Ver Feed RSS

acris

tortura light...

Avalie este Post de Blog
Acabei de ler na Agência FAPESP uma reportagem (leia aqui) sobre o estudo da australiana Jessica Wolfendale sobre a utilização, comum entre jornalistas, governos e torturadores, da expressão "tortura light".
Cito:
"Segundo ela, o termo “tortura light” é amplamente utilizado no debate público internacional sobre a tortura, referindo-se a métodos de interrogatório nos quais a vítima é submetida por diversas horas, por exemplo, à privação de sono, à permanência em posição desconfortável, à exposição à luz intensa e música em alto volume ou ao uso de capuz na cabeça e algemas nos pés e mãos.
“Essa distinção entre modalidades de tortura, muito usada por torturadores, mas também pelos jornalistas e intelectuais que estudam o tema, é profundamente nociva para as democracias, pois alimenta uma ilusão de que algum tipo de tortura possa ser compatível com o estado de direito”, disse à Agência FAPESP."
Isso me fez pensar que usamos muitos tipos de tortura em nossa sociedade, torturas legalmente aceitas, sem o menor pudor. Desde uma patroa que obriga a empregada a trabalhar sem parar 16h por dia até o professor altamente titulado que obriga, com o poder de sua titularidade, seus alunos a trabalhos exageradamente pesados. Desde o marido que massacra a esposa diariamente com cobranças absurdas de cujo não cumprimento ela é sempre culpada, até o usuário de IRC que, seja lá por qual motivo, decide sugerir ao usuário novato que resolva seu problema no linux usando um "rm -rf /" e depois morre de rir quando o coitado descobre que apagou seu hd inteiro.
Sujeitos a torturas todos estamos. O tempo todo. Torturas morais, torturas sociais, todas legalmente aceitas. Todo tipo de preconceito gera torturas constantes, entre pais e filhos, entre amigos, entre colegas de trabalho.
Nossa sociedade é muito medieval ainda. É por isso que nenhuma tecnologia vai salvar a humanidade: quem faz e quem usa somos nós. Mas todas as tentativas de fazer evoluir são válidas.
Esta semana comecei uma nova disciplina e vou começar outras duas hoje.
Toda vez que começo uma disciplina, toda vez que começo uma orientação, bato sempre na mesma tecla: você tem algo a me oferecer, como eu tenho a oferecer a você. Se você vem aqui somente para receber, vai tornar-se uma pessoa dependente e limitada. Mas para dar algo, é preciso responsabilidade. Se aprendo algo hoje, amanhã certamente vai aparecer alguém precisando do mesmo conhecimento que acabei de receber. Se eu achar que, porque acabei de aprender, não sou capaz de ensinar, jamais aprenderei a ensinar.
Autodidatismo não existe: mesmo se você aprende sem um professor, aprende de algum lugar.
É isso que me encanta no software livre: a consciência de que o conhecimento deve ser livre, de que partilhar é a melhor e mais efetiva forma de crescer.
E isso é feito aqui, no nosso mundo capitalista, em suas entranhas, por isso a briga com grandes monopólios, briga que sequer existiria se o software livre não tivesse o poder que tem.
Todos nós temos muito a aprender uns com os outros, independente de idade, cor, raça, credo, titularidade. Mas para isso é preciso ter muita coragem. Coragem de chegar para 45 alunos e dizer: eu não sei tudo, se eu falar algo que vocês não concordam, coloquem-se, pois este espaço existe para o crescimento de todos aqui. Coragem de dizer: eu modifiquei meu grub pela primeira vez ontem, posso tentar ajudar voce a resolver o seu problema com ele. Coragem de ouvir. Coragem para sentir, sentir medo de errar e ir em frente assim mesmo.
Eu sei que nossa sociedade medieval tecnológica vai continuar sendo assim, medieval, por muito tempo, mas sei também que, se não existirem os loucos corajosos que tentam com todos os seus meios fazer alguma diferença, ela jamais mudará.

Ninguém vai salvar o mundo sozinho. O máximo que vai conseguir é ser torturado, sozinho... O tempo dos mártires já passou.
Categorias
Não Categorizado

Comentários

  1. Avatar de Não Registrado
    Além de tortura ligth, temos o préconceito light, o roubo light, o assassinato light, a estorção light, a CPI light e, até, a comida light. Na verdade, é a nossa banalização que é weighty, propagados pelos meios de comunicação em massa, endossados pela nossa indiferença e omissão!
  2. Avatar de acris
    perfeito! obrigada!

+ Enviar Comentário




Visite: BR-Linux ·  VivaOLinux ·  Dicas-L