+ Responder ao Tópico



  1. #1

    Thumbs down Indignado com o sistema de homologação brasileiro.

    ( """"Aviso""""" O amigo (filzek) já me avisou que pode ser um bug no sistema da anatel)

    Venho aqui através dessa colocar, minha indignação com uma certa agencia que homologa equipamentos no brasil. rs rs rs
    Bom é o seguinte, estou como muitos a 1 ano esperando que saia a homologação da linha Ubiquiti M5.
    Todo dia de segunda a sexta entro no sistema SGCH pra ver como está.
    Para minha surpresa agora pouco quando entrei estava todos como "DESCONTINUADO", e na informação estava "Este produto não é mais comercializado pela empresa solicitante" Amanhã ligarei para american satelite para conferir isso, mais no site deles não há nada sobre o assunto, no site da ubiquiti, a american satelite, ainda está como representante no brasil.
    Não entendi qual é do sistema da Anatel, se alguem souber me explique por favor.
    Eu estou começando a concordar com as pessoas que dizem, que a anatel não está nem ai para wireless. e que ela joga contra pequenos provedores.
    ( Talvez seja um erro no sistema ) Recarreguei a pagina 100x pra conferir,
    acho que não seja, mais se realmente eu perdi 1 ano de espera, ficarei muito desapontado.
    Pois alguns provedores estavam vendo a ubnt como uma das ultimas esperanças (senão ultima), para pequenos provedores, por ser produtos bons e relativamente baratos.
    Vou colocar um print do que eu vi.
    Clique na imagem para uma versão maior

Nome:	         ubntdescontinuado.jpg
Visualizações:	135
Tamanho: 	131,9 KB
ID:      	14696
    Abraços a todos, e desculpem o desabafo.
    Última edição por RobertoLima; 30-09-2010 às 01:30.

  2. #2

    Padrão Re: Indignado com o sistema de homologação brasileiro.

    Ué, mas e a validade continua como "indeterminada".

    Só porque consta que o produto não é mais comercializado pela empresa representante, não quer dizer que a homologação foi cancelada.


    Não é isso ou estou dizendo bobagem?



  3. #3

    Padrão Re: Indignado com o sistema de homologação brasileiro.

    Citação Postado originalmente por RobertoLima Ver Post
    Venho aqui através dessa colocar, minha indignação com uma certa agencia que homologa equipamentos no brasil. rs rs rs
    Bom é o seguinte, estou como muitos a 1 ano esperando que saia a homologação da linha Ubiquiti M5.
    Todo dia de segunda a sexta entro no sistema SGCH pra ver como está.
    Para minha surpresa agora pouco quando entrei estava todos como "DESCONTINUADO", e na informação estava "Este produto não é mais comercializado pela empresa solicitante" Amanhã ligarei para american satelite para conferir isso, mais no site deles não há nada sobre o assunto, no site da ubiquiti, a american satelite, ainda está como representante no brasil.
    Não entendi qual é do sistema da Anatel, se alguem souber me explique por favor.
    Eu estou começando a concordar com as pessoas que dizem, que a anatel não está nem ai para wireless. e que ela joga contra pequenos provedores.
    ( Talvez seja um erro no sistema ) Recarreguei a pagina 100x pra conferir,
    acho que não seja, mais se realmente eu perdi 1 ano de espera, ficarei muito desapontado.
    Pois alguns provedores estavam vendo a ubnt como uma das ultimas esperanças (senão ultima), para pequenos provedores, por ser produtos bons e relativamente baratos.
    Vou colocar um print do que eu vi.
    Clique na imagem para uma versão maior

Nome:	         ubntdescontinuado.jpg
Visualizações:	135
Tamanho: 	131,9 KB
ID:      	14696
    Abraços a todos, e desculpem o desabafo.
    Parece que todas as homologações estão aparecendo assim, esta com bug no sistema de homologação.

    Nós não paramos de comercializar o cartão XR5, nem os produtos Krazer, porém, todos aparecem assim também.

    Na parte restrita, não tem nenhuma opção sobre essa função.

    Ja contactamos a OCD para verificar o que pode estar acontecendo, mas, o problema é geral.

    Acredito que a Anatel vá investigar e criar o sistema de token, parece que já estão se armando para isso.

    Erick

  4. #4

    Padrão Re: Indignado com o sistema de homologação brasileiro.

