+ Responder ao Tópico



  1. #1

    Padrão Empresas separadas para infraestrutura e acesso

    Olá. Tive uma ideia e uma dúvida aqui.

    A ideia foi a seguinte: ao invés de ter uma única empresa (provedor tradicional) cuidando de tanto a instalação de sua rede quanto o controle e comunicação, ter duas empresas. A primeira cuidaria unicamente da infraestrutura, instalando pontos de acesso, redes cabeadas, cuidando de aluguel de postes, etc. A outra empresa, o provedor propriamente dito, usaria essa infraestrutura, cuidando do controle financeiro e de acesso dos clientes, da conexão (links) com a Internet, etc.

    A dúvida que me surgiu foi a seguinte: quem precisa ter outorga da Anatel (SCM, por exemplo) aí? A empresa que cuida da infraestrutura, ou a que é provedor? Ou ambas? Por quê?

    Fiquei confuso nessa questão pelo seguinte: a licença para SCM trata principalmente dos serviços prestados. Por exemplo: SCM não pode ter serviço de voz saindo para operadora, tem que emitir relatório SICI, etc. A empresa da infraestrutura não tem nada a ver com isso tudo aí.

    No entanto, a própria Anatel define regras para a infraestrutura, que envolvem frequências de rádio abertas e licenciadas, limites de EIRP, uso de equipamentos e demais materiais homologados, etc. Eu não conheço muito bem toda a burocracia da Anatel, mas não acho que todas essas normas sejam apenas para quem possui algum tipo de outorga expedida no órgão, mas qualquer um que se envolva com a telecomunicação.

    Não vejo como a Anatel pode ter autoridade sobre empresas que atuam sem licença dela. Provedor ilegal não liga para normas da Anatel porque não vai ocorrer nada com ele (perder licença e o dinheiro gasto com ela...) - se o provedor existe ilegalmente é porque a Anatel não faz nada na região. Da mesma forma penso que uma empresa que não precise (na legalidade) de uma licença da Anatel não está sobre o controle dela, então essas normas todas para a infraestrutura não fazem efeito sobre essa empresa.

    Diante desses conflito, repito a pergunta: quem precisa de licença da Anatel? A empresa que cuida da infraestrutura do provedor, ou o provedor como descrevi?


    Grato pela atenção;
    até logo.
    Última edição por TsouzaR; 16-10-2014 às 23:19.

  2. #2

    Padrão Re: Empresas separadas para infraestrutura e acesso

    Citação Postado originalmente por TsouzaR Ver Post
    Olá. Tive uma ideia e uma dúvida aqui.

    A ideia foi a seguinte: ao invés de ter uma única empresa (provedor tradicional) cuidando de tanto a instalação de sua rede quanto o controle e comunicação, ter duas empresas. A primeira cuidaria unicamente da infraestrutura, instalando pontos de acesso, redes cabeadas, cuidando de aluguel de postes, etc. A outra empresa, o provedor propriamente dito, administraria essa infraestrutura, cuidando do controle financeiro e de acesso dos clientes, da conexão (links) com a Internet, etc.

    A dúvida que me surgiu foi a seguinte: quem precisa ter outorga da Anatel (SCM, por exemplo) aí? A empresa que cuida da infraestrutura, ou a que é provedor? Ou ambas? Por quê?

    Fiquei confuso nessa questão pelo seguinte: a licença para SCM trata principalmente dos serviços prestados. Por exemplo: SCM não pode ter serviço de voz saindo para operadora, tem que emitir relatório SICI, etc. A empresa da infraestrutura não tem nada a ver com isso tudo aí.

    No entanto, a própria Anatel define regras para a infraestrutura, que envolvem frequências de rádio abertas e licenciadas, limites de EIRP, uso de equipamentos e demais materiais homologados, etc. Eu não conheço muito bem toda a burocracia da Anatel, mas não acho que todas essas normas sejam apenas para quem possui algum tipo de outorga expedida no órgão, mas qualquer um que se envolva com a telecomunicação.

    Não vejo como a Anatel pode ter autoridade sobre empresas que atuam sem licença dela. Provedor ilegal não liga para normas da Anatel porque não vai ocorrer nada com ele (perder licença e o dinheiro gasto com ela...) - se o provedor existe ilegalmente é porque a Anatel não faz nada na região. Da mesma forma penso que uma empresa que não precise (na legalidade) de uma licença da Anatel não está sobre o controle dela, então essas normas todas para a infraestrutura não fazem efeito sobre essa empresa.

