+ Responder ao Tópico



  1. #1

    Padrão AP 2.4ghz e omni

    Olá amigos,
    tenho uma pcba krazer kr-wap254g-n e uma omni aquário 12dbi trabalhando em 802.11b/g para 10 clientes com o brazilfw cacheando em baixo. Gostaria de melhorar a qualidade do sinal wireless, quais opções de equipamentos para essa ocasião? Obrigado

  2. #2

    Padrão Re: AP 2.4ghz e omni

    paineis setoriais



  3. #3

    Padrão Re: AP 2.4ghz e omni

    Melhorar em que o sinal?. Ele esta baixo? Muita Interferencia? o AP nao da conta?.

    Para 10 clientes nao precissa de muita coisa porem eu trocaria esse AP por outro da Ubiquiti

  4. #4

    Padrão Re: AP 2.4ghz e omni

    Retira essa pcba e coloca um bullet2 (100mw),,, ele é mais robusto e vc vai ter mais estabilidade, além do fato de ter menos perdas com conectores, uma vez q o bullet é rosqueado diretamente na omni.

    Abraço.



  5. #5

    Padrão Re: AP 2.4ghz e omni

    Põe um Bullet M2 então, que mesmo sendo velho não é tão antiquado quanto o velhíssimo Bullet2, que usa chipset lerdíssimo de 2004.

    Não dá pra implantar nada B/G em 2015, redes N existem desde 2009, não tem nenhuma vantagem em usar nada B/G hoje, só desvantagens. Se é pra comprar algo hoje, procure produtos com suporte a N, tipo o Bullet M2 (Que já velho e defasado, tem poder de processamento de muito roteador de mesa de R$ 90).

  6. #6

    Padrão Re: AP 2.4ghz e omni

    Amigo, Rubem... qual a vantagem de usar modo N?

    Abraço.



  7. #7

    Padrão Re: AP 2.4ghz e omni

    Vou comparar o seguinte:
    Modo B, 11M
    Modo G, 18M
    Modo N, 26M

    No modo B a 11M você tem digamos 28dBm de potencia no Bullet M2, sensibilidade de -83.
    No modo G a 18M você tem digamos 28dBm de potencia no Bullet M2, sensibilidade de -83
    No modo N a 26M você tem digamos 28dBm de potencia no Bullet M2, sensibilidade de -90

    Ou seja, em N tem a mesma potencia, tem sensibilidade MAIOR, num datarate maior.
    Em B a 11M você trafega no maximo 4Mbps.
    Em G a 18M você trafega no maximo 6Mbps
    Em N a 26M você trafega no maximo 12Mbps

    Mas se falar que 4Mbps é suficiente, que tal usar MCS1 em N, que tem datarate de 13M? Tem os mesmos 28dBm de potencia no Bullet M2, mas a sensibilidade sobe pra incríveis -95dBm!
    Veja bem, em B você tem sensibilidade de -83, e em N tem -95, são 12dB a mais. E em datarate tão baixo um SNR de 12dB é mais que suficiente! Ou seja, numa rede B o que é mal e mal escaneado é mais que suficiente pra não só escanear como conectar e ter estabilidade se usar N!

    Dá uma olhada na potencia e sensibilidade no datasheet:
    http://dl.ubnt.com/datasheets/bulletm/bm_ds_web.pdf

    Essa "melhoria" em N existe em todos os produtos Ubiquiti, em todos os Mikrotik, em nos equiptos mais baratos tipo TP-Link ou Intelbras você tem em muitos as MESMAS sensibilidades, ou seja, N neles nem sempre é mais sensível, é apenas "tão sensível quanto" (Mas em datarates maiores, que permite throughut maior).

    Ter um Bullet 2 jogado num canto e então usar, ok, mas comprar um novo hoje por R$ 149 não dá, por esse mesmo preço tem hardware N com capacidade (Throughput e alcance) muuuuito maior. O Bullet 2 é uma maravilha quando se compara com roteador b/g com RTL8186 tipo Krazer, Firemax, Abocom, APROuter, afinal é um chipset RTL8186 antiquado de 2003, mas hoje ele está muito atrasado, os roteadores N tem quase todos (Não só Ubiquiti) uma sensibilidade muito maior em N, e potencia maxima com N em datarates bem maiores que 11M em B.

    (Mas lixo mesmo é 802.11A, pode ver no datasheet do Bullet M que passei, em 54M tem 20dBm de potencia e sensibilidade de -75, como esse datarate precisa 25dB de SNR você precisa sinal -50 pra datarate de 54M. Enquanto no MCS5, de 52M, você tem 22dBm de potencia (2dBm a mais fazem diferença) e sensibilidade de -83, com o mesmo SNR de 25dB você precisaria então sinal -58, não é tanta diferença, mas com 2dBm a mais de potencia você tem mais que 8dB a mais de sinal no outro lado, tem mais de 10dB de aumento de sinal na pior das hipóteses. Fora que em 54M em A se trafega geralmente uns 22Mbps, enquanto em 52M em N como são mais portadoras se trafega mais de 25Mbps, quase 28Mbps as vezes. Isso sem falar na hipótese de usar tempo de guarda curto (Short GI, ou GI de 400ns) e ter uns 30Mbps de trafego real. De 22 pra 30Mbps são mais de 30% a mais, se o preço do equipto N é o mesmo que o do A não tem nenhum motivo pra usar A, mas sim dá prejuízo usar A.

    Aqui tem uns SNR requeridos pra B e G:
    http://community.arubanetworks.com/t...SI/ta-p/178312
    Aqui pra N:
    http://4g360.com/forum/topics/reciev...reshold-values
    Conforme a fonte esses numeros variam, 21 a 25dB pra 54M em G ou A, mas o que importa é ver um SNR DECENTE entre sensibilidade no datahseet e o sinal existente.

    Tem que dar uma ignorada no SSID escaneado, o SSID vai por uma portadora (Lateral?), cada portadoras tem 325KHz e não usa o canal inteiro, você pode ter SSID escaneado a -65 e na hora de conectar ter conexão a -62, por conta do datarate usado (Independente do modo usado o datarate manda muito), tem que testar o thrgouhput de cada modo ou datarate, não apenas ver nível de sinal. O CCQ é um monitoramente de possibilidade de throughput, mas ele falha um pouco porque depende do tamanho dos pacotes, na vida real a navegação e downloads tem pacotes de diversos tamanhos, eu acho que é suficiente dar um ping rumo ao gateway, mas ao lado dele um ping -l 1450, fazer um teste de velocidade (Não na CPE) com o ping correndo, gosto de usar o SuperCopier e copiar conteúdo Windows>Windows, porque na prática a maioria dos clientes usa Windows mesmo, um ping oscilando e velocidade de copia baixa resulta em páginas abertas pela metade (Frames faltando, porque perdeu uns pacotes, assim como uns ping -l 1400 são perdidos) e lerdeza em sites de medição de velocidade.

  8. #8

    Padrão Re: AP 2.4ghz e omni

    Excelente explicação... realmente deu luz a cego.

    Abraço.