Página 1 de 6 12345 ... ÚltimoÚltimo
+ Responder ao Tópico



  1. #1

    Padrão Licença SCM própria ou parceria?

    Bom hoje tirei o dia para ler topicos sobre legalização por parceria , minha duvida :


    Vou ou nao vou por parceria , sou de pequeno porte tenho em media 60 clientes ativos .

    Posso crecer mais , mais estou meio com medo , tenho empresa ja formada desde 2007 , so que nao no ramo de multimidia e sim atividades de lan house .

    Todos os equipamentos sao homologados e com nota fiscal.


    1 - Qual empresa que vcs me indicão que realmente sao idonias e posso dormir tranquilo .

    E outra coisa , alguem ja foi visitado por fiscais e que trabalhem com parcerias ?

  2. #2
    SUPORTE E CONSULTORIA Avatar de Acronimo
    Ingresso
    Oct 2008
    Localização
    Rio de Janeiro - RJ
    Posts
    2.109
    Posts de Blog
    1

    Padrão re: Licença SCM própria ou parceria?

    LocalNet WM Bravo, sem problemas,



  3. #3

    Padrão re: Licença SCM própria ou parceria?

    Contribuindo para sua leitura, vai minha webpage sobre o assunto SCM (Serviço de Comunicação Multimídia) procurando abranger o máximo de informações.

    Serviço de Comunicação Multimídia - Coletânea - BDI BBS

  4. #4

    Padrão re: Licença SCM própria ou parceria?

    parceria é joga dinheiro fora registrando torre e pagando tfi com uma empresa que não é sua,.,,
    gaste um gaste com oque é seu tire sua propria scm,,,digo por esperiencia não entra na fria de parceria pois este metodo de trabalho na real não existe



  5. #5

    Padrão re: Licença SCM própria ou parceria?

    O dinheiro da mensalidade que vc vai gastar com a parceria dá para vc pagar a sua scm propria, porém uma parceria bem firmada com uma empresa séria pode proporcionar um respaldo operacional q vc necessite, porém vc deverá operar como funcionário da empresa proprietária do scm, emitindo faturas em nome dela. Acredito que o seu poder operacional tmbm fica um pouco limitado. O Pior de tudo isso que falei é a interpretação do fiscal da anatel no dia que ele for te visitar, haja vista que a maioria deles não encara a parceria como solução para poder operar, vc vai correr o risco de algum lacrar sua estação. Mesmo vc fazendo um modelo correto de parceria correrá esse risco e não tem o que discutir com eles, pois estão apenas desempenhando seu trabalho que é de fiscalizar.

  6. #6

    Padrão re: Licença SCM própria ou parceria?

    Isso que é complicado um diz que é bom e outros não. O problema que no caso dele 60 clientes, o custo vai ser muito elevado para tirar a SCM mesmo.

    Procura o pessoal das parceiras e tenta conversa, eu to conversando com o cara da Pinhais Telecom.

    Citação Postado originalmente por vie190 Ver Post
    parceria é joga dinheiro fora registrando torre e pagando tfi com uma empresa que não é sua,.,,
    gaste um gaste com oque é seu tire sua propria scm,,,digo por esperiencia não entra na fria de parceria pois este metodo de trabalho na real não existe



  7. #7

    Padrão re: Licença SCM própria ou parceria?

    Isso mesmo , ainda sou muito pequeno para tirar minha propria licença , amsi fico com pe atras sobre parcerias , com comentei li variosssssssssssssssssssssss topicos aonde o pessoal tinha parceria e foram lacrados ,

    Um custo algo com a minha propria licença fica inviavel ate o momento e nao tenho capital para bancar isso , pois sempre ficarei no vermelho por um bom tempo , ate tirar o investimento.


    Parceria com a localnet , ja tentei entrar em contato mais sem sucesso.


    Estou vendo o que faço ainda.

  8. #8

    Padrão re: Licença SCM própria ou parceria?

