Página 1 de 3 123 ÚltimoÚltimo
+ Responder ao Tópico



  1. Alguém já leu sobre essa Cyber-Utopia?

    PROJETO DE LEI: SERVIÇOS DE CONEXÃO DE INTERNET NO BRASIL.

    Objetivo: Tornar os contratos de serviços de Internet mais claros e justos para o consumidor em nosso país.


    Art. 1º - A empresa prestadora de serviços é obrigada a manutenção de no mínimo 90 % da velocidade de conexão contratadas.

    Art. 2° - O cliente poderá ser ressarcido com o valor equivalente ao percentual que a operadora por ventura deixe de fornecer dentro do limite de conexão contratado, por qualquer motivo, respeitando o limite mínimo supracitado do Artigo 1°.

    I - A empresa não pagará multa caso a mesma comprove que o mínimo exigido pelo Artigo 1° está sendo mantido.

    II – O consumidor tem direito a negociar o preço da mensalidade nestes casos, sempre mantendo o percentual velocidade de conexão estabelecida x preço por Kb/s (Kilobytes por segundo) ou Mb/s (Megabytes por segundo).

    Art. 3° - Toda e qualquer empresa somente poderá vender ou fornecer aparelhos ou modens desbloqueados, respeitando assim o direito do consumidor poder escolher qual empresa fornece o melhor serviço aos melhores preços em relação ao custo-beneficio.( Lei n.º 8.078, de 11 de setembro de 1990, Artigos 4° e 6°, do Código de Defesa do Consumidor)

    Art. 4° - O cliente não poderá ser cobrado por taxas de arquivos baixados. Somente será permitida a cobrança pela velocidade de conexão.

    Art. 5° - O cliente terá no mínimo quatro opções de limites contratuais, podendo optar não somente pela velocidade de conexão fornecida como também pela duração de seu contrato com a empresa prestadora do serviço.

    Art. 6° - É dada a empresa contratada o direito a verificação e testes de conectividade nos aparelhos fornecidos ao consumidor que reclame sobre a taxa de velocidade quando a mesma está abaixo do mínimo exigido no artigo 1° desta Lei.

    Art. 7° - É dado ao consumidor o direito de teste dos produtos fornecidos, bem como da conexão contratada, pelo prazo mínimo de 2 meses decorridos a partir da primeira conexão estabelecida pelo consumidor em seu aparelho.

    I – Durante o período de testes a prestadora de serviços não poderá cobrar mais que 50 % do montante a ser pago mensalmente pelo contrato estabelecido com o consumidor.

    II – Após os 2 meses de testes do produto consumidor poderá cancelar o contrato sem que haja multa, caso o serviço ou produto não tenha atendido as suas espectativas.

    III – A prestadora de serviços não poderá cobrar qualquer adicional neste período de testes bem como limitações de serviços.
    Art. 8° - A prestadora do serviço fica obrigada a fornecer 10% de toda sua capacidade em número de usuários para o cidadão que comprovar receber até um salário mínimo ou uma renda familiar relativa per capita que não ultrapasse o mesmo, sendo o fornecimento de serviço de internet de gratuito para os mesmos.

    I – Fica a critério de empresa vender ou fornecer gratuitamente aparelhos para que o cidadão de baixa renda possa conectar-se.

    II – Caso a empresa venha a vender os aparelhos, neste caso, não poderá vender a um preço superior a 25 % do preço fornecido a outros usuários.

    III – Fica a critério da empresa fornecer a quantidade de velocidade de conexão que for mais conveniente, assegurando o direito do usuário de baixa renda poder acessar com pelo menos 25 % da maior velocidade de conexão oferecida pela prestadora de serviço.

    IV – Cabe a empresa divulgar mensalmente a quantidade de vagas disponíveis para o cidadão de baixa renda em cada cidade ou área de cobertura regional.


    FONTE: PROJETO DE LEI: SERVIOS DE CONEXO DE INTERNET NO BRASIL - Abaixo Assinado.Org

  2. Parágrafo primeiro do artigo 1º: O autor do abaixo assinado é obrigado abrir um provedor e assumir tudo que é cobrado neste documento sem choradeira e sem direito a pedir falência, doações ou morrer no período de 25% a maior idade já registrada no Brasil contados a partir da data de fundação da empresa.

    Trágico hein: Há dois tipos de pessoas as doam sem divulgar o feito e as que, querendo fama, berram exigências para que outros cumpram.



  3. Kleber, me nego a acreditar que alguém apresente um treco desses.
    Absurdo acima de absurdo.
    O único texto que seria válido aí é o proposto pelo bjaraujo.
    Fazer o feitiço virar contra o feiticeiro.

    O sujeito não conhece nada mesmo. Deve ser um daqueles consumidores paranoícos, que está com serviço com alguma telecom e mal atendido.
    Viu que tem o Orkut dele?
    Seria até interessante sugerir a ele a inclusão do parágrafo citado pelo bjaraujo

  4. AHRUAEHURHA Verdade Carlos, quem vai ter as caras de sugerir isso para esse assinante revoltado com as Teles???



  5. Projeto de lei: papai noel filho da pu............... inventar um negocio desse....
    Última edição por wireless&cia; 16-01-2011 às 09:52.






Tópicos Similares

  1. Respostas: 11
    Último Post: 13-07-2015, 18:48
  2. Respostas: 8
    Último Post: 05-12-2010, 11:49
  3. Respostas: 9
    Último Post: 16-12-2009, 12:56
  4. Projeto de Lei que restringe o uso da internet
    Por ruyneto no fórum Assuntos não relacionados
    Respostas: 6
    Último Post: 07-11-2006, 13:47
  5. chuva de chapeis de papai noel heheh
    Por gil_maq no fórum UnderLinux
    Respostas: 8
    Último Post: 13-12-2002, 23:44

Visite: BR-Linux ·  VivaOLinux ·  Dicas-L