Página 1 de 3 123 ÚltimoÚltimo
+ Responder ao Tópico



  1. Pessoal passando por experiências cheguei a uma conclusão:
    O que é mais vantajoso em um provedor?
    Muitos pensam que é colocar super antenas, equipamentos robustos, servidores, etc... etc...(Mas neste meio tempo de troca os clientes é que são prejudicados pela falta de serviço da rede "Internet").
    O segredo é pensar como o cliente pensa. Ele chega do trabalho, escola, liga o pc, o que ele quer é ligar e funcionar, se não funcionar ele ja começa a fica irratado com o serviço e cancela a vai para concorrencia.
    Para eles só importam 1 coisa, ligar o pc e estar FUNCIONANDO!
    Pensando nisso o melhor para prestar serviço é fazer um projeto de equipamentos que o serviço não para, tipo não adianteauma super antena mas se ela vive com instabilidade no sinal.
    As empresas de telecom grandes só pensam (deveriam) é o serviço estar funcionando.
    Equipamentos tem que ser de QUALIDADE! Tanto na transmissão quanto o tempo de vida util, todo mundo esta reclamando das UBNTs por queima de porta LAN, não adiante ter um equipamento bom (Rocket M5 e Basestation) Sendo que quando queimar o serviço vai FICAR PARADO! o que adiantou ter o Rocket! Nada!
    Pensar em montar uma torre para ficar rodando a longo prazo é melhor, equipamentos que suportam chuva, não queimam facil.
    O pessoal também quer espetar clientes mas do que o equipamento aguenta, se suporta 60 eles colocam 70, 80. (Claro que vai dar zebra); Se as fabricantes falam que suportam 60 é testado em ambiante propicio para mostrar o "poder" dos seus equipamentos, mas no ambiente real não é assim.
    Então pense, foque em ESTABILIDADE! Como disse o cliente só quer ligar a estar conectado o resto é resto.
    Muitos clientes reclamam do 3g 4g pq??? Mesmo falando que passa banda de 15 megas bla bla bla mas só passa nervoso, não funciona!
    Se for vender planos de 15 mega no 5.8Ghz e for sobrecarregar sua rede, NÃO VENDA!. (Se não todos os clientes vão ser prejudicados) depois falam de interferência, é nada, o Hardware que esta no limite.
    Invista em alguma tecnologia que poderá suprir a demanda, (Fibra)

    Obs:
    É MELHOR 2 MEGAS ESTÁVEL DO QUE 20 MEGAS CAINDO!!!!
    Uma SXT funcionando é melhor que uma nanobridge queimada!
    Melhor uma torre com radios Nano M5 bem configurado do que Basestation sem ajuste.

    A UBNT os equipamentos são um luxo, mas do que adianta não aguenta pau, Rbs tem mostrado melhor nisso.
    Eu compararia a UBNT como se fosse o Windows Server e o Mikrotik como se fosse um Linux e é .
    Mesmo o Linux sendo mais complicado, ele tem muito recursos e adapta melhor com o hardware.

    Qual é o sistema mais usado em servidores? R: RED HAT
    Porque esta empresa foca nisso, não lança produtos na correria, testam primeiro só depois disponibilizam no mercado, Então o CRU e BRUTO PARA EMPRESAS! se sai melhor do que o RÁPIDO e COMPLETO. Se é instável nem entra.

    Se algo você não sabe se fica bom, não coloque em campo, teste primeiro em laboratório;

    Como relatos que o pessoal falam por aqui eu vou evitar equipamentos problemáticos (Nano Loco, Airgrid, Rocket).
    Se o serviço para!!! A EMPRESA PARA!!!!

