Página 1 de 3 123 ÚltimoÚltimo
+ Responder ao Tópico



  1. #1

    Padrão Orientação sobre antenas setoriais

    Pessoal,
    Bom dia, sou novo na área de ISP, andei informando-me bastante e gabaritando-me de manuais etc..., no que diz respeito as setoriais cheguei as seguintes conclusões técnicas a respeito:
    1- Elas podem ser de dupla polarização ou mono;
    2- A eficiência delas é com base no ganho e na abertura dos ângulos;
    3- AS caracteristicas supracitadas aplicam-se tanto as de 2.4 como as de 5.8;
    4- De nada adianta uma boa antena sem um bom rádio;

    Posto isso pergunto-lhes:
    com base na experiencia que vcs adquiriram, numa área urbana onde a distancia máxima da torre será de 1.2km qual o melhor conjunto e qual o conjunto com a melhor relação custo/beneficio?

  2. #2

    Padrão Re: Orientação sobre antenas setoriais

    Uns acrescimos:

    1 - Dupla polarização depende de equipamento que faz Mimo. Antena de dupla polarização com equipamento Siso não adianta (Usando divisor de RF). 802.11A, B e G são Siso, 802.11N permite Mimo. Começar em 2014 e não usar logo modo N é atraso de vida. O futuro é N, não precisa necessariamente Mimo, é possível vender coisa tipo 20M com Siso, que dirá coisa tipo 1 ou 2M.

    2 - "Eficiência" não é um bom termo (Seria a capacidade de transformar onda eletromagnética no condutor em onda eletromagnética no ar), influindo na qualidade da antena também tem fatores como onda estacionaria (VSWR), emissão omnidirecional em menor ganho (E recepção de todos os lados, ou seja, recebe ruído de todo lado), especialmente emissão e recepção lateral e traseira (Refletor com baixo isolamento, não é bom em torre com muitas antenas). Enfim, tem muito tipo de antena no mundo, seja pra radio, pra tv, pra celular, ou wifi. Ganho e angulo de emissão é apenas a ponta do iceberg. É um iceberg grande...

    4 - Um bom radio pode ser ajustado pra ter o melhor desempenho possível com uma antena ruim. Dá pra usar tranquilo um omni "25dB" do ML numa RB, mas obviamente não terá os prometidos 15Km de alcance prometidos por quem vende essas porcarias... toda antena é antena, mas tem que configurar o equipamento pra otimizar o uso dela.

    Recomendo qualquer routerboard Mikrotik, com qualquer cartão decente (Preferencialmente Mikrotik também, tipo R52n ou R52Hn), pode ser antena L-com, Wavelan, Oiw, não tem uma diferença magica entre elas, a diferença mágica (Só que não...) está nas omni caseiras de trocentos dB em roteadores DOMESTICOS de 1000mW...

    Uma RB435G, com 4 cartões R52HN, em 4 antenas Wavelan 14dB 90°, acho excelente. Mas não é barato. E entra questão de gosto e futuro, setoriais 120° sem homologação tem (UBNT e Betel de slot), sabe-se lá se terão homologação um dia, com 3 interfaces obviamente teria suporte final a 25% menos clientes que com 4 setoriais (Existe um limite de clientes por cartão), mas sabe lá se terá mesmo 100 clientes online na sua torre algum dia. Tem quem prefira meia duzia de Nanostation (Cujas antenas tem cerca de 60°) num switch POE, acho que fica até mais caro (E Ubnt queima lan muito facil), mas... gosto é gosto, não tem diferença milagrosa entre as marcas, a diferença está na configuração, nas instalação nos clientes (Não usar equip. vagabundo e com zona de fresnel comprometida).

    1,2Km é facil atender, "qualquer" equipamento de marca decente no mercado atende isso se tiver visada e zona de fresnel decente. Seja 3 Basestation sem homologação, 4 Intelbras APC 90 (2M-90 ou 5M-90) se você for rico, 4 Wavelan em 4 RB411 ou numa RB435, 3 Betel numa RB433, 4 Aquario 90° numa RB600 ou RB800 usada... tudo isso funciona, é possível ter uma boa banda em todos se configurar tudo direito... se um deles fosse muito lixo o fabricante já teria falido... se quer banda alta (5M, 10M) terá que caprichar no n° de interfaces e usar modos N tipo MCS7 que exigem equipamento potente e sensível no cliente (Tipo RocketDish 28dB), não é só na torre que o equipamento muda conforme muda a banda vendida.

