+ Responder ao Tópico



  1. #13

    Padrão Re: Polarização

    @rubem me corrige a minha falta de conhecimento em relação a sinais de tv via satélite...
    Eu imagino cada TP com frequências diferentes, então, se um TP é de 4668 H... seriam 4468 MB por segundo...

    Se imaginarmos um filme de 90 minutos FULL HD avi, temos em torno de 800MB...
    teríamos em torno de 148KB por segundo...

    A questão é: Qual a parte da frequência pode ser utilizada, pois 4.468 MB são 4.668.000.000 hertz , se cada hertz fosse 1 byte, necessitaríamos de 151.552 hertz por segundo no caso do filme acima... No exemplo acima, poderíamos passar 31 filmes aleatoriamente nesta mesma frequência...

    Daí a banda C temos 800 Mhz - 3400 a 4200... Existem TPs com diferença de 2 Mhz... Então 800 / 2 = 400 ... Daí temos que lembrar da polarização , V e H ... Então temos 800 TPs ...

    Se cada TP, poderíamos passar 31 vídeos ... teríamos 24.800 vídeos FULL HD apenas na banda C de 1 determinado satélite...

    Obviamente que este cálculo é ridículo, pois sabemos que existem pouco mais de 100 canais na banda C nos satélites, sendo que apenas 1 satélites daria conta de todos os sinais...

    Como que é realizado a transmissão via satélite, pois como disse acima:
    Imagem mpeg em qualidade SD (480p) via satélite gasta mal e mal 1Mbps

    ATT

  2. #14

    Padrão Re: Polarização

    @rubem Na Anatel não encontrei nada em relação ao uso de banda circular em KU...
    Já Banda C e Ka, tem uma norma que específica as antenas...

    Resolução nº 288, de 21 de janeiro de 2002, que Aprova a Norma das Condições de Operação de Satélites Geoestacionários em Banda Ku com Cobertura sobre o Território Brasileiro. Diz que:

    3.5 As estações espaciais e terrenas devem utilizar antenas com polarização linear.

    E:
    8.5 Excepcionalmente, e sujeitas à coordenação conforme item 5, as estações terrenas podem utilizar polarização circular.

    Já em relação a Banda C, usasse muito placas de teflon entre outros materiais, para converter a polarização circular em linear, como a imagem mostrada por você acima...

    ATT



  3. #15

    Padrão Re: Polarização

    É possível que no brasil seja legal o uso apenas de linear, o que tenho de KU é antigo mesmo, equipto Quasar por exemplo (Americana, que faliu tem uns 10 anos).

    Os satélites brasileiros então devem operar com pol. linear. Vai ter algum equipto circular a venda porque a maioria disso é importado mesmo (Última vez que procurei, achei LNBF Ku de várias marcas de R$ 10 a 50, os mais baratos devem ser importados com desempenho ruim no brasil).


    Agora sobre a banda, no exemplo dado, 4668MHz é a frequencia do canal.
    A largura do canal depende, em banda KU tem até canal de 5MHz de largura, se fosse o caso, com o centro a 4668MHz e largura de 5MHz, o canal iria na verdade de 4665,5MHz até 4670,5MHz.
    Numa largura de 5MHz, seriam 5Mbps em teoria. Mas tem aqueles esquemas de modulação QPSK, um QUAD-psk, são 4 pontos na constelação, é quase um 4QAM. Isso em tese dá 4x a banda original. Mas na prática depende de temporizações e cia, de modo que até daria pra conseguir mais de 5Mbps em situações ideais, mas deve usar só metade dos pontos com dados válidos, seria um coding rate de 1/2, ou seja, QPSK 1/2, vai dar um datarate de uns 3Mbps em 5MHz de largura, dependendo das temporizações (Tempo pro chipset processar cada pacote).

    E com 3Mbps até dá pra passar vídeo de resolução 720p se usar codec tipo H264.
    Em mpeg (Padrão antigo, dos anos 90) tinha satélite antigo que só conseguia 480p com esse throughput.

    Pra conseguir mais banda, ou usa um esquema de modulação melhor (Mas isso implica reprojetar satélite e receptores), ou usa canal mais largo. Em 10MHz de largura (Caso o canal vá de 4663 a 4673MHz, com o centro em 4668MHz) vai dar uns 6Mbps, mas pode ser que usem mais pontos com dado válido, um codec rate tipo 3/4 ou 5/6, isso daria quase 10Mbps, que até dá pra vídeo h264 a 1080p (E dá pra 1080i tranquilo).

    Em banda C a largura dos canais é bagunçada, nos receptores dos anos 90 tinha o filtro de 18 ou 27MHz pra ligar ou desligar, pros canais "dividos". Um canal típico teria 40MHz de largura, sendo analógico não tem banda digital pra medir. Com 40MHz de largura dá pra um canal bem limpo, mas uns canais dividiam o uso, digamos a TVE com a TV Escola dividindo o mesmo canal de 20MHz, é algo tipo 1380MHz um e 1400MHz o outro, o canal de 40MHz é dividido em 2 de 20MHz, na prática o filtro limita a 18 ou 27MHz de largura. E 18MHz de largura, incluindo áudio, não dá pra uma imagem pra lá de linda, ela fica mais deficiente que um canal de 27MHz de largura.

