Resultados da Enquete: Qual nota você da para a HINA

Votantes
3. Você não pode votar nesta enquete
  • 1

    0 0%
  • 2

    0 0%
  • 3

    0 0%
  • 4

    0 0%
  • 5

    0 0%
  • 6

    0 0%
  • 7

    1 33,33%
  • 8

    0 0%
  • 9

    0 0%
  • 10

    2 66,67%
+ Responder ao Tópico



  1. HINA - HIerarquia de Níveis Através da sigla


    Procurando estruturar melhor os projetos (principalmente um projeto do porte do SISBLOD) , eu criei a HINA, ou Hierarquia de Níveis Através da sigla.
    A HINA é parte da estruturação organizacional de um desenvolvimento de um sistema, ela em si serve mais para a nomenclatura das partes, mas ela força a visão estruturada em arvore... Nas linhas a seguir irei explicar a essência da HINA, suas formas de variação, suas características especiais e seus usos ideias...
    A HINA sera usada no SISBLOD e foi criada para ele... Mas e independente dele é poderá ser usada em outros sistemas... Por isso que o tópico que trata dela é a parte do SISBLOD.




    A base da HINA


    A base da HINA é bem simples: HINA usa um esquema de arvore, onde cada nó da arvore recebe uma sigla que o representa, sendo que essa sigla deve ter exatamente N letras onde N é o nível do nó.
    Ate ai, tudo bem... Sendo que existem varias formas de estruturar essas arvores, alem disso, o mesmo no estrutural pode receber variações também, essas são as chamadas características especiais, listarei algumas, mas nada impede que outras surjam em outros sistemas...




    Variações da HINA


    Nó de origem


    A primeira forma de variação é o nó de origem da arvore, ou seja, o nó que agrupa todos os outros nós nele, o nó raiz, o nó mais abrangente(enfim, acho que vocês entenderam).
    Sendo assim, uma certa estrutura HINA pode ser crescente ou decrescente...
    Quando decrescente, o nó de origem é o maior nível(ou seja, se a estrutura tem 8 níveis, então o nó de origem é de nível 8 e a sigla dele tem 8 letras)
    Quando crescente, o ponto de origem é o menor nível( nível 0, nível 1, nível A ... Tanto faz... Nesse caso o nó de origem tem uma letra)
    A vantagem da crescente é a maior capacidade de expansão, ou seja, se no meio do projeto decidirem criar mais um nível, abaixo do nível menos abrangente, é só adicionar um nível e nada precisara ser feito... No decrescente isso é mais complicado, visto que a numeração de vários níveis terá de ser alterada, visto que o maior nível é o mais abrangente e logo não se pode colocar nada acima dele(logo, pelo menos ele sera alterado)
    A desvantagem da crescente é que os nos mais simples terão mais letras e o nó mais abrangente terá apenas um letra para expressa-lo, idealmente esse nó representa o sistema, e representar o sistema com uma única letra não é o ideal... Recomendo usar a variação crescente quando considerarem que poderá se adicionar novos níveis no futuro.
    Consequentemente a vantagem da decrescente e sua vantagem são inversas as da crescente... Recomendo tentar utilizar essa variação.

    Níveis


    Na parte dos níveis deve se decidir quantos são os níveis, e o que significa cada um, no tópico do SISBLOD darei um exemplo pratico de uma variação, incluindo a estrutura dos níveis
    Características especiais


    Cada nó pode ter uma ou mais características especiais, deve-se decidir quais delas serão admitidas, e quais são elas? Vamos ver a seguir...


    As Características especiais


    Uma características especial é uma variação dentro do próprio nó, ou seja, ela é um auxiliar daquele nó, a seguir irei mostrar algumas delas, e como elas devem ser escritas.


    Variações prefixais: A letra(ou letras) que a representam vem antes da sigla do nó, seguida de um traço (V-SIGLA)


    Variação para site: Essa variação cuida da parte de desenvolvimento do site daquele nó do sistema.
    Nomenclatura: S-SIGLA


    Variação de exemplo: Essa variação serve para criar um exemplo de funcionamento daquele nó, ou seja, ela cria um sistema a parte(indiferente do porte) para demostrar o que se consegue fazer com o que foi desenvolvido no nó.
    Nomenclatura: E-SIGLA
    nota: alguns exemplos podem ter sua variação especial, é o caso dos jogos, que tem a nomenclatura J-SIGLA.


    Variação de divulgação: Essa variação serve para divulgar o projeto do nó, tentando angariar recursos e membros, alem de usuários para testar (geralmente testar o que foi desenvolvido pela equipe E-SIGLA)
    nomenclatura: D-SIGLA


    Variação de ligação: Essa é a mais importante variação, e existe em quase todos os nós, ela é parte fundamental dos sistemas que usam HINA... Ela serve para juntar os nós que estão abaixo do nó referido, ligando-os, porem, ela não existe no nó mais fundamental, pois não existem nenhum nó abaixo dele.


    Variações sufixais: A letra(ou letras) que representam vem após a sigla do nó, antecedida de um tração (SIGLA-V) a única variação sufixal que existe é o super nó.


    Super nó: Um super nó é um agrupamentos de nós de mesmo nível, porem não chegando ser um nível superior... Ou seja, é algo entre dois níveis
    Um super nó e apenas organizacional, ninguém trabalha num super nó ele existe apenas quando equipes de diversos nós, resolvem se encontrar para discutir assuntos comuns, esses assuntos comuns, se não forem suficientes (ou não for coerente) para formar um nó de nível superior a estes, formaram um super nó.
    Nomenclatura: SIGLA-SUPERNO


    Nomeando uma variação


    Agora que conhece todas partes doa HINA, posso dar dicas para nomear uma variação.
    No meu caso, eu faço uma sigla descritiva... Existe uma única regra ao se nomear uma variação, o nome deve ser precedido de “HINA -” ...
    Dando um exemplo, posso usar a variação que pretendo usar no SISBLOD... HINA-C7SF1. Que significa: Crescente com 7 níveis onde o mais abrangente se chama Sistema e o mais fundamental se chama fragmento, o 1 representa o primeiro tipo dessa variação, que assume as características especiais que irei tratar no tópico do SISBLOD(assim como outros detalhes dessa variação)


    Uso ideal


    Não há muito que dizer aqui... Apenas que eu recomendo veementemente duas coisas:
    1 – evitar ao máximo hierarquizar as equipes, deixar cada uma livre e independente, o mesmo se aplica aos membros das equipes
    2 – Fazer que cada nó que seja criado tenha uma e somente uma equipe, indiferente do tamanho dessa(mesmo que a “equipe” tenha somente um membro)


    Por fim...


    Espero que tenha sido esclarecedor, qualquer duvida é só postar aqui, ou me contatar.


    grato
    Última edição por draxdeveloper; 29-08-2009 às 10:01.






Tópicos Similares

  1. SISBLOD e HINA - Introdução
    Por draxdeveloper no fórum Assuntos não relacionados
    Respostas: 1
    Último Post: 17-08-2009, 14:25

Visite: BR-Linux ·  VivaOLinux ·  Dicas-L