Ver Feed RSS

Novidades do Mundo Open Source

Grupos de Mídia Atacam Pirataria nos EUA

Avaliação: 2 votos, 5,00 média.
A NBC Universal é um dos grandes grupos de mídia nos EUA, produtora de filmes e seriados fornecidos principalmente para empresas de TV a cabo em todo o mundo. O seu vice-presidente, Richard Cotton, fez recentemente uma declaração interessante nesse sentido.

Perda de Empregos, Crise e Programa de Financiamento dos EUA
Segundo Cotton, a pirataria na Internet (download ilegal de vídeos, jogos, música, etc.) ocupa 50% do tráfego de Internet, congestionando os backbones das operadoras. Assim, segundo ele, a pirataria não apenas causa perdas na indústria de entretenimento, mas também causa problema às operadoras.

[PIC=right]http://under-linux.org/wiki/images/c/c4/Comite_americano.png[/PIC]
O VP da NBC fez essas declarações em uma audiência pública perante o comitê de finanças do senado dos EUA que investiga as perdas causadas pela pirataria.

Tudo isso vem no momento em que o governo americano está prestes a liberar uma enorme verba de financiamento da expansão da banda larga em todo os EUA e, sobre o qual, a comissão do senado americano pode exigir garantias, tais como garantir que essa verba não seja utilizada para facilitar a troca ilegal de arquivos.

O desejo da indústria de entretenimento nos EUA é que os provedores de acesso façam o trabalho de fiscalização e conscientização dos usuários que abusem do tráfego ilegal.

Influência No Brasil

Os EUA (seguido pela Europa), é a economia que move o desenvolvimento das tecnologias da Internet. Apesar do grande número de potenciais usuários na Ásia, as tecnologias utilizadas em 90% da Internet hoje vem dos EUA.

Sendo assim essa discussão seguramente terá impactos em médio e longo prazo no Brasil. O plano de incentivo à economia nos EUA vai permitir novas tecnologias e baratear as já existentes, o que terá efeitos positivos aqui.

Assim essa discussão também interessa ao Brasil, principalmente aos provedores de acesso Internet brasileiros que, dependendo da forma como essa discussão seguir.

Vale lembrar que a comissão de finanças do senado dos EUA é muito poderosa é já, por várias vezes, interviu em assuntos de interesse do Brasil, como taxação de importação para os EUA de algodão e aço, apenas para citar dois exemplos.

Sendo assim, não seria difícil imaginar termos o senado americano fazendo pressão para o mundo tomar ações contra a pirataria. Isso significaria, possivelmente, a Anatel e o governo brasileiro criando legislação obrigando os provedores (detentores de SCM) à criar mecanismos de inibição do tráfego dos seus usuários além de permitir com que as operadores de backbone cortem a conexão dos provedores que não cumpram essa tarefa.

Traduzindo: dependendo da forma como caminhe essa discussão no senado dos EUA, poderíamos ter no futuro uma carga de trabalho extra para os provedores, o que iria dificultar ainda mais a vida dos pequenos provedores locais, que não tem os mesmos recursos (para aquisição de tecnologia) que os grandes provedores.

Saiba Mais:


[1]telephonyonline.com: Content piracy clogging the ‘Net, costing jobs
[2]Comite de Finanças do Senado dos EUA

Atualizado 25-10-2009 em 09:31 por LinuxN

Categorias
Não Categorizado

Comentários

  1. Avatar de code
    Eu sou contra pirataria e quero deixar isso bem claro. Mas não pude resistir a fazer uma piada. As companhias de entretenimento não podem simplesmente lançar um número de downloads ilegais (na maioria esmagadora das vezes, via P2P) assim do nada.

    Se formos parar para pensar, a Internet é algo livre, onde seu anonimato é garantido até o momento em que uma ordem judicial aparece para lhe expor. Aí fica a pergunta: como eles podem saber qual a porcentagem de download ilegal na Internet? Poderíamos dizer que, de duas uma (e interligadas):


    A primeira é que nossos direitos de anonimato nunca foram respeitados e a indústria do entretenimento (e seus órgãos policiescos) estão claramente infringindo a lei e monitorando toda a comunicação P2P existente. E estão fazendo isso via operadoras em todo o mundo. Mas será que eles tem realmente tanto poder de penetração para garantir, as margens da lei, que todas as operadores estejam enviando todos os dados de tráfego para eles a todo momento, em uma linha aberta?

    A segunda é um acrescimo da primeira. Podemos teorizar que nem todas as comunicações P2P são de material ilegal na Internet. Pode até ser uma minoria, mas é um número plausível. Eu aposto que eles estão contando todas as conexões P2P existentes como ilegais, o que os deixa cometendo um segundo crime: o de estar culpando sem provas todos os que utilizam ferramentas de comunicação P2P, mesmo que os mesmos utilizem essa tecnologia somente para troca de material legalizado.

    A tecnologia P2P é um importante avanço na comunicação descentralizada entre computadores. E não deveria ser tratada como algo "maligno", muito menos por indústrias sempre atrasadas no desenvolvimento tecnológico e comercial, e que adoram impor suas vontades contra o sistema executivo e judiciário de vários países no mundo.
  2. Avatar de lucianogf
    o grande motivo de existir pirataria é a forma como os produtos são vendidos e seus custos.

    música: por que cada música não é vendida a R$ 0,50 na internet? eu compraria.

    filme: quem vai pagar R$ 80,00 num lançamento?

    programas: o maior exemplo de todos, licença do windows, alguém já pesquisou pra saber o absurdo que é?

    querem ganhar dinheiro de uma vez só, tá aí a pirataria!

+ Enviar Comentário



Visite: BR-Linux ·  VivaOLinux ·  Dicas-L