Ver Feed RSS

Tecnologia de Redes, Mobilidade e Inovação

Google Instant: mais uma dificuldade para os provedores de Internet wireless

Avalie este Post de Blog
Para quem não conhece, o Google Instant é uma nova forma de pesquisa, criada pelo Google. Por enquanto, está disponível apenas para os usuários nos EUA, Russia, Reino Unido e alguns outros países, mas seguramente será - em breve - disponibilizada para o Brasil.

Com o Google Instant, você não precisa pressionar ENTER ou clicar no botão OK para fazer a busca, você vai digitando e - automaticamente - os resultados possíveis vão aparecendo na tela.

O argumento do Google é bem simples: uma busca no Google leva menos de meio segundo, mas o usuário pode levar 15 segundos ou mais para digitar o que quer. Por outro lado, muitas vezes não seria necessário o usuário digitar tudo para encontrar o que deseja.

Por exemplo, se o usuário quer procurar por "viagem Salvador", talvez apenas digitando "Viagem Salv" o Google entenda o que ele deseja. Com o Google Instant, a cada letra é realizada uma busca, de forma que o usuário pode saber facilmente quando pode parar de digitar e começar a navegar.

O Excesso de Tráfego

O grande problema do Google Instant é que ele irá demandar muito mais tráfego.

Qualquer provedor sabe que existem diversos perfis de usuários: os avançados com Rapidshare, Download Accelerator, Bitorrent e os básicos, que ficam no email e navegação web.

Com isso existe um balanço entre o consumo de banda por usuário, aonde os usuários básicos consomem pouca banda, e de maneira esporádica: acessam uma página (um pico de tráfego) e ficam alguns minutos lendo (pouco tráfego).

O problema do Google Instant é que a cada letra digitada, o usuário irá receber uma página completa (inclusive com imagens e figuras). Isso quer dizer que os usuários básicos, que antes demandavam pouca banda, se tornarão - da noite para o dia - consumidores mais agressivos de banda.

Além disso esses mesmos usuários, ao se acostumarem com o Google Instant, irão exigir dos provedores banda suficiente para que o Google Instant funcione adequadamente. Para piorar, o Google desabilita automaticamente o Google Instant quando a conexão está lenta, mas também avisa ao usuário, que seguramente irá usar esse aviso para abrir reclamações no provedor.

Para os provedores de acesso Internet wireless, que compartilham a banda com vários usuários, isso poderá se tornar um problema. E não se trata de limitar a banda de cada usuário, mas sim do fato de que cada usuário irá consumir quase que constantemente sua banda máxima permitida (o que irá diminuir em muito a capacidade dos provedores de sobrescreverem a rede).

Assim os provedores devem se preparar (e prepara seu time de suporte) para o momento em que o Google Instant entrar em operação no Brasil.

Saiba Mais:

[1] About Google Instant: http://www.google.com/instant/
Categorias
Não Categorizado

Comentários

  1. Avatar de pabloferretti
    Sei que não é a realidade de todos, mas acredito que com algum investimento é possivel se conectar ao PTT-SP onde o Google troca trafego, e assim a banda de internet continua livre, "para troca de trafego é necessario que o provedor tenha AS e Roteamento BGP, é nossa realidade daqui pra frente.

+ Enviar Comentário




Visite: BR-Linux ·  VivaOLinux ·  Dicas-L