    Citação Postado originalmente por jmathayde Ver Post
    Isso mesmo , ainda sou muito pequeno para tirar minha propria licença , amsi fico com pe atras sobre parcerias , com comentei li variosssssssssssssssssssssss topicos aonde o pessoal tinha parceria e foram lacrados ,

    Um custo algo com a minha propria licença fica inviavel ate o momento e nao tenho capital para bancar isso , pois sempre ficarei no vermelho por um bom tempo , ate tirar o investimento.


    Parceria com a localnet , ja tentei entrar em contato mais sem sucesso.


    Estou vendo o que faço ainda.
    Sobre ficar no vermelho, eu fiquei mais de ano assim. Mas já sabia de antemão que seria isso.
    Faz parte do investimento.
    Faz pouco que consegui passar do ponto de equilibrio, mas não é nada ainda. Preciso de mais investimento e consequentemente parece que a novela da espera de lucro vai continuar.
    Se for parceria, precisa mesmo ser boa.
    E não está fácil, mas tem gente competente no mercado.



  9. #9

    Padrão Re:

    Carlos, lembra das conversas que já tivemos sobre esse assunto? Será que não seria interessante repensar a forma como as coisas vem sendo feitas? Diante de tantos problemas e desconfianças, será que não está na hora de analisar a situação e propor outro modelo para as 'parcerias'?

    Quantas vezes nos deparamos com relatos de parcerias teoricamente bem feitas e que no ato da fiscalização o fiscal não quis nem saber de conversa. Acontece? Claro, é uma realidade, e exemplos não faltam. Ora, se a 'parceria' entre SCM e outra empresa gera tantos desgostos por parte da Anatel (e eu até imagino os motivos), cabe aos interessados buscar uma solução.

    Eu tenho ideias, tu também... Sabemos quais as carências desse mercado e as lacunas a serem preenchidas. Falta o que??? Coragem para expor e não ser praguejado. Só isso.

    Eu tenho, e tu??

  10. #10

    Padrão re: Licença SCM própria ou parceria?

    Te recomendo a parceria com a R2 WEB, eles ja tem experiencia na área, e tem feito um ótimo trabalho , tem mais de 100 parceiros em todo país. Além de uma ótima acessoria jurídica.

    Para o pequeno provedor vce pode ter certeza que a parceria feito por uma empresa séria é sem dúvida mais lucrativo, tanto finaceiramente, como , em termos de acessoria.
    Voce fazendo parceria vce pode usar essa atividade de empresa, pois vce vai funcionar apenas como sva( serviço de valor adicionado), como um prestador de serviço.
    Pode ter certeza meu amigo, que licença própria pra quem está no começo como vce nao vale a pena. Pois vce terá que gastar só pra tirar a licença : 9mil da licença scm,
    TFI 1340,80,
    progeto 5.000
    CREA
    depois que sair a licença você vai ter que pagar entre 28 e 29% de icms, funtel 1%, fust 0,5%, manter um 0800, um engenheiro responsavel pela estaçao, etc
    Com a parceria vce paga uma porcentagem pequena e tem tudo isso incluso. MSN: [email protected]




  11. #11

    Padrão re: Licença SCM própria ou parceria?

    Como nosso colega Jadir falou , ja li muitos relatos que a parceria nao adiantou de nada , mais mesmo assim estou enviando email apra ver se tenho retorno de algo.

    Outro detalhe , como fica para cidades com menos de 500 mil hab , seria a mesma coisa ?

  12. #12

    Padrão re: Licença SCM própria ou parceria?

