+ Responder ao Tópico



  1. #1

    Smile Seus problemas com equipamentos mikrotik e ubiquiti

    Galera boa tarde

    Preciso saber da experiência de vocês com relação a problemas com mikrotik e ubiquiti com relação ao tempo que demoram a apresentar o primeiro problema que gera tanta dor de cabeça.

    Ou seja, se comprarem ambos novos neste exato momento, em quanto tempo vocês acham que apresentará qualquer um dos problemas insolúveis que vejo o pessoal aqui com tanto desgosto..??

    E por favor coloquem detalhes pra mim como por exemplo, se dão problema ao conectar o unt com mk por cabo de rede. Ou vice e versa. E se compraram py ou original.

    Estou coletando informações para fazer uma base estatística.
    Assim saberei de qnt a qnt tempo terei que trocar meus equipamentos, antes que apresentem falhas. Principalmente em datas mais complicadas que a manutenção se complica, poderia já ir trocando antes.

    Obrigado pela colaboração

  2. #2

    Padrão Re: Seus problemas com equipamentos mikrotik e ubiquiti

    RB estufa capacitor dependendo da temperatura. Se a caixa hermetica for preta deve estufar mais cedo. Mas com caixa hermetica cinza ou bege tive capacitores estufando em RB depois de 4 a 5 anos, seja RB433, 600, 800, ou mesmo 133. 4 anos dá 35 mil horas, é pouco pra estufar capacitor, o que quer dizer que as RB's dentro de caixas hermeticas passam dos 70ºC quando tem sol forte!

    UBNT só "perdi" pra tempestades, por falta de aterramento ou para-raios. Ela usa VRM diferente, não ví problema por tempo ainda (Só tenho a 4 anos) tipo mosfet alterando rds_on ou capacitor estufando.


    Componente eletronico em geral tem vida que depende da temperatura, dependendo da incidencia de sol na caixa hermetica ou equipamento (Rocket na lateral da torre versus "escondido" atras/debaixa de um rocket dish ou setorial basestation, dependendo do angulo e região do país ele pode ficar sem sol por 330 dias do ano. E outra posição pode receber sol todos os dias do ano, isso muda muito a durabilidade dos componentes. Mas componente fala em vida útil em temperatura tipo 60ºC geralmente em numeros tipo 50 mil horas, 80 mil horas, não são produtos descartáveis tipo roteadore de mesa, com capacitores pra algo tipo 20 mil horas a 60ºC, e... 15 mil horas é menos de 2 anos.



  3. #3

    Padrão Re: Seus problemas com equipamentos mikrotik e ubiquiti

    outro fato que pode interferir na vida util do equipamento e a qualidade da rede elétrica, a fonte que alimenta os equipamentos, cabos. umidade

  4. #4

    Padrão Re: Seus problemas com equipamentos mikrotik e ubiquiti

    Pelo que percebi, a intenção desse levantamento estatístico seria para elaborar um Plano de Manutenção Preventiva baseado no MTBF (Tempo médio entre falhas) dos equipamentos, não e isso?

    Também já pensei em fazer algo parecido, entretanto, constatei a mesma coisa que o Rubem colocou. Na realidade são muitas variáveis envolvidas e a conclusão que eu cheguei é que a melhor opção é adotar a manutenção Preditiva, onde um servidor de monitoramento analisa o funcionamento dos rádios e quando detectar algum funcionamento fora do normal, procedemos a manutenção ou troca do equipamento.

    Realizar a manutenção preventiva com base unicamente no tempo de utilização não será tão eficiente, ocorrerão muitos casos em que um equipamento em bom estado foi substituído e outros casos em que a vida util se esgotará antes da tempo previsto.

    Portanto, minha opinião é de que trabalhar na estruturação de um bom servidor de monitoramento te dará melhores resultados.



  5. #5

    Padrão Re: Seus problemas com equipamentos mikrotik e ubiquiti

    É, vocês chegaram bem perto, mas pergunto isso considerando que vocês também citem as melhores condições da alimentação, se os equipamentos alimentados pela rede elétrica ou pelo sistema autônomo de energia como placas fotovoltaicas, informando qual seria menos propensos a causar danos nos equipamentos, por exemplo. E também as condições climáticas, se é em período muito quente, muito frio ou chuvoso.
    Mas meu objetivo com isso não é apenas ter uma previsão de problemas por tempo de uso do equipamento e fazer a prévia substituição. Tenho um projeto que pode ser muito útil, mas preciso de levantar esses dados para melhor adaptar meu projeto.
    O que puderem contribuir agradeço muito.