    Sim concordo, mais em uma reunião que tivemos com fiscais da Anatel/PR, Eles nos adiantaram que não iria mais aceitar homologação se a nota não fosse de empresa solicitante.
    Essa é minha preocupação.
    Abraço..
    Como disse anteriormente, pode ser que seja um erro no sistema, mais é de preocupar.
    Citação Postado originalmente por Bitok1 Ver Post
    Ué, mas e a validade continua como "indeterminada".

    Só porque consta que o produto não é mais comercializado pela empresa representante, não quer dizer que a homologação foi cancelada.
    Não é isso ou estou dizendo bobagem?
    Última edição por RobertoLima; 30-09-2010 às 01:33.



  5. #5

    Padrão Re: Indignado com o sistema de homologação brasileiro.

    Amigo o que seria esse sistema de Token?? por acaso seria algum sistema de controle, para anatel saber de onde cada produto veio, e pra onde foi??
    Pois os fiscais nos passaram essa ideia na reunião... Exemplo... pedro homologa, eu compro de outro,, automaticamente meu equipamento não é homologado.
    Outro exempro que nos deram. o pedro homologa equipamento e diz na homologação que a unidade fabril é indonezia, ai ele começa a comprar da china, ai automaticamente esses comprados da china mesmo vindo do pedro, não são homologados perante a anatel.
    É isso?
    Abraço.

    Citação Postado originalmente por filzek Ver Post
    Parece que todas as homologações estão aparecendo assim, esta com bug no sistema de homologação.

    Nós não paramos de comercializar o cartão XR5, nem os produtos Krazer, porém, todos aparecem assim também.

    Na parte restrita, não tem nenhuma opção sobre essa função.

    Ja contactamos a OCD para verificar o que pode estar acontecendo, mas, o problema é geral.

    Acredito que a Anatel vá investigar e criar o sistema de token, parece que já estão se armando para isso.

    Erick
    Última edição por RobertoLima; 30-09-2010 às 01:32.

  6. #6

    Padrão Re: Indignado com o sistema de homologação brasileiro.

    Deixa eu explicar primeiro a Homologação.

    Pela lei, é necessário que alguém assuma a responsabilidade civil em relação ao equipamento certificado/homologado. Essa mesma lei, obriga que o produto para comercialização, o equipamento seja homologado (veja que o equipamento para provedores não precisa ser homologado, pode ser certificado de conformidade, isso é oficial e pode ser feito, de forma, que não é proíbido comercializar equipamento sem homologação para o provedor que tiver SCM e diga que vai fazer o certificado de conformidade diretamente com a Anatel).

    Na lei, não é obrigado a ser a empresa homologante a vendedora do produto, isso não tem cabimento, imagina como seria as vendas de notebooks, televisões e outras coisas, hehehe, impossivel.

    O que a lei permeia apenas é aferir o produto oficialmente e ter alguém para culpar se um avião cair ou explodir alguém, ou dar assistência técnica para o produto, isso mesmo, quando alguém homologa algo ele é OBRIGADO a fornecer peças de reposição ou reparo por um período de tempo, a lei brasileira obrigada pelo menos 90 Dias.

    O problema está no seguinte termo:

    1º) Quem vendeu o produto tinha ou não permissão de uso do selo de homologação? (procedência)
    r pelo código nacional tributário, fiscal e legal, qualquer documento somente tem validade se ratificado pela origem, ou seja, tiver procedência legal. No caso da homologação, a cadeia deve ter procedência, ou seja, quem homologou da o direito para um terceiro de revender e assim por diante. Isso quer dizer origem e procedência.

    2º) Origem.
    R aqui entra o tópico do token, porque é na origem que se encontra todos os problemas. Empresas xupins, contrabandistas e os mafiosos, tem trazido mercadorias contrabandeadas, subfaturadas e até mesmo roubadas e comercializadas no mercado nacional com documentação fria, esquentada. Empresas xupins importam os produtos e colocam os selos de homologação e vendem. Veja o caso da Flytec no paraguay que chegou ao ponto de mandar os cartões XR5 com os selos da USAImport, ou seja, digna de levar um processo internacional, e tambem aquelas que assim procedem no mercado nacional.

    Vamos aos fatos claros:

    1) Não adianta importar legalmente um produto que ja foi homologado, legalmente você tem que ter autorização do FABRICANTE para poder homologar um produto (procedencia). Usar selo do homologante sem sua autorização é crime federal de falsidade ideológica.

    2) homologação é responsabilidade, e não permissividade.