    É Jadir, tem mesmo muita coisa para mudar.
    A primeira coisa que a Anatel procura é alguma evidência de aluguel.
    Daí pergunto: se o sujeito que tem parceria é fiscalizado, o que ele vai apresentar para a fiscalização?
    Muitos estão fazendo boleto com discriminação dos dois serviços : SCM e SVA. Ajuda? pode até ajudar, mas vi um amigo sendo fiscalizado onde o fiscal, depois de tomar ciência da quantidade de assinantes, pediu para ele os comprovantes que estava enviando os valores de SCM nos boletos. Ele não tinha, pois era frio. Se ele tivesse, creio que a fiscalização pararia no ato.
    Daí o SCM correu e tirou tantas notas para fechar o valor do aluguel mensal. Logico que isso chama a atenção da fiscalização. Todos meses igualzinho? Ninguém entrou e ninguém saiu?
    Então uma das coisas que precisa terminar é este negócio de valor fixo mensal. Pode ser atrativo para os dois lados, mas não é para a Anatel.
    Eu imagino duas possibilidades:
    1 - o SCM assume o serviço de SCM e cobra no boleto em conjunto um valor fixo por assinante. Assume os custos de impostos para isso. Todo mês é repassado para o SCM estes valores. O SCM envia para o parceiro todo mês uma nota de telecom para cada assinante para embasar a cobrança. O SCM e o parceiro celebram um contrato de terceirização de cobrança , de aluguel das estruturas do parceiro e autorização para instalar e dar suporte como representante do SCM.
    O parceiro assume o restante do valor da assinatura e emite o boleto com o valor total e discrimina o que cabe a cada um. Sei que já tem um SCM conhecido fazendo isso.
    Pode até dar ainda margem para que a fiscalização faça alguns questionamentos, mas tudo pode ser comprovado.

    2 - O SCM assume o valor total da assinatura. E recolhe os impostos pertinentes. E paga pelos serviços de
    representação ao parceiro local. É esse o modelo que as telecom e concessionárias de energia usam.
    As telecom emitem a nota do total.
    Uma excessão a isso que notei é a OI. Ela cobra pelo adsl mas que cobra pela autenticação é a empresa autenticadora. Mas o valor está discriminado em conjunto na nota da OI.

    O SCM também faz o contrato de uso da rede instalada do parceiro, de terceirização de cobranças etc etc.

    O primeiro modelo, já tem pareceres postados aqui no forum, que a Anatel aceita. O problema é que precisa ser comprovado efetivamente.
    O segundo modelo, ainda ninguém se aventurou a lançar entre os provedores. Mas duvido que a Anatel poderia encontrar qualquer anormalidade. Tudo é assumido pelo SCM. O parceiro seria um terceirizado na prática.

    A GVT por ex. usa muito o aluguel de torres da American Tower. E também a manutençao das bases instaladas.
    No site da American Tower mostra que eles tem um modelo que assume a implantação dos POPs. Então é perfeitamente normal que possamos também alugar nossas instalações para o SCM.

    Podemos aprofundar estas questões e não simplesmente aceitar o que as empresas de SCM impoem. Por mais boa vontade e seriedade da parte do SCM, o modelo de parceria de preço fixo caracteriza aluguel e complica.
    Amigos, está na hora de os provedores pensarem muito bem ao fazerem parcerias.
    Alguns SCM até usam o termo "representantes", mas na prática não querem assumir os custos disso e apresentam o modelo de preço fixo ( leia-se "aluguel") . E os parceiros muitas vezes ficam atraídos pelo preço fixo.
    Vejam que neste modelo de preço por assinatura, vai chegar um momento que não é mais interessante ter a
    representação. Cada um vai ter que ver o que é melhor para a sua situação. O melhor será partir para SCM própria, ou continuar? O que é perfeitamente normal. Isto vai obrigar o SCM a procurar aprimorar cada vêz mais o seu suporte.
    Última edição por 1929; 19-01-2011 às 18:35.



  13. #13

    Padrão re: Licença SCM própria ou parceria?

    Citação Postado originalmente por jmathayde Ver Post
    Como nosso colega Jadir falou , ja li muitos relatos que a parceria nao adiantou de nada , mais mesmo assim estou enviando email apra ver se tenho retorno de algo.

    Outro detalhe , como fica para cidades com menos de 500 mil hab , seria a mesma coisa ?
    Mesma coisa, até para 100 mil hab ou menos. A Anatel tinha um projeto pra cobrar mais barato a licença para provadores regionais, no entanto parece que o projeto foi engavetado. Não se fala mais disso.