  2. Citação Postado originalmente por marcelorodrigues Ver Post
    Pessoal passando por experiências cheguei a uma conclusão:
    O que é mais vantajoso em um provedor?
    Muitos pensam que é colocar super antenas, equipamentos robustos, servidores, etc... etc...(Mas neste meio tempo de troca os clientes é que são prejudicados pela falta de serviço da rede "Internet").
    O segredo é pensar como o cliente pensa. Ele chega do trabalho, escola, liga o pc, o que ele quer é ligar e funcionar, se não funcionar ele ja começa a fica irratado com o serviço e cancela a vai para concorrencia.
    Para eles só importam 1 coisa, ligar o pc e estar FUNCIONANDO!
    Pensando nisso o melhor para prestar serviço é fazer um projeto de equipamentos que o serviço não para, tipo não adianteauma super antena mas se ela vive com instabilidade no sinal.
    As empresas de telecom grandes só pensam (deveriam) é o serviço estar funcionando.
    Equipamentos tem que ser de QUALIDADE! Tanto na transmissão quanto o tempo de vida util, todo mundo esta reclamando das UBNTs por queima de porta LAN, não adiante ter um equipamento bom (Rocket M5 e Basestation) Sendo que quando queimar o serviço vai FICAR PARADO! o que adiantou ter o Rocket! Nada!
    Pensar em montar uma torre para ficar rodando a longo prazo é melhor, equipamentos que suportam chuva, não queimam facil.
    O pessoal também quer espetar clientes mas do que o equipamento aguenta, se suporta 60 eles colocam 70, 80. (Claro que vai dar zebra); Se as fabricantes falam que suportam 60 é testado em ambiante propicio para mostrar o "poder" dos seus equipamentos, mas no ambiente real não é assim.
    Então pense, foque em ESTABILIDADE! Como disse o cliente só quer ligar a estar conectado o resto é resto.
    Muitos clientes reclamam do 3g 4g pq??? Mesmo falando que passa banda de 15 megas bla bla bla mas só passa nervoso, não funciona!
    Se for vender planos de 15 mega no 5.8Ghz e for sobrecarregar sua rede, NÃO VENDA!. (Se não todos os clientes vão ser prejudicados) depois falam de interferência, é nada, o Hardware que esta no limite.
    Invista em alguma tecnologia que poderá suprir a demanda, (Fibra)

    Obs:
    É MELHOR 2 MEGAS ESTÁVEL DO QUE 20 MEGAS CAINDO!!!!
    Uma SXT funcionando é melhor que uma nanobridge queimada!
    Melhor uma torre com radios Nano M5 bem configurado do que Basestation sem ajuste.

    A UBNT os equipamentos são um luxo, mas do que adianta não aguenta pau, Rbs tem mostrado melhor nisso.
    Eu compararia a UBNT como se fosse o Windows Server e o Mikrotik como se fosse um Linux e é .
    Mesmo o Linux sendo mais complicado, ele tem muito recursos e adapta melhor com o hardware.

    Qual é o sistema mais usado em servidores? R: RED HAT
    Porque esta empresa foca nisso, não lança produtos na correria, testam primeiro só depois disponibilizam no mercado, Então o CRU e BRUTO PARA EMPRESAS! se sai melhor do que o RÁPIDO e COMPLETO. Se é instável nem entra.

    Se algo você não sabe se fica bom, não coloque em campo, teste primeiro em laboratório;

    Como relatos que o pessoal falam por aqui eu vou evitar equipamentos problemáticos (Nano Loco, Airgrid, Rocket).
    Se o serviço para!!! A EMPRESA PARA!!!!


    Sábias Palavras, Equilibrio traz riquezas, ganância traz miséria, para ser inteligente paga-se um preço , estudemos !



  3. O enfoque é altamente positivo, mas não entendi onde você quer chegar.... que temos equipamentos "meia boca" também concordo. Mas o que você sugere então?

    Precisamos levar em conta um fator: estamos falando de equipamentos eletronicos. Todos um dia param.. Alguns muito frequentemente, outros nem tanto.
    Um dia desses li um comentário de um provedor que usa em todos os seus enlaces equipamentos em frequencia licenciada.
    O que encontramos neste tipo de rádio são preços altos dos rádios e antenas... A confiabilidade é maior sem dúvida... Mas também param, também queimam.
    Se um rádio de 10 mil ou mais queimar, você vai precisar ter de reserva outro. Então o investimento já é bem maior.
    Pois não dá para esperar por um RMA para trocar o rádio. E o cara não tinha rádio de reserva em casa, pois era caro....

    Já ter reserva para rádios baratos é "moleza" do ponto de vista financeiro.