    Em banda KU não sei largura e numero de portadoras, mas notei que a frequência dos canais é bagunçada, não é com múltiplos exatos, então devem ter canais de larguras diferentes. E realmente, quando uma árvore cresce um palmo na frente de uma antena KU só alguns canais falham, geralmente os canais que usam banda mais larga (Os canais HD), conforme a obstrução aumenta, no final só pega alguns canais SD de imagem ruim (Provavelmente os que usam canais mais estreito).

    Não sei se isso explica o suficiente sobre os esquemas digitais de modulação:
    https://www.linuxtv.org/wiki/index.p...ulation_Scheme

    Talvez algum dos tutoriais do Teleco ajude mais (Ainda que tratem sobre ADSL ou Wimax, os esquemas digitais de modulação tem as mesmas bases):
    http://www.teleco.com.br/tutoriais/t...l/pagina_3.asp
    http://www.teleco.com.br/tutoriais/t...2/pagina_2.asp
    http://www.teleco.com.br/tutoriais/t...2/pagina_3.asp
    http://www.teleco.com.br/tutoriais/t...2/pagina_4.asp


    Eu até costumo olhar legislação, mas NESSE CASO não, porque os satélites atendem vários países, eu sempre acabo olhando o que tem nos satélites e não na legislação, e tem satélite com tudo que é modulação, com tudo que é codec digital (H264 é recente), com tudo quanto é largura de canal, é bem variado.


    Alias... meu receptor banda KU é um American Bird AB5700, acho que minha irmã comprou em 1994 (Pra usar em banda C), até 2000 eu usei ele nalguns satélites em banda KU, hoje precisaria um receptor com H264 pra pegar muita coisa nacional, como se vê eu tô "meio" desatualizado nos satélites brasileiros.

    (Até porque mesmo receptor barato tipo Lemom, se a antena estiver apontada, é mandar fazer a busca cega de canais e milagrosamente tudo se ajusta, isso emburrece a gente. Eu decorei os canais em banda C porque nos primeiros receptores digitais tinha que digitar a frequencia do canal, a largura, áudio (O do canal sempre 5.8MHz), nos receptores de girar o dial não precisava disso mas podia ler a frequencia escrita e sempre sintonizar certo, com os receptores com busca cega isso morreu, ninguém mais sabe largura de canal ou a frequencia central dos canais)

  4. #16

    Padrão Re: Polarização

    Ah, e sobre um canal usar 4668MHz na vertical, ele não tem NADA a ver com o canal que usa 4668MHz na horizontal.

    É como se fosse OUTRO SATELITE, chegando em OUTRA ANTENA. São 2 monopolos, um só envia e recebe sinal vertical, e outro só hozitontal, são 2 antenas diferentes, cada uma recebe sinal da antena na mesma polarização no satélite.

    Ou seja, o satelite tem antena vertical, esse sinal é recebido na antena vertical na parabólica.

    E SEPARADO disso tem a antena horizontal no satélite, o que ela transmite é a antena horizontal da parabólica que capta. São canais diferentes porque são ANTENAS diferentes em uso.

    É tipo a imagem 3D numas telas, a imagem vermelha e a azul, ela está na mesma tela mas com o óculos adequado você enxerga 2 imagens DIFERENTES (Elas são minimamente diferentes mas poderiam ser 100% diferentes) na mesma tela, não é bem questão de polarização da luz, é só exemplo.

    (Radio FM stereo tem sistema que divide o tempo, hora transmite o canal esquerdo, hora o direito, no mesmo canal da rádio você tem 2 áudios, eles poderiam ser separados totalmente, é outro exemplo nada a ver com polarização mas é só pra indicar outro tipo de divisão do espectro que passa desapercebido)



  5. #17

    Padrão Re: Polarização

    @rubem aqui tem muitos detalhes sobre banda C e KU de cada satélite:
    http://www.portaleds.com/satelites/index.php

  6. #18

    Padrão Re: Polarização

    @rubem, quando você falou sobre canal, não seria mais interessante manter uma frequência única e de acordo com a Tensão de amplitude dizer se 0 ou 1.

    Digamos, 10 hertz... Iriamos mantes esta frequência... caso a tensão de amplitude fosse 5 (true), 0 (false)...

    Dai digamos que teríamos em 1 segundo: 0100110001

    Daí se tivéssemos apenas a capacidade 9 hertz em 1 segundo: 011100110

    Dessa forma não iriamos aproveitar toda a frequência, ao invés de pegarmos canais:

    canal de 5 a 8 hertz = 1010

    1º) Temos aparelhos para analisarmos apenas determinada frequência?

    2º) temos aparelhos para verificarmos determinada tensão de amplitude?