Ver Feed RSS

root@blog:/# chmod o+r *

[Curso de Python] O que é Python

Avaliação: 2 votos, 5,00 média.
A muito tempo eu comecei a escrever sobre Python na under mas nunca terminei. Esses dias ajudando o Info24hs acabei voltando em alguns conceitos básicos de Python o que me estimulou a voltar a escrever sobre Python. Sem contar que a Krix também já havia me cobrado isso!

Vou começar a postar regularmente aqui artigos de Python sobre a alcunha de "Curso de Python". Não vai ser um curso propriamente dito, mas sim uma exploração e explanação do Python. Quem tiver interesse acompanhe, que tiver dúvida pergunte!

Vamos começar...

O que é Python



Python é uma linguagem de programação de altíssimo nível interpretada e interativa. É completamente orientada a objetos e possui tipagem dinâmica. Foi lançada por Guido van Rossum em 1991. Atualmente possui um modelo de desenvolvimento comunitário e aberto gerenciado pela organização sem fins lucrativos Python Software Foundation.



Altíssimo nível?!

Antes de seguir em frente, o que seria uma linguagem de altíssimo nível? No mundo da programação temos linguagens de baixo nível, médio nível, alto nível e altíssimo nível.

  • Baixo nível: São linguagens que possuem apenas instruções de máquinas. Ex: Assembler;
  • Médio nível: São linguagens intermediárias que possui instruções mais avançadas porém também possui instruções em "linguagem de máquina". Ex: C;
  • Alto nível: São linguagens que possuem abstração da realidade, tem a capacidade de modelamento (Orientação a Objeto) e costumam exigir pouco do programador. Ex: Java.
  • Altíssimo nível: Linguagens de altíssimo nível é uma definição nova. Elas basicamente são as linguagens de alto nível "melhoradas". Ex: Python.



Interpretada?!

Interpretada que dizer que ela não é compilada e não gera um arquivo binário. As linguagens interpretadas normalmente geral o que chamamos de bytecode, que são instruções para uma "máquina virtual". Devido a esse comportamento linguagens interpretadas não são tão velozes quanto linguagens compiladas.



Interativa?!

Sim, Python é interativo, isto é, você tem "acesso ao programa" durante sua execução. Isso vai ficar mais claro pra frente quando eu apresentar o shell interativo do python (onde faremos a maioria dos exemplos).



Tipagem dinâmica?!

Sim, python tem tipagem dinâmica! Iso quer dizer que uma variável inteira pode virar uma string e logo depois um float, por exemplo. Clama, isso vai ficar claro mais pra frente também .




Introdução



O nome Python teve a sua origem no grupo humorístico britânico Monty Python, criador do programa Monty Python's Flying Circus, embora muitas pessoas façam associação com o réptil do mesmo nome. Uma foto para você:


A linguagem foi projetada com a filosofia de enfatizar a importância do esforço do programador sobre o esforço computacional e com o intuito de que um código pode ser facilmente compreendido. Isto pode ser comprovado retirando um trecho do Zen of Python:

Beautiful is better than ugly.
Explicit is better than implicit.
Simple is better than complex.
O Python ganhou muita força devido a sua sintaxe concisa e clara somado com os recursos poderosos de sua biblioteca padrão. O Python passou a ser adotado por várias pessoas e com isso sua base de módulos cresceu rapidamente tornando a linguagem muito mais versátil.


Mais algumas características



Abaixo uma análise mais detalhada sobre algumas características da linguagem Python

  • Simplicidade: Python é uma linguagem muito simples. Tanto de se usar quanto de se ler. Ela provê funcionalidades muito semelhantes às do C++ (em relação a orientação a objetos e ponteiros) porém de forma muito mais simples e intuitiva. Ler o código de um programa em Python é semelhante a ler um texto em inglês;
  • Software livre: Python é software livre. Isto significa que você pode distribuir cópias, ter acesso ao código fonte, alterar, modificar, redistribuir e utilizar pedaços dele em outros programas. Ele te dá as 4 liberdades básicas do software livre. Por esse motivo o Python está em sendo constantemente aperfeiçoado por uma comunidade que só quer vê-lo crescer;
  • Portabilidade: Python é portável para diversas arquiteturas, isto significa que seu programa escrito para Linux pode facilmente rodar em Linux, Windows, FreeBSD, Macintosh, Solaris, OS/2, Amiga, AROS, AS/400, BeOS, OS/390, z/OS, Palm OS, QNX, VMS, Psion, Acorn RISC OS, VxWorks, PlayStation, Sharp Zaurus, Windows, PocketPC e Symbian OS (utilizado por exemplo no Nokia S60);
  • Linguagem interpretada: Por ser interpretado o código de um programa Python é lido e executado pelo interpretador Python sem necessitar de compilação;
  • Orientação a objetos: Python suporta tanto a programação orientada a função quanto a programação orientada a objetos. Python tem uma maneira poderosa porém simples de implementar a orientação a objetos, especialmente quando comparada a grandes linguagens como C++ ou Java;
  • Extensível: Se você precisa que um pedaço do seu código rode bem mais rápido ou não quer que determinada parte do seu algoritmo seja código livre, você pode codificar esta parte em C ou C++ e usá-la em seu programa Python;
  • Pode ser embutido: Você pode embutir Python em seus programas C/C++ para oferecer características de scripting aos usuários de seu programa;
  • Muitas bibliotecas: A biblioteca padrão do Python é enorme. Elas podem ajudá-lo a fazer várias coisas como trabalhar com expressões regulares, banco de dados, navegadores, CGI, ftp, email, XML, XML-RPC, HTML, arquivos WAV, criptografia, GUI (interfaces gráficas), Tk, gerar documentação, threading, etc. Além da biblioteca padrão existem outras bibliotecas de alto nível como wxPython, Twisted, Python Imaging Library e muitas outras.



