• Explorando Perigos de um Estilo de Vida Móvel

    Vivemos em um mundo cada vez mais digital, e dessa forma, contamos com as muitas funcionalidades e facilidades dos dispositivos que usamos, para armazenar nossas informações mais ou menos valiosas e até mesmo para realizar tarefas críticas. Na verdade, de acordo com a Kaspersky Lab, que fez um levantamento global, 98 por cento de nós usamos nossos celulares, tablets, laptops e/ ou computadores para a realização de operações financeiras, 74 por cento utiliza, regularmente, carteiras eletrônicas e sistemas de pagamento, e a grande maioria usa os dispositivos para fazer compras on-line, usam as mídias sociais, fazem serviços bancários on-line, realiza armazenamento de dados on-line, usa mensagens instantâneas, e assim por diante.


    Mas, se por um lado muitos desses usuários estão cientes de alguns dos riscos vinculados a utilização diária desses dispositivos, outros perigos não são levados em consideração da maneira como deveriam. Por exemplo, 69 por cento dos compradores estão cientes de que os dados pessoais armazenados em seus dispositivos exige segurança adicional, e 73 por cento deles estão atualizando o seu software regularmente.


    Negligência dos Usuários

    Enquanto isso, um terço deles não tomam as medidas de segurança ao usar redes Wi-Fi públicas, e mais de 40 por cento confiam em sites de seus bancos para manter suas senhas seguras e investir seu dinheiro que poderia ser roubado por criminosos cibernéticos. Mas, sobre este último ponto a realidade é um pouco diferente, já que 41 por cento dos entrevistados que foram vítimas de um ataque financeiro foram incapazes de obter todo o seu dinheiro de volta.


    Perdas de Dinheiro, Ataques e Roubo de Dados Pessoais

    A média de perda de dinheiro sofrida, devido a um ataque desse tipo, foi de US$ 74 por pessoa. Os usuários que não fazem backup de seus dados sofrem uma perda ainda maior: em média, a perda de uma coleção de mídia devido a um ataque malicioso ou falha do dispositivo vai custar ao usuário $ 418. É interessante observar aqui, que os usuários russos e os usuários chineses são especialmente bastante relapsos em executar backups regulares.

    Além disso, as questões de privacidade estão no topo da lista de preocupações dos usuários. 69% deles estão preocupados que seus dados pessoais sejam roubados e usados por outras pessoas, e eles estão ainda mais preocupados com os dados que eles compartilham com as empresas e agências governamentais.


    Trojans e Botnets

    Guerra cibernética e ataques patrocinados pelo Estado são, por outro lado, algo que não preocupa muitos usuários, pois eles não tem tanta dimensão das consequências disso. Na verdade, a grande maioria deles nunca ouviu falar de coisas como vulnerabilidades 0-day, botnets, Mini Flame ou o ZeuS Trojan.


    Guerra Cibernética e Conhecimento dos Usuários

    "Embora 31% dos entrevistados tenham dito que estavam preocupados com a guerra cibernética e os danos que elas podem causar, relativamente pouco se sabe sobre os tipos de armas utilizadas nessas investidas", mostraram os resultados da pesquisa "Também parece haver pouca preocupação com tendências como "hacktivismo", o fato de que alguns ataques cibernéticos têm o apoio indireto dos governos , ou ataques a software, jogos de vídeo e empresas de mídia, como Adobe, Microsoft, Oracle, Sony e The New York Times".


    Plataformas Vulneráveis e Gerenciamento de Senhas

    Os usuários têm uma visão bastante precisa de quais as plataformas são mais vulneráveis ​​(Windows, Java e Android), mas um pouco mais de um terço dos entrevistados ainda acredita que Macs são imunes a ameaças cibernéticas. Quando se trata de senhas, cerca de 40 por cento dos inquiridos disseram que tinham apenas uma senha, ou na melhor das hipóteses, uma pequena coleção para todas as suas contas. Apenas 26 por cento deles disse usar uma senha diferente para cada conta.

    Quando se trata de dispositivos móveis, a maioria dos usuários os utiliza para trabalhar e armazenar dados sensíveis, mas também poucos reconhecem os perigos do uso de pontos de acesso gratuito Wi-Fi públicos, com menos de 25 por cento de uso de software anti- roubo para dispositivos móveis; apenas 40 por cento dos proprietários de smartphones e 42 por cento dos proprietários de tablets com sistema Android usam soluções de segurança para esses dispositivos.

    O relatório também inclui estatísticas sobre agressões ou ameaças, as quais os entrevistados já tenham enfrentado, das quais tenham desviado ou mesmo sido vítima da investida.


    Saiba Mais:

    [1] Net Security http://www.net-security.org/secworld.php?id=15829

Visite: BR-Linux ·  VivaOLinux ·  Dicas-L