Página 1 de 3 123 ÚltimoÚltimo
+ Responder ao Tópico



  1. #1

    Padrão Largura Canal X Nº de Cliente X Banda Passante

    Preciso resolver uma dúvida: Qual a relação de largura de canal X nº de clientes simultâneos X banda cliente?
    Tomando por base uma nanostatiom M5 quantos clientes simultâneos poderia atender com planos de 1Mb.
    Modulando com 5Mhz?
    Modulando com 10Mhz?
    Modulando com 20Mhz?
    Sabendo que teoricamente em 5Mhz sofreríamos menos interferência e teríamos mais penetração.
    JMayer

  2. #2

    Padrão Re: Largura Canal X Nº de Cliente X Banda Passante

    Citação Postado originalmente por eaglesoft Ver Post
    acompanhando
    la em cima tem escrito Ferramentas do Topico > acompanhar topico. so uma dica



  3. #3

    Padrão Re: Largura Canal X Nº de Cliente X Banda Passante

    Citação Postado originalmente por jmayer Ver Post
    Preciso resolver uma dúvida: Qual a relação de largura de canal X nº de clientes simultâneos X banda cliente?
    Tomando por base uma nanostatiom M5 quantos clientes simultâneos poderia atender com planos de 1Mb.
    Modulando com 5Mhz?
    Modulando com 10Mhz?
    Modulando com 20Mhz?
    Sabendo que teoricamente em 5Mhz sofreríamos menos interferência e teríamos mais penetração.
    JMayer
    Vamos la, ja tive essas mesmas duvidas e após varias pesquisas e estudos na area cheguei a seguinte conclusão:

    a relação entre largura de canal esta mais relacionada com a taxa de transmissão do que numero de clientes simultâneos , vou te explicar o porque, claro que para vc entender vai ter que ter um bom entendimento já em telecom eletrônica elétrica redes etc

    Primeiro vc tem que entender esses conceitos:

    Banda passante de um sinal é o conjunto de frequências que compõem esse sinal, já a Largura de banda de um sinal é o tamanho de sua banda passante, que é a diferença entre a maior e a menor frequência desse sinal.

    Largura de banda de um meio físico (Bandwidth) - É a capacidade de um canal ou equipamento, medida em milhares (kbps) ou milhões de bits por segundo (Mbps). Largura de banda não é uma medida de velocidade, mas a diferença entre as frequências máxima e mínima na qual um canal/equipamento pode operar.
    Sempre que a largura de banda de um meio físico for maior ou igual à largura de banda de um determinado sinal, esse meio poderá ser utilizado para transmitir esse sinal. Na prática, a banda passante necessária para um sinal é em geral bem menor do que a banda passante dos meios físicos disponíveis.

    Para tentar esclarecer um pouco mais, vamos citar um exemplo.
    Em sistemas que usam cabos categoria 3, vistos na nossa aula 2, os parâmetros elétricos são avaliados até 16 Mhz, dessa forma o meio físico é capaz de preservar o sinal dentro da faixa de frequência que vai de (0 a 16 Mhz). A especificação Ethernet 10 base T prevê o uso do sistema UTP cat.3 por entender que esse é capaz de preservar o sinal que terá largura de banda de 10 Mhz, portanto, menor do que a largura de banda do meio físico, fato que o torna capaz de transmitir esse sinal.

    Esquemas de codificação digital são dispositivos que conseguem compactar os bits de dados que estão sendo transmitidos em faixas de frequência. Em alguns padrões, a relação é de um para um, como é o caso da Ethernet 10 base T, onde um Megabit de dados é compactado em uma faixa de um Megahertz de frequência, mas isso não ocorre para todos os padrões. Alguns padrões, como é o caso do TP-PMD (FDDI2 em cobre), em que o esquema de codificação utilizado é o MLT-3, a largura de banda é ¼ da taxa de bits. Assim, apesar da taxa de dados do TP-PMD ser 125 Mbps (100 Mbps de dados mais 25 Mbps de controle de bits), a largura de banda é ¼ disso, ou seja, 31.25 Mhz.

    Taxa de transmissão - é a quantidade de dados (bits) que um padrão é capaz de transmitir. Para que isso seja possível quando se especifica um padrão, é escolhido o meio físico, a banda passante do sinal, a largura de banda que esse meio físico tem que preservar o sinal e o esquema de codificação que será adotado.