Obtendo o Python



Como dito anteriormente o Python é um software Livre e pode ser obtido no Site Oficial. No site é possível obter a versão mais recente do Python para diversas plataformas.

Nota: Nesse curso vou utilizar a versão 2.6.



Instalando no Windows



Por padrão o diretório de instalação do Phython é c:\Python26 (para a versão 2.6).
Junto com ele é instalado a domentação dos módulos, um Manual do Python e o IDLE (Integrated DeveLopment Environment). Com o Idle é possível editar e compilar programas em Python.

Por algum motivo a instalação do Python não adiciona c:\Python26 no path do windows, o que impossibilida a chamada do comando python. Para resolver esse problema utilize o seguinte comando no CMD:

Código:
set path=%path%;C:\python26
O único problema é que o ao re-iniciar o CMD essa atribuição se perde. Para algo definitivo faça o seguinte procedimento:

  1. Clique com o botão direito em Meu Computador e selecione Propriedades;
  2. Selecione a aba Avançado;
  3. Clique em Variáveis de Ambiente;
  4. Ache o PATH na lista inferior (Variáveis de Sistema) e clique em Editar;
  5. Adicione C:\Python26.


Instalando no GNU/Linux



Na maioria dos GNU/Linux o Python já vem instalado por padrão. Caso não venha você pode instalá-lo (para distribuição baseada no Debian) com o seguinte comando:
Código:
apt-get install python*

Será que a instalação funcionou??



Instalei, será que funcionou?!?! Para saber abra um terminal (isso funciona tanto pra windows quanto pra Linux) e digite o seguinte:
Código:
python -c \"print 'Hello World!\"
'Hello World!'
Se tudo ocorrer como no exemplo acima, você conseguiu instalar o python com sucesso e acabou de fazer seu primeiro programa em Python XD. Tá, esse não vale... quem sabe no próximo post ne?!

Lembra que eu falei do Zen of Python?! Vamos ver como lê-la completamente:
Código:
python -c \"import this\"

The Zen of Python, by Tim Peters

Beautiful is better than ugly.
Explicit is better than implicit.
Simple is better than complex.
Complex is better than complicated.
Flat is better than nested.
Sparse is better than dense.
Readability counts.
Special cases aren't special enough to break the rules.
Although practicality beats purity.
Errors should never pass silently.
Unless explicitly silenced.
In the face of ambiguity, refuse the temptation to guess.
There should be one-- and preferably only one --obvious way to do it.
Although that way may not be obvious at first unless you're Dutch.
Now is better than never.
Although never is often better than *right* now.
If the implementation is hard to explain, it's a bad idea.
If the implementation is easy to explain, it may be a good idea.
Namespaces are one honking great idea -- let's do more of those!
Bem, é isso ai pessoal!
Até mais...

Atualizado 02-02-2010 em 08:27 por Magnun

Categorias
Python , Artigos , Artigos , Cursos , Curso de Python

Comentários

Página 1 de 3 123 ÚltimoÚltimo
  1. Avatar de krixapolinario
    Muito bom Magnun. Parabéns. :D
  2. Avatar de Lincoln
    great!
  3. Avatar de Magnun
    Obrigado pessoal! Semana que vem tem mais!!
  4. Avatar de info24hs
    Como sempre o material é de qualidade.. e bem didático..

    Abraço amigo.
  5. Avatar de Magnun
    Valeu cara!
Página 1 de 3 123 ÚltimoÚltimo

+ Enviar Comentário



Visite: BR-Linux ·  VivaOLinux ·  Dicas-L