• Oriente Médio: Preparação para Enfrentar Guerra Cibernética

    Todos sabem que os riscos e as conseqüências de ataques cibernéticos estão crescendo bastante a cada dia. Os computadores que controlam a maior parte do petróleo mundial, a produção e a distribuição de gás a partir de sistemas, estão cada vez mais vulneráveis a ataques. E o que isso significa? Significa que um ataque cibernético iria aumentar, de forma drástica, os preços do petróleo e do gás, com a possibilidade de paralisar a economia global.

    Por causa desse cenário preocupante e com a intenção de evitar um possível colapso econômico, o Oriente Médio, considerado a maior liderança petrolífera do globo terrestre, está investindo ativamente na segurança. Nesse contexto, uma pesquisa realizada pelo provedor de informações corporativas, Visiongain, revela que a guerra cibernética e seu mercado estão mostrando que não há o mínimo sinal de trégua.



    Oriente Médio Fortalecerá a Segurança Cibernética

    Além de todo esse clima de instabilidade, há questões relacionadas ao custo de todo esse aparato, que deve chegar a um valor de 15,9 bilhões de dólares já neste ano de 2012. Os governos de todo o mundo estão investindo em uma ampla gama de soluções virtuais de guerra, para proteger a sua infra-estrutura de informação crítica nacional.


    Prevenção como Forma de Ataque

    Com a economia mundial altamente dependente do petróleo e do gás, garantir a sua segurança é um dos principais pontos da próxima Cyber Defence Summit, que será realizada ​​em Omã. Neste evento, estarão reunidos importantes figuras regionais e especialistas do setor, permitindo que os tomadores de decisão das organizações críticas e de infra-estrutura do Oriente Médio, discutam e desenvolvam um plano de defesa cibernética para a região.

    O evento, que será realizado nos dias 02 e 03 de abril, tentará garantir que os ataques sobre o Oriente Médio não derrubem qualquer país da região ou toda a economia global. Um dos organizadores do evento, disse que "hoje em dia, toda e qualquer pessoa pode ser um hacker, e todos precisam ser pró-ativos e vigilantes". Entretanto, líderes da indústria como Booz Allen Hamilton, Cassidian, Dell, Microsoft, Bitdefender e Lancope garantiram que a região possui as competências e soluções disponíveis para evitar um ataque de grades proporções.


    Investimentos Traduzem Dimensão do Problema

    Os países do Oriente Médio fizeram da ciber defesa a sua prioridade, e estão investindo bastante nesse ramo. Segundo a Frost & Sullivan, a Arábia Saudita terá gasto mais de 33 bilhões de dólares em segurança cibernética, entre os anos de 2007 e 2018. Omã, Qatar e Emirados Árabes Unidos têm planos igualmente ambiciosos para o futuro, e estes planos tem sido reforçados por recentes ataques de alto nível sobre a Sony, o FMI, FBI e Ministério da Defesa da Síria.

    Além disso, o relatório Internet Security 2011 - publicado pela empresa de segurança on-line Norton, confirmou que 72% dos adultos que vivem nos Emirados Árabes Unidos foram vítimas de crime cibernético no ano passado.


    Participantes da Cyber Defence Summit

    Os oradores da Cyber Defence Summit incluem Eugene Kaspersky, fundador e CEO da Kaspersky Labs, Suleyman Anil, chefe de Cyber ​​Defesa da NATO; Jim Nelms, Chief Information Security Officer do Banco Mundial; Shawn Henry, diretor executivo adjunto, FBI, e Guy Megeur, General Manager da Cassidian Cyber ​​Security no Oriente Médio. Todos esses especialistas internacionais estão se reunindo porque a segurança é um problema internacional, e não pode ser resolvido por apenas uma região ou país por conta própria.

    De acordo com Guy Meguer, "infelizmente não há dúvidas de que o ataque principal será focado em interesses nacionais e em vários países. Isso envolve indagações diversas sobre lugar, data e de que forma ocorrerá. Porém, ninguém sabe. É a imprevisibilidade que faz com que as vulnerabilidades surjam em todos os lugares".

    O mundo inteiro incluindo a região do Oriente Médio, não está preparado para enfrentar essa guerra. Entretanto, o evento que se realizará em Omã irá permitir que todas as partes interessadas estejam reunidas, compartilhando suas experiências e soluções, e construindo um plano infalível para proteger a região.


    Links de Interesse:

    -Middle East to Build Plans a Cyber-Strongholds
    -Cyber Defence Summit 2012

Visite: BR-Linux ·  VivaOLinux ·  Dicas-L