Página 2 de 2 PrimeiroPrimeiro 12
+ Responder ao Tópico



  1. #7

    Padrão Re: Como comprar em bit e vender em byte ?

    Acho que os bit/s vem laaaaaa da época dos bauds

    Conexões seriais super lentas (nos padroes atuais)

    Ai, tudo que serializa, usam bits/s e não bytes.

    Já quando se fala em volume, aí é sempre byte

    Enviado via SM-G935F usando UnderLinux App

  2. #8

    Padrão Re: Como comprar em bit e vender em byte ?

    Cara, não reinventa a roda. Segue falando com os clientes em mega. O cliente não quer e não sabe a diferença entre bit e byte. É assim que o mercado está e não vai ser um de nós que vai mudar isso.

    Você compra um dedicado de 10 mega e vai compartilhar com planos de 5mega. Isso permite de dois a 6 clientes em média. Mas isso é muito variável. O perfil do cliente é que vai ditar o ritmo.
    E este perfil pode mudar de hoje para amanhã.
    Em princípio se dois estiverem fazendo um download grande eles vão querer chegar nos 5mega. Daí já dá no limite.
    Mas senão estiverem fazendo download grande vai permitir mais ao mesmo tempo.

    Mas este valor fictício de 6 é também variável em função do número total de clientes no provedor. Um provedor com 1000 clientes se comparado com um provedor com 100 clientes sempre vai ter mais facilidade de introduzir clientes pois quanto maior o número de clientes as probabilidades de dar gargalo mantendo a mesma proporção do provedor de 100 clientes é muito menor. Por isso que não existe uma receita de número de clientes por cada mega de banda.

    E mesmo para clientes que só acessam redes sociais o intervalo de acesso entre cada um deles é muito curto. Hoje quase ninguém lê o que está escrito. Só olham imagens e vídeos. Então as solicitações ao roteador são constantes.
    Se todo mundo parasse um pouco para ler o que está escrito, isto permitiria mais gente .

    Quanto a kbps e KB/s é só questão de escala de leitura.
    1 byte = 8 bits.
    É como expressar distancias em centimetros, metros ou km. Você poderia expressar a distancia entre duas cidades em centímetros em vez de km. Mas isso só iria complicar a vida. Não acha muito mais fácil continuar usando Km? Não muda nada a não ser a escala.

    Só que em matéria de internet se fala mais em Mega.
    Agora até as propagandas de 4G estão criando mais uma complicação para os leigos. Eles falam em internet de 5GB. Daí o infeliz incauto contrata pensando que vai navegar a 5GB. Na verdade ele está contratando uma franquia de dados de 5GB. Então ele liga para um 0800 e uma atendente que não conhece nada vem e diz: "Vou 'estar' lhe passando para o setor técnico". (porque será que atendente de 0800 gosta do "vou estar", assassinando a língua).
    Daí o ´técnico' vem de lá e fala um monte de coisas que o sujeito não entende e a briga continua.
    É volume de informação e não velocidade... Daí a confusão que se generalizou.



  3. #9

    Padrão Re: Como comprar em bit e vender em byte ?

    Bem se você colocar 1:1 fica dedicado mais se você coloca 1:8 fica compartilhado vendendo planos de 1 Mbps daria para colocar até 80 clientes não simultâneos, ou seja 8 clientes por mega, apostando que nem todos vão usar ao mesmo tempo, e na verdade nunca usam todos ao mesmo tempo, é o que fazem os provedores colocam vários clientes em 1 MB alguns até 1:10 mais se todos clientes puxassem a velocidade contratada ao mesmo tempo, todo link travaria e gerava um gargalo, o maior problema seria com os horários de picos. Em cima disso dar para colocar uns 20 clientes a 4mbps.

  4. #10

    Padrão Re: Como comprar em bit e vender em byte ?

    Sempre gosto de explicar o motivo da confusão:

    Via serial mede velocidade em bits por segundo.

    Via paralela mede velocidade em bytes por segundo.

    Rede ethernet, modem, cabo serial (RS232 ou RS248) são meios seriais, por isso RS232 fala em digamos 115kbps, ou rede ethernet fala em 100Mbps. HD Sata (SERIAL ATA) é digamos Sata 6Gbps. USB (Universal SERIAL bus) fala em 480Mbps. Tudo serial, então bit por segundo.

