Visite: BR-Linux ·  VivaOLinux ·  LinuxSecurity ·  Dicas-L ·  NoticiasLinux ·  SoftwareLivre.org

Ver Feed RSS

Coluna de Segurança

Checklist de Segurança para Aplicações PHP

Avalie este Post de Blog
Este é um pequeno checklist de algumas medidas que podem ser colocadas em prática para deixar sua aplicação PHP mais segura. Não é necessário ser um expert na área para conseguir um nível de segurança suficiente para bloquear a maioria dos ataques.


Básico:


  • Senhas fortes devem ser utilizadas (maiúsculas, minúsculas, números e símbolos);
  • As senhas devem ser armazenadas de forma segura (não guardar as senhas em texto puro);
    Código PHP:
    register_globals Off;
    display_errors Off;
    disabled_functions dl,exec,system,passthru,shell_exec,proc_open,popen,show_source;
    allow_url_fopen Off;
    allow_url_include Off;
    open_basedir "apenas o path de sua aplicação"


Entrada de Dados:


  • Todos os valores vindos de $_GET, $_POST, $_COOKIE, $_REQUEST são considerados contaminados por padrão.
  • Todo dado de entrada deve ser validado;
  • Caracteres \0 (NULL) devem ser descartados;
  • Verificar o comprimento dos dados;
  • Caracteres unicode devem ser descartados onde for possível;
  • Utilizar funções como add_slashes e mysql_real_escape_string;
  • Arquivos não devem ser abertos utilizando dados vindos do usuário. Ex:
    Código PHP:
    $file $_GET['file']; include("$file".php); 


Upload de Arquivos:


  • Verificar o tipo do arquivo, não confiar apenas em sua extensão;
    Código PHP:
     mime_content_type($file); 
  • Checar o tamanho do arquivo;
  • Verificar o conteúdo do arquivo, use scanners de malware se necessário;
  • Arquivos enviados não devem ser movidos para um lugar acessível diretamente via browser;
  • Arquivos enviados não devem ser carregados via in include();


Banco de dados:


  • Qualquer comunicação com o banco de dados de ser parametrizada/escapada - Leia;
    Código PHP:
    mysql_real_escape_string(); 
  • A aplicação não deve ter mais acesso do que o necessário ao banco de dados, por exemplo ter acesso de escrita se somente opera funções de leitura;
  • Acesso remoto ao banco de dados deve ser desabilitado se possível;
  • Preparar as querys com PDO;


Autenticação:


  • Bloquear endereço IP / conta no caso de falhas de autenticação seguidas (Evitar ataque de brute force);
  • Utilizar recursos como CAPTCHA;
  • Utilize SSL para evitar MITM;
  • Não salvar a senha em cookies;
  • Utilizar salts diferentes para cada usuário;
  • Não utilizar MD5 para gerar/armazenar a senha;
  • As páginas de recuperação de senha não devem mostrar os emails existentes;
  • As páginas que enviam email devem ter algum tipo de limitação de envio;


Sessões:


  • A sessão deve ser destruída no logout;
    Código PHP:
    session_destroy(); 
  • A sessão deve ser recriada toda vez que alguma operação importante for executada (evitar session hijack);
    Código PHP:
    session_regenerate_id(); 
  • Armazenar as sessões em locais diferentes para cada site rodando no servidor;
  • Não aceitar IDs de sessão gerados externamente para evitar Session Fixation (Definir timeout na sessão);
  • Expirar sessões antigas;
  • Não utilizar o mesmo diretório para armazenar sessões e arquivos enviados;


Parceiros/Acessos Externos:


  • Referências externas devem utilizar tokens/chaves para evitar CSRF;
  • Não confiar no REFERER;
  • Verificar se imagens,páginas que demorem para carregar, CSS,etc não forneçam informações confidenciais se carregadas remotamente ;



Variados:


  • Utilize suhosin;
  • Utilize a função htmlentities() para qualquer conteúdo que o usuário irá visualizar, para evitar XSS;
    Código PHP:
    echo htmlentities($str); 
  • Mensagens de erro devem ser tratadas; Não exiba a mensagem de erro padrão do banco de dados, isto é uma fonte de informação importante para SQLInjection. Claro que Blind SQLInjection ainda poderá ocorrer se os dados não forem tratados corretamente mas pelo menos dificulta;


E um dos MAIS IMPORTANTES:

"Security through obscurity" ou "Segurança através de obscuridade"

NÃO É SEGURANÇA

Para quem não conhece esta "técnica", se é que podemos chamar isto de técnica, é o uso de artimanhas para tentar esconder informações fazendo com que elas fiquem mais difíceis de se ler a olho nú.

Por exemplo:


  • Colocar todo código em apenas uma linha;
  • Trocar o texto através de funções, ex:
    Código PHP:
    $e str_replace('y','e','yxyc');$e(ls); 
    Isto se traduz em:
    Código PHP:
    exec(ls); 


  • Utilzar funções para codificar o texto, ex:
    Código PHP:
    eval(ZXhlYyhscyk7); 
    Isto se traduz em:
    Código PHP:
    exec(ls); 



CONCLUSÃO

A grande regra de ouro é nunca revelar mais informações do que o necessário. Com este checklist você no mínimo, ficará muito mais protegido contra ataques XSS, SQLi, CSRF, Brute Force, Session Hijack e Session Brute Force;

Apesar de ser um checklist com funções para PHP, boa parte pode ser aplicado a outras linguagens.

Desenvolvido por: Rafael M. Capovilla AKA 'iceman' e Camilla Lemke

Para dar sugestões para o próximo artigo, basta comentar aqui!
Tags: Nenhum Adicionar / Editar Tags
Categorias
Dicas

Comentários


+ Enviar Comentário