipset do Nanostation versão XW), mas não tem chipset de RF, o chipset principal faz tudo. É a mesma coisa das placas RB911 e cia, é de fato o hardware mais barato possível pra cliente, um chipset mediano, mas que fica esgoelado por ter que fazer tudo (Ethernet, processamento principal, RF e etc), mas ao menos tem um amplificador por chain (Igual RB911 barata), então o chipset opera na potência mínima, quem dá a potência alta de saída é o amplificador em cada chain.

    STX lite AC precisa um chipset de RF, o throughput em AC é maior então tem que separar, e... tem RB911 e cia com chipset de RF separado, é hardware pra um PTP, onde o throughput via RF será maior.

    A primeira SXT, a 5HNDR5 que uns chamam de sextante, também tem chipset de RF separado, mas é a primeira geração da família então não tinha muita coisa otimizada pra baixo custo (AR7242 + AR9280 se não me engano), acaba sendo meio estranho pra PTP por ter antena de ângulo aberto (Acho que 35°) e chipset que não é exatamente de ponta, mas também não faz sentido usar isso em cliente já que ela é cara pra caramba, o SXT Lite5 faz sentido ser capado já que é claramente pra cliente, mas o primeiro SXT é estranho, caro pra um uso (Cliente), insuficiente pro outro (PTP).

    Ah, o VRM e os componentes na etapa de RF do SXT Lite5 também são bem poucos, é hardware claramente pra cliente, ou pra PTP de empresa. Uma RB912 ou uma SXT primeira geração tem VRM bem mais complexo, o que implica que a alimentação da CPU e da Ram terá menos ripple e portanto menos erros, e os componentes na etapa de RF também são em maior número, o que indica que a filtragem de transientes e cia será muito maior, a perda de pacotes na parte de RF então será bem menor. Mas repito, pra CPE de cliente isso não importa, a SXT Lite5 tem o suficiente, mas não pode sair usando hardware pobre assim pra PTP pra atender provedor, aí é maluquice.