    O único equipamento que vi você elogiando é o SXT. Um "pequeno grande" equipamento. Mas não está com toda esta bola. Ele também dá problemas. Aliás, todos os novos lançamentos mikrotik não tem se comportado como os mais antigos. As RBs, principalmente as com cartão integrado perderam aquela robustez que havia nas séries mais antigas onde você podia até escolher o cartão de outro fabricante.... e aguentavam mais o 'pau'.
    Seria este SXT então que você sugere que reflitamos?

    Vou então mais além. Não dá para pensar em confiabilidade se não tiver redundância.... Tudo que está na torre teria que ser instalado em dobro e com a quantidade de clientes projetada para a metade da real capacidade. Pois se um painel parar, precisaria ter outro painel funcionando com o mesmo SSID, para assumir os clientes. E daí já vejo alguns problemas de cliente ficar saltando de um painel para o outro, o que também causa instabilidade.
    A bem da verdade nunca li nada a respeito de montar uma célula com redundância, mas logo vai aparecer alguém com uma sugestão, se for tecnicamente possível.

    Só vejo falar em redundância para os enlaces que transportam links e não para atendimento ao cliente.

    Outro fator de instabilidade é a instalação no cliente. Acho até que é muito mais crítico lá do que na torre. Na torre ainda podemos manter um controle melhor sobre a energia, mas no cliente, quando muito tem um estabilizador mixuruca. Dá muito mais problema de fonte queimada.
    E ainda tem o uso descontrolado pelo usuário que dá pau em todos os navegadores e o cara liga reclamendo que está sem internet. Chega lá e vai ver, o "windows" dele nem abre nada e o cara querendo colocar a culpa na internet.
    Tem cliente que não sabe nem usar um antivirus, não sabe fazer uma manutenção básica na sua máquina. Só sabe abrir facebook e quer se achar o tal... O famoso problema de "BIOS"

    Então para refletir: são muitos os fatores negativos. Estamos pisando em terreno pantanoso...

    Sob estes aspectos concordo contigo... temos que refletir...

  4. Citação Postado originalmente por 1929 Ver Post
    O enfoque é altamente positivo, mas não entendi onde você quer chegar.... que temos equipamentos "meia boca" também concordo. Mas o que você sugere então?

    Precisamos levar em conta um fator: estamos falando de equipamentos eletronicos. Todos um dia param.. Alguns muito frequentemente, outros nem tanto.
    Um dia desses li um comentário de um provedor que usa em todos os seus enlaces equipamentos em frequencia licenciada.
    O que encontramos neste tipo de rádio são preços altos dos rádios e antenas... A confiabilidade é maior sem dúvida... Mas também param, também queimam.
    Se um rádio de 10 mil ou mais queimar, você vai precisar ter de reserva outro. Então o investimento já é bem maior.
    Pois não dá para esperar por um RMA para trocar o rádio. E o cara não tinha rádio de reserva em casa, pois era caro....

    Já ter reserva para rádios baratos é "moleza" do ponto de vista financeiro.

    O único equipamento que vi você elogiando é o SXT. Um "pequeno grande" equipamento. Mas não está com toda esta bola. Ele também dá problemas. Aliás, todos os novos lançamentos mikrotik não tem se comportado como os mais antigos. As RBs, principalmente as com cartão integrado perderam aquela robustez que havia nas séries mais antigas onde você podia até escolher o cartão de outro fabricante.... e aguentavam mais o 'pau'.
    Seria este SXT então que você sugere que reflitamos?

    Vou então mais além. Não dá para pensar em confiabilidade se não tiver redundância.... Tudo que está na torre teria que ser instalado em dobro e com a quantidade de clientes projetada para a metade da real capacidade. Pois se um painel parar, precisaria ter outro painel funcionando com o mesmo SSID, para assumir os clientes. E daí já vejo alguns problemas de cliente ficar saltando de um painel para o outro, o que também causa instabilidade.
    A bem da verdade nunca li nada a respeito de montar uma célula com redundância, mas logo vai aparecer alguém com uma sugestão, se for tecnicamente possível.

    Só vejo falar em redundância para os enlaces que transportam links e não para atendimento ao cliente.

