• White Space WiFi Será uma Revolução ou um Fiasco?

    Acreditem! Ontem, a FCC (Federal Communications Commission) aprovou por unanimidade o uso do espaço não utilizado (white space) pela transmissão televisiva como um espectro wireless não-licenciado. O advento de um white space no melhor estilo "WiFi com esteroides" pode ser o catalizador para uma nova revolução wireless, levando a um investimento e inovação sem precedentes.

    A atual tecnologia wireless é extremamente limitada. Sabemos que é ótimo poder ter conectividade sem estar "amarrado" a uma mesa, ou parede, por um CAT 5/5E, mas a área de "liberdade" de uma rede sem fio é muito limitada. Quantas vezes você já teve o desprazer de perder sua conectividade simplesmente por ter trocado de sala? O nível de frustração é alto para tanta limitação.

    Nas ruas a mesma coisa. mesmo o sinal sendo mais forte, existem dois principais empecilhos. O primeiro e mais grave, é a limitação de alguns pontos de acesso WiFi pela cidade, devido a seu alto preço de implementação. O segundo ponto é a também fraqueza do sinal. Mesmo sendo utilizado outdoor, o raio de ação de cada ponto não passa de alguns quarteirões.

    Porém, se utilizarem o white space da largura de banda de transmissão de televisão, e equipamentos adequados para tamanha potência de sinal, poderão transformar completamente as redes wireless. Os três elementos-chave que tornam o white space tão convincente são: seu alcance, sua habilidade de ultrapassar obstáculos e, o aumento da velocidade dessas redes wireless.


    Alcance

    A título de comparação, os atuais roteadores wireless tem um raio de ação limitado a algumas centenas de metros. Talvez eles até sejam capazes de cobrir um estádio inteiro de futebol, se idealmente não existir nenhum obstáculo em seu caminho. Já os dispositivos wireless para uso no white space poderão alcançar algumas milhas com muita facilidade.


    Obstáculos

    Um dos fatores mais primários que limitam o alcance da atual tecnologia wireless é que a mesma pode ser facilmente obstruída. Mesmo sabendo que, em teoria, o sinal pode viajar algumas centenas de metros, caso o mesmo encontre alguns obstáculos como paredes e muros em seu caminho, e você terá uma considerável perda de sinal. Já as redes wireless montadas para funcionar no white space, podem viajar milhas através de praticamente qualquer barreira física, sejam elas muros ou árvores, da mesma maneira que o sinal de transmissão de sua televisão tem feito ao longo de todos esses anos.


    Velocidade

    As redes wireless 802.11n podem transmitir dados entre 160 e 300 megabits por segundo (Mbps). A mesma já é considerada relativamente rápida em comparação as redes 802.11b ou 802.11g. Mas os equipamentos wireless para o white space terão velocidade de transmissão entre 400 e 800 megabits por segundo. Isso significa que, mesmo a grandes distâncias, as redes wireless que funcionarem pelo white space poderão trazer velocidades de transmissão tão altas quanto a atual conexão 3G ou mesmo a futura 4G, muito utilizada para conectividade entre dispositivos móveis via rede de operadora de telefonia.

    Uma vez que os dispositivos wireless trabalhando no white space se tornem lugar-comum, não haverão mais brechas consideráveis na malha atmosférica, para conectividade digital. O único ponto negativo é que o sonho de se ter uma rede wireless gratuita no mundo, cai por terra. Muitas serão as empresas que transformarão o atual nicho de rede wireless aberta para "planos pagos" para a população, reduzindo a zero qualquer possibilidade de acesso irrestrito e gratuito por parte da população à grande Rede.


    Links de Interesse:

    - What You Need to Know About White Space Wi-Fi
    Comentários 3 Comentários
    1. Avatar de rjunior543
      rjunior543 -
      Duvido.
      Mesmo na melhor das hipóteses seria possivel um canal de 70mhz de largura.
      Para compararmos, um unico canal alargado para 40mhz em wifi N consegue com muita dificuldade alcansar 150mbps.
      Dizer que com menos do dobro da largura do canal de 40mhz quintuplicar a banda trafegada eu acho que é papo furado.

      Vantagem pratica será apenas a maior facilidade que frequencias mais baixas tem em atravessar obstaculos, fora isso não vejo nada demais.

      E outro ponto a se dar a devida atenção é o fato que emissoras de TV apenas precisam chegar ao cliente sem a necessidade de esperar resposta, e que para isso, transmissores de tv analógica trabalham com sistemas em potencia na casa dos kW, enquanto estamos no wifi limitados a trabalhar nos mw.

      Ainda as redes celulares e 3G que trabalham (algumas operadoras) em 900mhz e essas trabalham com transceptores na casa dos 5w, e o celular ou modem 3g que temos em casa chega a 1w. Ainda assim sabemos que a cobertura 3G não é lá essas coisas.
    1. Avatar de mlrodrig
      mlrodrig -
      Para o mercado dos EUA vai ser fantástico, aqui para nós, é apenas uma fantasia. Os white spaces surgiram com a digitalização das TVs nos EUA (hoje, 100% das transmissões são digitais lá, sendo proibido uma emissora transmitir em analógico).
      Com isso surgiram faixas livres de freqüência, na casa das centenas de MHz (white spaces) que gigantes como Google e Microsoft propõem que sejam usadas para aplicações não licenciadas.
      Quanto tempo vocês acham que vai levar para que o Brasil conseguir digitalizar 100% dos aparelhos de televisão? Outro dia entrei em um barbeiro de uma cidade do interior e eles estavam assistindo em uma TV preto e branco, com seletor de canais rotativo (do tipo que faz plec-plec quando vc gira)...
    1. Avatar de Geeek
      Geeek -
      Parece ser um sonho distante no Brasil.
    + Enviar Comentário


Visite: BR-Linux ·  VivaOLinux ·  Dicas-L