    Diante desses conflito, repito a pergunta: quem precisa de licença da Anatel? A empresa que cuida da infraestrutura do provedor, ou o provedor como descrevi?


    Grato pela atenção;
    até logo.
    Olá TSouzaR! Seguem as respostas:

    1) Se a empresa de infra em telecom for comercializar os acessos(rede) seja para seu provedor ou para terceiros, precisa de licença;

    2) agora se for só dar manutenção, instalação, suporte operacional. Não

    O que pode ser feito é uma jogada legal dizendo que a empresa X é dona da infra, porém o provedor pertence ao mesmo grupo empresarial e está cedendo a rede de acesso para sua subsidiária operar.

    Tenho um cliente que é dono de concessão de rodovia e que tem fibra nas marginais de grandes rodovias.

    O grupo abriu um provedor e usa a fibra como sendo emprestada da concessionária de rodovias.

    Tipo gato assim entendeu?



  3. #3

    Padrão Re: Empresas separadas para infraestrutura e acesso

    Souza,

    Pela minha ignorancia acredito que seja a que for ficar responsável pela recepção e transmissão da internet, seja por rádio, cabo ou o sistema que for usar. Acredito que seja só o provedor, a outra é só estrutural, seria +/- como uma construtora sabe, quem tem que se virar com o alvará e licenciamento da obra é o dono da obra, a construtora só vai la pra fazer o serviço......
    Mas aguardemos os mais interados no assunto....

  4. #4

    Padrão Re: Empresas separadas para infraestrutura e acesso

    Citação Postado originalmente por telmetrics Ver Post
    Olá TSouzaR! Seguem as respostas:

    1) Se a empresa de infra em telecom for comercializar os acessos(rede) seja para seu provedor ou para terceiros, precisa de licença;

    2) agora se for só dar manutenção, instalação, suporte operacional. Não

    O que pode ser feito é uma jogada legal dizendo que a empresa X é dona da infra, porém o provedor pertence ao mesmo grupo empresarial e está cedendo a rede de acesso para sua subsidiária operar.

    Tenho um cliente que é dono de concessão de rodovia e que tem fibra nas marginais de grandes rodovias.

    O grupo abriu um provedor e usa a fibra como sendo emprestada da concessionária de rodovias.

    Tipo gato assim entendeu?
    Grato por responder.

    Estava pensando mais ou menos nisso aí mesmo. No caso, seria para facilitar as coisas em acordos com órgãos governamentais, como prefeituras, por exemplo e outras empresas.

    Ao invés do acordo ser feito com o provedor para, por exemplo, interligar os órgãos municipais e oferecer serviço de Internet, ele seria estabelecido com a empresa da infraestrutura, que seria dona de toda a rede. Como ela não precisaria de licença da Anatel, ficaria bem mais fácil para começar a operar logo após a abertura da empresa.

    Então a empresa de infraestrutura contrataria a outra que é provedor para fornecer o acesso à Internet por meio das instalações dela. Desse modo, quem teria que se preocupar com a regularização do provedor é a empresa de infra., que como é do mesmo grupo, facilitaria as coisas enquanto o provedor não tivesse a outorga da Anatel.

    ...

    Agora vi que tem um problema nisso aí: se a empresa de infra. contratar o provedor para fornecer acesso, será a mesma coisa que um provedor contratando link do outro e terá que ter licença. Ou isso, ou teria que expor para a prefeitura (ou outra coisa) a empresa que é provedor e o contrato seria estabelecido diretamente com ela, o que não resolveria o problema desse provedor ainda não ter SCM.

    Então, nesse problema aí - ou qualquer outra coisa parecida que não seja falta de licença da Anatel - não resolve nada ter duas empresas separadas. Isso só serviria mesmo para facilitar no processo de obtenção de autorização para uso de postes da companhia de energia, se é que eles compartilham postes com empresa sem outorga da Anatel, mesmo que não precise.

    Também facilitaria no caso de locar a rede para outros provedores, já que eles se sentiram menos sujeitos a sabotagem para eliminar concorrência, como ocorre quando um provedor contrata serviços do concorrente.

