Página 1 de 5 12345 ÚltimoÚltimo
+ Responder ao Tópico



  1. Galéra me surgiu uma dúvida aqui, olhando os certificados de homologação dos meus equipamentos, constatei que a placas PCI (TP-LINK, Greatek, AG530, todas atheros) que comprei, nenhuma delas podem ser usadas com antenas acima de 2dbi, pois no certificado fala assim:

    Na instalação do produto devem ser observados os valores de potência E.I.R.P. conforme Seção IX do Regulamento sobre Equipamentos de Radiocomunicação de Radiação Restrita.
    A antena incorporada ao transmissor não deve ser utilizada em conjunto com qualquer outra antena ou transmissor.
    Se o equipamento operar com potência E.I.R.P. superior a 400 mW, em localidade com população superior a 500.000 habitantes, a estação deverá ser licenciada junto à Agência, nos termos da regulamentação específica, pertinente à faixa de radiofreqüências de 2400 a 2483,5 MHz.

    Entenderam?

    Como isso passa pela Anatel, pois sempre quando eles vem fiscalizar, eles pedem o certificado de homologação impresso que é o que a gente imprime direto do site da Anatel, estranho não? Emfim... Por via das dúvidas já estou com um plano de mudança, vou trocar o PC-AP e colocar as RB´s com os CM9 urgente!!! Pois não quero esperar a Anatel me dizer isso não, vou trocar logo. Me tirem essa dúvida por favor! Abraços!!!



    Só uma observação: No caso se alguns miniPCI como o CM9 não fala isso no seu certificado de homologação, me levando a crer que posso usar antena de qualquer ganho, desde que a mesma seja homologada!

  2. Jociano, a maneira com eles escrevem os regulamentos realmente não são muito claros. É por isso que um companheiro chamou eles de engegados. ( mistura de engenheiro e advogado).

    Eu já tive esta dúvida mas lendo e relendo, diz lá que a antena incorporada não pode ser usada em conjunto com outra antena. Sinceramente eu não entendo o que eles querem dizer "em conjunto". Será que eles acham que alguém é louco de colocar a original e mais outra junto na mesma saída? hehehehe!!

    Mas não diz que não pode desrosquear a anteninha e colocar outra.
    Mas este é o sentido do texto, porque no contexto fala em potencia eirp máxima e com certeza estas anteninhas nunca chegariam ao eirp máximo.



  3. Basicamente, a forma como está escrito no texto da certificação tenta respeitar o que prevê a regulamentação de radiação restrita. O burocrata que escreve o texto não sabe que o equipamento não tem antena incorporada e faz a redação de maneira padronizada. A principio, o regulamento de radiação restrita (Reg. 506/2008) prevê que o equipamento não pode usar antena ou conectores padronizados, isto é, as placas wireless deveriam possuir uma antena incorporada (e não é o que ocorre com os equipamentos de espalhamento espectral).
    Quando o regulamento prevê que existe a possibilidade de instalar uma potência E.I.R.P. (é a potência total irradiada na saída da antena), então, automáticamente está sendo aceita a possibilidade de usar uma antena com ganho superior àquela que está incorporada (e não existe antena incorporada, mas sim um conector padronizado).
    Quando o fiscalizado é leigo e o fiscal quer "achar pelo em ovo", pode alegar que voce está usando um equipamento sem respeitar a legislação de telecomunicações e ainda tentar incriminar nos artigos penais do antigo código de telecomunicações (aí que vá buscar ajuda de algum advogado que conheça o assunto, o que é difícil... e ainda vai precisar de um engenheiro que faça um laudo pericial para justificar tecnicamente que estava correto)
    Quando o fiscalizado é um prestador de SCM, este foi orientado pela Anatel a assinar um termo de que "pretende" respeitar a regulamentação de radiação restrita. Saliento que este termo não é um documento obrigatorio no regulamento de scm (não existe embasamento legal para a assinatura deste termo); mas mesmo assim a Anatel obriga pois, julgo eu, para que os casos de desrespeito sejam amenizados.

