+ Responder ao Tópico



  1. #1

    Padrão Rádio com perda de Potência

    Pessoal quando a CPE tem Perda de Potência só afeta o TX (Transmissão) ou o RX (Recpcao) também??
    Quero saber se o Sinal que ta chegando pela antena também diminuem??

  2. #2

    Padrão Re: Rádio com perda de Potência

    Em redes, praticamente todo protocolo tem um hand shake para confirmar a recepção. Então se a transmissão for deteriorada a ponto de impactar essa confirmação, sim, haverá impacto na recepção.



  3. #3

    Padrão Re: Rádio com perda de Potência

    Citação Postado originalmente por fhayashi Ver Post
    Em redes, praticamente todo protocolo tem um hand shake para confirmar a recepção. Então se a transmissão for deteriorada a ponto de impactar essa confirmação, sim, haverá impacto na recepção.
    Eu estou falando em niveis de sinais

  4. #4

    Padrão Re: Rádio com perda de Potência

    Se queimou só o amplificador, o CI, só cai o sinal no outro lado.

    Mas o normal é esse CI ficar com alto consumo, em curto interno, e esse consumo alto gerar alimentação com ripple, de modo que mesmo usando um par desses bem pertinho um do outro terá CCQ bem lixo.

    E as vezes queima o amplificador e o CI que chaveia entre RX e TX, é a situação onde ou escaneia mas não conecta em nada (Porque não transmite) ou nem escaneia nem envia SSID porque o CI chaveador torrou.

    Todo semicondutor pode "abrir" contato entre um lado e outro, ou "dar curto" entre terminais, apesar de tudo ser CI queimado os detalhes de funcionamento mudam em cada caso, amplificador geralmente dá curto, é só abrir e colocar o dedo sobre ele, se queimar o dedo (Ou quase) é porque o CI queimou, por mais que as vezes ainda opere meia-boca ele vai estar com alta distorção, é bem igual CI de audio com curto, as vezes dá curto só nuns semicondutores internos e ainda tem som saindo, mas totalmente distorcido, e em telecom pacote distorcido gera reenvio de pacotes aos montes, basicamente a rede vira uma porcaria mesmo que seja só 1 cliente com esse problema, porque nem é questão do tempo perdido por ele, mas pelo uso de espectro que ele vai exigir, reenviando bits distorcidos que a contraparte e as outras estações vão ter trabalho pra decifrar que não é pra elas e descartar (Não se descarta pacote sem antes analisar destino! Essa analise exige processamento do chipset de RF).

    Enfim, seja lá qual for a situação, usar amplificador queimado ou com baixa potência dá um prejuízo em qualidade de rede, mesmo que seja uma mísera estação (Se for um PTP nem se fala!).



  5. #5
    Avatar de Nilton Nakao
    Ingresso
    Sep 2013
    Localização
    Carlos Chagas, Minas Gerais
    Posts
    1.222

    Padrão Re: Rádio com perda de Potência

    Alguns aparelhos principalmente os mais baratos tem basicamente dois CIs; um para entrada 10,5 volts até 35 volts conforme a especificação do chaveador/regulador de tensão mas saindo 3,3 volts em muito 3,45 volts e até 2,5 A/H; e o outro faz processamento da WAN, LAN, Wlan e até mesmo RF seja em Tx ou Rx, alguns contam com um amplificador de RF para TX e disponibilidade para até 4 antenas.
    Mesmo aqueles modelos que utilizam fontes de 5 volts, a saída é basicamente o mesmo, 3,3 volts. Os mais modernos podem funcionar até com 1,8 até 3 volts mas a corrente é maior e sempre na ordem de 3 watts em repouso.

    No caso da CPE, ou qualquer outro equipamento out door, qualquer mau contacto na alimentação, faz com que queime o estágio de RF; vento e ar seco ou úmido pode fazer com que aumente a energia estática, pronto não precisa de raio ou falha a rede elétrica para a queima do equipamento.
    Qualquer instalação aérea precisaria fazer cálculo com ventos de pelo menos 120 km/h, temperaturas de 50°C e -5°C, umidade de 95% entre outras. Certos casos precisa de autorização das forças armadas.
    Muitos instalam como funcionou, tá bom; sempre falo que a coisa não é bem assim, é muito além disso. Trabalho com tele desde 1985, problema no cabo aéreo, ou antena e queima por conta disso só tive uma vez e foi meu equipamento. Por isso que ainda sou pobre rsrsrs.

