Página 6 de 8 PrimeiroPrimeiro ... 2345678 ÚltimoÚltimo
+ Responder ao Tópico



  1. @SantiagoMG concordo em absoluto com exceção de 1 ponto (já chego nele). Onde quero chegar é que realmente necessitamos de uma tecnologia criada para o ambiente externo (que seria a Wimax ou a LTE) ou então alguma "outra coisa" que nos permitisse trabalhar de forma mais profissional. Fibra ainda é extremamente caro e complicado para se licenciar, lançar e trabalhar - por mais fácil que tenha ficado nos últimos anos.

    Como o @1929 fala, ficar dependendo da confiabilidade de UBNT e Mikrotik é foda. Hoje funciona, a noite cai o desempenho, depois de amanhã volta a funcionar normal, em seguida queima. É um ambiente de insegurança praticamente eterno rs.

    Normalmente deixo minha experiência pessoal como um usuário viciado e apaixonado que sou em todos os termos - downloads, jogos, vídeos, etc (e tenho 4 PC's em casa, Smart TV, etc) me influenciar. Essa é a experiência que penso sempre em levar para os meus clientes. É uma experiência que empolga e que consegue concorrer diretamente com com as grandes (não em valores, mas em banda).

    Outro ponto preocupante é que não moro na Capital (moro em uma cidade de 200 mil habitantes) nem em bairro rico e tenho fibra rs! Jamais achei que essa cidade teria fibra (me mudei tem 1 ano e meio).

    Testei durante 3 meses a Internet 4G da Claro na cidade de São José do Rio Preto (onde estava para um projeto) e vou te falar... nas primeiras horas eu simplesmente estourei os 15GB de trafego mensal e digo mais: Se não fosse por este limite de trafego ela seria a opção dos sonhos em termos de mobilidade e praticidade. Bateu facilmente em 48mbps e fiquei extremamente surpreso. Não esperava realmente um desempenho desses.

    O LTE é sim uma ameaça a nós... a primeira operadora que retirar o limite de trafego mensal vai arrebentar de vender... (e os preços da ON vem baixando e o limite aumentando...). Mais e mais banda é o futuro e não temos como fugir dele.

    Agora ao ponto que discordo veementemente:

    Nós não "promovemos o maior Programa de Inclusão Digital do Brasil". Isso parece discurso do PT. O que nós fazemos é o que qualquer empresário faz: Identificamos um "nicho" de mercado e trabalhamos nele. "Um programa" é algo que o governo faz e não cobra uma mensalidade dos clientes. Nós somos empresários, não fazemos "doações" nem trabalhamos de graça. Existe um investimento nosso por traz e um retorno posterior. Programa de inclusão digital seria se você desse "Wifi" de graça para a cidade e/ou centros com computadores para as pessoas usarem.

    Como empresários temos de pensar em inovação. Em constantemente aumentar a qualidade reduzindo custos (ok, é bonito na frase mas praticamente impraticável na realidade).

    Um usuário que tenha por exemplo 30, 40, 50mbps vai fazer as coisas muito mais rapidamente... e sua rede ficará mais ociosa

  2. É isso mesmo! Somos empresários, não fazemos doações e precisamos ter lucro para sobreviver. Mas não precisamos fazer doação para fazer a Inclusão Digital. Talvez sua visão sobre Inclusão Digital esteja equivocada, por achar que o serviço tem que ser gratuito. Ou então pelo fato de que eu usei o termo "Programa" de Inclusão Digital. Realmente o nosso trabalho não é nenhum programa de governo, na verdade eu utilizei esse termo de forma irônica, querendo dar o sentido de que nós, que nunca recebemos ajuda do governo é que estamos fazendo o papel de quem recebeu ajuda$ e mais ajuda$ para tal finalidade.