  14. #14

    Padrão re: Licença SCM própria ou parceria?

    Muito bom colega , bom mesmo , creio que esta seria a ideia ideal .

    Citação Postado originalmente por 1929 Ver Post
    É Jadir, tem mesmo muita coisa para mudar.
    A primeira coisa que a Anatel procura é alguma evidência de aluguel.
    Daí pergunto: se o sujeito que tem parceria é fiscalizado, o que ele vai apresentar para a fiscalização?
    Muitos estão fazendo boleto com discriminação dos dois serviços : SCM e SVA. Ajuda? pode até ajudar, mas vi um amigo sendo fiscalizado onde o fiscal, depois de tomar ciência da quantidade de assinantes, pediu para ele os comprovantes que estava enviando os valores de SCM nos boletos. Ele não tinha, pois era frio. Se ele tivesse, creio que a fiscalização pararia no ato.
    Daí o SCM correu e tirou tantas notas para fechar o valor do aluguel mensal. Logico que isso chama a atenção da fiscalização. Todos meses igualzinho? Ninguém entrou e ninguém saiu?
    Então uma das coisas que precisa terminar é este negócio de valor fixo mensal. Pode ser atrativo para os dois lados, mas não é para a Anatel.
    Eu imagino duas possibilidades:
    1 - o SCM assume o serviço de SCM e cobra no boleto em conjunto um valor fixo por assinante. Assume os custos de impostos para isso. Todo mês é repassado para o SCM estes valores. O SCM envia para o parceiro todo mês uma nota de telecom para cada assinante para embasar a cobrança. O SCM e o parceiro celebram um contrato de terceirização de cobrança , de aluguel das estruturas do parceiro e autorização para instalar e dar suporte como representante do SCM.
    O parceiro assume o restante do valor da assinatura e emite o boleto com o valor total e discrimina o que cabe a cada um. Sei que já tem um SCM conhecido fazendo isso.
    Pode até dar ainda margem para que a fiscalização faça alguns questionamentos, mas tudo pode ser comprovado.

    2 - O SCM assume o valor total da assinatura. E recolhe os impostos pertinentes. E paga pelos serviços de
    representação ao parceiro local. É esse o modelo que as telecom e concessionárias de energia usam.
    As telecom emitem a nota do total.
    Uma excessão a isso que notei é a OI. Ela cobra pelo adsl mas que cobra pela autenticação é a empresa autenticadora. Mas o valor está discriminado em conjunto na nota da OI.

    O SCM também faz o contrato de uso da rede instalada do parceiro, de terceirização de cobranças etc etc.

    O primeiro modelo, já tem pareceres postados aqui no forum, que a Anatel aceita. O problema é que precisa ser comprovado efetivamente.
    O segundo modelo, ainda ninguém se aventurou a lançar entre os provedores. Mas duvido que a Anatel poderia encontrar qualquer anormalidade. Tudo é assumido pelo SCM. O parceiro seria um terceirizado na prática.

    A GVT por ex. usa muito o aluguel de torres da American Tower. E também a manutençao das bases instaladas.
    No site da American Tower mostra que eles tem um modelo que assume a implantação dos POPs. Então é perfeitamente normal que possamos também alugar nossas instalações para o SCM.

    Podemos aprofundar estas questões e não simplesmente aceitar o que as empresas de SCM impoem. Por mais boa vontade e seriedade da parte do SCM, o modelo de parceria de preço fixo caracteriza aluguel e complica.
    Amigos, está na hora de os provedores pensarem muito bem ao fazerem parcerias.
    Alguns SCM até usam o termo "representantes", mas na prática não querem assumir os custos disso e apresentam o modelo de preço fixo ( leia-se "aluguel") . E os parceiros muitas vezes ficam atraídos pelo preço fixo.
    Vejam que neste modelo de preço por assinatura, vai chegar um momento que não é mais interessante ter a
    representação. Cada um vai ter que ver o que é melhor para a sua situação. O melhor será partir para SCM própria, ou continuar? O que é perfeitamente normal. Isto vai obrigar o SCM a procurar aprimorar cada vêz mais o seu suporte.