    O sistema de token vai acabar com a "putaria" que o paraguay colocou no brasil e dos contrabandistas "ferrando" o mercado nacional. A Industria brasileira e os Importadores Honestos ja clamaram para o BASTA.

    A solução foi simples demais.

    Os homologantes dos produtos terão duas opções:
    1ª) Na importação, os equipamentos de categoria I, II e III, passivel de homologação da Anatel, no registro da DI, receberão o número do certificado de Homologação, e a quantidade importada recebera um token para cada unidade. Com isso Receita Federal e Anatel bloqueiam todos os subfaturamentos, pois, homologação tem ORIGEM e DESTINO.

    2ª) Para os fabricantes nacionais, a mesma coisa, porém, será controlado pelo site da Anatel, onde, os homologantes requisitarão tokens para seus produtos.

    3ª) Os provedores serão obrigados a usar os tokens em:
    3.1) Radio Bases
    R todas as radios bases são obrigadas de registro na Anatel, e a partir da entrada do token, a prova de origem e procedência, dar-se-a, pelo token. Ao registrar a base, o uso do Token da a Anatel toda a origem e data do produto, validade, e tudo mais, assim, o direito do usuario que comprou tal produto na data X, tem a validade provada pelo Token do mesmo. Esse token, compreende o radio transmissor e as antenas, ou as CPEs.

    3.2) Clientes
    R todos os clientes instalados terão que ser cadastrados no site da anatel para uso de equipamento de radio frequencia, isso foi lindo, porque, os provedores serão obrigados a colocarem as coordenadas de latitude e longitude (via GPS) e o CEP do local de instalação do cliente, e com isso, colocar o número da homologação (caso CPE) ou homologações (caso em separado radio transmissor + antena).

    Assim, a anatel conseguira fazer uma analise real do espectro, isso em tempo real.

    o que a Anatel controlará é:
    1) quantos clientes realmente tem
    2) arrecadação fiscal/dinheiro do provedor
    3) estatistica da inclusão digital
    4) não sabe ao certo quais serão os dados de imput obrigatório em relação ao cadastramento da estação radio-transmissor nos clientes, mas, os dados básicos são os que foram informados logo acima.

    Com isso, acaba-se a industria NEGRA no brasil.

    Quem sabe, a Anatel quando autua, é crime federal, você é intimado na Delegacia da Polícia Federal, e isso, passara a acontecer de modo simples, a Anatel passa com o carrinho, abre o sistema do GPS, e ve sinal de rádio onde não deveria ter, olha pro lado e ve uma antena, mira pro lado da antena e pega o sinal do provedor, o provedor não registrou o clientes, multa e autuação de ofício, e sabe-se que as multas da Anatel não são baratas.

    Basicamente é isso, creio que será a forma mais democrática, honesta e transparente da receita federal e anatel resolverem o problem de uma vez. E parece que o sistema já encontra-se em fase de finalização para isso.

    abraços

    Erick



  7. #7

    Padrão Re: Indignado com o sistema de homologação brasileiro.

    Essa é uma questão para os especialistas em legislação.

    Lendo hoje a Resolução 506 da ANATEL encontrei algo que creio estar relacionado ao cancelamento das homologações:


    CAPÍTULO IV
    DAS DISPOSIÇÕES FINAIS
    Art. 82. A Anatel poderá determinar alteração dos requisitos estabelecidos neste Regulamento,
    mesmo dos sistemas em operação, com a finalidade de otimizar o uso do espectro de radiofreqüências.
    Art. 83. Os equipamentos de radiação restrita existentes na data de publicação deste
    Regulamento, que não atendem ao aqui estabelecido, poderão continuar em operação até o final de sua
    vida útil, desde que estejam operando em situação regular, de acordo com a regulamentação anterior
    aplicável.


    Pelo que entendi, se eu comprei um produto homologado e passado algum tempo a homologação foi cancelada, estou amparado porque à época da compra e emissão da minha nota fiscal o equipamento possuia homologação.

    Está certa a minha conclusão?
    Seria uma grande injustiça ter que desativar um equipamento em perfeito funcionamento porque a homologação foi cancelada.
    Se for obrigado a desativar o equipamento que perdeu a homologação quem paga o prejuízo? O vendedor, o homologador ou o fabricante?

    Abraço,

    ZéAlves



  8. #8

    Padrão Re: Indignado com o sistema de homologação brasileiro.

    Fica tranquilo Zé,

    Voce esta certo, o regulamento somente obriga Novos, e os antigos ficam até o fim de sua vida util válidos.

