• Movimento da Economia em Mercados Cybercriminosos na Rússia, China e Brasil

    Que há muitos locais na Internet, onde os cybercriminosos se reúnem para comprar e vender os mais diferentes produtos e serviços, isso não é novidade para a maioria das pessoas, principalmente para quem lida diretamente com a área da Segurança da Informação. Ao invés de criar suas próprias ferramentas de ataque a partir do zero, esses criminosos podem muito bem comprar o que eles precisam, porque há muitos comerciantes nesse ramo oferecendo produtos a preços competitivos. Como qualquer outro mercado, as leis de oferta e procura são quem ditam os preços. Mas o que é mais interessante nisso tudo, é que os preços de tudo o que é comercializado nesses mercados tem diminuído bastante.


    Ao longo dos anos, os profissionais tem conseguido manter o controle sobre os principais desenvolvimentos que acontecem no submundo do cybercrime. O monitoramento constante das atividades praticadas pelos cybercriminosos durante esses anos, permitiu coletar informações para caracterizar os mercados mais avançados que tem sido vistos até agora e avançar com listas completas das ofertas encontradas neles.
    Em 2012, houve a publicação do "Russian Underground 101", que mostrou o que o mercado clandestino do cybercrime russo tinha para oferecer. Mais tarde, nesse mesmo ano, os profissionais da Trend Micro trabalharam com a University of California Institute of Global Conflict and Cooperation para publicar "Investigating China's Online Underground Economy", que contou com as métricas do mundo underground chinês.

    No ano passado, a partir de uma nova inspeção relacionada ao mercado cibernético clandestino da China, houve a publicação do "Beyond Online Gaming: Revisiting the Chinese Underground Market". Dessa forma, os profissionais puderam aprender que o mercado clandestino de cada país tem características distintas. Portanto, este ano, foi necessário adicionar um outro mercado para a essa lista crescente: o Brasil.


    Cybercriminosos Encontram Menos Entraves para Agir

    As barreiras para o lançamento de operações cybercriminosas têm diminuído fortemente. As toolkits estão cada vez mais disponíveis e mais baratas, e algumas delas são oferecidas gratuitamente, o que facilita ainda mais a ação dos criminosos. Os preços são mais baixos e os recursos são mais ricos. Além disso, os fóruns clandestinos estão prosperando em todo o mundo, principalmente na Rússia, na China e no Brasil. Estes tornaram-se meios populares para vender produtos e serviços para os cybercriminosos nos referidos países.


    Deep Web e Crescimento na Comercialização de Produtos e Serviços

    Também é importante ressaltar que os cybercriminosos estão fazendo uso da Deep Web, para vender produtos e serviços não indexados ou pesquisáveis na Surface Web, tornando suas ainda mais difícil o trabalho de que suas "lojas" on-line sejam encontradas e tiradas de atividade pela polícia. Outra questão importante, diz respeito à atualização do crescimento da economia oriunda do mundo cybercriminoso com referência a esse ano. Ela incidirá sobre o crescente mercado de malware e de ferramentas móveis desenvolvidas para aplicação de golpes cibernéticos na China.


    Atenção Referente ao Desenvolvimento da Clandestinidade dos Mercados Cibernéticos

    Todos esses processos de desenvolvimento significam que o público ligado a área computacional está correndo um sério risco de ser vítima, mais do que nunca. E assim, é preciso reconsiderar, completamente, de qual forma uma grande parte dos que atuam na área de segurança deve agir em seu cotidiano. Em face disso, nos próximos meses, os profissionais da Trend Micro farão um aprofundamento nos testes, e apresentarão as suas conclusões com o intuito de educar e prevenir os usuários.


    Rússia, Cybercriminosos e Impacto nos Custos

    A empresa de segurança Trend Micro, disse que a Rússia está no centro de uma economia criminosa em rede, na qual "todo e qualquer serviço de cybercriminoso está à venda", com uma visão assustadora para a comercialização de redes de empresas comprometidas. Embora as organizações tenham sido historicamente relutantes em denunciar dúvidas em relação às muitas organizações criminosas que se juntam nas clandestinidade, elas também lutam em defesa de sua reputação com os clientes - muitos deles, recentemente, tem sido pressionados a admitir publicamente a intrusão de crackers. Alguns executivos disseram que presenciaram "70 por cento de aumento no interesse e nas conversas" com os potenciais clientes, sobre a melhoria dos seus sistemas de segurança ao longo dos últimos 18 meses.

    A prontidão crescente de admitir estes casos, está lançando uma avaliação mais precisa - embora igualmente perturbadora - sobre a dimensão e a frequência dessas reais investidas . Enquanto os pesquisadores da Universidade de Cambridge fizeram uma reivindicação em seu relatório "Medindo o Custo de Crime Cibernético", onde fala sobre a perda monetária direta para o consumidor médio, os custos reais são, no mínimo, dez vezes maior; essa soma inclui recuperação, medidas de segurança e uma grave perda de confiança dos consumidores em relação às empresas afetadas.


    Saiba Mais:

    [1] Security Intelligence - Trend Micro http://blog.trendmicro.com/trendlabs...na-and-brazil/

Visite: BR-Linux ·  VivaOLinux ·  Dicas-L