    Por esta razão eu sugiro que quem atua no ramo de Internet Wireless ou qualquer outro ramo de telecomunicações, sempre tenha um excelente suporte técnico e jurídico para dirimir conflitos pois existem muitos mitos que divergem da realidade inclusive seguidos pelos próprios agentes da Anatel.

    Eng. Onei de Barros Jr.
    COMPLEXUS OBJECTUS TECNOLOGIA LTDA.
    Consultoria em Telecomunicações
    SCM Ato no. 3699 Anatel com estações operando em Votorantim(SP), Cajamar(SP), Leopoldina(MG), Cataguases(MG), Araraquara(SP), Itapeva(SP), Itapetininga(SP) e Camaquã(RS)

  4. Se é assim então Onei, estamos debaixo de um regime de terror, característico das piores ditaduras.
    Acho que devemos fazer uma consulta a Anatel, para que haja um posicionamento claro.
    Pois ninguém pode trabalhar acobertado pela incerteza.
    Valeu pelo comentário.



  5. Citação Postado originalmente por obarros Ver Post
    Basicamente, a forma como está escrito no texto da certificação tenta respeitar o que prevê a regulamentação de radiação restrita. O burocrata que escreve o texto não sabe que o equipamento não tem antena incorporada e faz a redação de maneira padronizada. A principio, o regulamento de radiação restrita (Reg. 506/2008) prevê que o equipamento não pode usar antena ou conectores padronizados, isto é, as placas wireless deveriam possuir uma antena incorporada (e não é o que ocorre com os equipamentos de espalhamento espectral).
    Quando o regulamento prevê que existe a possibilidade de instalar uma potência E.I.R.P. (é a potência total irradiada na saída da antena), então, automáticamente está sendo aceita a possibilidade de usar uma antena com ganho superior àquela que está incorporada (e não existe antena incorporada, mas sim um conector padronizado).
    Quando o fiscalizado é leigo e o fiscal quer "achar pelo em ovo", pode alegar que voce está usando um equipamento sem respeitar a legislação de telecomunicações e ainda tentar incriminar nos artigos penais do antigo código de telecomunicações (aí que vá buscar ajuda de algum advogado que conheça o assunto, o que é difícil... e ainda vai precisar de um engenheiro que faça um laudo pericial para justificar tecnicamente que estava correto)
    Quando o fiscalizado é um prestador de SCM, este foi orientado pela Anatel a assinar um termo de que "pretende" respeitar a regulamentação de radiação restrita. Saliento que este termo não é um documento obrigatorio no regulamento de scm (não existe embasamento legal para a assinatura deste termo); mas mesmo assim a Anatel obriga pois, julgo eu, para que os casos de desrespeito sejam amenizados.

    Por esta razão eu sugiro que quem atua no ramo de Internet Wireless ou qualquer outro ramo de telecomunicações, sempre tenha um excelente suporte técnico e jurídico para dirimir conflitos pois existem muitos mitos que divergem da realidade inclusive seguidos pelos próprios agentes da Anatel.

    Eng. Onei de Barros Jr.
    COMPLEXUS OBJECTUS TECNOLOGIA LTDA.
    Consultoria em Telecomunicações
    SCM Ato no. 3699 Anatel com estações operando em Votorantim(SP), Cajamar(SP), Leopoldina(MG), Cataguases(MG), Araraquara(SP), Itapeva(SP), Itapetininga(SP) e Camaquã(RS)
    Meus sinceros agradecimentos ao seu comentário, Obrigado!!!






Tópicos Similares

  1. Respostas: 26
    Último Post: 24-11-2017, 18:53
  2. Lentidão e algumas dúvidas PC AP + Dlink
    Por horusosbourne no fórum Redes
    Respostas: 8
    Último Post: 25-03-2009, 06:45
  3. Duvida qual placa usar com PC.AP com OS MK
    Por angelino no fórum Redes
    Respostas: 4
    Último Post: 24-01-2008, 19:31
  4. Duvida PC-Ap?
    Por darlangomes no fórum Redes
    Respostas: 15
    Último Post: 17-01-2008, 18:36
  5. duvida-PC-AP
    Por Mon no fórum Redes
    Respostas: 11
    Último Post: 07-11-2007, 16:13

Visite: BR-Linux ·  VivaOLinux ·  Dicas-L