    Erick



  9. #9

    Padrão Re: Indignado com o sistema de homologação brasileiro.

    Valeu pela resposta Erick !

    Só uma pergunta: Você não dorme não, cara? São 3 da matina! hehehehehe

    Abraço,

    ZéAlves

  10. #10

    Padrão Re: Indignado com o sistema de homologação brasileiro.

    Citação Postado originalmente por filzek Ver Post
    3.2) Clientes
    Rhttp://static1.under-linux.net/images/smilies/smile.png todos os clientes instalados terão que ser cadastrados no site da anatel para uso de equipamento de radio frequencia, isso foi lindo, porque, os provedores serão obrigados a colocarem as coordenadas de latitude e longitude (via GPS) e o CEP do local de instalação do cliente, e com isso, colocar o número da homologação (caso CPE) ou homologações (caso em separado radio transmissor + antena).
    O que é que é isso? Desde quando o governo se meter na intimidade da empresa é bom? Fala sério!!

    E o cliente que usa laptop? Por que não tem essa palhaçada com celulares e 3G? Isso só honera ainda mais o provedor legal.



  11. #11

    Padrão Re: Indignado com o sistema de homologação brasileiro.

    Olhe pelo lado bom...

    Com esse dispositivo torna-se mais eficaz a detecção e eliminação de um pirata compartilhando ADSL e tirando cliente do provedor legalizado.

    Sem a concorrência predatória do pirata o provedor legalizado não precisará esconder seus clientes e sonegar imposto pra permanecer lucrativo.

    Porque não existe este mesmo controle para as grandes? Porque eles pagam o imposto na íntegra. O que não está imbutido no preço é claramente adicionado à conta.

    O problema do Brasil é o amadorismo. Se o cliente não vê o preço baixo do cara que não sabe calcular custos, o cliente não vai pedir pra quem é profissional baixar o preço.

    Será que dá certo ligar na Claro ou na Vivo e pedir pra eles reduzirem o plano do 3G porque um cara do bairro faz pela metade do preço?

    Só resta saber se no inferno brasileiro vai ter todos os elementos funcionando em harmonia...

    Abraço,

    ZéAlves

  12. #12

    Padrão Re: Indignado com o sistema de homologação brasileiro.

    Obrigado filzek, Eu tinha até me arrependido de postar.. apos ver que foi erro de sistema, Mais agora vejo que valeu apena, pois você colocou todos os pontos referente ao assunto, Obrigado pelo esclarecimento a essa questão.
    Abraços.



  13. #13

    Padrão Re: Indignado com o sistema de homologação brasileiro.

    Citação Postado originalmente por bjaraujo Ver Post
    O que é que é isso? Desde quando o governo se meter na intimidade da empresa é bom? Fala sério!!

    E o cliente que usa laptop? Por que não tem essa palhaçada com celulares e 3G? Isso só honera ainda mais o provedor legal.
    Concordo com você, não vejo nada de bom nisso, para ser sincero esse post acabou com meu final de dia.

  14. #14

    Padrão Re: Indignado com o sistema de homologação brasileiro.

    Citação Postado originalmente por granlabor Ver Post
    Olhe pelo lado bom...

    Com esse dispositivo torna-se mais eficaz a detecção e eliminação de um pirata compartilhando ADSL e tirando cliente do provedor legalizado.

    Sem a concorrência predatória do pirata o provedor legalizado não precisará esconder seus clientes e sonegar imposto pra permanecer lucrativo.

    Porque não existe este mesmo controle para as grandes? Porque eles pagam o imposto na íntegra. O que não está imbutido no preço é claramente adicionado à conta.

    O problema do Brasil é o amadorismo. Se o cliente não vê o preço baixo do cara que não sabe calcular custos, o cliente não vai pedir pra quem é profissional baixar o preço.

    Será que dá certo ligar na Claro ou na Vivo e pedir pra eles reduzirem o plano do 3G porque um cara do bairro faz pela metade do preço?

    Só resta saber se no inferno brasileiro vai ter todos os elementos funcionando em harmonia...

    Abraço,

    ZéAlves
    Na realidade esse é o unico lado bom disso, contudo, o que vai ficar dificil para os gatonets, vai ficar dificil para nós também. A questão de controlar as entradas de equipamentos com origem legal e tals é boa. Mais uma coisa é certa, vai ter preço subindo. Mais trabalho para o provedor, mais burocracia, enfim mais custos para repassar para o cliente. E tem mais, a Anatel já está querendo relatórios de clientes, planos e tals.



