+ Responder ao Tópico



  1. #1

    Padrão Equipamentos 54 ou 108 mbps?

    É vantagem investir na compra de equipamentos cliente 54 ou 108 mbps?

  2. #2

    Padrão

    Qual a finalidade? provedor, empresa, faculdade, residência, rede mesh, wds ?


    Lá na empresa usamos 54Mbps, mas já sentimos necessidade de aumentar, pois nosso tráfego na rede interna tem aumentado substancialmente. Estamos analisando a possibilidade de atualizar rádio e placas para o 802.11N que nos anuncios diz alcançar até 300Mbps.
    Ideal para nossas necessidades.



  3. #3

  4. #4

    Padrão

    Não sou especialista, mas a princípio numa provedor os 54mbps atendem bem sua função maior: navegação Internet!

    Haja vista que algumas das soluções 108mbps são proprietárias, ou seja, todos teriam que usar equipamentos da mesma marca. Vai que futuramente a marca escolhida sobe pro céu hehehe, vc fica na mão.

    Mesmo já existindo 0 802.11n, ainda assim se eu montasse HOJE um provedor eu iria de 802.11 b/g (11 / 54mbps).
    A exceção seria se de repente algum fornecedor me oferecesse um lote de produtos 802.11n, homologados e intercambiaveis com diferentes marcas tanto na padrão b/g como n, tudo pro preço bem camarada e opções de pagamento diluíveis. Ai a história mudava.

    Bem.. é a maneira que vejo a coisa, os colegas podem até pensarem diferente.



  5. #5

    Padrão

    Citação Postado originalmente por alencar2 Ver Post
    Não sou especialista, mas a princípio numa provedor os 54mbps atendem bem sua função maior: navegação Internet!

    Haja vista que algumas das soluções 108mbps são proprietárias, ou seja, todos teriam que usar equipamentos da mesma marca. Vai que futuramente a marca escolhida sobe pro céu hehehe, vc fica na mão.

    Mesmo já existindo 0 802.11n, ainda assim se eu montasse HOJE um provedor eu iria de 802.11 b/g (11 / 54mbps).
    A exceção seria se de repente algum fornecedor me oferecesse um lote de produtos 802.11n, homologados e intercambiaveis com diferentes marcas tanto na padrão b/g como n, tudo pro preço bem camarada e opções de pagamento diluíveis. Ai a história mudava.

    Bem.. é a maneira que vejo a coisa, os colegas podem até pensarem diferente.
    No 108, o chamado super G ou extended range, ele é compatível com o G ou B. O AP Super GTS tem o superG, e eu conectava normalmente mas sempre em B e G, já que não tinha usuário com SuperG.
    Segundo o manual, se tiver um usuário com SuperG, aquele usuário vai ter mais velocidade, enquanto que os outros permanecem no B ou G. O que eu achei mais curioso é que sempre ouvi falar que se tiver um na rede em B, todos vão ter suas velocidades limitadas em B. Mas não é o que acontece nas minhas instalações.

    Deixei configurado em B+G e tem gente que por ter o sinal mais baixo fica nos 11mbps e outros com sinal mais forte chegam a 36 ou 48 mbps. Não sei também até onde isso é real, mas na prática dá para observar que o acesso fica mais "experto". Eu atribuo isso ao aumento da velocidade.

    E o 802.11N se propõe elevar mais esta taxa de velocidade e também o alcance e mantem a compatibilidade com o B e G.
    Se eu fosse começar do zero hoje, eu faria uma experiencia usando um AP modo N com 3 setoriais, todas para o mesmo lado e usando uma placa ou USB compativel com modo N na recepção pra ver o que vai dar.
    Se não superar as expectativas, deixa ele com uma setorial só e coloca então rádios superG para atender os outros setores em volta da torre e coloca as setoriais que sobram nele. Não teria nenhum investimento perdido. Afinal o preço de um AP N já não está com muita diferença de preços.