    Além disso aí, pode ajudar no caso de ocorrer alguma irregularidade com a infra., já que quem tomaria a bronca seria a empresa responsável, sem envolver o provedor e trazer mais confusão.

    Bom, a ideia não resolve o que eu imaginei, mas até que é útil.

    Citação Postado originalmente por gabrielest Ver Post
    Souza,

    Pela minha ignorancia acredito que seja a que for ficar responsável pela recepção e transmissão da internet, seja por rádio, cabo ou o sistema que for usar. Acredito que seja só o provedor, a outra é só estrutural, seria +/- como uma construtora sabe, quem tem que se virar com o alvará e licenciamento da obra é o dono da obra, a construtora só vai la pra fazer o serviço......
    Mas aguardemos os mais interados no assunto....
    Hm. Grato pela resposta. Está coerente com a que o @telmetrics deu, então deve ser por aí mesmo a resposta, vamos ver se alguém apresenta o contrário.


    Até logo.
    Última edição por TsouzaR; 16-10-2014 às 23:21.



  5. #5

    Padrão Re: Empresas separadas para infraestrutura e acesso

    Citação Postado originalmente por TsouzaR Ver Post
    Grato por responder.

    Hm. Grato pela resposta. Está coerente com a que o @telmetrics deu, então deve ser por aí mesmo a resposta, vamos ver se alguém apresenta o contrário.


    Até logo.
    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

    Vamos por eliminação é....
    KKKKKKKKKKKKKK

    + blz, me interessa também, to acomp...

  6. #6

    Padrão Re: Empresas separadas para infraestrutura e acesso

    Já vi alguns casos de separar em empresas distintas pertencentes ao mesmo grupo os serviços de SCM e SVA, mais pelo que entendi, vc (falando de forma direta) quer conseguir um meio de trabalhar enquanto seu SCM não sai? Ou vc já tem o SCM em uma empresa pelo menos?



  7. #7

    Padrão Re: Empresas separadas para infraestrutura e acesso

    se der certo, tambem abro outra empresa até sair minha scm.

  8. #8

    Padrão Re: Empresas separadas para infraestrutura e acesso

    A nossa fornecedora de link faz isso, para pagar menos imposto.
    O link fica dividido assim:
    50% = Transito IP ( SCM )
    50% = Transporte ( SVA )



  9. #9

    Padrão Re: Empresas separadas para infraestrutura e acesso

    Grato por responderem.

    Citação Postado originalmente por marcioelias Ver Post
    Já vi alguns casos de separar em empresas distintas pertencentes ao mesmo grupo os serviços de SCM e SVA, mais pelo que entendi, vc (falando de forma direta) quer conseguir um meio de trabalhar enquanto seu SCM não sai? Ou vc já tem o SCM em uma empresa pelo menos?
    Não tenho empresa alguma ainda, estou pensando em entrar no ramo. A ideia é que, quando fosse contratado algum serviço de conectividade, o acordo fosse estabelecido com a empresa da infraestrutura, que não precisa de SCM. Se ela não precisa de SCM, logo após abrir a empresa já poderia começar a operar.

    Porém aí tem dois problemas:
    - Se tivesse sido contratado acesso à Internet, como a empresa é só de infra., ela teria duas opções: contratar um provedor para atender o contratante pela infraestrutura dela; - nesse caso seria a mesma coisa que um provedor contratando o outro, então teria que ter SCM - ou o contratante teria que, por conta própria, obter um provedor para lhe atender pela infraestrutura instalada e ele teria que ter SCM do mesmo jeito, então não adianta nada.

    A única vantagem disso aí é que, na segunda opção, independente do provedor que fosse usado, a infraestrutura seria a já instalada, então continuaria lucrando com ela (cobrar do provedor para atender o cliente pela infra. instalada ou do cliente por ser atendido por ela?).

