+ Responder ao Tópico

  1. Usei umas tabelas postadas aqui no forum, dicas principalmente do rubem e de outros. E para saber sobre equipamento procurei nos datasheets do fabricante.
    Pensei em fazer algo sobre os ubqt mas devido ao seu noise floor ser muitas vezes baixo (ate demais tipo -90) iria me confundir muito devido a margem mínima de cada modulação.


  2.    Publicidade


  3. Sim, é esta justamente a confusão comum, por isso seria interessante adequar, já que tanto MK quanto UBNT dividem o cenário da realidade dos provedores WISP.

    Rubem, podia ajudar nesta ?

  4. Eu acredito que não precise de tanta margem quanto MK (uso minha pouca experiência com ubqt para dizer isso), aqui as poucas que temos apesar de sinal não tão bom ela funcionam bem.

  5. Entendo Alex, e´que a intenção aqui é a busca pela otimização total, com busca de parâmetros bem fundamentados.

  6. Citação Postado originalmente por alexchiele Ver Post
    Anexo 62469Anexo 62470

    Então assim como o rubem dice seria a mesma coisa , eu usei uma margem maior porque em alguns dos pdf da MK eu vi isso.

    Fiz mais esses mas 2.4 e protocolo A/G é meio difícil de achar alguma coisa , ate porque não acho que seja muito usado actualmente.....(obs: me corrijam se estiver errado sobre os valores das tabelas )
    É bem por aí mesmo, não tem unanimidade sobre qual seria uma margem boa ou mínima.
    Sobre a margem pra MIMO, na verdade tem cálculo pra SNR e margem que leva em conta o número de elementos da antena (Um dipolo é só 1 elemento, uma biquad são 2 elementos, a antena patch de um SXT lite tem 9 elementos), mas é daquelas contas teóricas sobre não ter perda total de pacotes, e nos precisamos perda zero, e não aceitamos nem perda de 10%, que dirá a perda de 99% que é a base de uns cálculos).

    O problema é que é tanta variável pra dar número exato (Dependendo também do VSWR exato da antena no canal usado) que ninguém arrisca tabelar tudo, e prefere jogar pra cima tipo 20dBm de margem como mínimo pra uma rede boa.

    (E no caso de MIMO, eu digo que é bom não passar de uns 40dBm de margem, porque com sinal tipo -45dBm, o sinal do chain0 já é legível no chain1 de qualquer CPE no mercado, também já começa a comer throughput)



    Citação Postado originalmente por silviola Ver Post
    Vc fez algo com fórmulas, gostaria de adaptar a Rocket / Bullet / Airgrird .

    Não tem fórmula, é basicamente a sensibilidade do equipamento no datasheet, acrescido de uma margem de 10 a 20dBm pra definir qual seria o sinal mínimo e bom pra cada datarate.

    Rocket, Bullet e Airgrid tem características parecidas (MK também), porque são chipset Atheros de gerações iguais, na prática pode pegar os números de um Nanostation e aplicar pra todo equipamento MK ou UBNT que não terá rede ruim.

    Já que citou o Airgrid, olha o datasheet:
    https://dl.ubnt.com/datasheets/airgridm/airGrid_HP.pdf

    Lá na tabela com sensibilidades de cada datarate tem números só 1 ou 2dBm diferente da tabela:
    Clique na imagem para uma versão maior

Nome:	         ag.jpg
Visualizações:	70
Tamanho: 	111,3 KB
ID:      	62472
    Mas olha a coluna mais na direita, tolerance: + ou - 2dBm de variação.
    Conforme o canal usado, ou variação na fabricação (E talvez temperatura do chipset) o número varia.

    Por isso é complicado definir "O mínimo é 12dBm" e fazer todas as instalações assim, em horários de calor ou dia que mudar de canal isso vai tudo mudar.

    Trabalhando com coisa mais simples tipo pelo menos 20dBm ACIMA da sensibilidade (Do datarate escolhido, ou do MAIOR se for deixar automático) a chance de rede ruim é quase zero.

    A coisa é mais simples do que parece:
    Precisa passar 50Mbps: Quer dizer que precisa de um datarate de mais de 100Mbps, que é MCS13. E MCS13 precisa pelo menos uns -58dBm (Mas seria bom MAIS que isso, nada de deixar ZERO margem, lembra que sinal cai quando chove, é fácil cair 2dBm).

    Pode complicar um pouco se não tiver sinal suficiente.
    "Instalei e não tem -58dBm, tem só -60dBm".
    Então olha o MCS12, ele funciona com isso.
    E pra ter data rate de mais de 100M nele é só passar de largura de canal de 20MHz pra 30MHz (Se em 20MHz tem 78M, aumentando o canal em 50% na largura, o datarate aumenta em 50%, passa de 78M pra 117Mbps, mas configurando o rádio em 30MHz ele automaticamente muda os numeros dos data rates, nem precisa fazer conta!).

    (Canal mais largo geralmente exige sinal um pouco mais alto, mas de 20 pra 30MHz uma diferença de 1dBm conta pouco. A maior diferença é mudar 100% a coisa, pulando de 20 pra 40, ou de 20 pra 50MHz)

    Respeitando uma margem (Signal margin) entre sensibilidade e sinal presente, dificilmente vai desrespeitar o SNR.

    (E na prática pode ter CCQ ótimo com margem de só 12 ou 13dBm em PTP, mas é PTP, antena com só 1 conexão pra lidar, o bicho pega é com PTP, vários rádios falando nas orelhas do AP, o throughput fica meia-boca quando tem muito cliente com sinal baixo, eles perdem pacotes e isso precisa ser reenviado, toma tempo que poderia estar sendo gasto com outro cliente. É tipo quando tem alguém lerdo num caixa do super-mercado, por mais ágil que o caixa seja, se a pessoa for lenta demais pra tirar as coisas do carrinho toda a filha tem que ficar esperando a vez, não existe ir pra outra fila em wifi, se tem uma lesma na frente, todo mundo vai ter que esperar)


  7.    Publicidade




Visite: BR-Linux ·  VivaOLinux ·  Dicas-L