  6. #6

    Padrão

    Amigo!
    Na minha opnião usaria 11 e 54 mbps, 108 super G para um provedor outdoor, não vai não.
    Eu acho uma ilusão inventada pelas empresas fabricantes de equipamentos, para se vender com valores mais altos.
    O Provedor para ter uma boa velocidade com qualidade, tem que investir em equipamentos de primeira linha, que funcione bem seja 11mbps ou 54mbps.



  7. #7

    Padrão

    Citação Postado originalmente por Leonardo66 Ver Post
    Amigo!
    Na minha opnião usaria 11 e 54 mbps, 108 super G para um provedor outdoor, não vai não.
    Eu acho uma ilusão inventada pelas empresas fabricantes de equipamentos, para se vender com valores mais altos.
    O Provedor para ter uma boa velocidade com qualidade, tem que investir em equipamentos de primeira linha, que funcione bem seja 11mbps ou 54mbps.
    Sim, esta já é uma tecnologia testada.

    Mas o protocolo 802.11N já tem equipamentos com projeto 2.0.
    O Draft que foi o protocolo inicial não garantia a compatibilidade mas este novo chamado projeto 2.0 já é compatível.
    Como eu disse antes, para uso indoor os relatos são muito bons. Resta ver se dá desempenho melhorado que compense o investimento para uso outdoor.

    Mas uma coisa é certa: se ficarmos só no wi-fi 802.11 B ou G, vamos logo em seguida começar a perder clientes, porque o boom de vendas de notebook já está crescendo. E quem tem notebook não quer ficar preso a uma instalação fixa.
    Por isso a sugestão de instalar um rádio N e ver no que vai dar. Se não gostar não haverá perda de investimento, já que antenas se usaria em outros rádios e o preço de um N hoje não chega a diferença de 300,00.
    Só fica mais dispendioso para quem já tem as instalações. Se não der muita diferença no desempenho, tem o custo do rádio mais as antenas. Quem já tem setorial teria que acrescentar mais duas para fazer o teste num setor. Na média de 500 reais cada e mais um rádio por 400 e poucos, já começa a ficar salgado para fazer o teste. NO caso do provedor novo o único acrescimo é mesmo a diferença do rádio.

  8. #8

    Padrão

    Citação Postado originalmente por 1929 Ver Post
    Sim, esta já é uma tecnologia testada.

    Mas o protocolo 802.11N já tem equipamentos com projeto 2.0.
    O Draft que foi o protocolo inicial não garantia a compatibilidade mas este novo chamado projeto 2.0 já é compatível.
    Como eu disse antes, para uso indoor os relatos são muito bons. Resta ver se dá desempenho melhorado que compense o investimento para uso outdoor.

    Mas uma coisa é certa: se ficarmos só no wi-fi 802.11 B ou G, vamos logo em seguida começar a perder clientes, porque o boom de vendas de notebook já está crescendo. E quem tem notebook não quer ficar preso a uma instalação fixa.
    Por isso a sugestão de instalar um rádio N e ver no que vai dar. Se não gostar não haverá perda de investimento, já que antenas se usaria em outros rádios e o preço de um N hoje não chega a diferença de 300,00.
    Só fica mais dispendioso para quem já tem as instalações. Se não der muita diferença no desempenho, tem o custo do rádio mais as antenas. Quem já tem setorial teria que acrescentar mais duas para fazer o teste num setor. Na média de 500 reais cada e mais um rádio por 400 e poucos, já começa a ficar salgado para fazer o teste. NO caso do provedor novo o único acrescimo é mesmo a diferença do rádio.
    Banda N outdor, eu não acredito que rola.
    Alem disso, porque mais de 11 mbps de transmissão se voce só vai vender miseros kbps?



  9. #9

    Padrão

    Citação Postado originalmente por mandrak66 Ver Post
    Banda N outdor, eu não acredito que rola.
    Alem disso, porque mais de 11 mbps de transmissão se voce só vai vender miseros kbps?
    A velocidade não é o que me interessa nesta opção, mas sim o suposto alcance melhorado que os fabricantes apregoam.

    O meu objetivo seria melhorar a cobertura para permitir maior mobilidade com notebooks.