    - Parece que a empresa de infraestrutura não teria que ter SCM mesmo, mas e quanto a SLP? Umas das modalidades do SLP é:

    Serviço de Rede Privado: serviço não aberto à correspondência pública, destinado a prover telecomunicação a uma mesma entidade, entre pontos distribuídos, de forma a estabelecer uma rede de telecomunicações privada
    Se a empresa fosse, por exemplo, interligar órgãos do governo na cidade, ou filiais de uma empresa, seria classificado como serviço de rede privado, aí teria que ter SLP. Acho que só no caso de fornecer a infraestrutura para provedores é que não se enquadra em nenhuma outorga, sendo assim, é melhor que fosse o provedor que fizesse essa interligação entre órgãos, filiais, etc. por meio da infra. instalada. Ao menos parece ser bem barato obter SLP, se quiser.

    Resumindo: a empresa de infra. não pode fazer nada funcionar na infraestrutura instalada sem SLP. Ela pode instalar, mas quem vai operar nela, seja serviço privado ou acesso à Internet é o provedor. Tem que ver se tem alguma vantagem nisso aí.

    ...

    Li mais um pouco e parece que a empresa de infra. teria que ter SLP de qualquer jeito, mesmo se fosse só para locar a rede para provedores.


    Até logo.

  10. #10

    Padrão Re: Empresas separadas para infraestrutura e acesso

    "Resumindo: a empresa de infra. não pode fazer nada funcionar na infraestrutura instalada sem SLP. Ela pode instalar, mas quem vai operar nela, seja serviço privado ou acesso à Internet é o provedor. Tem que ver se tem alguma vantagem nisso aí."

    A meu ver, correto! A empresa de infra pode alugar e até no contrado ficar consignado que ela dará suporte a rede, atendimento a recuperação de falhas, etc, o que esta empresa sem SCM não pode é comercializar o serviço de transmissão de dados . Comercializar a infra com contrato de manutenção da mesma , a meu ver, pode.



  11. #11

    Padrão Re: Empresas separadas para infraestrutura e acesso

    O que ele está querendo não é o que chamavamos de parceria, no passado?

    Não sou contra, ´pelo contrário, lendo e relendo sempre achei que existe uma brecha para isso. Mas infelizmente quem tem o poder é a Anatel e ela entende que isso seria aluguel de outorga.
    Teria que fazer uma documentação muito bem fundamentada e realista, não só de gaveta, para comprovar o relacionamento entre as partes. Principalmente fazendo a receita do serviço cair direto na conta da empresa que tem o SCM.
    Hoje quase não se ouve mais falar em parcerias... principalmente pela queda dos custos de obter uma outorga.

  12. #12

    Padrão Re: Empresas separadas para infraestrutura e acesso

    Citação Postado originalmente por 1929 Ver Post
    Hoje quase não se ouve mais falar em parcerias... principalmente pela queda dos custos de obter uma outorga.
    Pelo que vejo por aí, essa redução nos custos com a Anatel não reduziu a dificuldade que uma empresa começando pode ter para obter a outorga. Ainda tem altos custos com consultoria, RT, projeto de engenharia, etc. (Ao menos ainda dá para lucrar de algum jeito com TI aqui no Brasil: sendo consultor ou técnico ou engenheiro de telecom.)

    Não que o assunto debatido aqui no tópico vá livrar de ter que ter esses gastos ao menos uma vez - como disse, após analisar vi que a ideia que tive não resolve o problema com a licença.



  13. #13

    Padrão Re: Empresas separadas para infraestrutura e acesso

    Agora vi que tem um problema nisso aí: se a empresa de infra. contratar o provedor para fornecer acesso, será a mesma coisa que um provedor contratando link do outro e terá que ter licença. Ou isso, ou teria que expor para a prefeitura (ou outra coisa) a empresa que é provedor e o contrato seria estabelecido diretamente com ela, o que não resolveria o problema desse provedor ainda não ter SCM.

    Então, nesse problema aí - ou qualquer outra coisa parecida que não seja falta de licença da Anatel - não resolve nada ter duas empresas separadas. Isso só serviria mesmo para facilitar no processo de obtenção de autorização para uso de postes da companhia de energia, se é que eles compartilham postes com empresa sem outorga da Anatel, mesmo que não precise.???

    __________________
    We provide guarantee to pass a+ exam questions gmat with security+ practice test online exam security+ study guide pdf training itil and you can also get best quality Palm Beach Atlantic University mcat along with Northwestern University mcat for your guaranteed success.
    Última edição por chalnikkal; 06-02-2015 às 08:53.