  6. #6

    Padrão Re: Rádio com perda de Potência

    Citação Postado originalmente por rubem Ver Post
    Se queimou só o amplificador, o CI, só cai o sinal no outro lado.

    Mas o normal é esse CI ficar com alto consumo, em curto interno, e esse consumo alto gerar alimentação com ripple, de modo que mesmo usando um par desses bem pertinho um do outro terá CCQ bem lixo.

    E as vezes queima o amplificador e o CI que chaveia entre RX e TX, é a situação onde ou escaneia mas não conecta em nada (Porque não transmite) ou nem escaneia nem envia SSID porque o CI chaveador torrou.

    Todo semicondutor pode "abrir" contato entre um lado e outro, ou "dar curto" entre terminais, apesar de tudo ser CI queimado os detalhes de funcionamento mudam em cada caso, amplificador geralmente dá curto, é só abrir e colocar o dedo sobre ele, se queimar o dedo (Ou quase) é porque o CI queimou, por mais que as vezes ainda opere meia-boca ele vai estar com alta distorção, é bem igual CI de audio com curto, as vezes dá curto só nuns semicondutores internos e ainda tem som saindo, mas totalmente distorcido, e em telecom pacote distorcido gera reenvio de pacotes aos montes, basicamente a rede vira uma porcaria mesmo que seja só 1 cliente com esse problema, porque nem é questão do tempo perdido por ele, mas pelo uso de espectro que ele vai exigir, reenviando bits distorcidos que a contraparte e as outras estações vão ter trabalho pra decifrar que não é pra elas e descartar (Não se descarta pacote sem antes analisar destino! Essa analise exige processamento do chipset de RF).

    Enfim, seja lá qual for a situação, usar amplificador queimado ou com baixa potência dá um prejuízo em qualidade de rede, mesmo que seja uma mísera estação (Se for um PTP nem se fala!).
    Entendi, é que tenho uma Airgrid 23 Dbi ha 1km com perda de potência o sinal chega -65 na Airgrid. Só se esse amplificadores também amplifica o sinal que ta recebendo



  7. #7

    Padrão Re: Rádio com perda de Potência

    Se tem sinal baixo no RX então ou o CI do chaveamento (Um pequeno, de 6 ou 8 terminais, bem menor que o amplificador) está com um problema raro, ou está com polarização errada, porque a rejeição a polarização cruzada de grades velhas tipo Airgrid é uns 20dBm, então se na polarização errada tem -65dBm, na certa terá -45dBm.

    (Ou virou só a ponteira na hora de parafusar, aí a área refletida da polarização é bem pequena, talvez dê só uns 10dBi de ganho)

    Ou a zona de Fresnel não está nada limpa. Se tem visada é meio difícil não ter pelo menos uns 30% da zona de Fresnel, aí já dá só uns 12dBm de queda de sinal.

    Ah, e CI's pra wifi suportam ESD de duzia de kV já faz mais de uma década, não tem mais queima de transistor antiquado dos anos 70 igual existia em telefonia rural dos anos 90. Um pouco de fragilidade ainda tem por conta de não usar mais chumbo nos encapsulamentos, mas um CI atual de wifi suporta MUITO mais ESD que um circuito com velhíssimos transistores darlington (Tudo projeto dos anos 60 e 70, era praticamente a 2ª geração dos semicondutores! A gente usa cada velharia que dá vergonha, os BC548 saíram coisa de meses depois do desenvolvimento dos BC108 e cia, coisa de 1965, digo, em 1965 já estava no mercado, o desenvolvimento se brincar tem começo lá por 1962, componente com tecnologia de 57 anos atrás será terrível mesmo. Coisa tipo 2N2218 ou BF245, presente na maioria dos rádios de VHF pra cima até 20 anos atrás, não é muito mais novo, lá por 74-75 já começou o desenvolvimento de darlington, então eles tem pelo menos 45 anos! Não dá pra comparar isso com litografia nem de 220 nanometros de 15 anos atrás, que dirá com CI's de 65nm, que são os baratos das últimas CPE's. Acho que Airgrid da primeira geração usa chipset de 130 e 90nm, basicamente tem 10 mil semicondutores no espaço de um semicondutor de 1972).