+ Responder ao Tópico



  1. #1

    Padrão Virtual lans e o servidor de DHCP, como configurar?

    É o seguinte, quero criar redes virtuais na minha placa eth0(10.10.75.0/24). Ex: eth0:0 10.10.100.0/30 e fazer com que o servidor dhcp envie essa faixa de ip virtual sempre para uma mesma placa de rede(baseado no mac dela). Criar a redes virtuais já sei, mas preciso de ajuda no dhcpd.conf, logo abaixo está o meu.

    dhcpd.conf
    =================================================
    # dhcpd.conf
    #
    # Configuration file for ISC dhcpd (see 'man dhcpd.conf')
    #
    ddns-update-style none;
    default-lease-time 600;
    max-lease-time 7200;
    authoritative;

    subnet 10.10.75.0 netmask 255.255.255.0 {
    range 10.10.75.100 10.10.75.200;
    option routers 10.10.75.254;
    option domain-name-servers 10.10.75.254;
    option broadcast-address 10.10.75.255;
    }
    host pc-1 {
    hardware ethernet 00:08:54:15:d5:16;
    fixed-address 10.10.75.50;
    }

    Como podem ver acima, meu dhcpd.conf já está configurado e funcionando(atribuindo ip fixo por dhcp e etc), só que para faixa rede nativa(que não é a virtual - 10.10.75.0/24) da placa. Teria como eu fazer essa atribuição de IP fixo por DHCP para uma faixa de IP vitual?

  2. #2

    Padrão

    Um minuto, vamos rever alguns conceitos para ver se eu entendi direitinho a sua dúvida:

    No GNU/Linux, você pode criar INTERFACES VIRTUAIS, e não REDES VIRTUAIS. A diferença é um pouco enorme. Você pode ter dois IP's para o seu GNU/Linux na mesma rede, enquanto você pode ter duas interfaces de rede em redes completamente diferentes.

    O quê eu entendi na sua pergunta é que você quer saber como fazer para que o seu servidor DHCP passe informações para outras máquinas em redes diferentes. A resposta é que à partir do momento que você tem uma interface de rede dentro dessa rede, você já pode oferecer um endereço IP para as máquinas dentro dessa nova rede. A única coisa que você deve adicionar ao seu servidor DHCP é uma outra entrada para subrede, igual à que você copiou e colou acima.

    Agora, se eu não entendi nada e falei asneira, foi mal ae, hehehe.



  3. #3

    Padrão

    O que falei mais claramente é de como atribuir varia faixas de IP numa mesma placa de rede. Ex: eth0 10.10.75.0/24, eth0:0 10.10.76.0/24, eth0:1 10.10.77.0/24 e assim por diante. Mas acho que você entendeu certo mesmo. O que quero saber é como faço para meu servidor de DHCP enviar para cada cliente baseado em seu mac uma dessas faixas, pois uma das minha intenções é deixa-los em isolados na rede.

  4. #4

    Padrão

    Citação Postado originalmente por xstefanox Ver Post
    Um minuto, vamos rever alguns conceitos para ver se eu entendi direitinho a sua dúvida:

    No GNU/Linux, você pode criar INTERFACES VIRTUAIS, e não REDES VIRTUAIS. A diferença é um pouco enorme. Você pode ter dois IP's para o seu GNU/Linux na mesma rede, enquanto você pode ter duas interfaces de rede em redes completamente diferentes.

    O quê eu entendi na sua pergunta é que você quer saber como fazer para que o seu servidor DHCP passe informações para outras máquinas em redes diferentes. A resposta é que à partir do momento que você tem uma interface de rede dentro dessa rede, você já pode oferecer um endereço IP para as máquinas dentro dessa nova rede. A única coisa que você deve adicionar ao seu servidor DHCP é uma outra entrada para subrede, igual à que você copiou e colou acima.

    Agora, se eu não entendi nada e falei asneira, foi mal ae, hehehe.
    Cara...

    não é por nada não... mas como vc mesmo disse, acho q vc falou "asneira" heheheh..

    brincadeiras a parte, o GNU/Linux faz VLAN sim...

    a partir do momento que vc criou uma Interface Virtual, e atribuiu endereços diferentes da classe principal vc criou uma VLAN...

    tipo.. não sei até onde vai seu nível de conhecimento, não quero te subjulgar, tavlez eu fale asneira agora, pois não sou nenhum guru, mas o que eu entendo por VLAN é o seguinte:

    São grupos de computadores conectados por uma única LAN mas o acesso é restrito, ou seja, uma sub-rede da LAN gerenciada e configurada através de um equipamento, no caso o servidor.