    A parte magica da instalação fica a cargo do conhecimento do instalador, tem os cursos de MK e Ubnt (Ou de redes) por isso, investir R$ 3 mil nesses cursos faz mais efeito que investir R$ 3 mil e entregar o equip. pra leigo. Tem livros sobre MK na Entelco.com.br , tem muito material sobre Mikrotik gratuíto na web (Michigan.com.br ), mas know-how em wifi e redes depende de por a mão na massa, começar com algo tipo uma RB433 com 3 R52n e 3 wirelink/Betel de 120° acho basico, se o dinheiro for curto uma omni de 9 ou 12dB numa RB411 ou RB912, mas meter Bullet HP (800mW) em omni de "20dB" pra logo de cara atender 2Km, pra mim é colocar a carroça na frente dos bois.



  3. #3

    Padrão Re: Orientação sobre antenas setoriais

    Rubem,
    Primeiramente gostaria de lhe agradecer pela valiosa contribuição, uma verdadeira aula em alguns poucos parágrafos.

    Ja tenho alguma experiencia em Wirelles mas é pouca e, para o que estou iniciando, sem dúvida muito básica, portanto estou sempre a procura de material didático e de trocar experiencias.
    Pelo pouco conhecimento que tenho, notei que a mikrotik é bem completa e tem opção desde RB até antena, por sinal, tem alguma opinião a respeito das SXT, parecem-me bacanas e tem opção em diversas potencias.

    Porém, como estou iniciando agora e não quero gastar muito sem primeiro ver a oferta/procura, queria algo bem básico e estava pesando numa Omini 2.4 (sei que não é a forma correta de começar, mas a região tem pouca poluição) e um groove, o que acha??
    não vai ficar na torre do PTP. Tenho 1 torre recebendo o PTP e vai enviar para 3 pontos de onde sera feita a distribuição.

  4. #4

    Padrão Re: Orientação sobre antenas setoriais

    SXT na torre? Tem um angulo muito fechado, precisaria muitos. Pra MIM coisas como SXT e NS são uma bobeira sem sentido, já que são muito abertas pra PTP, muito caras pra cliente, e muito fechadas pra PTMP, são o pior dos 2 mundos.

    Pra cliente SXT é uma boa, mas geralmente no cliente tudo opera praticamente como bridge, não há necessidade de roteamento nenhum no cliente, eles geralmente precisam um roteador wifi como AP então morre a necessidade de roteamento na entrada. NS Loco é muito usado porque é barato, mas tem angulo grande, baixa potencia e antena pequena, pra distancias maiores geralmente se parte pra RocketDish ou AirGrid (NS Loco tem 8dB, NS tem 13dB, SXT tem 16dB, AirGrid tem até 28dB, diferença descomunal). Mesmo que use Mikrotik na torre não tem nenhum problema usar Ubiquiti nos clientes, usando os padrões (802.11N) não tem nada que não funcione (Problema é usar tecnologias proprietárias, ambas tem). Cliente não precisa as 1001 utilidade do Mikrotik OS, provedor sim.

    Groove com omni é um ótimo começo, o problema de omni não é o fato de existirem, o problema está nos usos que dão a elas, botar 800mV em omni pra atender 2Km é uma insanidade gigante, cria reflexo pra todo lado, o CCQ vai pro lixo, mas... o sinal escaneado aparece alto então o leigo se dá por satisfeito, por isso compram esses lixos tipo omni de 25dB, pra se comportar como burro e ser iludido pelo nível de sinal alto.

