• Mais Usuários, Mais Ataques: Kaspersky Lab Registra Números de Cybercrime Envolvendo Bitcoin

    De acordo com as ameaças cibernéticas financeiras registradas em 2013 através de estudo realizado pela Kaspersky Lab, o malware financeiro visando Bitcoin se tornou extremamente popular. O número de ataques contra a crypto-currencyaumentou mais de 2,5 vezes, e foi responsável por 8,3 milhões de incidentes. O Bitcoin foi criado especialmente, para fazer pagamentos electrônicos anônimos e tornou-se bastante popular ao longo dos últimos anos.


    Taxas Flutuantes, Fraudes e Facilidade de Acesso pela Ausência de Procedimento Criptográfico

    No início de 2013, a taxa de câmbio Bitcoin foi de US$ 13.6. Até dezembro, essa taxa atingiu um pico recorde, superior a US$ 1.200. Durante o ano, várias quedas ocorreram, mas desde abril de 2013, o preço de uma única moeda virtual não caiu abaixo de US$ 80. Isso, inevitavelmente, teria atraído a atenção de fraudadores. Somando-se o problema, em muitas situações os bitcoins são presas muito fáceis para os cybercriminosos: se os usuários armazenarem bitcoins em seus computadores em uma forma não criptografada, os atacantes só precisam roubar o arquivo de wallet para obter informações sobre as "moedas" e acessar a conta da vítima.



    Mais de 30 amostras de malware relacionados com finanças, foram selecionados para a pesquisa da Kaspersky Lab. Nove deles tinham relação com o programa projetado para roubar a moeda de criptografia. Estes nove representaram um total de 29% de todos os ataques cibernéticos financeiros, que foram realizadas usando aplicativos maliciosos.


    Programas Desenvolvidos para Roubo e Golpes Envolvendo Bitcoins Semelhantes a Fraudes Financeiras Convencionais

    As ferramentas utilizadas pelos criminosos virtuais para roubar bitcoins, podem ser divididas em duas categorias. A primeira categoria inclui programas criados para roubar arquivos e-wallet. Aplicações na segunda categoria, são projetadas para instalar o software para a geração de bitcoin ("mineração") em um computador infectado. Em termos absolutos, os ladrões de e-wallets realizaram duas vezes mais ataques no ano de 2013; no entanto, as ferramentas para "mineração", foram desenvolvidas mais rapidamente.

    "Durante 2013, o valor de bitcoins aumentou mais de 85 vezes, e, claro, isso atraiu a atenção dos cybercriminosos. Até o final do ano, o número de usuários atacados com malwares que visam bitcoins, estava começando a fechar-se sobre o número de pessoas que enfrentaram ameaças cibernéticas bancários mais convencionais. Além disso, os titulares da moeda virtual devem ter um cuidado especial, pois é quase impossível recuperar todo o dinheiro roubado. Este é o risco inerente no uso de uma moeda de criptografia como Bitcoin, que circula sem qualquer controle do governo", comentou Sergey Lozhkin, pesquisador sênior de segurança da Kaspersky Lab.

    Para usar crypto-currencies com segurança, os especialistas da Kaspersky Lab aconselham que seja feito o armazenamento de arquivos em wallets de mídia criptografados. Para o armazenamento a longo prazo, o usuário pode fazer uma transferência de um wallet dedicado ou colocar os detalhes no papel. Também é necessário fornecer proteção confiável ao computador contra software malicioso, usando uma solução confiável de classe Internet Security.


    Saiba Mais:

    [1] Kaspersky Lab http://www.kaspersky.com/about/news/...oin-cybercrime

    Sobre o Autor: Camilla Lemke


Visite: BR-Linux ·  VivaOLinux ·  Dicas-L