+ Responder ao Tópico



  1. #1

    Padrão Resumo sobre "homologados"

    Achei essa imagem na UOL, muito interessante e esclarecedora, para quem não quer ler toda a norma essa é uma boa dica. Abraços!


    https://lh4.googleusercontent.com/-I...homoAnatel.gif
    Miniaturas de Anexos Miniaturas de Anexos Clique na imagem para uma versão maior

Nome:	         homoAnatel.gif
Visualizações:	52
Tamanho: 	21,0 KB
ID:      	33961  

  2. #2

    Padrão Re: Resumo sobre "homologados"

    Pois é Kleber, quero ver como ficam os distribuidores que nos vendem "homologados" sem o devido selo.
    Fornecedor que gasta com processo de homologação e fornecedor que vende se encostando na homologação do outro.
    Uma pergunta: além do número de homologação o selo tem também um código de barras. Qual o objetivo deste código? rastrear o distribuidor?



  3. #3

    Padrão Re: Resumo sobre "homologados"

    Para entender o código de barra, a ANATEL ilustrou a seguinte situação:

    O produto Celular Modelo XYZ, cujo código que identifica o produto é ex: 789835741001DV será também representado através do AI (01) para identificar o produto.


    Estrutura numérica: (01)0789835741001DV



    “789835741” Número GS1 de Empresa: Número licenciado pela GS1 BRASIL que identifica inequivocamente a empresa detentora da marca ou fabricante do produto que será comercializado.
    “001” Referência de Item: Número administrado pela empresa associada à GS1,
    que identificará o seu produto sem ambigüidade, de forma inequívoca. A recomendação para a gestão do Bco. De Dados, são as numerações de ref. de itemser seqüenciais e crescentes.
    Dígito Verificador: Dígito calculado na base 10, onde traz toda a autenticidade ao restante da numeração. A GS1 Brasil disponibiliza o SGN - um software que auxilia no cálculo do Dígito Verificador.
    OBS 1: O zero “0” à esquerda antes do ‘789’, é apenas para complementar 14 posições, exigido no formato do AI, devido à existência do código GTIN-14

    https://lh4.googleusercontent.com/-2...o%2BANATEL.JPG


    OBS 2: A impressão do código de barras deverá ser feita pela própria empresa ou por um fornecedor contratado por ela

    Fonte: http://www.anatel.gov.br/Portal/veri...ath=225406.pdf
    Miniaturas de Anexos Miniaturas de Anexos Clique na imagem para uma versão maior

Nome:	         Selo%u00252BANATEL.JPG
Visualizações:	59
Tamanho: 	34,3 KB
ID:      	33988  

  4. #4

    Padrão Re: Resumo sobre "homologados"

    Bom dia kleber

    Então o selo é obrigatório pq algumas empresas falam que não precisa de selo, basta o produto ser homologado...



  5. #5

    Padrão Re: Resumo sobre "homologados"

    É obrigatória, mas depois de instalado o equipamento os fiscais usam o bom senso e sabe que existe a possibilidade de deterioração do selo, já perguntei sobre isso e são tranquilos. Agora deve-se atentar ao que o 1929 falou de fornecedores que pegam carona na homologação de outros. A homologação na verdade tem mais cunho comercial do que técnico, olhando por esse prisma, o selo é uma autorização de comercialização daquele produto pela empresa que homologou.

  6. #6

    Padrão Re: Resumo sobre "homologados"

    Citação Postado originalmente por kleberbrasil Ver Post
    É obrigatória, mas depois de instalado o equipamento os fiscais usam o bom senso e sabe que existe a possibilidade de deterioração do selo, já perguntei sobre isso e são tranquilos. Agora deve-se atentar ao que o 1929 falou de fornecedores que pegam carona na homologação de outros. A homologação na verdade tem mais cunho comercial do que técnico, olhando por esse prisma, o selo é uma autorização de comercialização daquele produto pela empresa que homologou.
    Me pediram uma vez a nota fiscal dos equipamentos pois nao tinham o selo ,dos radios e das antenas..ainda bem que estavam guardadas e bem guardadas e facil a mao ..



  7. #7

    Padrão Re: Resumo sobre "homologados"

    No passado já tivemos registro no EanBrasil onde obtivemos um código. Depois vendemos tudo e ficamos pagando o Ean para não perder o registro. Mas não estamos usando.
    Me lembro que era
    99- Pais - onde 78 é Brasil
    999999- registro da empresa no EAN
    9999 - número do item dentro da escala de produção
    9 - dígito verificador.

    Mas agora com este número 1 na frente e ainda mais (01) fiquei intrigado.
    Nem sabia da criação de um novo formato GTIN. Estava pensando em termos de EAN-13
    Mas fui lá conferir no site, e vi que inclusive é exigido a inclusao dele nas notas fiscais eletrônicas.

    A verdade pessoal, que na prática acabamos não dando muita atenção a estes números. Seja pela dificuldade de obter produtos, seja por preços, etc etc.