  15. #15

    Padrão re: Licença SCM própria ou parceria?

    Prezado 1929 e demais colegas, boa noite;
    Há muito venho falando das irregularidades disso, parceria é ilegal, me admira o colega 1929, saber que o colega fraudava os boletos e sabe-se la mais o que para parecer LEGAL e ainda achando isso legitimo!

    Gente fraude Também é crime, que diacho que metodologia de trabalho é essa que os srs. dizem ser bem feita, serem legal, serem isso e aquilo, pessoal mesmo diante de tantos depoimentos de colegas que caíram com essa e com aquela parceria que todos alegavam serem corretas e que só precisava apresenta o KIT fiscalização que tava tudo certo....

    Olha eu acho que o que é certo é certo e o que é errado é errado!

    1º Somente uma operadora de Telecom, pode prestar um serviço de Telecom, o que é Telecom? E o serviços de interconexão que vcs prestam aos seus clientes, clientes os quais suas parceiras(isso vale apenas para quem tem parceria) muitas das vezes nem têm acesso. Sinceramente os srs. acham isso certo? Se acharem me desculpe mais os srs. estão e sempre estarão sendo conivente com crime e quem sabe mais num futuro próximo o que farão por dinheiro.

    2º O Sva, apenas pode servir os clientes da SCM com e-mail, hospedagem, conteúdo e etc... Porém para isso o SVA precisa ser cliente da REDE do SCM e não ao contrario!

    3º só quem pode cobrar pelos serviços de SCM prestado ao cliente do SCM é o SCM, um SVA não pode receber os serviços, pois isso caracterizaria terceirização de SCM e evasão fiscal(CRIME).

    4º Empresas por ai estão divulgando que estão fazendo franquias e trabalhando na mesma metodologia da SHTURBO, porem prometem cobrar apenas de 6 a 10% do franqueado, como essa empresa promete cobrar apenas 10% de um serviço de R$ 1000,00 prestado ao cliente do SVA, como ela irá recolher e pagar os 25% de ICMS, os 1,5% do fust e funtel, os 4% de PIS e confis? Estas empresas declaram estarem prestando apenas 10% dos serviços como SCM e o restante com SVA, ou seja de 1000(um mil reais) prestados de SCM ela diz que apenas 100,00 é scm e o restante, os 900(novecentos reais) são SVA, pessoal, isso funciona? Sim funciona e vai perdurar por algum tempo assim como esses charlatões que vendem essas falsas coberturas (parceria SCM) aos colegas, mais uma hora a Anatel juntamente com a Receita vai bater em cima e vai querer receber TUDO, sem falar na multa por evasão e sonegação fiscal, olhem que essa não é tão branda como a multa por operar pirata tomem cuidado com essas propostas milagrosos.

    5º O serviço de telecomunicações é caro e a carga tributaria também, não se iludam com falsa promessa, pois como o colega disse vemos ex. disso nas contas telefônicas e de links. Imaginem se essa metodologia milagrosa funcionasse mesmo, as GRANDE TELES estão cobrando apenas 10% dos valores dos nossos links como sendo SCM e o resto ela inventaria como SVA e outra coisas que pudesse sonegar e auferir maior LUCRO.

    6º recentemente 02 empresas conhecidas aqui do fórum tiveram suas SCM cassadas e outras estão pedindo renuncia de tantos PADOs(processo administrativo pode descumprimento de obrigações) nas costas, elas estão só na miúda, em breve a bomba estoura, quando isso acontecer, e seus parceiros como ficarão sem seus o guarda-chuvas.
    A SHTURBO INTERNET vem demonstrando e alertando-os desde 2007, fomos atacados, enxotados e avacalhados, até mesmo por administradores aqui do fórum, e hoje.
    Bem nossos franqueados nunca tiveram problemas alguns com a ANATEL, podem procurar um que tenha tido problema, procurem por quantos tiveram problemas pessoais e etc... perguntem o que a SHTURBO fez, deixou-os na mão? Será? Nossos franqueados são parte da família e se um membro da família vai mal, nos tentamos tudo que estiver ao nosso alcance.

