Página 1 de 3 123 ÚltimoÚltimo
+ Responder ao Tópico



  1. Banda larga no Amapá cairá de R$ 429 para R$ 39,90 com chegada da fibra óptica

    Parceira do governo do estado do Amapá com a Oi permitirá que a companhia leve os serviços de banda larga ao custo do PNBL por fibra óptica a oito municípios do estado, que hoje é atendido pela empresa apenas por conexão satelital. Os municípios que serão atendidos são: Macapá, Santana, Porto Grande, Ferreira Gomes, Tartarugalzinho, Amapá, Calçoene e Oiapoque. Atualmente a Oi atua com banda larga apenas na capital Macapá e o preço do Velox de 300 kbps custa R$ 219 e o de 600 kbps R$ 429. Com a chegada da fibra, a empresa comercializará o Velox de 1 Mbps por R$ 35. Caso o estado faça a adesão ao convênio do Confaz que isenta o PNBL do ICMS, o preço cai para R$ 29,90.


    O estado do Amapá receberá o link de fibra com a construção de um backbone de Calçoene até Oiapoque. De lá, a Oi fez um acordo com a operadora francesa Guayacom que completará a construção do backbone até Cayenne na Guiana Francesa. De Cayenne, a rede se conecta ao cabo submarino Americas 2, controlado por um consórcio do qual a Embratel faz parte. A extensão da rede do lado brasileiro (trecho que será realizado pela Oi) é de 230 Km; no lado francês são mais 180 km. A partir de Calçoene, a Oi trocará tráfego com a rede da Eletrobras que levará o sinal da operadora até Macapá.


    É grande a contribuição do Estado do Amapá no projeto. Do orçamento de R$ 32 milhões, o Estado, através de renúncia do ICMS, contribuirá com R$ 16 milhões. A secretária estadual da Fazenda, Jusinete Alencar, explica que a o Estado renunciará ao ICMS dos serviços prestados pela Oi até o limite de R$ 16 milhões. O Amapá, assim como outros 7 estados, aderiu ao convênio 85/2011 que trata de desoneração tributária para a construção de infraestrutura.


    O diretor de política regulatória da Oi, Carlos Alberto Cidade, diz que a expectativa para a finalização das obras é de seis meses, a partir da obtenção de todas as licenças necessárias. A operadora já tem a licença do DNIT para a implantação das torres (a rede será aérea) ao longo da BR 156 e aguarda a liberação da Funai e do Ibama. Segundo ele, essas autorizações devem sair em algumas semanas. Cidade explica que a licença da Funai é a mais complicada porque envolve negociação com o conselho de caciques das tribos da região. Segundo ele, normalmente os índios solicitam um ponto de conexão à internet para a aldeia e acesso telefônico. Hoje a Oi tem 1,8 mil clientes do Velox na cidade e a expectativa do executivo é que haja um grande aumento de interessados com a chegada do PNBL.


    A operadora espera instalar 12 mil portas de seu serviço de Internet fixa (Oi Velox) nos primeiros doze meses de operação e, em um segundo momento, levar sua rede para mais seis dos 16 municípios do Amapá, atendendo 570 mil pessoas, ou 85% da população urbana (81% da população total do estado).
    O acordo da Oi com o governo do estado antecipa em pelo menos dois anos a chegada da fibra óptica no estado. Isso porque o linhão Tucuruí-Manaus-Macapá está previsto para ser concluído apenas em 2014.


    Telebrás


    O anúncio foi feito em cerimônia no Museu Sacaca em que estavam presentes o governador do Estado, Camilo Capiberibe, o ministro Paulo Bernardo, o senador Randolfe Rodrigues (PSOL/AP) e autoridades locais.
    A Telebrás também pretende levar o seu backbone até Macapá e para isso já assinou contratos para a realização de obras civis em Calçoene e Macapá onde serão instalados os conteiners com os equipamentos para iluminar fibras do cabo OPGW da Eletrobras. A previsão é que a rede da Telebrás chega a Macapá em 2013.