    Se quer trabalhar apenas com bandas grandes tipo mais de 1M melhor começar com 5GHz mesmo. Airgrid M5 23dB não é tão caro, o que sobe o custo final é sua margem de lucro o preço da instalação, depende da sua política de preços se irá ter lucro apenas na internet ou se terá lucro razoavel na antena e instalação (Varia conforme a fidelidade dos clientes). Groove 5HN acho uma boa, limitando a saída uns 20dB, usando omni Oiw, Aquario ou de slot (Leve muito a serio as omni de slot, é outro mundo! Pense seriamente nelas!) de 10 ou 12dB dá pra ter um bom atendimento, o único problema dos Groove é a pouca ram, são 64MB, isso limita o n° de clientes, talvez 20 com qualidade (Cuida que tem Groove com licença level 3, de cliente. Você precisa level 4, que tem modo AP). O Groove Metal tem mais potencia, passa de 30dB, mas... omni com potencia alta é tiro no pé, derruba a qualidade, se for pra isso é melhor colocar um roteador domestico barato e encher os clientes com USB e PCI, da no mesmo troughput mas o custo é 10x menor. Tambem teria os omnitik, são 8dB na antena, são uma ótima opção pra micro-setorização (Assista: ), não atendem 1Km, mas a proposta da micro setorização é ficar abaixo disso mesmo. Elas e os Groove operam a partir de uns 9V, então dá pra usar mini-nobreak DC com 1 bateria 12V 7A que ainda fica um micro-setor barato (A Gil-som vendia uns nobreaks DC desses por R$ 80, a bateria custa uns R$ 45, somando com os R$ 250 dum Airgrid mais R$ 350 duma omnitik, você tem um microsetor no preço de uma solução em torre, no fim das contas não tem nada muuuuito barato, mas convenhamos que atender 20 clientes com R$ 700 (Investimento único) dá algo como R$ 3 por mes pra cada um em 12x, pra ter CCQ decente esse é um custo baixo.

    Se quer crescer, talvez seria bom colocar esse Groove temporariamente, e logo depois adquirir uma RB450G pra fazer nela o controle de clientes, e depois poder colocar esse groove numa setorial e/ou trocar por RB+cartões (Sai mais barato que 3 ou 4 Grooves). Se for optar por micro setorização (Depende do tipo de cliente que terá, colocar isso gastando energia 24x7 não agrada a todos, alguns querem mais que internet gratis pra isso (Como se isso gastasse mais que uns R$ 15 na conta de luz)) é importante ter um troughput muuuuito bom e temporização baixa (Dá um ping -l 1472 pro IP do server) entre cada micro setor e seu autenticador.



  5. #5

    Padrão Re: Orientação sobre antenas setoriais

    Rubens,
    Novamente agradeço a prestatividade e a clareza nas respostas, vamos la:

    1 - A Sxt que tava pensando em usar na torre era essa:
    http://produto.mercadolivre.com.br/M...z-mikrotik-_JM
    Parece-me uma opçao legal, unica duvida é a memória, apenas 64??
    Gostaria de deixar tudo com Mikrotik pq o [email protected] de vc usar mikrotik numa ponta e ubiquiti na outra é q ñ consegue usar nem o NV2 nem o Air-max

    2 - Como inicialmente vou ser pequeno, ja tenho uma omni da Aquario de 15Dbi 2.4, tava pensando em casá-la com este groove:
    http://produto.mercadolivre.com.br/M...3-mikrotik-_JM
    O legal dele é poder alternar entre 2.4 e 5.8 assin, no futuro quando migar a rede para 5.8 não o perderei mas é level 3, não dáp ra usar ele em bridge sendo que a autenticação vai ficar na RB da backbone??

    ou seria melhor usar este:
    http://produto.mercadolivre.com.br/M...ca-nivel-4-_JM
    Esse tem um processador mais fraco, porém é level 4??

    Inicialmente vou ter a torre do Enlace mandando para 3 pontos de distribuição.
    - Nos pontos de distribuição incialmente queria trabalhar com o Kit Groove + omni Aquario de 15dbi (não conheço essa slot de que me falas-te tem um link pra eu analisar?)
    No futuro é que tava na duvida pois a sxt que linkei-te acima ja é um conjunto completo por um valor interessante, setorizando a cada 90º pode ser uma boa opção. Os painéis setoriais com RB saem bem mais cara cada conjunto, pelo menos 800 pila cada.

    - Outra duvida que tenho inicialmente é pra fazer o ptp da torre do enlace até os outros pontos ( o mais distante é a 1,2km), meu colega insiste na nanobridge, dai falei que se for pra usar ubiquiti prefiro que seja a nanobeam porém, como as distancias são pequenas tava pensando nas SXT mesmo. Inicialmente vou distribuir em 2.4 e fazer os PTPS em 5.8 pra não ter interferencia.

