+ Responder ao Tópico



  1. #1

    Thumbs up Não é Hora de Xorumelas; para quem Tem Garra as Oportunidades Estão Ai...

    Acesso à internet chega a 38% dos lares brasileiros, aponta estudo

    A presença do computador e da internet seguem em expansão nos domicílios brasileiros.
    Os números melhoraram, mas ainda mostram um grande desafio de inclusão digital a ser vencido.
    A proporção de domicílios com computador no país passou de 35%, em 2010, para 45%, em 2011, enquanto a presença de internet saltou de 27% para 38%, segundo dados da 7ª Pesquisa TIC Domicílios 2011, divulgada nesta quinta-feira, 31, pelo Centro de Estudos sobre as Tecnologias da Informação e da Comunicação (Cetic.br), ligado ao Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br).

    A pesquisa aponta que os computadores de mesa (desktops) estão perdendo espaço para os portáteis.
    Entre as residências com computador, 79% possuem desktops, enquanto 39% utilizam PCs portáteis.
    Em 2008, os computadores de mesa eram utilizados em 95% dos domicílios e os portáteis em apenas 10%. Na classe C, a proporção de portáteis praticamente dobrou em relação a 2010, o que corresponde à presença em um quarto dos domicílios com computador que pertencem a essa faixa socioeconômica (28%).
    Já na classe A, a presença de PCs portáteis (81%) nos domicílios com computador é equivalente à de desktops (82%).
    Em 2011, a TIC Domicílios também passou a medir o uso de tablets: apesar de ter presença tímida no total dos domicílios com computador (1%), na classe A, a proporção já chega a 10%.

    Com relação às conexões de banda larga no país, de maneira geral, em 2011 a banda larga fixa esteve presente nos lares brasileiros com internet em proporções superiores à banda larga móvel (modem 3G): 68%, contra 18%, respectivamente.
    O estudo indica que o acesso à banda larga móvel apresentou crescimento de 8% em relação a 2010.

    O local mais citado para acesso à internet continua sendo o domicílio (67%), quase duas vezes e meia maior do que o acesso em centros públicos de acesso pago (lanhouses), local citado por 28% dos usuários de internet.

    Enquanto o acesso domiciliar apresentou um crescimento de 20% em relação a 2010, o uso nas lanhouses decresceu 18% nesse mesmo período.
    Já o uso da internet via celular avançou 12% entre os usuários de celulares passando de 5% para 17%, aumento que ocorreu principalmente entre os entrevistados que possuem aparelhos pré-pagos.

    Dentre as principais atividades realizadas na internet no ano passado, 69% dos brasileiros declararam acessar sites de relacionamento como o Facebook ou Orkut.
    Destacam-se os acréscimos no uso de microblogs, como o Twitter, que passou de 14% em 2010 para 22% em 2011, e o uso de programas de voz sobre IP como o Skype, cuja adoção foi de 17%, em 2010, para 23%, em 2011.

    A atividade de lazer mais realizada na internet foi assistir filmes ou vídeos (58%), seguida por fazer download de músicas (51%).

    Os dados do estudo TIC Domicílios 2011 foram coletados por meio de entrevistas realizadas em 25 mil domicílios no Brasil, incluindo áreas rurais.
    Apesar do crescimento nos indicadores de posse e uso das TIC no Brasil, em 2011 foi identificado que 55% dos domicílios não possuem computador e 62% não dispõem de internet - na área rural o índice é de 90%.

    http://www.tiinside.com.br/31/05/201...1103/news.aspx

  2. #2

    Padrão re: Não é Hora de Xorumelas; para quem Tem Garra as Oportunidades Estão Ai...

    Bons dados!!



  3. #3

    Padrão re: Não é Hora de Xorumelas; para quem Tem Garra as Oportunidades Estão Ai...

    Dados muito animadores.Gostaria de ver a inclusão digital chegar nas escolas públicas. Sonhar não custa nada.

  4. #4

    Padrão re: Não é Hora de Xorumelas; para quem Tem Garra as Oportunidades Estão Ai...

    O governo federal ajuda através da Farmácia Popular com medicamentos.

    Levar Internet a escolas e pontos de inclusão digital é sem dúvida uma atividade cultural; provedores de Internet devem aproveitar a legislação para prestar estes serviços de forma patrocinada por verbas obtidas por meio destas leis.


    A Lei Federal de Incentivo à Cultura (Lei nº 8.313 de 23 de dezembro de 1991), conhecida também por Lei Rouanet, é a lei que institui politicas públicas para a cultura nacional, como o PRONAC - Programa Nacional de Apoio à Cultura.
    As diretrizes para a cultura nacional foram estabelecidas nos primeiros artigos, e sua base é a promoção, proteção e valorização das expressões culturais nacionais.
    O grande destaque da Lei Rouanet é a politica de incentivos fiscais que possibilita as empresas (pessoas jurídicas) e cidadãos (pessoa fisíca) aplicarem uma parte do IR (imposto de renda) devido em ações culturais.
    O percentual disponivel de 6% do IRPF para pessoas físicas e 4% de IRPJ para pessoas juridicas, ainda que relativamente pequeno permitiu que em 2008 fossem investidos em cultura, segundo o MinC (Ministério da Cultura) mais de R$ 1 bilhão.
    A lei surgiu para educar as empresas e cidadãos a investirem em cultura, e inicialmente daria incentivos fiscais, pois com o benefício no recolhimento do imposto a iniciativa privada se sentiria estimulada a patrocinar eventos culturais, uma vez que o patrocínio além de fomentar a cultura, valoriza a marca das empresas junto ao público. No entanto a lei tem sido atacada, em vez de ensinar empresas a investirem em cultura, ensiná-las a fazer propaganda gratuita.

    Outra forma é utilizar ONG´s , pois elas não podem ter lucro, mas nada impede de ter diretores e funcionários remunerados, patrimônio, etc...

    As Organizações não governamentais (ONGs) atualmente significam um grupo social organizado, sem fins lucrativos, constituído formal e autonomamente, caracterizado por ações de solidariedade no campo das políticas públicas e pelo legítimo exercício de pressões políticas em proveito de populações excluídas das condições da cidadania. Fazem parte do chamado Terceiro setor.