  15. #15

    Padrão Re: Indignado com o sistema de homologação brasileiro.

    Citação Postado originalmente por Josue Guedes Ver Post
    Na realidade esse é o unico lado bom disso, contudo, o que vai ficar dificil para os gatonets, vai ficar dificil para nós também. A questão de controlar as entradas de equipamentos com origem legal e tals é boa. Mais uma coisa é certa, vai ter preço subindo. Mais trabalho para o provedor, mais burocracia, enfim mais custos para repassar para o cliente. E tem mais, a Anatel já está querendo relatórios de clientes, planos e tals.
    Gente, isso só vai fazer ficar bom para o provedor, sem gatonet a receita aumentará consideravelmente, com isso, as operadoras e os provedores terão uma luta justa.
    Com o PNBL o custo do mega real vai ser vem baixo, ja tem operadoras entregando o mega a 170 reais em lotes de 100megas, ou seja, o preço esta cainda, e com isso, os usuários irão querer mais velocidade, e com os gatonets, esqueçam, eles vão comer a fatia do mercado e deixar sempre o preço la em baixo.

    O Serra ja isentou a cadeia de ICMS no estado de são paulo para os provedores que aderirem a internet de 30 reais, logo logo, esse valor aumenta e chega junto das velocidades do PNBL, assim, a cadeia toda agregada como fez o Paraná não pagará ICMS e isso fará com que o mega caia mais ainda o preço.

    Trabalhar legal, com garantia de qualidade, garantia com origem e procedência de equipamento é a realização do provedor e da industria nacional, que luta hoje contra a guerra externa do paraguay e dos contrabandistas.

    Preço Justo, resultado honesto, dormir tranquilo e manter as finanças, quer cosia melhor do que isso?

    Erick

  16. #16

    Padrão Re: Indignado com o sistema de homologação brasileiro.

    Também fico com pé atráz nessas questões, mais fazer o que né?; Bom na verdade eu acho que é nossa culpa de certa forma o que acontece conosco, pois somos a classe mais desunida que conheço.
    Todo mundo que me conhece pessoalmente sabe minha opinião sobre wireless.
    Agora que sou só operador de uma rede (Ou seja sou funcionário) não tenho tantos problemas.
    E desanimei de pregar união, pois uma vez que tentei com alguns daqui da minha região eu me dei mal.
    Pois o pessoal veio aqui e via que eu tinha parceria com a RN Brasil, quando descobriram que a rn tinha mania de negar as torres perante a anatel. adivinha a primeira coisa que fizeram aqui na região??
    Alguem se arrisca a tentar adivinhar?
    Os próprios caras que vinha aqui conversar comigo denunciaram só pra ver o que a rn faria.
    Resultado vendi minha rede, e agora opero a rede para a empresa que a adquiriu, não prejudico meus concorrentes, pois acho que o trabalho bem feito tem valor, tanto que mesmo sendo apunhalado pelas costas tenho a internet de melhor qualidade de minha região, segundo os clientes que vieram de outros provedores.
    Acho bom certos controles, mais sempre tenho um pé atraz quanto a eles, pois é sempre muito burocrático.
    Antes que alguém me xingue por estar dizendo que não é necessário denuncias etc.. Gostaria de deixar claro que me refiro a minha região.
    Pois estou em uma região com 400.000 habitantes, e somente alguns provedores legalizados. destes o único que tem SCM próprio somos nos.
    E mesmo assim tem clientes pra todos. não adianta eu querer comer o bolo sozinho se meu estômago não comporta tudo.
    Por isso se meu sinal é baixo ou inexistente em certos lugares, indico os concorrentes. unica regra que uso para indicação é o concorrente ser legalizado, pois também não posso ser conivente com a pirataria que acaba com nossa moral, vendendo adsl com ominis aquario radinho edimax etc. kkkkkk
    que leva os clientes que vem deles perguntar (cai muito essa internet?? funciona depois das 18horas?? o msn não fica caindo??) kkkkk
    Abraço a todos.



  17. #17

    Padrão Re: Indignado com o sistema de homologação brasileiro.

    Citação Postado originalmente por filzek Ver Post
    Gente, isso só vai fazer ficar bom para o provedor, sem gatonet a receita aumentará consideravelmente, com isso, as operadoras e os provedores terão uma luta justa.
    Com o PNBL o custo do mega real vai ser vem baixo, ja tem operadoras entregando o mega a 170 reais em lotes de 100megas, ou seja, o preço esta cainda, e com isso, os usuários irão querer mais velocidade, e com os gatonets, esqueçam, eles vão comer a fatia do mercado e deixar sempre o preço la em baixo.