    Outro fator de instabilidade é a instalação no cliente. Acho até que é muito mais crítico lá do que na torre. Na torre ainda podemos manter um controle melhor sobre a energia, mas no cliente, quando muito tem um estabilizador mixuruca. Dá muito mais problema de fonte queimada.
    E ainda tem o uso descontrolado pelo usuário que dá pau em todos os navegadores e o cara liga reclamendo que está sem internet. Chega lá e vai ver, o "windows" dele nem abre nada e o cara querendo colocar a culpa na internet.
    Tem cliente que não sabe nem usar um antivirus, não sabe fazer uma manutenção básica na sua máquina. Só sabe abrir facebook e quer se achar o tal... O famoso problema de "BIOS"

    Então para refletir: são muitos os fatores negativos. Estamos pisando em terreno pantanoso...

    Sob estes aspectos concordo contigo... temos que refletir...
    Entendo, mas você percebeu que os equipamentos "se não a maioria" vendidos por ai são (réplicas) Made in China dos Originais???
    É muito dificil achar vendedor de equipamentos originais do fabricante, a não ser que comprar de longe mesmo.
    Ja vi equipamentos abertos, nano loco 5 original e réplica, cara da para nota a diferença do material de longe.
    Mesmo que fica um pouco mais caro, é melhor encomendar de longe equipamentos originais da fabrica, nem que sendo só para torre, concerteza compensa. Todo mundo se quiser tirar a prova pode: todos equipamento que nós usamos são réplicas idênticas dos originais, pega um por um e ve a etiqueta atras, e como vomos tirar satisfação com as empresas (Ubnt, Routerboard, etc..) sendo quando eles perguntar, vc responde China, não tem nem como eles prestar suporte.
    Só aqui no Brasil, claro! porque la nos EUA tem facilidade de comprar barato e com poucos impostos.
    Brasil sempre com o mercado negro importando da China e passando para o Paraguay e entrando aqui.
    Vou pesquisar algum site que vendem 'SÓ ORIGINAL" e ver preços, e comprar por la mesmo.
    Minha OMNITIK atras estão escrito (Made in china) Meu Nano (Made in China), acho que não tem como confiar. Por isso da pau!
    Isso serve para todos: Eletrodomesticos, celulares, tv, sempre os de fabrica duram muito mais.
    O Barato sai Caro!



  5. Achei pertinente esse debate. Queria sugerir algumas soluções possíveis.

    Administrativamente:
    Conheci um engenheiro que mantinha um planilha onde ele tinha controle dos "incidentes" que ocorriam em sua rede, ele matematizou e criou uma fórmula onde era possível saber para cada tipo de equipamento adquirido qual seria seu percentual de RMA.
    Na pratica seria algo como, para cada 20 unidades compradas uma se queima em menos de x tempo, então ele adicionava este fator ao seu custo e agregava no preço do serviço, desta forma um % do seu ganho era destinado somente a RMA.

    Tecnicamente:
    - Um registro de incidentes no mapa da rede já permite detectar áreas mais críticas e elaborar plano de contingência mais eficiente.
    - Parte elétrica: na alimentação do equipamento DPS (Protetor Contra Surto Elétricos E Raios) e aterramento.
    - Cabeamento de Rede: Protetor De Surto P/ Cabo Utp / Par Trançado.

    Porque ainda fala-se em estabilizador, existem inúmeras explicações comprovando que ele não server para nada (modelos domésticos vendido nas lojinhas).

    Será que investir um pouco mais em proteção no cliente inicialmente, ao longo do tempo não se torna uma economia maior?

    Redundância no mínimo representa: gasto x 2.

    Proteger a rede atual e ter um plano de contingência eficiente não seria uma solução mais barata?


    Algo para se pensar.


    []'s

    KP






Tópicos Similares

  1. Respostas: 11
    Último Post: 13-07-2012, 23:57
  2. Respostas: 25
    Último Post: 09-07-2011, 17:38
  3. A melhor antena que ja vi para PROVEDOR...
    Por h3lyo no fórum Redes
    Respostas: 53
    Último Post: 15-04-2008, 14:18
  4. Respostas: 10
    Último Post: 08-01-2007, 11:59
  5. HUB ou SWITCH,QUAL O MELHOR PARA PROVEDOR!!
    Por soco1000 no fórum Redes
    Respostas: 3
    Último Post: 14-01-2006, 21:34

Visite: BR-Linux ·  VivaOLinux ·  Dicas-L