    A SHTURBO tem 3 PADOS em 4 anos;

    01 – primeiro deles de quando possuímos uma parceria muito bem feita (tudo nosso era em nome deles - SCM) com uma empresa que era SCM e nós éramos o SVA isso até abril de 2007, já dei minha declaração quanto a ilegalidade disso a muitos aqui nesse fórum.

    02 – por franqueamos um provedor em MG e geramos boletos (cobrarmos dos nossos clientes) antes de sair a TFI da torre em epígrafe, foi um ato impensável e inocente, porém a lei diz que podemos testar o equipamento (torres) por 90 dias, porém não se pode faturar nada em quanto estiver testando, deve-se avisar a Anatel com pelo menos 15 dias de antecedência antes de começar a operar comercialmente.

    03 - Foi por ajudar um colega aqui do fórum que foi atuado no RS por estar pirata e que foi denunciado por outro pirata, rsrsrs, e para não deixá-lo na mão e deixá-lo perder ganha pão (seus equipamentos), nos assumimos seu provedor e a responsabilidade perante a ANATEL, nos defendemos no dia da fiscalização, alegamos que la era SHTURBO já algum tempo e que tínhamos pecado em não licenciar a estação mais que estaríamos providenciando, os fiscais acreditaram ser a SHTURBO quem prestava o serviço, porém não deixaram de autuar pela falta de licença da torre, financiamos a multa para o colega pagar em 12 meses, acho que é melhor do que perder tudo e ainda sim ficar com a multa e o processo nas costa!
    Agora a SHTURBO nunca teve um PADO sequer por estar operando irregular, ou por terceirização, por cobrança irregular, ou por evasão fiscal, pois trabalhamos 100% corretos, desde 2007 adotamos a metodologia da Oi, trabalhamos como as grandes teles, cobramos como as grandes teles e faturamos como deve ser, por isso nos e nossos franqueados dormimos tranqüilos.

    Mais informações sobre a franquia e valores no site da SHTURBO - .::ShTurbo Internet - Sua Internet num Piscar de Olhos::...>>> Speed Help Inform SHT

    Contatos por e-mail [email protected]

    Nos descrevemos nosso real método e trabalho no site pois não precisamos nos esconder como uns e outros que só conversam por email, MSN e ou com contrato de confiabilidade.


  16. #16

    Padrão re: Licença SCM própria ou parceria?

    BOM RELATO , agora mesmo que fico pensativo , estou quase fechando parceria , falta pouco , mais espero mais relatos sobre isso



  17. #17
    SUPORTE E CONSULTORIA Avatar de Acronimo
    Ingresso
    Oct 2008
    Localização
    Rio de Janeiro - RJ
    Posts
    2.109
    Posts de Blog
    1

    Padrão re: Licença SCM própria ou parceria?

    rsr tb, deu ate medo, mas valeu SH

  18. #18

    Padrão re: Licença SCM própria ou parceria?

    Citação Postado originalmente por Shturbo Internet Ver Post
    Prezado 1929 e demais colegas, boa noite;
    Há muito venho falando das irregularidades disso, parceria é ilegal, me admira o colega 1929, saber que o colega fraudava os boletos e sabe-se la mais o que para parecer LEGAL e ainda achando isso legitimo!