    O Serra ja isentou a cadeia de ICMS no estado de são paulo para os provedores que aderirem a internet de 30 reais, logo logo, esse valor aumenta e chega junto das velocidades do PNBL, assim, a cadeia toda agregada como fez o Paraná não pagará ICMS e isso fará com que o mega caia mais ainda o preço.

    Trabalhar legal, com garantia de qualidade, garantia com origem e procedência de equipamento é a realização do provedor e da industria nacional, que luta hoje contra a guerra externa do paraguay e dos contrabandistas.

    Preço Justo, resultado honesto, dormir tranquilo e manter as finanças, quer cosia melhor do que isso?

    Erick
    Assino embaixo meu amigo.

  18. #18

    Padrão Re: Indignado com o sistema de homologação brasileiro.

    Roberto,

    Fique frio porque muitos pensam igual você. Eu inclusive. Sua postura e maneira de pensar demonstram um amadurecimento empresarial que a maioria não tem.

    Conheço dois caras que vivem usando a ANATEL como ferramenta pra ferir o outro. Um denuncia o outro recebe a visita... o outro fica puto e denuncia o um e por aí vai, num ciclo infinito. Na minha opinião, os dois tinham é que ser presos pra parar de usar o agente público como instrumento de guerra comercial.

    Não sou dono de provedor. Ensaiei isso há algum tempo e não gostei. Hoje presto consultoria e estou com coçeira pra pegar a onda do transporte de link full ou até mesmo a PNBL... Mas só em pensar em funcionário, custo fixo, furto de equipamento e intriga de concorrente fico arrepiado.

    Acho que vou ficar na minha, apenas com a consultoria. Ganho menos, mas também gasto menos e tenho menos encheção de saco.


    Abraço,

    ZéAlves



    Citação Postado originalmente por RobertoLima Ver Post
    Também fico com pé atráz nessas questões, mais fazer o que né?; Bom na verdade eu acho que é nossa culpa de certa forma o que acontece conosco, pois somos a classe mais desunida que conheço.
    Todo mundo que me conhece pessoalmente sabe minha opinião sobre wireless.
    Agora que sou só operador de uma rede (Ou seja sou funcionário) não tenho tantos problemas.
    E desanimei de pregar união, pois uma vez que tentei com alguns daqui da minha região eu me dei mal.
    Pois o pessoal veio aqui e via que eu tinha parceria com a RN Brasil, quando descobriram que a rn tinha mania de negar as torres perante a anatel. adivinha a primeira coisa que fizeram aqui na região??
    Alguem se arrisca a tentar adivinhar?
    Os próprios caras que vinha aqui conversar comigo denunciaram só pra ver o que a rn faria.
    Resultado vendi minha rede, e agora opero a rede para a empresa que a adquiriu, não prejudico meus concorrentes, pois acho que o trabalho bem feito tem valor, tanto que mesmo sendo apunhalado pelas costas tenho a internet de melhor qualidade de minha região, segundo os clientes que vieram de outros provedores.
    Acho bom certos controles, mais sempre tenho um pé atraz quanto a eles, pois é sempre muito burocrático.
    Antes que alguém me xingue por estar dizendo que não é necessário denuncias etc.. Gostaria de deixar claro que me refiro a minha região.
    Pois estou em uma região com 400.000 habitantes, e somente alguns provedores legalizados. destes o único que tem SCM próprio somos nos.
    E mesmo assim tem clientes pra todos. não adianta eu querer comer o bolo sozinho se meu estômago não comporta tudo.
    Por isso se meu sinal é baixo ou inexistente em certos lugares, indico os concorrentes. unica regra que uso para indicação é o concorrente ser legalizado, pois também não posso ser conivente com a pirataria que acaba com nossa moral, vendendo adsl com ominis aquario radinho edimax etc. kkkkkk
    que leva os clientes que vem deles perguntar (cai muito essa internet?? funciona depois das 18horas?? o msn não fica caindo??) kkkkk
    Abraço a todos.



  19. #19

    Padrão Re: Indignado com o sistema de homologação brasileiro.

    Pessoal, teremos uma posição sobre o 2.5GHz até o fim do mes, promessa da Anatel, veremos o que será exatamente dessa faixa.