    Mas o uso deveria se limitar a produtos que passaram pela mão do homologante e constante em notas fiscais. Vejam só, se o selo precisa ter o código EAN, e se este pertence a uma única empresa, o produto só pode ser comercializado por ela ou por quem compra dela para revenda.
    E agora com o GTIN14 fica claro que ele pode ser rastreado em toda a cadeia de comercialização.
    Mais uma preocupação para os provedores estarem atentos.
    Por falar em atento, Kleber, houve uma nova exigência a respeito de informações sobre equipamentos instalados e o prazo seria agora dia 12 de março. Sabe alguma coisa? Pelo que entendi, o PADO pode vir só pela informação prestada que não for consistente.

    Para atender esta nova exigência vamos ficar com sérios problemas na seleção de produtos para nosso uso.

  8. #8

    Padrão Re: Resumo sobre "homologados"

    A nova regra na ANATEL que entrará em vigor a partir de 12 de março, sobre registro de estações terá que inserir o número de homologação dos equipamentos, veja o que fala no STEL:

    ATENÇÃO!
    A partir de 12 de março de 2012, na tela STEL »» Freqüência (105) »» Incluir/Alterar o campo “Código Equipamento” será tornado obrigatório. O sistema fará a validação e o cadastro somente será aprovado caso o código de homologação seja informado e validado no Sistema de Gestão de Certificação e Homologação (SGCH).

    Clique na imagem para uma versão maior

Nome:	         TelaStel.jpg
Visualizações:	54
Tamanho: 	27,4 KB
ID:      	33998


    Resumindo: As coisas estão ficando mais restritas e controladas pela a Agência... Estive no Paraguai a duas semanas e vi que o RTU já está funcionando, comprar equipamento lá sem dúvidas é um grande negócio, mesmo pagando os impostos dessa transação, mas e a homologação? Deveríamos voltar aquela discussão de homologarmos por conta própria, tinha que ter uma entidade que arrecadasse fundos e que providenciasse isso... O que vcs acham?



  9. #9

    Padrão Re: Resumo sobre "homologados"

    Eu acho que tinha que fechar essa agência atrasa lado.

  10. #10

    Padrão Re: Resumo sobre "homologados"

    Olá Kleber,

    Acho bastante interessante sua idéia sobre homologarmos por conta própria os equipamentos, inclusive eu já tenho alguns orçamentos com o custo para homologação. Tenho uma amiga Engenheira que trabalha no IBRACE (Instituto certificador autorizado pela anatel para homologação de equipamentos) e eu trabalho no CQpD que também faz homologação para a Anatel. Eu posso ver alguma coisa sobre custos com ela e aqui tb.
    Mas sem sombra de dúvidas, deveríamos dar continuidade nesse tópico.

    []'s
    Daniel
    Att,
    Daniel.

    Citação Postado originalmente por kleberbrasil Ver Post
    A nova regra na ANATEL que entrará em vigor a partir de 12 de março, sobre registro de estações terá que inserir o número de homologação dos equipamentos, veja o que fala no STEL:

    ATENÇÃO!
    A partir de 12 de março de 2012, na tela STEL »» Freqüência (105) »» Incluir/Alterar o campo “Código Equipamento” será tornado obrigatório. O sistema fará a validação e o cadastro somente será aprovado caso o código de homologação seja informado e validado no Sistema de Gestão de Certificação e Homologação (SGCH).

    Clique na imagem para uma versão maior

Nome:	         TelaStel.jpg
Visualizações:	54
Tamanho: 	27,4 KB
ID:      	33998


    Resumindo: As coisas estão ficando mais restritas e controladas pela a Agência... Estive no Paraguai a duas semanas e vi que o RTU já está funcionando, comprar equipamento lá sem dúvidas é um grande negócio, mesmo pagando os impostos dessa transação, mas e a homologação? Deveríamos voltar aquela discussão de homologarmos por conta própria, tinha que ter uma entidade que arrecadasse fundos e que providenciasse isso... O que vcs acham?



  11. #11

    Padrão Re: Resumo sobre "homologados"

    Pois é Daniel, eu não vejo dificuldade de participar de um projeto que seja justo à todos que querem colaborar. Poderia ver isso para nós, inclusive, me parece que quando se vai homologar famílias de equipamentos as custas de homologação fica mais interessante e também não vejo dificuldade de achar fornecedores/doadores para complementar as cutas, como o Excell, Flytech e Master10 do Paraguai, tenho acesso aos CEO de todas essas e com o advento do RTU, penso que eles são grandes interessados.

  12. #12

    Padrão Re: Resumo sobre "homologados"

    A notícia do RTU foi muito boa.
    Eu também acredito que é do interesse da Flytech, Master, etc patrocinar estas homologações. Vou procurar saber sobre os custos para a homolagação de famílias de equipamentos. Só para confirmar... a família é a Ubiquiti Airmax, certo?

    []'s
    Daniel.