    Existem muitos lugares, muitas áreas rurais que não tem cobertura de celular, não tem telefone fixo, não tem sinal de TV terrestre mas lá está o provedor local, prestando o SCM, não gratuito, mas por um preço acessível... Não entrega 50 Mbps, mas entrega 2 Mbps que já lhe possibilita fazer a maioria das coisas que ele precisa. E o que é mais importante, muitas vezes ensinando o cliente totalmente leigo a dar seus primeiros passos com a informática e com computadores (muitos clientes meus nem sabiam ligar o computador direito), vendo eles ficarem maravilhados em poder acessar internet lá no sítio deles, onde não tem sinal de TV e nem de celular. Por isso eu afirmo com convicção: Isso é a Inclusão Digital na sua essência!! E sem incentivo do Governo.

    Sobre os demais ponto eu concordo com vc:

    1- Precisamos evoluir constantemente, não há nada que não possa ser melhorado;
    2- Temos que pensar em utilizar tecnologias mais estáveis e que ofereçam maior capacidade de tráfego.
    3- O 4G pode ser uma ameaça pra nós em breve se não seguirmos nesse sentido.



  3. Perfeito, eu já iria fazer esta distinção da licenças para ajudar ao melhor entendimento do interessados.

    Citação Postado originalmente por Luspmais Ver Post
    Muito interessante o tópico.
    Só corrigindo:

    SEaC: Outorga TV
    STFC: Outorga Telefonia

  4. Sem querer ser alarmista: Alguém confia em ter a TV por assinatura administrado pela ALGAR??? Me parece loucura, posto que está fornecedora de link no atacado também ataca cliente final. E não estou dizendo que não tem competência, tem muita. Opera também o Azere ( ou nome parecido, falha nossa!!) que é um sistema "tipo VONO"....

    Ou seja fica o Provedor na mão do macro concorrente para atingir seus clientes finais. Basta uma localidade ter densidade de negócios e está lá, tudo na mão da ALGAR.

    Não estou falando mal ou bem, mas que os dados dos assinantes de TV que são clientes do Provedor estarão lá, quais a regiões que só vende pacotes básico, onde o pessoal tem mais dinheiro e sai mais pacotes avançados,

    Eu , particularmente, não me sentiria confortável numa situação assim.

    2 - Voz; O que não pode em SCM é originar e terminar a ligação em telefone convencional. Quando vc origina via sistema (softpphoe, ata, etc, )pode sim! Aquilo , que por sinal nunca pegou no Brasil , ligar de um fixo a, abri linha e liugar via voip para outro fixo (ou celular) é que não pode. "INICIAR E TERMINAR" em telefone com características de SFTC.

    3 - O voip é muito bom! Sò que tem que ter operadora ok,posto que na "unha", só da lucro para quem promove os cursos. Tenho amigo meu que saiu do ramo de vender serviços de VOIP para vender cursos de VOIP. Casa sempre cheia! Agora, existem sistemas que não competem com o Provedor e podem se uma ótima fonte de lucros.



  5. O Provedor é empresário de comunicação, comunicação esta essencial a qualquer região, a qualquer país. Não ,é , portanto, a meu ver para ficar com sobras das teles. Pode e deve oferecer altas velocidades , com qualidade, seja por rádio ou por fibra, atendimento de qualidade. Quem de nós não já teve que praticamente brigar com a TELE por questões de suporte, conta, etc?

    1 - velocidade com qualidade - 2 Atendimento - estes , no meu entender são os pilares. Pilares estão sólidos? Bem aí pode-se agregar voz e tv por assinatura. Mas o pilares (1 e2 ) , a meu ver , são os essenciais.






Tópicos Similares

  1. Futuro dos pequenos provedores via rádio no Brasil?
    Por GilsonBarbosa no fórum Assuntos não relacionados
    Respostas: 35
    Último Post: 10-06-2017, 08:40
  2. IPTV será o futuro para os provedores via rádio?
    Por GilsonBarbosa no fórum Redes
    Respostas: 14
    Último Post: 21-05-2012, 13:07
  3. Respostas: 30
    Último Post: 06-07-2005, 07:05
  4. Montando um provedor via radio
    Por ddduken no fórum Redes
    Respostas: 10
    Último Post: 16-05-2005, 12:00
  5. Provedor via rádio
    Por pensador-ce no fórum Redes
    Respostas: 9
    Último Post: 07-11-2002, 00:34

Visite: BR-Linux ·  VivaOLinux ·  Dicas-L