  6. #6

    Padrão Re: Seus problemas com equipamentos mikrotik e ubiquiti

    Não pude responder antes porque um lindo raio caiu aqui perto hoje e queimou meu modem adsl, o roteador wifi atras dele, a RB que fica logo depois sobreviveu, o outro roteador wifi mais adiante também queimou, a lan do meu netbook queimou (E a caixa de som plugada na porta USB também, vai entender). Na torre logo acima a RB435 e um Airgrid 23dBi sobreviveram bem.

    O que tem nas RB's aqui? (Já que sobreviveram) Protetor de surto na lan, antigamente testei varistores e centelhadores e deram pau, em 2014 coloquei protetor com diodos e zeners, nesse estilo:
    http://blog.savel.org/stuff/20051230c.gif
    ou
    http://alter.org.ua/docs/net/thunder/anti-thunder.gif
    O J3 é aterramento.

    Aterrar equipamento SEPARADO de para-raios (Acima das antenas, com cabo pela lateral, isolado da torre. Se for torre inteiriça (Não em modulos) pode usar a torre como condutor) é então fundamental, mas tem que ter artifícios como os protetores de rede (Ebay: ethernet lightning protector, MercadoLivre: protetor anti surto lan), e é bom ter DPS e DR na rede elétrica.

    Sobre cuidados externos, é só evitar RB em caixa hermetica preta virada num angulo que pega sol o dia todo (Virada pro norte é péssimo, de modo que tenha sol em quase toda a superfície, por boa parte do ano), nem precisa se preocupar com ventilação se usar versões AH (Versões baratas tem poder de processamento menor então pra fazer as mesmas tarefas vão usar mais processamento, vão aquecer mais).

    RB's modernas (Tipo 912, 951 e cia) são pra encaixar atras de antena igual UBNT (Rocket), com isso metade dos problemas de calor desaparecem, e só sobra o problema dos raios (Raio direto no para-raios é raro, mas lembra que existe descarga eletromagnética que induz alta tensão em cabos, os protetores de surto pra cabos são pra isso, até a UBNT tem deles, e ela mesma recomenda 2 (Um em cada lado de um cabo longo).


    Sobre monitoramento, tem danos que aparecem de uma hora pra outra, não vão piorando aos poucos, se monitoramento tiver custo alto evite ele, faça só corretivas e pronto, se tiver rede eletrica ok (DR, DPS, aterramento, protetor em ethernet, se usar linha telefonica protetor nas linhas, protetor de surto nos 2 lados de um cabo ethernet longo) você só vai ter problema pra corrigir derivados de unidades defeituosas, e esse tipo de problema não tem como prever (E nem sempre dá pra monitorar, uma RB750 com 90 dias de uso um dia morreu, sem tempestade, numa manhã fresca de junho, com rede eletrica ok... morreu do nada, um mosfet do VRM abriu as pernas num horario sem muito uso, sem descarga elétrica (Dia que chover um tiver raio por aqui em junho vai é chover hamburger), sem nenhum aviso que um monitoramento (Tipo um software pago pra dar ping a cada X minutos) ajudaria. Pifou? Tudo fica parado até trocar.

    Não sei o tipo de ambiente aí, mas de forma geral no brasil não dá pra relevar a necessidade de um aterramento pelo menos mínimo (Pelo menos 2 ou 3 astes em solo úmido) pro equipamento, e outro pelo menos mínimo pro para-raios, e dependendo do lugar é fundamental proteção de surto na rede ethernet e telefonica (Seja adsl ou xdsl), em outros é fundamental DR + DPS na entrada da rede elétrica.

    Os custos não são tão altos, quem teve uma RB1100AHx2 queimada em raio deve dizer que os custos são micharia.
    (DR+DPS + surge protector pra RJ11 e RJ45 (Um em baixo e um do alto da torre) + para-raios com aterramento mínimo + aterramento mínimo pro equipamento)



  7. #7

    Padrão Re: Seus problemas com equipamentos mikrotik e ubiquiti

    Boa tarde rubem,
    Cara sem dúvida sua declaração jogou uma luz sobre meu projeto aqui para sobrevida de equipamentos.
    Ficou claro pela sua explicação que, fora fatalidades como a rb que deu pau nas condições menos esperadas, o maior causador de tilts nos equipamentos são definitivamente

    *1° - a eletricidade, usando proteções pouco eficientes ou mal planejadas como aterramento nas mesmas hastes do para raios, ou nenhuma proteção;

    *2° - o permanente problema do superaquecimento. Tem que ser ninja pra se livrar dele.

    Acho que vou conseguir concluir meu projeto até fevereiro.
    Por favor, se puder, me informe um contato seu como de skype, pq no seu avatar vc diz ser especialista, então, ao terminar meu projeto, vou te pedir seu endereço posteriormente e enviar o protótipo, e vamos testando dos dois lados.
    Última edição por Vicentte; 17-01-2015 às 16:05. Razão: Reorganizar o texto