    Já HD ATA (IDE), memória Ram, estes usam várias vias paralelas de dados, cabos de impressora antigos também. Nos cabos de impressora inclusive são 8 vias de dados seriais, ou seja, transmite 8 bits por transação, sendo 1 bit por via, sendo 8 vias isso vira 1 byte. Lógica simples. HD IDE era vendido como digamos ATA100 (100MB/s) ou ATA133 (133MB/s). Memoria Ram é vendida como digamos DDR3-1333 (2x 667MHz = 1333MT/s, T de TRANSAÇÕES) mas no rótulo está lá o nome certo, PC3-10600 nesse caso, que seria 10600MB/s. Qualquer boa memória informa o valor em bytes por segundo, já que tem comunicação paralela, exemplo.

    O navegador não sabe se sua internet vem por um meio serial (Um único par de fios, tipo ADSL), ou se você está movendo o arquivo de um servidor virtual emulado localmente no HD IDE, ele informa na verdade a velocidade de GRAVAÇÃO do arquivo que você baixou. Via de regra o download vai sendo gravado na ram, gera um bloco grande o suficiente pra mandar pro HD, mas primeiro fica na Ram, e como a Ram usa comunicação paralela, faz todo sentido que essa velocidade seja informada em bytes por segundo.

    Se você vender conexão por meio serial (ADSL, PLC, wifi, fibra), tem que vender a conexão em bits por segundo. Se o usuário não entende o que compra, deixa ele morrer burro, acesso a informação ele tem, se ele não busca informação relevante (Ao invés de gastar tempo em babaquice tipo rede social fofocando sobre a vida alheia), é a opção dele pela ignorância. A regra é bem clara, se é serial é bit, se é paralelo é byte, não tem como fugir disso. Se quiser configurar gerenciador de downloads ou navegador pra exibir velocidade fora do padrão (Bits por segundo) você estará fazendo GAMBIARRA, vai tapar o sol (A preguiça do usuário) com a peneira. Teste de velocidade só pega um dado e joga fora, esse pode ser exibido em bits/s, mas download joga o conteúdo na ram, tem que ser byte/s.

    (Se voltar no tempo e usar disquete, que tem gravação paralela, vai achar muito disquete que grava a 150KB/s, ou seja, se fizer um download por uma fibra de 30Mbps, download feito rumo ao disquete, o download seria exibido a 150KB/s, que vem a ser 1200Kbps, porque esse limite seria o da velocidade de gravação do disquete, não o do download. Nos tempos dos disquetes não tinha internet rápida, mas tinha rede serial ou outras redes locais MUITO mais rápidas que a velocidade de gravação dos disquetes (Que os de 5,25" até RS232), você comprava um disquete Verbatim e a velocidade de download na rede era de 180KB/s, comprava um baratinho tipo Nippon e a velocidade do download misteriosamente baixava pra 145KB/s, naquela situação qualquer um entendia que o que se exibe é a velocidade de gravação do download, não a velocidade na rede em si. Aliasm, hoje se usar SSD barato, tipo uns Kingmax 16GB de US$ 20, vai acontecer isso, copiando conteúdo na rede ethernet ao invés de ter uns 95-98Mbps em rede ethernet comum vai ter só uns 30-40Mbps, o gargalo é na gravação, não na rede. Windows em carroças (Celeron e cia) rodando muita firula (Antivirus e atualizadores em geral) também tem muito esse problema, o processador é insuficiente pra tanto lixo rodando (Avast, WinUpdate, firulas visuais, atualizador do java, da Adobe, do Chrome, navegador aberto com porcarias velhas com flash) que ele não consegue processar em velocidade ok a gravação de arquivos no HD, a velocidade de download fica bem baixa simplesmente porque o sistema operacional cheio de lixos rodando está usando o barramento do HD (Lendo e gravando inutilidades) de modo tão severo que compete com o download)



  5. #11

    Padrão Re: Como comprar em bit e vender em byte ?

    Hoje em dia com video par todo lado, vender 1:8 ou seja, 80 Mega em cima de 10 mega disponível, impossível! Hj vídeo tá arregaçando com a banda disponível, netflix, youtube e outros... Cabou! No máximo uma proporção de 1:3 ou 1:4. Trabalho com 1:3 hoje em dia e ainda em alguns momentos de pico mais link faria diferença pra melhor, mas não vendo dedicado, então garanto só o que a lei pede.

  6. #12

    Padrão Re: Como comprar em bit e vender em byte ?

    Eita mais uns dinossauros, no bom sentido, é claro! Bem lembrado @fhayashi e @rubem. Esqueci de citar as comunicações seriais.

    Enviado via XT1580 usando UnderLinux App