Página 2 de 2 PrimeiroPrimeiro 12
+ Responder ao Tópico



  1. Citação Postado originalmente por MarceloGOIAS Ver Post
    Bom dia,

    há normas regulamentando esse quesito/relação de potência entre transceptor (rádio ou cartão) e antena pela Anatel (no Brasil) e por outros órgãos regulamentadores em seus respectivos países.
    Para cidades cujas populações sejam superiores a 500.000 habitantes terá de ser respeitada a potência de pico (E.I.R.P.) de 4W ou 36dBm em 2.4GHz. Exemplo: 21dBm de potência do transceptor + 15dBi de ganho da antena são 36dBm, E.I.R.P. máxima permitida nessas cidades. Também podem ser descontados as perdas de cabos e conectores.

    Mesmo em cidades de populações inferiores a 500.000 habitantes a fiscalização da Anatel tem pedido a provedores para reduzir a potência total de transmissão em 2.4GHz. Imaginem um transceptor de 600mW (28dBm) + antena de 20dBi? 48dBm???

    Garantia de espectro rádioelétrico altamente poluído caso não haja moderação ou fiscalização. Além disso, há muitos espertinhos utilizando amplificadores de 5W (ou mais). Totalmente sem noção e tiro no próprio pé. Nem eles e nem os concorrentes conseguem trabalhar de forma decente. Por isso, muito bom senso ao instalar seus AP's e suas antenas.
    isso ai sabia que tinha alguma coisa assim

  2. Citação Postado originalmente por MarceloGOIAS Ver Post
    Bom dia,

    há normas regulamentando esse quesito/relação de potência entre transceptor (rádio ou cartão) e antena pela Anatel (no Brasil) e por outros órgãos regulamentadores em seus respectivos países.

    Para cidades cujas populações sejam superiores a 500.000 habitantes terá de ser respeitada a potência de pico (E.I.R.P.) de 4W ou 36dBm em 2.4GHz. Exemplo: 21dBm de potência do transceptor + 15dBi de ganho da antena são 36dBm, E.I.R.P. máxima permitida nessas cidades. Também podem ser descontados as perdas de cabos e conectores.

    Mesmo em cidades de populações inferiores a 500.000 habitantes a fiscalização da Anatel tem pedido a provedores para reduzir a potência total de transmissão em 2.4GHz. Imaginem um transceptor de 600mW (28dBm) + antena de 20dBi? 48dBm???

    Garantia de espectro rádioelétrico altamente poluído caso não haja moderação ou fiscalização. Além disso, há muitos espertinhos utilizando amplificadores de 5W (ou mais). Totalmente sem noção e tiro no próprio pé. Nem eles e nem os concorrentes conseguem trabalhar de forma decente. Por isso, muito bom senso ao instalar seus AP's e suas antenas.
    Essas são as características para o sistema irradiante como um todo exigido pela Anatel.

    Fora isto, a questão "usar omni que combina com ap" tem-se a observar o aspecto físico: conectores, cabeamento e antenas, e o eletrônico: impedância, ROE, potência, sensibilidade.

    Como MarceloGOIAS nos mostrou, o ponto mais crítico é o uso amplificadores, eles acabam com todo espectro radio elétrico deixando-o altamente poluído, ninguém mais consegue trabalhar direito.






Tópicos Similares

  1. Respostas: 5
    Último Post: 18-10-2011, 19:02
  2. Respostas: 24
    Último Post: 06-04-2009, 21:00
  3. Respostas: 10
    Último Post: 12-01-2009, 00:19
  4. Respostas: 10
    Último Post: 23-12-2008, 16:39
  5. problemas com ap ou omni
    Por liandra no fórum Redes
    Respostas: 19
    Último Post: 18-01-2006, 18:58

Visite: BR-Linux ·  VivaOLinux ·  Dicas-L