    Que que achas???
    Gostei muito das omnitik

    Estou numa indecisão grande quanto ao que utilizar-se na distribuição final (torre-cliente) o que não quero é misturar (mikrotik, ubiquiti,intelbras...) pq cada um tem seu prot proprietario e se misturar não da pra usar... tenho uma preferencia pelo Mk.

  6. #6

    Padrão Re: Orientação sobre antenas setoriais

    Usar padrão proprietário tipo NV2 ou Airmax só serve pra você se amarrar a apenas 1 marca, acho isso uma péssima opção. Tem os padrões justo pra poder usar qualquer marca e tudo ser compatível, dá pra ter banda boa em 802.11N puro, a diferença entre ele puro e com Airmax ou NV2 só é significativa em PTP, porque em PTMP a qualidade da conexão dos clientes pode modificar muuuuuito mais o troughput geral.

    Não conhecia esse Groove de 600MHz, a principio citei o Metal, de 400MHz level 4. Eles geralmente tem 64MB porque o foco deles não é PTMP, eles são focados em PTP mesmo, nesse uso 64MB dá e sobra. Se for usar autenticação em baixo pode coloca-los como bridge sem problemas, é que seria mais barato começar com um Groove level 4 fazendo "tudo", começar com apenas 1 equipamento. A SXT de 90° é uma boa opção, seria a opção perfeita, mas está sem homologação. A que tem homologação é a 5HPnD que tem a antena que citei de 60° (Fora dos 60° do centro o ganho cai demais). Eu levo a serio a necessidade de homologação, é contigo a decisão de usar ou não equip. homologado (A multa nas fiscalizações é salgada).

    Quanto às antenas de slot, os slots são dutos na medida certa pra chegar ao elemento irradiante/captador apenas uma faixa específica de frequencia, são slot condutores das ondas, condutores na medida certa:
    http://en.wikipedia.org/wiki/Slot_antenna
    Quem tem slot geralmente é a EMCtest
    http://www.emctest.com.br/wifi/prod_wifi.htm
    e a Betel
    http://www.antenasbetel.com.br/produ...irecional.html
    Boas elas são, só tem o eterno problema da homologação... Devem ter mais antenas de slot no mercado, teria que procurar. Mas se você já tem uma omni, acho que não vale a pena trocar, se for trocar melhor partir logo pra setorial. (Deixa as omni pros microsetores, ou pra locais onde não terá mesmo mais que uns 30 clientes ao todo, como no maximo 15 online, tipo bairro afastado ou vilarejo, nesses locais não tem interferencia nem vale a pena o investimento em setoriais)

    Quanto aos SXT pra PTP, eles são abertos (Antena de 60°), se trabalhar com potencia baixa pra não gerar ruído pro resto do equip. na torre pode ter ruído da vizinhança que antenas fechadas não tem. Em PTP PROFISSIONAL sempre tem radome (Uma carcaça ao redor duma antena de disco, isolar irradiação da vizinhança) e o angulo raramente passa de 2°, não é por questão de distancia, e sim pra isolar outros sinais e ter o maximo trughput conseguível com estabilidade (Sem variar conforme a chuva, conforme o reflexo do sol num telhado, conforme a umidade ou evaporção em arvore...). Você nunca verá um PTP profissional (10GHz, gigabit) com antena tipo 60°. Se for pra ficar com MK eu usaria antena de grade de um groove então. Antena de grade de 28dB tem varias, tem umas 23dB bem baratinhas. Em www.wavelan.com.br você verá uns kits PTP com Ubiquiti, e uns shields pra Nanostation, porque PTP com NS ou SXT sem shield é um desperdício de dinheiro, com uma blindagem decente ou com outro tipo de antena de custo similar dá pra conseguir mais troughput ou mais estabilidade. Falo em RocketDish ou Airgrid porque são opções direcionais prontas, usando eles nas 2 pontas pode testar Airmax e ter os benefícios dele. Já Airmax pros clientes... limita a escolha deles... seria como você só poder comprar modem ADSL da Linksys, eu jamais aceitaria contratar um serviço que me obrigasse isso.