    Matematicamente, a taxa de transmissão é dada da seguinte forma:
    Taxa de Transmissão = (Banda passante) x (Mbits por Mhz da banda), sendo que a Taxa de transmissão é dada em Mbps, (Banda Passante) em MHz e (Mbits por Mhz da banda) é o esquema de codificação, visto anteriormente.

    Assim, pela relação que vemos acima, temos duas formas de aumentar a taxa de transmissão:
    a - aumentando a banda de frequências (passante);
    b - melhorando a eficiência de codificação (mais bits na mesma largura de faixa).

  4. #4

    Padrão Re: Largura Canal X Nº de Cliente X Banda Passante

    Não dá pra fazer essa conta porque quem tem canal de 5MHz é B, 10 e 20MHz são modos A e G, enquanto N tem canais de 20 e 40MHz.
    (Existe coisa fora do padrão sim, tipo G com canal de 40MHz, mas isso é GAMBIARRA também chamada de "padrão proprietário")

    Um canal de 20MHz em modo G ou A terá cerca de 50 portadoras, enquanto em modo N (Seja 2,4 ou 5GHz) esse mesmo canal de 20MHz terá 20 portadoras a mais. Isso muda muito a banda passante, e o desempenho por conexão em PtMP.


    Usar modo N com canal de 20MHz com MCS1 (13Mbps) usa muitas portadoras (Modo B em 11M usa só 1, TEORICAMENTE troughput similar), mas ela usa menos bits por chip, só 1 ou 2, conta acho que 8 em MCS7 (65M). Na prática o populamento/povoamento das portadoras é feito com poucos dados, se comprimir tudo dá no mesmo que uma única portadorona de 13Mbps. Mas modo N tem vantagens de processamento contra modo B, de modo que em 11M no modo B a 5MHz você consegue no máximo 4Mbps (com 1, 2 ou 10 conexões, desde que decentes) e no MCS1 de 13M no modo N você consegue 10Mbps (Seja 1, 2 ou 10 conexões).

    Com 5 MHz você cai em modo B, uma portadora larga. Qualquer hardware com modo B suporte. Tem modo G de 5MHz, praticamente só MK e uns 4 roteadores do mercado suportam.
    Com 10MHz você cai numa gambiarra de modo G, se você colocar nesse modo não é qualquer aparelho que terá a realocação de banda pra achar isso.

    Com 20MHz você está oficialmente no modo G ou N, qualquer aparelho achará.

    Realocação de banda pra usar G com 5 ou 10MHz não é tão comum, UBNT e MK tem isso, mas hardware pra cliente não (Hardware pra cliente de ISP sim, tipo Krazer, Firemax, APRouter, etc). E... modo G a 5 ou 10MHz não tem vantagens, só a não-sobresposição sobre os canais vizinhos (Que só é problema pra quem tem meia duzia de antenas G numa torre).

    Com hardware de hoje a sobreposição não é problema serio, dá pra usar canal proximo em N sem ter perda seria de desempenho. Então... modo G com gambiarra de 5 ou 10MHz não tem mais motivo pra ser usada, usar G a 5MHz resulta em datarate de 6,5M, na prática deve dar troughput tipo 3Mbps, melhor que modo B no datarate de 5,5M, mas pior que modo B a 11M. E MUITO pior que MCS0 com datarate de 6,5M (Que apesar de canal mais largo (20MHz) tem portadoras com menor trafego, mesmas perdas que se fosse um canal estreito).



  5. #5

    Padrão Re: Largura Canal X Nº de Cliente X Banda Passante

    Sabemos que, quanto maior a banda passante de
    um meio físico, maior o número de harmônicos que
    podem ser recuperados na conversão A/D. Pergunta-se...
    Qual a Banda Passante mínima para que um sinal
    digital, convertido para analógico (D/A), com taxa de
    transmissão X seja recuperado (A/D) sem sofrer
    alterações que comprometam a recuperação deste?