    Se eu estiver errado, alguém me corrija...

    valeu



  5. #5

    Padrão

    ibsol..

    cara...

    não é por nada não... pode me achar chato, mas no fundo no fundo eu até que sou um cara legal, mas... vc deu uma procurada na net sobre o assunto antes de perguntar no fórum??? estou perguntando pq na primeira pesquisa que fiz encontrei a resposta para sua dúvida...

    configurar dhcp+vlan - Pesquisa Google

    Direto ao ponto:
    Linux: Criando Redes Locais Virtuais (VLANs) com Linux [Artigo]

    valeu

  6. #6

    Padrão

    Citação Postado originalmente por lucianogf Ver Post
    Cara...

    não é por nada não... mas como vc mesmo disse, acho q vc falou "asneira" heheheh..

    brincadeiras a parte, o GNU/Linux faz VLAN sim...

    a partir do momento que vc criou uma Interface Virtual, e atribuiu endereços diferentes da classe principal vc criou uma VLAN...

    tipo.. não sei até onde vai seu nível de conhecimento, não quero te subjulgar, tavlez eu fale asneira agora, pois não sou nenhum guru, mas o que eu entendo por VLAN é o seguinte:

    São grupos de computadores conectados por uma única LAN mas o acesso é restrito, ou seja, uma sub-rede da LAN gerenciada e configurada através de um equipamento, no caso o servidor.

    Se eu estiver errado, alguém me corrija...

    valeu
    Em momento algum eu falei de VLAN. VLAN é o quê eu tenho no meu switch 3com falando que o micro do estagiário não fale com o do diretor. Chamar uma interface virtual do GNU/Linux de VLAN é erro conceitual.



  7. #7

    Padrão

    Citação Postado originalmente por lucianogf Ver Post
    ibsol..

    cara...

    não é por nada não... pode me achar chato, mas no fundo no fundo eu até que sou um cara legal, mas... vc deu uma procurada na net sobre o assunto antes de perguntar no fórum??? estou perguntando pq na primeira pesquisa que fiz encontrei a resposta para sua dúvida...

    configurar dhcp+vlan - Pesquisa Google

    Direto ao ponto:
    Linux: Criando Redes Locais Virtuais (VLANs) com Linux [Artigo]

    valeu
    Realmente falhei, me desculpa aí galera. Obrigado.

  8. #8

    Padrão

    O camarada... como vc não falou de VLAN ???

    Rede virtual e VLAN não é a mesma coisa?



  9. #9

    Padrão

    Citação Postado originalmente por lucianogf Ver Post
    O camarada... como vc não falou de VLAN ???

    Rede virtual e VLAN não é a mesma coisa?
    Não.

    Uma interface virtual é quando a gente cria um "alias" para a placa de rede, onde a mesma responde por outro endereço de IP, outra rede, outro gateway, outro tudo, como houvessem duas placas de rede fisicamente ligadas ao computador, embora só exista uma.

    Uma VLAN é uma tecnologia aplicada à switches, onde você pode definir algumas políticas do tipo "Porta 8 só fala com porta 13", fora o fato que você pode separar o seu switch como se fossem dois, virtualmente também. Para quem não sabe, jura que existem dois switches. Para quem administra, sabe que é um que está configurado utilizando VLAN.

    Uma interface virtual não é obrigatoriamente uma rede virtual, à partir do momento que eu posso criar um alias para a minha placa de rede na mesma rede, fazendo com que a minha placa simplesmente responda por dois IP's dentro da mesma rede. O uso do termo redes virtuais tem sido muito mais utilizado agora, depois que começaram a desenvolver soluções aplicadas à virtualização de servidores com softwares como o VMWare e o Xen.

    A propósito, Luciano, dá um liga nas suas mensagens pessoais.


    Abraços!

  10. #10

    Padrão

    Cara...

    sobre interfaces virtuais (alias) eu sei bem o que é..

    mas tipo...

    um exemplo hipotético:

    no meu servidor tenho a placa eth0 configurada na faixa 10.0.0.0/24, então eu crio um alias, eth0:1 a faixa 192.168.0.0/24, os clientes estarão conectados no mesmo switch, mas em redes diferentes, no caso redes virtuais - VLAN's.

    Lógico que uma VLAN de um switch é mais confiável do q uma criada pelo servidor, mas este não deixa de ser também.

    valeu