+ Responder ao Tópico



  1. #157

    Padrão Re: Realidade

    Citação Postado originalmente por vonlinkerstain
    Como a Embratel, Telefonica, Brasil Telecom, etc cobram pelos servicos de link de voces provedores? Tem algum lugar que explica isto?
    Von,

    Na cidade onde estou existem três operadoras que podem me atender com link IP:

    1) Brasil Telecom
    2) Copel Telecom
    3) Embratel

    Todas elas trabalham com pares de cabo (sejam fibra ótica ou metálico).

    Todas cobram um valor X por um link de Y Mbps mas com garantia de Z Mbps (chamado CIR).

    Meu link de dados principal é um IP Full Brasil Telecom 2 Mbps e têm 2 Mbps de garantia tanto de download quanto de upload e eu pago R$ 2.890,00. Essa garantia é em relação (APENAS) a rede da Brasil Telecom. Se, por exemplo, um cliente acessa um site no Kazaquistão e este têm um link péssimo (a chegada até lá é ruim) então a velocidade de 2 Mbps obviamente não pode ser garantida.

    Eu consegui esse preço após muita luta. Estou negociando ainda uma redução nesse custo com a ampliação para 4 Mbps IP Full onde pretendo pagar em torno de R$ 1.000,00 por Mbps (que é a média convencional em cidades de maior porte).

    Att,

    Nataniel Klug

  2. #158

    Padrão Re: Realidade

    Citação Postado originalmente por nataniel
    Citação Postado originalmente por vonlinkerstain
    Como a Embratel, Telefonica, Brasil Telecom, etc cobram pelos servicos de link de voces provedores? Tem algum lugar que explica isto?
    Von,

    Na cidade onde estou existem três operadoras que podem me atender com link IP:

    1) Brasil Telecom
    2) Copel Telecom
    3) Embratel

    Todas elas trabalham com pares de cabo (sejam fibra ótica ou metálico).

    Todas cobram um valor X por um link de Y Mbps mas com garantia de Z Mbps (chamado CIR).

    Meu link de dados principal é um IP Full Brasil Telecom 2 Mbps e têm 2 Mbps de garantia tanto de download quanto de upload e eu pago R$ 2.890,00. Essa garantia é em relação (APENAS) a rede da Brasil Telecom. Se, por exemplo, um cliente acessa um site no Kazaquistão e este têm um link péssimo (a chegada até lá é ruim) então a velocidade de 2 Mbps obviamente não pode ser garantida.

    Eu consegui esse preço após muita luta. Estou negociando ainda uma redução nesse custo com a ampliação para 4 Mbps IP Full onde pretendo pagar em torno de R$ 1.000,00 por Mbps (que é a média convencional em cidades de maior porte).

    Att,

    Nataniel Klug
    Interessante cara..
    Era isso mesmo que eu queria saber, pois estava querendo trocar do speedy para um link dedicado em um amigo meu...
    So nao sabia dos valores..

    Valeu



  3. #159

    Padrão Re: Realidade

    Citação Postado originalmente por vonlinkerstain
    Interessante cara..
    Era isso mesmo que eu queria saber, pois estava querendo trocar do speedy para um link dedicado em um amigo meu...
    So nao sabia dos valores..
    Von,

    A única diferença (tangível, sem considerarmos protocolos de envio e recepção, modelos de tráfego e outras coisas técnicas demais para este caso) entre um link DSL Speedy e um Link dedicado Embratel/Telefônica (acho que é o teu caso) é o maldito CIR.

    Teoricamente o DSL não têm garantia de banda ou, quando têm, ela é coisa de 10~20% da velocidade contratada + limite de tráfego + diferenças de velocidade em download/upload.

    Na prática quem quer navegar na internet e fazer download não nota a diferença de um para o outro.

    Att,

    Nataniel Klug

  4. #160

    Padrão Re: Realidade

    Citação Postado originalmente por nataniel
    Citação Postado originalmente por vonlinkerstain
    Como a Embratel, Telefonica, Brasil Telecom, etc cobram pelos servicos de link de voces provedores? Tem algum lugar que explica isto?
    Von,

    Na cidade onde estou existem três operadoras que podem me atender com link IP:

    1) Brasil Telecom
    2) Copel Telecom
    3) Embratel

    Todas elas trabalham com pares de cabo (sejam fibra ótica ou metálico).

    Todas cobram um valor X por um link de Y Mbps mas com garantia de Z Mbps (chamado CIR).

    Meu link de dados principal é um IP Full Brasil Telecom 2 Mbps e têm 2 Mbps de garantia tanto de download quanto de upload e eu pago R$ 2.890,00. Essa garantia é em relação (APENAS) a rede da Brasil Telecom. Se, por exemplo, um cliente acessa um site no Kazaquistão e este têm um link péssimo (a chegada até lá é ruim) então a velocidade de 2 Mbps obviamente não pode ser garantida.

    Eu consegui esse preço após muita luta. Estou negociando ainda uma redução nesse custo com a ampliação para 4 Mbps IP Full onde pretendo pagar em torno de R$ 1.000,00 por Mbps (que é a média convencional em cidades de maior porte).