  6. #6

    Padrão Re: Largura Canal X Nº de Cliente X Banda Passante

    Cálculo da taxa de transmissão máxima em um canal:
    Teorema de Nyquist
    Em 1928, Harry Nyquist, formulou uma equação
    matemática que define a taxa de transmissão máxima de
    um canal de banda passante limitada e imune a ruídos. A
    equação pode ser escrita da seguinte forma:
    C = 2*W*Mm bps, onde:
    C = capacidade do canal na ausência de ruído;
    W = frequência do sinal (largura de banda);
    Mm = a modulação multinível (2 bits, 4 bits, 8 bits, 16 bits



  7. #7

    Padrão Re: Largura Canal X Nº de Cliente X Banda Passante

    Cálculo da taxa de transmissão máxima em um canal:
    Teorema de Nyquist
    􀁠 Em 1928, Harry Nyquist, formulou uma equação
    matemática que define a taxa de transmissão máxima de
    um canal de banda passante limitada e imune a ruídos. A
    equação pode ser escrita da seguinte forma:
    C = 2*W*Mm bps, onde:
    C = capacidade do canal na ausência de ruído;
    W = frequência do sinal (largura de banda);
    Mm = a modulação multinível (2 bits, 4 bits, 8 bits, 16 bits

  8. #8

    Padrão Re: Largura Canal X Nº de Cliente X Banda Passante

    A Modulação e a Codificação em Rádios Ubiquiti airMAX.

    On 2 de agosto de 2013, in Ubiquiti, Wireless, by Entelco




    http://www.entelco.com.br/blog/wp-co...08/Imagem9.png
    Modulação é o processo de variação de amplitude, intensidade, frequência, do comprimento e/ou da fase de onda numa onda de transporte, que deforma uma das características de um sinal portador (amplitude, fase ou frequência) que varia proporcionalmente ao sinal modulador. Modulação é a chave para a comunicação digital. Ela pode transformar a forma de onda em um símbolo digital definida para a transferência de dados. Os “símbolos ” do conjunto de símbolos pode ser qualquer combinação destes parâmetros.
    Segue 2 exemplos de moduladores utilizados em Rádios Ubiquiti.
    BPSK (Binary Phase Shift Keying) é uma modulação robusta, que consiste em apenas dois símbolos produzidos por mudanças de fase

    • Vantagem: Muito robusto, baixo SNR requerido.
    • Desvantagem: Apenas 1 bit por símbolo, portanto e lento.

    64 QAM (64 Quadrature Amplitude Modulation) Modulação de Amplitude em 64 Quadraturas

    • Vantagem: 6 bits por símbolo (6 vezes mais rápido que o BPSK)
    • Desvantagem: É requerido um sinal mais forte e não é tão robusto como BPSK.



  9. #9

    Padrão Re: Largura Canal X Nº de Cliente X Banda Passante

    Não tem nada a ver largura de banda com quantidade de clientes. Se voce deixar em 5MHz ele vai atender a cada cliente com maximo de 5MHz e datarate de 13.5Mbps aprox. A quantidade de clientes vai depender do processamento do radio.
    Así de simples

  10. #10

    Padrão Re: Largura Canal X Nº de Cliente X Banda Passante

    @rubem intao vc aconselharia usar qual modulação?
    em relação a distancia, utilizar 5 10 ou 20mhz vai modificar a area de cobertura?

    vamos supor, tenho um ptmp, com 20mhz, quero por 10mhz, qual seria a vantagem.
    ja que 10mhz sofre menos interferências.



  11. #11

    Padrão Re: Largura Canal X Nº de Cliente X Banda Passante

    Citação Postado originalmente por brunobelas Ver Post
    @rubem intao vc aconselharia usar qual modulação?
    em relação a distancia, utilizar 5 10 ou 20mhz vai modificar a area de cobertura?

    vamos supor, tenho um ptmp, com 20mhz, quero por 10mhz, qual seria a vantagem.
    ja que 10mhz sofre menos interferências.
    Com canal mais estreito, no mesmo hardware, você vai poder usar cliente com SNR menor, portanto alcance teórico maior. Mas... não dá pra vender muita banda por painel com canal estreito, digamos 4 ou 5Mbps por painel em 5MHz, 10-12Mbps por painel a 10MHz.

    Também entra o problema: O equip. dos seus cliente tem realocação de banda pra conectar em G a 10MHz? Só roteador e pcba VELHOS tipo Krazer, Firemax, APRouter, Abocom, que costumam ter esse suporte. São hardwares ridículos pra se comprar em 2014.