    Enquanto a fibra estatal não chega a Macapá, a Você Telecom, entretanto, já está usufruindo do backbone da Telebras por meio de uma rede própria que liga Macapá a Barcarena no Pará. O provedor construiu uma infraestrutura que vence 400 km de floresta em 8 enlaces e consegue levar o sinal da Telebrás que vem de Belém até Macapá. Antes da chegada da Telebrás em Belém, a Amigo Telecom comprava um link em São Paulo que era transportado até Belém pela rede da Eletrobras.


    Em seu discurso na cerimônia, o presidente da Telebrás Caio Bonilha lembrou que essas obras da empresa estão sendo possíveis porque o Ministério das Comunicações destinou R$ 66 milhões para serem aplicados especialmente na região Norte. “Estamos empenhados no projeto de cabos submarinos que junto com o Satélite Geoestacionário Brasileiro vai levar banda larga com qualidade e baixo preço a toda região Norte”, disse ele.

    http://www.tiinside.com.br/01/06/201...1477/news.aspx

  2. p/ nós os politicos não oferecem esse tipo de coisa.



  3. Sem querer exagerar JorgeAldo, sair um sindicato até pode sair, mas os membros não vivem mais que um mês. Uma coisa é certa, somos pequenos? somos, mas que incomodamos, isso sim, imagine um sindicato com milhares de provedores a dor de cabeça que iria causar nas grandes. Com certeza assassinatos ou ameaças as familias e todo tipo de pressão iria ocorrer. Enquanto isso quem paga toda essa safadeza e roubos astronomicos aos cofres publicos quem paga somos todos os brasileiros.

  4. Zarttorn, concordo em partes contigo e discordo em partes, e concordo com o JorgeAldo, sindicato faz parte.

    Individualmente somos pequenos né? Vou contar uma historinha que li quando criança.

    Certa vez, um agricultor e sua esposa juntaram tudo o que tinham e fizeram uma plantação de milho, esperando a safra para poder conseguir algum lucro e continuar sobrevivendo.

    Diária e diligentemente, o agricultor cuidava de suas plantas e ficava a espera da chuva, que as fizesse crescer, já que ele andava angustiado pela seca que estava acabando com a sua plantação. De todas as formas que ele pode cuidar da plantação, ele o fazia, e sempre olhava para o céu esperando a chuva, mas seguia cuidando da plantação.

    Certo dia, uma gotinha que estava em uma nuvem, começou a observar o zelo do agricultor e se dispôs a ajudá-lo e disse: vou fazer minha parte, vou me lançar.

    E assim se lançou. Outra gotinha que estava perto escutou e disse: ah, ela sozinha não vai fazer nada, mas tentou, vou ajudá-la também. E uma a uma das gotinhas escutaram a história e foram se precipitando, a tal ponto que as poucas gotinhas, de uma garoa se tornaram uma vigorosa chuva, a qual regou adequadamente a plantação, permitindo o agricultor colher sua safra, a qual dedicou muito tempo e empenho.

    Nós somos pequenas gotinhas, que se unidas nos juntarmos, teremos forca para pressionar Brasília



  5. Da nossa força não duvido, algo que mencionei quando disse que somos pequenos mas que milhares de nós isso sim daria trabalho para as grandes, da nossa força é de conhecimento de todos que somos muito fortes, o problema não está na nossa força e sim nas consequencias que estamos diariamente vendo sobre "Fulano morre assassinado", "Familia de fulano foi morta ou sequestrada", é isto que me refiro nos pontos colaterais e riscos e acredito que jamais alguem aqui colocaria sua vida em risco e a de sua faimilia eu falo por min. Agora de nossa força, com certeza somos muito fortes.






Tópicos Similares

  1. Respostas: 14
    Último Post: 27-02-2017, 21:03
  2. Respostas: 9
    Último Post: 03-09-2014, 07:44
  3. Aferição da qualidade de banda-larga no Brasil
    Por rubensk no fórum Assuntos não relacionados
    Respostas: 2
    Último Post: 10-01-2010, 20:39
  4. Internet banda larga no interior de Minas Gerais
    Por djluizfelipe no fórum Assuntos não relacionados
    Respostas: 6
    Último Post: 02-03-2007, 07:55
  5. Respostas: 6
    Último Post: 01-03-2007, 07:29

Visite: BR-Linux ·  VivaOLinux ·  Dicas-L