+ Responder ao Tópico



  1. #79

    Padrão Re: Sistema Solar com segundo carregador de Bateria

    Obrigado @rubem e @Nilton Nakao!
    Fiz conforme as especificações que vocês ensinaram e funcionou!

    Achei aqui uma fonte universal de notebook e fui analisando as regulagens. Com voltagem alta (19V ou +) desarmava o controlador ou superaquecia fonte. O melhor equilíbrio que achei foi em 15V. Quando ligado ao controlador PWM e medido a entrada com multimetro, estava estável em 13.6V.
    Só a quantidade de carga é realmente baixa. Ao medir a corrente passante para a bateria (usei uma de 40Ah de carro para os testes), verifiquei que a carga ocorria em 3 pulsos em 3segundos com intensidades de corrente variadas em cada pulso, nesta sequência: 1°pulso=0.25A; 2°pulso 0.6A; 3°pulso 2.7A. Com uma pausa de milisegundos e se repetindo o ciclo.
    A carga é super lenta. Demoraria uns 3 ou 4 dias para recarregar uma bateria zerada.

    Eu coloquei um timer para desligar depois de 8horas. Percebi que mesmo depois de cortada a entrada AC da fonte, o controlador PWM continuava "recebendo" energia da fonte. Eu aguardei durante uns 40min para ver se desarmava e nada... Só desarmou quando coloquei uma lampada de 12V na saida da fonte (lampada pisca automotivo-15Watts). Acionou a lampada por um instante, milisegundos. Deduzi que deveria ser carga acumulada nos capacitores da fonte (haja capacitor pra acumular carga assim).

    Estas foram algumas observações que fiz.

    Quanto ao controlador não desarmar, a inserção de uma carga resistiva (um pequeno banco de leds por exemplo) na saída da fonte não resolveria esse problema?

  2. #80

    Padrão Re: Sistema Solar com segundo carregador de Bateria

    Sobre medir PWM com multímetro comum, isso não costuma funcionar porque PWM tem pulsos na casa dos kHz! Só dá pra ter certeza se analisar via osciloscópio (Ou se medir algo por horas e tirar a média).

    Sobre 15V na entrada desses controladores, o problema é que vários tem drop-out de quase 2V, ou seja, se tem 15V na entrada, na saída vai ter pouca coisa além de 13V. Quando aumenta a tensão de entrada o pulso fica bem mais estreito, multímetro obviamente não vai exibir nada com precisão, mas ao longo de horas provavelmente vai ver a tensão da bateria subindo. PWM engana nesse caso, pulso estreito não parece tensão, mas a bateria está armazenando carga do mesmo jeito.

    Sobre o controlador parecer estar recebendo tensão da fonte mesmo com esta desligada, aí que entra o problema da tensão. Com a fonte ligada a entrada é maior que a saída, mas desligando a fonte, o controlador vai descarregar o capacitor da fonte até este atingir a tensão da bateria somada ao drop-out do controlador, digamos 13,6V da bateria, mais 1,3V de drop-out da fonte, de modo que o capacitor vai ser descarregado até 14,9V, o capacitor vai ficar com digamos 14,8V e o controlador não vai ter como consumir isso, mas o sensor de tensão dele (Um amplificador operacional funcionando como comparador) vai detectar que tem tensão.

    Circuito barato nunca é inteligente, nesse exemplo 14,8V é suficiente pra carregar uma bateria vazia (10,5V) mas não uma bateria em flutuação, e na verdade é capaz do sensor de tensão de aparelho barato acionar led mesmo com tensão de entrada lá pelos 8 ou 9V, ele aciona o comparador, mas não tem como mandar 9V numa bateria que já tem 13V, então é só led aceso por bobeira, não precisa se preocupar com isso, não há "fuga" de energia (Todo mosfet vai ter uma perda ou outra, mas talvez 1mA, suficiente só pra manter o capacitor perto da tensão da bateria, isso não é corrente pra se preocupar, a auto-descarga de bateria as vezes é maior, um led aceso por bobeira num roteador ou switch consome mais, enfim, não tem porque se preocupar.