    O que recomendo é modo N com canal padrão, 20MHz, mas com MCS baixo, bem baixo. Em MCS0 você cai em BPSK, em MCS1 e 2 cai em BPSK, só no MCS3 e 4 que você cai em QAM, é 16QAM. Via de regra tenho visto desempenho melhor em MCS0, 1 e 3, no 2 e 4 não.
    (64QAM é em MCS5 e 6, nos MCS inferiores tem menos de 6 bits por chip, a necessidade de "sinal mais forte" é beeeeem menor)

    Uma coisa é você ver as necessidade de modo N com canal de 20MHz usando o datarate mais alto (65-72M), mas na vida real isso é inutilizavel além de uns 600-1000m com equipamento barato, já MCS0 (6,5M) tem bem mais alcance que modo B a 11M, e MCS1 (13M) pelo que testei da na mesma que 11M em modo B, com a vantagem de permitir troughput no mínimo o DOBRO (O que tive foi 10M em MCS1, contra 4,5M em modo B a 11M).

    Se é pra recomendar algo: Modo B a 11M pra banda pequena tipo 300-500Kbps pra cliente que JÁ TEM equipamento velho. E modo N, em MCS1 a 3, pra quem comprar equipamento em 2014 e/ou quiser banda maior (Com MCS3 você vai conseguir coisa tipo 20Mbps de banda real por painel entregue aos clientes, o que testei nesse MCS3 deu no mesmo alcance COM CPE que modo B, ou seja, 1500m com estabilidade. Pude testar grade 24dBi e roteador 100mW em modo N só em 2 lugares, menos de 1500m, mesma banda que CPE cara, mas suspeito (Pelo nível de sinal na torre) que o alcance é pelo menos o dobro nesse MCS.

  12. #12

    Padrão Re: Largura Canal X Nº de Cliente X Banda Passante

    Citação Postado originalmente por emilidani Ver Post
    Não tem nada a ver largura de banda com quantidade de clientes. Se voce deixar em 5MHz ele vai atender a cada cliente com maximo de 5MHz e datarate de 13.5Mbps aprox. A quantidade de clientes vai depender do processamento do radio.
    Así de simples
    @emilidani , explica melhor isso, pois eu sempre li que com mais largura de banda passa mais throughput, passa mais banda e em consequência dá para atender mais clientes. Esta seria "uma das variáveis" para poder oferecer planos de mais velocidade.
    Processamento seria "outra das variáveis" mas não só ela que determinaria a quantidade de usuários.

    Ou vou ter que rever meus conceitos?



  13. #13

    Padrão Re: Largura Canal X Nº de Cliente X Banda Passante

    eu ainda continuo acreditando que largura de banda tem tudo a ver com quantidade de Mbps do que quantidade máxima de clientes simultâneos acessando a rede me provem o contrario com técnicas por favor se possível

  14. #14

    Padrão Re: Largura Canal X Nº de Cliente X Banda Passante

    os próprios documentos da ubiquiti especificam isso que com uma largura mais estreita perdesse em throughput mais ganhasse em diminuição de interferências do sinal ou seja com canal mais estreito vc ganha em SNR , se obtem valores melhores pela ausencia de ruidos e outros , e para ter um bom throughput são necessarias 2 coisas principais largura do canal e SNR Relação sinal ruido, em nenhum momento a UBNT especifica que usando uma largura menor menor a quantidade de estações atendidas ao mesmo tempo seráAnexo 53473 prejudicada



  15. #15

    Padrão Re: Largura Canal X Nº de Cliente X Banda Passante

    se vc tem 50 clientes simultaneos que consonem uma banda de 10 MB vc pode usar uma largura de canal de 10 MHz que esses 10 MB vai passar. agora se vc tem os mesmos 50 clientes simultâneos que consomem 200MB de banda em horario de pico ai os 200 MB Não vai passar e vc vai precisar aumentar a Largura do Canal , mais porque vc aumentou a largura do canal ? foi para suprir e colocar mais clientes na rede ou foi para suprir uma velocidade maior ? Eu penso assim ok ? largura de canal tem a ver com a quantidade de banda passante quantidade de clientes tem a ver com quantidade de Mpbs ou Kbps etc e com o hardware em questão memoria processador do radio me corrijam se errei por favor