    Cristiano, fazia tempo que voce não aparecia.
    E cresceu desde aquele tempo pois já tem 16 estações licenciadas, incluindo a sua. Isso é elogiável.
    Como voce citou meu nome como apoiando uma irregularidade nos boletos, me sinto no direito de me defender.
    Por favor, não coloque na minha boca, ( ou teclado ) palavras que não disse. Pelo contrário, expressei minha indignação com o modelo popular de parcerias.
    Se voce ler acima, vai ver que eu não defendi uma irregularidade. O exemplo que citei, só deu problema porque o SCM não dava o suporte necessário e nem emitia NFiscal de SCM. Só cobrava um valor fixo por mês. Quando a fiscalização pediu para ele os comprovantes de remessa dos valores de SCM, ele não tinha, não por culpa dele, mas do SCM. Se ele tivesse isso, teria passado incólume.
    O que estava errado? Concordo com você. O modelo de trabalho é que estava errado.

    Quanto a haver dois valores nos boletos, se voce procurar aqui no forum, foi postada uma resposta da Anatel a respeito disso, onde admite terceirização de cobrança e no mesmo boleto haver discriminação dos valores de cada serviço.
    E se ler com cuidado vai notar que eu também critiquei o modelo comum de "parceria" e até conclamei os companheiros que pensassem bem e analisassem as propostas. Não podemos nos submeter a qualquer proposta.
    A verdade é que existe uma contradição em muitas atuações de SCM. E nisso voce está certo. Só porque tem uma outorga nacional, não significa que estejam atuando verdadeiramente em todas as cidades que dizem atuar. Na maioria do casos o que tem lá é um representante, um franquiado ou um parceiro comercial, seja lá o nome que derem.
    Faço uma pergunta: voce vai em todas estas cidades onde já está presente para executar e fiscalizar todo o serviço prestado? Será que nisso você está certo? Com certeza não, pois quem faz o serviço lá é um franquiado ou um representante, para não falar em parceiro, já que este termo está sendo encarado de forma pejorativa pelas autoridades.
    Não devia ser assim, pois parceria é a palavra de ordem na área econômica. Ninguém faz mais nada sozinho. Quase tudo é terceirizado.
    É uma questão de nomenclatura.
    A Anatel deveria até regular este tipo de prestação de serviço de uma forma mais clara. Ou será que eles acham que os SCM ( com raras excessões) são realmente quem estão fazendo o serviço pesado nos provedores por este Brasilsão afora? Será que você vai lá no Amazonas para assumir a prestação do serviço? Nâo, na prática é exatamente como em qualquer outro terceirizado, ou parceiro. É o terceirizado, o franquiado ou o parceiro que faz tudo, que instala, que dá manutençao, que resolve os problemas do dia a dia.
    Porque então não ficar com a parte maior da receita?

    Na minha cidade e com certeza na maioria, não é a operadora de telefonia que atende diretamente. Sempre tem um preposto para executar o serviço. Quem é este preposto? um franquiado, um representante ou um terceirizado.
    Na minha conta de telefone por exemplo tem sim mais de um tipo de serviço discriminado.
    Tem o serviço de telefonia, serviço de internet e tem lá no final um campo "cobranças de terceiros" onde está o valor pago pelo serviço de provedor de acesso. Este é só para autenticar. Na minha conta é barato porque eu brigo com eles. Mas já vi contas de 120 reais, onde 45 era de provedor de acesso.
    Então não vejo onde possa estar a sonegação. Cada um paga o seu imposto.

    E como voce foi direto comigo, vou ser com voce, com todo o respeito. Não quero provar qual modelo é certo. Mas vejo que precisa haver um denominador comum na formação do preço para o representante ou franquiado.
    Tem que ser bom para os dois lados.
    Eu, na época que voce me enviou uma proposta, não fiz porque na prática não sobrava quase nada para mim. Eu ia trabalhar para os outros e não poderia decidir nada. Só ia ficar faltando voce assinar uma carteira de trabalho para mim.
    Creio que hoje talvêz já tenha mudado alguma coisa, pois notei como disse antes que voce já tem 16 bases licenciadas.
    Apesar de tudo, acho que estamos caminhando no mesmo sentido. Concordamos que o modelo "tradicional" deve mudar. Eu também já fiquei sabendo que algumas SCM estão repensando a forma de trabalhar. O importante é que tudo esteja documentado e efetivamente pago.