    Citação Postado originalmente por kleberbrasil Ver Post
    Pois é Daniel, eu não vejo dificuldade de participar de um projeto que seja justo à todos que querem colaborar. Poderia ver isso para nós, inclusive, me parece que quando se vai homologar famílias de equipamentos as custas de homologação fica mais interessante e também não vejo dificuldade de achar fornecedores/doadores para complementar as cutas, como o Excell, Flytech e Master10 do Paraguai, tenho acesso aos CEO de todas essas e com o advento do RTU, penso que eles são grandes interessados.



  13. #13

    Padrão Re: Resumo sobre "homologados"

    Nossa praia é Ubiquiti e Mikrotik, por enquanto né?!!! Eu não consigo imaginar um futuro sem fibra e essas duas empresas não estão se mexendo para englobar esse nixo.

  14. #14

    Padrão Re: Resumo sobre "homologados"

    Então Kleber, se a fibra vai ser o caminho, não dá mesmo para esquentar com homologação de rádios por conta própria.
    Tem que deixar a questão para os distribuidores. Mas estes parecem que não querem se mexer.
    Por ex. na linha M 2.4 tem pouca coisa homologada. Principalmente na linha de antenas, estamos mal acessorados nesta faixa.
    Deu uma febre geral em 5.8. Mas já vi relatos de gente que está voltando para o 2.4 N, pois na verdade o que passa num , passa noutro em termos práticos.
    E o 2.4 ainda leva vantagem na questão visada, apesar de haver mais estações. Mas o 5.8 exige uma geografia mais plana, menos arborizada senão não vai. Comprei Rocket 5.8, painéis, e airgrid 5.8. Foi um fracasso só pela questão da visada. Felizmente estou remanejando este material para ponto a ponto. Os paínéis estão parados.
    Se um dia eu conseguir concentrar mais os clientes , vou pensar seriamente no cabo.
    Dificilmente alguém vai conseguir implantar um cabeamento se não tiver densidade de usuários.
    Fica difícil cabear uma cidade mesmo pequena e colocar um cliente por quadra e depois ir atrás da clientela.
    Mas concordo, é o caminho.



  15. #15

    Padrão Re: Resumo sobre "homologados"

    Eu concordo com o 2.4, existe muitos mitos em nosso ramo e sobre cabear, eu to vendo um fornecedor na China US$ 0,15/m, alguém duvida dessa viabilidade???

    O único problema é que já ouvi caso da ANATEL arrancar fibra não homologada, eis ai um ponto bom para levar adiante.

  16. #16

    Padrão Re: Resumo sobre "homologados"

    Citação Postado originalmente por kleberbrasil Ver Post
    Eu concordo com o 2.4, existe muitos mitos em nosso ramo e sobre cabear, eu to vendo um fornecedor na China US$ 0,15/m, alguém duvida dessa viabilidade???

    O único problema é que já ouvi caso da ANATEL arrancar fibra não homologada, eis ai um ponto bom para levar adiante.
    Na minha região, a OI deita e rola com gambiarras. Entrei em contato com o supervisor de compartilhamento da Concessionária. Ele me passou as normas técnicas. Não é pouca coisa. Mil e uma exigências. Quando citei o caso da OI com as gambiarras, ele me admitiu que não tem como fiscalizar tudo.
    O acerto deles com a OI é assim: 100% dos postes por um precinho....
    Se eles aumentam a rede elétrica e mesmo que a OI não utilize, eles já cobram dela.
    Já no nosso caso, temos que fazer um projeto com número específico de postes, engenheiro, etc etc.... Dai se o departamento técnico aprovar, vai para Anatel e Aneel homologarem. Só depois é que vai para a execução.
    Não tem como utilizar nada sem homologação.
    Exigem até estudo de esforço de vento lateral de 140km/h. Não pode fixar nada nos postes a não ser o suporte da cordoalha. Cabo autosustentável nem pensar. Tudo espinado.
    É coisa de primeiro mundo contra as gambiarras da OI.
    Da medo Kleber em algumas esquinas, a massaroca de fios que a OI faz.

    Agora, se pudessemos homologar em conjunto fibra por 0,15, seria um achado melhor do que mina de ouro.



  17. #17

    Padrão Re: Resumo sobre "homologados"

    Daniel ficou de passar os custos de homologação, vamos aguardar para ver se é viável fazer a vaquinha!

  18. #18

    Padrão Re: Resumo sobre "homologados"

    Kleber, são dois os tipos de homologação: para comercialização e para uso próprio.
    No caso de uso próprio, se uma associação ou cooperativa homologa com o cnpj dela, os usuários serão os associados, mas com cnpj diferente. Tem que ver como a agência encara isso.
    Já na modalidade comercialização, mesmo que houver uma vaquinha, vai ser necessário acrescentar algum numerário em cima do custo, pois a receita não permite comercialização sem lucro. Encara como sonegação.
    E isso pode encarecer o produto.
    Vencida esta barreira, nada impede de darmos as mãos e resolver estas questões de homologação de produtos de uma vêz por todas, sem depender de distribuidores.