• O Modelo de Atualização da Apple

    Recentemente a Apple lançou o Mac OS X 10.6.4, uma atualização que melhora a estabilidade do sistema operacional como um todo, permitindo maior compatibilidade e segurança para o usuário. Entre as modificações destaca-se a correção de um total de 28 brechas de segurança, sendo que algumas podiam ser exploradas para seqüestrar o sistema do usuário. De acordo com a Apple, esse problema de segurança poderia acontecer pela simples visita de um usuário a um site especialmente modificado para acionar essa invasão. Com certeza vemos na Apple, um sistema de atualização mais veloz e dinâmico que o Windows, mas será que é suficiente?

    Sabemos que os usuários de sistemas "proprietários" sempre ficam na mão quando o assunto são as atualizações de seus sistemas. A Apple até que investe em um ciclo de atualizações menores, que possibilitem aos seus usuários ficarem o menor tempo possível "desprotegidos", mas as vezes, por causa de um pacote, os clientes precisam esperar que a empresa disponibilize uma atualização global de seu sistema para a correção de falhas, sejam elas críticas, ou de segurança.

    Neste caso, é óbvio, que o problema maior estava no Safari, que foi atualizado para a versão 5 já na semana passada. Essa atualização permitiu a empresa fechar 48 vulnerabilidades de segurança encontradas até o momento. Essa nova versão também corrige problemas que causavam perda de resposta tanto do teclado, quanto do trackpad, além dos problemas de cópia, renomeação e deleção de arquivos em servidores de arquivos SMB. Os problemas relacionados ao playback no DVD Player, que ocorriam em determinadas circunstâncias, também foram resolvidos, além das falhas de volume e função sleep para os modelos MacBook Pro anteriores a 2010.

    Essa atualização de sistema do Mac OS X vem em boa hora, já que novos produtos estão populando no mercado, como os recém-lançados MacBook Pro, que já estão nas vitrines para substituir toda a linha antiga desses portáteis, levando ao usuário novas tecnologias, principalmente na economia de energia do sistema.

    Seguindo ainda na grande lista de problemas corrigidos, temos a confiabilidade das conexões VPN, que foi visivelmente melhorada, além de um problema de ruído relacionado a dispositivos de áudio FireWire de terceiros, que também foi corrigido.

    Ainda na enorme lista de problemas corrigidos para essa versão do Mac OS X, a atualização corrige uma série de problemas relacionados a segurança do próprio sistema operacional, incluindo os serviços de impressão do CUPS, o ImageIO, Kerberos, iChat, e o servidor Samba. Para esta versão também temos a atualização do plugin Flash Player para a versão 10.0.45.2, que fecha duas vulnerabilidades, incluindo a falha explorada do dia-0 (0-day). Ainda falando no Flash, os usuários que já haviam instalado o Flash 10.1 são aconselhados a garantir que o mesmo não será sobre-escrito pela atualização da Apple. Normalmente esse não é o quadro típico das atualizações da Apple, mas os usuários estão sendo alertados para essa possibilidade.

    Com todas essas atualizações, além da gravidade dos problemas, sendo sua maioria visando a correção de falhas e aumentar a segurança do sistema como um todo, os usuários estão sendo fortemente aconselhados a atualizarem seus sistemas o mais rápido possível. Para isso, eles devem utilizar a função Software Update que vem embarcada nas versões anteriores do Mac OS X. Uma atualização para um cliente 10.6.4 receberá um equivalente a 607,21 MB de dados, enquanto a atualização combo, que inclui as versões 10.6.1 e 10.6.3, terão de baixar o equivalente a 887,37 MB de atualizações. Já a versão server, a atualização consumirá um download de 615,60 MB para a versão padrão, e 1,05 GB para a versão Combo.

    Particularmente, acredito que esse modelo de atualização de programas e sistemas da Apple é muito ultrapassado, ainda nos velhos moldes do Windows, algo como "atualizo quando quero", e "você precisa atualizar todo o sistema para se livrar dos problemas". Mas isso não quer dizer que prefiro somente o método Linux, que sempre mantém o usuário atualizado para todos os pacotes de dua distribuição, disponíveis em seus respectivos mecanismos de atualização. Acho que uma fusão de ambos os sistemas seria o ideal, tanto para o Linux, quanto para o Mac.

    No caso do Mac, o ideal seria a disponibilização de atualizações para cada programa, e que o Mac OS X trabalhasse no melhor estilo de pacotes de instalação. Claro que tudo isso, sem descartar a atualização global do sistema, que permite a plataforma estar sempre up-to-date, em todos os sentidos.

    Já no caso do Linux, uma função segura para atualização do sistema como um todo (ou alcançar esse objetivo em atualizações parciais) seria o ideal, permitindo que todos os seus usuários tivessem em seus computadores, as últimas versões de seus sistemas, sem para isso precisar fazer uma instalação limpa de novas versões. Mas ainda é preciso muito chão na modularização do Linux como um todo, e a adoção desse mecanismo por todas as suas principais distribuições (pelo menos). Quem sabe algum dia...


    Links de Interesse:

    - Apple releases Mac OS X 10.6.4 update


Visite: BR-Linux ·  VivaOLinux ·  Dicas-L