• Neutralidade na Rede alguma vez Existiu?

    Afinal de contas, o que está acontecendo com a neutralidade da rede que deveria não somente existir, mas ser mantida como algo "óbvio"? De acordo com um relatório recente da Sunlight Foundation, as forças que se opõe a neutralidade na rede - dentre elas grandes companhias provedoras de acesso a Internet como a Comcast, AT&T e Verizon, assim como as empresas de telecomunicações e sindicatos como a NCTA e CWA - estão duramente combatendo as forças pró-neutralidade - basicamente constituídas de Google, Yahoo, Amazon, e assim por diante.

    E a luta está 4 contra 1 em desvantagem para o grupo pró-neutralidade; financeiramente falando. Os investimentos do grupo contra a neutralidade na rede já atingiu os US$ 20 milhões só com lobistas. Enquanto isso, o grupo pŕo-neutralidade na rede investiu apenas US$ 5 milhões. Essa movimentação financeira, em plena Washington, Capital dos Estados Unidos, parece influenciar as leis. E parece ser um investimento promissor". Aqueles que gastam mais dinheiro tentando "comprar as leis" que eles preferem, quase sempre terão retorno imediato (financeiramente falando) com sua aprovação, muitas vezes maior que o "investimento" inicial.

    E para os ISPs, até certo ponto (e muitos concordam) os bits não são todos iguais. Os requisitos para qualidade de serviços de páginas Web e e-mail, não são os mesmos para dados de voz e vídeo. E o problema está justamente na falta de investimento dos ISPs para modularizar esses canais. Eles realmente não se preocupam com isso. Se eles acham que não vão ter retorno muitas vezes acima de seus investimentos, eles não atualizam a tecnologia. Não investem. E o prejudicado somos todos nós.

    E esse problema se tornou muito maior após a corte americana ter dado causa ganha para a s ISPs e não para a FCC, este ano. O problema é que sem esse investimento, a Internet nunca vai se tornar o que realmente deveria ser desde o início, a engrenagem neutra que movimenta todo o planeta. E com esses entraves, ela nunca irá se expandir verdadeiramente (e nativamente) para uso e fluxo de comunicações para telefones, televisão, dados, e qualquer outro tipo de informação.

    Jpa temos um problema muito grande com relação ao princípio básico da Internet. Ela nunca foi "de todos". Quem "gere" a Grande Rede é os Estados Unidos. E esse país não somente quer manter seu controle, como parece estar disposto a fazer as coisas da maneira que mais lhe interesse (economicamente falando) nem que para isso seja necessário destruir por completo a neutralidade da rede.

    Para piorar ainda mais a situação, os ISPs estão se tornando os provedores de conteúdo. Por exemplo, a empresa número 1 em banda larga de conexão à Cabo, a Comcast, está em processo de fusão com a NBC Universal, a quarta maior rede de televisão e sexto maior estúdio de cinema do mundo. Já a empresa-mãe da Time Warner Cable (o quarto maior ISP do mundo) já possui a CNN, HBO, Warner Bros Studio, Turner Broadcasting, e um considerável império editorial. No fundo, não é somente a neutralidade que está em jogo. Ela é só o começo. O que vamos perder em nome do dinheiro é nossa liberdade na rede, e a liberdade de conteúdo.

    O analfabeto de amanhã será o que não pode pagar por sua conexão, pois tudo o que ele precisará "aprender" terá que pagar via rede. E quem terá a coragem e a força (financeiramente falando) para parar com essa atrocidade?


    Links de Interesse:

    - Net Neutrality: What's the Price?

Visite: BR-Linux ·  VivaOLinux ·  Dicas-L