    (E esse é o problema de usar sensor de tensão pra detectar se tem sol nos painéis. Medir tensão em painel fotovoltaico se mede até em noite com lua, mas é botar como carga um mísero resistor de 1k que a tensão já some. Tensão é aberto não é confiável, via de regra não se mede tensão em aberto de nada, porque sempre gera esses erros, tem que botar alguma carga resistiva pra gerar uma medida realista. Nesse caso aí teria que testar se um resistor de 1k é suficiente, pra 18V talvez teria que ser 1,2 ou 1,5k, nem sei))



  3. #81
    Avatar de Nilton Nakao
    Ingresso
    Sep 2013
    Localização
    Carlos Chagas, Minas Gerais
    Posts
    1.109

    Padrão Re: Sistema Solar com segundo carregador de Bateria

    sphreak, eu prefiro usar um amperímetro analógico para monitoramento, aliás em qualquer circunstância por que não vai requerer nenhum consumo de energia, ao passo que os digitais no painel fará muita diferença( 0,5 A), seria instalado entre o painel solar e controlador de carga, e para testes entre a saída do controlador e os equipamentos. Muito cuidado que no caso o fim de carga são limitados, não existe uma ampla gama de escala como os digitais.
    Escala final para analógicos: 1, 2, 5, 10, 20, 30, 50, 100 ampères, no caso para corrente contínua. Melhor precisão aproximada ( 1/4 a 3/4) do cursor do ponteiro( galvanômetro); então como exemplo, num aperímetro de 10A a melhor precisão fica entre 2,5 a 7,5 ampères, ainda assim a margem de erro é alta se quisermos ter uma precisão exata, mas para monitoramento diário uma boa solução. Nesses casos, quando a bateria estiver ruim rapidinho ela cai a amperagem indicando como se já estivesse carregado, ou a amperagem está muito alta por muito tempo, mas pode indicar que algum aparelho esteja com defeito.
    Quanto à lampada, em fontes, normalmente usamos 1000 uF para cada ampère, em fonte chaveada costumam usar menos( 30 a 50%), por isso a lampada acendeu, mas é estranho, por que para fontes chaveadas costuma usar um componente( resistor), para descarregar o capacitor ou usam um LED; sem elas a regulagem é maluca podendo queimar o notebook, tablet... Minha fonte, carregador é das antigas, depois que instalei o LED, aliás 4 leds, faz 18 anos que nunca mais queimou, fonte de 50A; essa descarga total não pode é superior a 20 segundos, no carregador de note 5 segundos. Sabem aquela estória? tire o roteador da tomada, conta até 10 e liga de novo, eu prefiro 1 minuto pelo menos e conforme o roteador/modem 15 minutos até mesmo 2 horas.

    A inserção de leds, não pode ser direta. Conforme o led precisa usar um resistor que vai de 560R a 1k2R ou até mais dependendo da necessidade. Para sinalização de painel uso de 3k3, fica bem fraquinho, baixíssimo consumo mas onde a luz é intensa já é de 560R ou menos se o led disponível no mercado for opaco. tipos de LED: opaco, normal, cristalino, alto brilho( mais tipos destes), além de seus tamanhos e formatos e cores; somam-se tipo pisca, bicolor, tricolor etc.

  4. #82

    Padrão Re: Sistema Solar com segundo carregador de Bateria

    Olá pessoal! Estou com outro problema aqui na piscicultura. O negócio cresceu, e tive que investir em paineis solares. Estava tudo bem, mas estou necessitando de mais energia, e meu inversor já está no limite, assim como o meu bolso...
    Então, preciso comprar um inversor para eólico, com dump load. Meu aerogerador é 2000 va, ou 1400 watts, em 220 v. Daí, eu preciso de ajuda para comprar um. Não encontrei nada no mercado livre, que não seja em 1000 w, e 110. Os que encontrei acima de 1000 w, só com baterias. Então, preciso comprar um fora, via aliexpress ou alibaba. O caso é que não tenho conhecimento para optar por um. Preciso de ajuda.



  5. #83

    Padrão Re: Sistema Solar com segundo carregador de Bateria

    O problema de AC é que precisa a onda na mesma fase e amplitude que a rede, por isso aerogerador 220VAC não será pequeno ou barato.

    Quem faz dínamos (Sem controle preciso de tensão) é a Altérima, os alternadores deles pra hidroelétrica são ok, a tensão cai conforme o uso mas é falta de controle de velocidade nas turbinas, se ligar em gerador a gasolina/diesel fica estável. Gerador barato a gasolina (De R$ 600) tem dínamo desse tipo também, é a solução mais barata. Na verdade até muito gerador de R$ 4 mil tem dínamo, e não gerador sem escovas.

    Enfim, dá uma ligada pra eles, alterima.com.br , pra ver se eles vendem alguma solução com pás, porque os geradores deles são bons, essa questão da baixa rotação criar baixa tensão é de dínamo, gerador com excitação eletrônica não permite isso, se for usar um Alterima pra aquecedor ele servirá (Só que com filamento menos quente a água vai aquecer menos), conforme o tipo de aerador da água também servirá (Seria perfeito pra motor com escova, com baixa tensão simplesmente giraria mais devagar, aqueles aeradores comerciais de 1cv não são uma boa).