  16. #16

    Padrão Re: Largura Canal X Nº de Cliente X Banda Passante

    é uma questão confusa pois muitos pensam assim quanto mais clientes mais consumo quanto mais consumo mais bps quanto mais bps mais velocidade mais a largura da banda do canal tem que ser maior pois se não não passa no gargalo dos 2 MHZ 5 MHZ 10 MHZ eu acho



  17. #17

    Padrão Re: Largura Canal X Nº de Cliente X Banda Passante

    Citação Postado originalmente por WWANInternet Ver Post
    é uma questão confusa pois muitos pensam assim quanto mais clientes mais consumo quanto mais consumo mais bps quanto mais bps mais velocidade mais a largura da banda do canal tem que ser maior pois se não não passa no gargalo dos 2 MHZ 5 MHZ 10 MHZ eu acho
    Está tudo relacionado.
    Se a largura é pequena, tipo 5Mhz, vai passar pouca banda. Se passar pouca banda não vai ter como dar muito para cada cliente. Daí para que todos possam usufruir vai precisar baixar a velocidade de todos.
    Daí se conclui que se passa mais banda, dá para colocar mais usuários..
    É o caso do modo B que passa quando muito 4mbps.
    Quantos clientes dá para colocar com 128kbps no plano?
    E se o plano for de 1024kbps?

  18. #18

    Padrão Re: Largura Canal X Nº de Cliente X Banda Passante

    Citação Postado originalmente por 1929 Ver Post
    Está tudo relacionado.
    Se a largura é pequena, tipo 5Mhz, vai passar pouca banda. Se passar pouca banda não vai ter como dar muito para cada cliente. Daí para que todos possam usufruir vai precisar baixar a velocidade de todos.
    Daí se conclui que se passa mais banda, dá para colocar mais usuários..
    É o caso do modo B que passa quando muito 4mbps.
    Quantos clientes dá para colocar com 128kbps no plano?
    E se o plano for de 1024kbps?
    é isso ai :-)



  19. #19

    Padrão Re: Largura Canal X Nº de Cliente X Banda Passante

    Pessoal, o que bem a ser o MCS ?

  20. #20

    Padrão Re: Largura Canal X Nº de Cliente X Banda Passante

    Citação Postado originalmente por Zucchi Ver Post
    Pessoal, o que bem a ser o MCS ?
    É um esquema de Modulação do Sinal Digital
    , a modulação é a modificação de um sinal eletromagnético inicialmente gerado, antes de ser irradiado, de forma que este transporte informação sobre uma onda portadora. Modulação é o processo no qual a informação a transmitir numa comunicação é adicionada a ondas eletromagnéticas. O transmissor adiciona a informação numa onda especial de tal forma que poderá ser recuperada na outra parte através de um processo reverso chamado demodulação.
    A maioria dos sinais, da forma como são fornecidos pelo transmissor, não podem ser enviados diretamente através dos canais de transmissão. Conseqüentemente, é necessário modificar esse sinal através de uma onda eletromagnética portadora, cujas propriedades são mais convenientes aos meios de transmissão. A modulação é a alteração sistemática de uma onda portadora de acordo com a mensagem (sinal modulante), e pode incluir também uma codificação.



    Quando utilizamos um esquema de modulação e combinação de sinais o MCS temos diversas opções que dependerão do modulador utilizado. Em equipamentos mais simples, como Intelbrás, Ubiquiti, já possuem estes recursos, um tanto limitados, mas já são bem úteis. No caso de MikroTik, Alvarion, Ruckus, etc., já é possível perceber mais recursos avançados para estas configurações.
    Então, conforme o exemplo do rúido dado anteriormente de -95dBm, se utilizarmos um MCS 15 padrão de vários fabricantes, precisaremos de um SNR de pelo menos 30 a 33 dBm, mesmo assim isto dependerá do fabricante. Agora se utilizarmos um MCS 0 (zero) esta relação diminuirá para até 15 dBm em certos fabricantes, mas outro fator primordial é a largura do canal, que nestes exemplos estamos utilizando a referência de 40MHz. Se utilizarmos canais de 5 MHz, estas relações diminuirão mais ainda, chegando a cair até para SNR=15 dBm em MCS 15.
    Estas regras ajudam e muito no controle de flutuação de sinais, portanto são vitais a uma rede sem fio de pequeno porte ou de grande porte.