    Att,

    Nataniel Klug
    Arf, Nataniel diz qual a sua técnica para negociar com essas teles? Sinceramente pela prática de 3 upgrades de link, indo para o 4 em breve eu nunca consegui baixar um centavo na proposta que eles enviam. tenho link embratel e o preco lá parece que é tabelado, a telemar e um locura, o preco vai de acordo com o gerente, tenho um cliente que teve uma redução no link sencível só pelo fato de trocar de gerente e negociar com outro de outro estado.

    falou!!



  5. #161

    Padrão Re: Realidade

    Citação Postado originalmente por oyama
    Arf, Nataniel diz qual a sua técnica para negociar com essas teles? Sinceramente pela prática de 3 upgrades de link, indo para o 4 em breve eu nunca consegui baixar um centavo na proposta que eles enviam. tenho link embratel e o preco lá parece que é tabelado, a telemar e um locura, o preco vai de acordo com o gerente, tenho um cliente que teve uma redução no link sencível só pelo fato de trocar de gerente e negociar com outro de outro estado.

    falou!!
    Oyama,

    Na Brasil Telecon é um tédio a negociação. Eu tinha um link chamado de "OnDemand" da Copel Telecom e pagava, a 4 anos atrás, uma taxa mensal de R$ 1.024,00 para usar duas portas de fibra ótica de 2 Mbps cada uma e ter uma média mensal de 64 Kbps de tráfego.

    Na época era interessante pois a Brasil Telecom e Embratel estavam com preços de links "Lite" de 2 Mbps por volta de R$ 4.000,00 e com apenas 25% de CIR.

    O que aconteceu é que para Kbps alem da franquina da Copel eu pagaria R$ 1,89. Em um mês de alto pico eu tive uma utilização de 836 Kbps (média do mês) e veio o meu primeiro susto: R$ 2.604,04.

    Eu tinha nessa época coisa de 40 clientes e cada um a uma média de 70 reais. Não paguei nem o link com o que eu recebia.

    Resolvi mudar para um sistema OnDemand para meu cliente, eu venderia uma franquina e o excedente ele pagava. Ou seja, o cara tinha 2 Mbps na casa dele em 2001 (e essas coisas de Virtua so vieram agora). Mas o que aconteceu é que um cliente teve uma média de 130 Kbps e o custo dele chegou em quase 700 reais. Ele se negou a pagar (obvio!) e eu fiquei novamente no prejuizo.

    Resultado: no último mês usando a Copel Telecom eu paguei R$ 4,996,30.

    Quase quebrei. Parti para negociar com a Brasil Telecom e tomei cada porre dos caras que foi um tédio. O meu consultor mudou 5 vezes de 2002 para cá...

    O último agora é mais enrolado que os outros todos juntos... Infelizmente as negociações partem do presuposto de que eles tem concorrentes que podem me oferecer melhores condicoes (como a copel atualmente) e assim obrigo eles a me darem vantagens.

    Att,

    Nataniel Klug

  6. #162
    jthdesign
    Visitante

    Padrão Novos Planos do Net Virtua

    Olha isso, esta no site da Info

    http://info.abril.uol.com.br/aberto/...18112005-6.shl

    Net libera Vírtua para não-assinantes de sua TV
    Sexta-feira, 18 de novembro de 2005 - 20h36
    SÃO PAULO – A Net anunciou que, a partir de agora, não mais exige a assinatura de sua TV a cabo de quem quiser aderir ao Vírtua, seu serviço de banda larga.

    Segundo Márcio Carvalho, diretor de produtos da empresa, isso aconteceu porque o Vírtua passou a ser regido por uma licença de SMC (serviço de comunicação multimídia). "Até então a gente operava o Vírtua sob uma licença de TV por assinatura, e tínhamos uma limitação regulatória da Anatel", explica.

    Apesar disso, a empresa mantém vantagens nos preços para quem adquire os dois produtos. Clientes antigos da TV por assinatura também são beneficiados.

    Para esse último grupo, 2 Mbps saem por R$ 79,90, 4 Mbps por R$ 99,90 e 8 Mbps por R$ 199,90. Clientes novos que também assinem o serviço de TV pagam R$ 10 adicionais sobre os preços acima. Quem assina apenas a banda larga paga um adicional de R$ 20.

    A empresa não divulga suas metas de crescimento, mas espera tirar assinantes dos concorrentes, especialmente da tecnologia ADSL. "A gente sabe que nossa oferta dificilmente será replicada pela concorrência, que tem limitações técnicas", afirma Carvalho. "Já temos mais de 30 mil clientes nessas novas velocidades."

    "É um cenário de ruptura em comparação com o que vinha sendo feito. Estamos dando muito mais velocidade ao cliente no mesmo patamar de preço", diz o diretor.

    Carvalho lembra também que, de agora em diante, o Vírtua também dispensa a assinatura casada de um provedor de acesso. "O usuário pode usar um e-mail gratuito, de sua empresa, e assina conteúdo só se quiser", completa. O Vírtua também não cobra mais pelo aluguel do modem.

    O mecanismo de controle de franquia de consumo (quanto o usuário pode fazer download ou upload) também foi alterado. "Ultrapassando, a gente não vai cobrar por adicional, mas o usuário terá uma penalidade de sua velocidade cair para 150 kbps", diz Carvalho, explicando que a medida evita que o preço para todos os usuários seja aumentado por conta de um uso mais agressivo de poucos. Para quem precisa de mais que o oferecido, a empresa oferece a possibilidade de contratar uma franquia adicional.