    Ou teria que usar aqueles inversores grid-tie, aí pode colocar paralelo á rede elétrica, alias, TEM QUE colocar ligado na rede elétrica, só vai funcionar paralelo a um inversor senoidal perfeito (Aqueles de 4000W de R$ 2500).

    Citação Postado originalmente por SANDOR Ver Post
    Meu aerogerador é 2000 va, ou 1400 watts, em 220 v
    Seria o aerador?

    As vezes é mais barato comprar um motor 24V e trocar esse motor. Tem motor 24V de mais de 1cv na casa dos R$ 500 (Usamos um pra betoneira, pra fazer a base de um reservatório australiano longe pra caramba), com 3 painéis de 260W dá pra atender (O cv tem uns 736W de consumo) por umas 6 ou 7 horas. Talvez fique mais em conta pegar aeradores tipo esse: https://produto.mercadolivre.com.br/...-sem-motor-_JM e colocar motor 24V de uns 1/2cv dentro, um painel de 330W (R$ 700) dá conta tranquilo. Difícil é achar esses motores. O que é fácil achar são as bombas de porão 24V, com aquele sistema de aerar com um tubinho na entrada da água dá pra usar pra recircular a água, um painel de 320W dá conta de 2 desse tranquilo, com recalque de talvez 50cm isso circula o prometido: https://produto.mercadolivre.com.br/..._JM?quantity=1 A aeração é um pouco inferior (Na verdade a melhor é com aqueles tufões no fundo (http://www.hidrosul.com.br/produto/s...ivel-spiderjet) mas são bem caros, o dobro do preço da solução com bomba de porão.

    Eu esqueceria AC por enquanto, porque tocar motor AC é complicado pra aerogerador ou painel sem ter baterias envolvidas ou sem inversor grid-tie. Se tem jeito de usar os 24VDC na aeração e bombeamento, use, é mais barato, dura mais, e é mais modular (Pode ligar vários painéis em paralelo, com vários motores em paralelo, hora que desliga um os outros dão um up na velocidade).

    Aerogerador AC com 220V estáveis precisa um sistema de freio, pra ir freando pra não passar da tensão, ou ter gerador com excitação eletrônica, isso não tem como sair nada barato, só um gerador desse (Sem estrutura pras pás e tal) pode passar dos R$ 3 mil, nesse preço dá pra 2 painéis 24V e 4 motores de porão (Pra oxigenar naquele sistema básico: Nem precisa T, pode só fazer um furo e colocar um tubinho com a ponta cortada em 45°, com o corte de costas pra direção da água, assim a água puxa ar, é ultra-mega simples).

  6. #84
    Avatar de Nilton Nakao
    Ingresso
    Sep 2013
    Localização
    Carlos Chagas, Minas Gerais
    Posts
    1.109

    Padrão Re: Sistema Solar com segundo carregador de Bateria

    Ruben, para podermos vender a energia, aqui pelo menos acho que a Cemig só aceita com linha trifásica e capacidade instalada de 25 KW ou mais.
    Infelizmente tem no mercado, mesmo homologados pela ANEEL inversores que geram ruídos e mais ruídos que se for um rádio-amador de 120, 90, 60, 49 metros será difícil compreender se o sinal for fraco, temos ainda lâmpadas e eletrônicos para piorar, rádios em 31, 25, 19 metros e mesmo na faixa de VHF ou UHF já sofrem menos interferências.
    Motogeradores, inverores e até mesmo no-breaks antigos são mais eficientes na questão de senóide, mas o seu rendimento é baixo, muito baixo por sinal. Meu nobreak por exemplo, 600 VA, acho que o PC, monitor mais amplificador consomem 300 W pelo menos; só tem energia para 4 minutos mas tempo suficiente para desligá-lo, outro PC durava 12 minutos.
    Do jeito que está, acho que seria conveniente termos uma rede de 96 volts corrente continua ou mesmo 108 VDC mas com baterias a 100% atingem 115 VDC ou 144 VDC. Maioria dos eletrônicos existentes no mercado funcionaria normalmente, uma vez que são retificados logo após o circuito LC; Geladeira, ar condicionado, ventilador, microondas ficariam de fora. Infelizmente no eventual choque elétrico pode ser mais perigoso, mas as tomadas sendo norma ABNT de 3 pinos o risco é baixo, teríamos também um melhor rendimento no circuito interno por que não teríamos reatância, capacitância, e indutância sem consumo.