    Quanto ao caso do provedor que foi fiscalizado e para não ser lacrado, a SHTurbo assumiu tudo, achei muito estranho. Será que no caso os fiscais foram bonzinhos, já que operar sem a devida licença dá lacre sumário?
    E ainda ser denunciado por outro pirata? O pirata quer mais é que a Anatel passe longe.

    O fato do serviço de telecomunicações ( na área de internet) ser caro, é realmente. Mas isso vai ter que mudar. Com o PNBL vindo aí, não tem como se manter quem não tiver um retorno bom. O governo já bateu o martelo em 35,00 para 512kbps de banda e ainda vai querer que seja 1x10 ou seja vai ter que provar que para cada mega tem no máximo 10 usuários. Quem vai conseguir se manter? Você já pensou em como vai continuar no ramo de franquia?
    Depois desta longa explanação, não quero estabelecer contigo um debate. Me espichei no texto porque você escreveu muito e eu precisava considerar suas palavras.
    Como vê, não tiro sua razão com relação a muitas coisas e tenho a mesma preocupação. Mas daí achar que só você tem razão vai uma distância muito grande. Sei de vários casos onde os companheiros tinham parceria e foram fiscalizados com sucesso.
    Seria até interessante se alguém que não tem SCM própria e foi fiscalizado, que desse sua contribuição ao tema.



  19. #19

    Padrão re: Licença SCM própria ou parceria?

    Prezado 1929, bom dia;
    É Realmente estive muito ocupado nesses últimos anos, e isso me manteve distante do fórum.
    Vejo que tem muitas empresas e pessoas que me ridicularizaram na época que falei que parceria era ilegal, mais que hoje estão mudando para tal.

    Quanto ao que falei, não quis dizer que Vc apoiava e sim que muito me admira vc achar que foi um erro besta de ambas as parte que o fez ser lacrado. Meu amigo vou dizer de novo, vcs (quando digo vcs, são somente os que não tem scm) não podem serem donos da rede scm, não podem prestar o serviços de scm direto ao cliente, entendam isso, o SVA de forma alguma pode cobra pelo SCM de depois dizer ou realmente repassá-lo ao SCM, tanto é que em sua conta telefônica vem cobrando o SCM da OI e o SVA juntos, mais é a SCM quem lhe cobra e não o SVA na conta dele, entendeu a diferença.

    A forma de cobrança da oi é a correta, pois a OI como OPERADORA SCM pode agregar a cobrança do provedor e outras na dela, já o provedor SVA (os colegas aqui presentes no geral) querem colocar em seus boletos como se tivesses cobrando pela sua OPERADORA SCM parceira e que tal quantia (quantia que muitas vezes são menores que o próprio SVA) e do SCM, cobrado junto com seu SVA e que depois repassaria ao scm, este errado!

    Quanto à metodologia de trabalho da SHTURBO, continua a mesma, nada mudou, adquirimos muitos interessados em abrir um negocio lucrativo onde trabalhariam pouco, já que a SHTURBO é quem faz tudo, nosso franqueado apenas vende o kit e o instala.

    No caso o franqueado do RS , os fiscais não foram bonzinhos não, muito pelo contrario, eles executaram e aplicaram a lei ao pé da letra, se nós não tivéssemos assumido a responsabilidade como sendo tudo da SHTURBO eles teriam lacrado, por a SHTURBO ter SCM os fiscais agiram de acordo e apenas autuou por operar sem estação licenciada e deu prazo de 30 dias para licenciar.
    Bem meu amigo, tentei elucidar o mais simples e curto possível, porém essa conversa é muito delicada e detalhada, não teve jeito....rsrs

  20. #20

    Padrão re: Licença SCM própria ou parceria?

    Ha sim... meus parabéns pelos 5.500 post, vejo que se tornou muito importante na comunidade, que bom...