+ Responder ao Tópico



  1. Citação Postado originalmente por rubem Ver Post
    Se é sobre esse último sistema, com poe reverso, usando 24 ou 48V você precisaria colocar nos clientes fontes 24V ou 48V, que são muito mais caras que fontes POE 12V (Agora tá uns R$ 15 cada, em quantidade).

    Realmente complica ter uma bateria, placa e conversor a cada switch, mas com produção própria isso fica barato. Bateria 12V de baixa corrente está uns R$ 30. Switch barato uns R$ 40. Step-down uns R$ 10. A placa, se comprar todos os componentes e a placa de fenolite ou fibra, dá uns R$ 15 em componentes. Se contar 7 clientes por switch, seriam 7 fontes POE 12V, uns R$ 105. Dá R$ 200 a cada 7 clientes.
    (Se for só 3 clientes no switch, dá R$ 140, se for 4 vai pra R$ 165, etc)
    Isso seria o custo total só de fontes 48V nos clientes.


    A intenção desse circuito é ter só 1 step-up passando de 10-11V pra 13,5V (Pra bateria e switch), se nenhum cliente estiver ligado é o switch anterior que vai alimentar esse, e isso é "automatico" porque a tensão usada é a maior, ou seja, se tem um cliente a 20m de fio ele terá tensão maior e ele é que alimentará tudo. O switch anterior vai estar lá pelos 90m de fio, vai chegar com uns 8 ou 9V, o step-up pode perfeitamente usar isso pra manter o switch e bateria!

    (Na verdade a bateria é quase irrelevante, só entraria em uso em caso de blackout na cidade toda)

    Sobre como desligar tudo, vou fazer então um circuito com LM555 pra desligar o switch quando o led da porta 1 (Que vem do switch anterior) apagar, aí você na base desliga o cabo de rede (Ou remotamente manda a RB1100ahx2 reiniciar, isso desliga a lan do primeiro switch por uns segundos), isso desliga o primeiro switch, que desliga o segundo, que desliga o terceiro, e por aí vai.

    A princípio é simples, o LM555 precisa mais de 0,8V no pino de reset, e os leds nos switch tem mais de 2V geralmente, vou ver como fica a parte do led piscar, todos os switch hoje piscam, vou ter que medir aqui se ele manteria mais de 0,8V num capacitor, senão o reset do 555 acionaria quando não devia (E um circuito com LM555 operaria bem entre 5 a 15V, ou seja, perfeito pra desligar switch alimentado por bateria 12V (Que vai de 10 a 13,5V).
    Boa tarde Rubem!

    Eu não sei de nada de eletrônica, mas tem um colega meu que manja e vou passar pra ele essas informações que você postou em relação ao reset, se ele conseguir postarei aqui. Eu assisti esse vídeo e a idéia do cara, ao meu ver, seria de uma solução bem mais barata, mas tem uma fragilidade que é aquela que se o cliente ligar direto no roteador (sem fonte no cliente) irá funcionar também... Segue o vídeo:

    Os relés de 24v achei no ml por R$ 2,40 cada. Já os de 48v só achei esses: http://lista.mercadolivre.com.br/rel..._OrderId_PRICE (R$ 15,00 cada)

    Acho que seria mais barato um sistema com 24v mesmo. E em relação à baterias nos PDs, poderia ser colocado um par de baterias a cada 3 PDs para baratear o projeto. O que achas?

  2. Pra evitar isso de ter internet mesmo sem fonte POE no cliente, é que tem os reles, aquela placa que o AlbinoGenivaldo postou ficou meio grande por isso, a função dos reles é só liberar ethernet se tiver energia vindo (E pode ser 9 a 15V).

    Tem como simplificar tudo, dá pra ligar tudo colocando só um mísero diodo isolando cada cliente (Pra energia dos outros não voltar pra ele), usando o VRM de um switch decente que opera com 9-12V (A maioria dos que usam o MC63034).

    Sobre usar 24V com POE reverso, pode usar 2 baterias (Alimentação 24V) mesmo usando fontes 12V nos clientes.
    Esse módulo conversor de tensão opera tanto com 10V como com 23V, essa é a graça deles.
    Ao inves de ajustar ele pra passar de uns 11-12V pra 13,25V, poderia ajustar pra passar pra 27V e mandar direto pra 2 baterias.

    Mas e qual switch suporta 27V?
    Switch comum e barato vem com capacitor de 16V, mal suportam mais de 15V, mas por precaução eu não passaria nem de 14V.

    Pra usar switch comum (De R$ 30-38) você precisaria colocar um conversor dc-dc step-down com saída ajustava pra uns 12V. Ele custa uns R$ 10. São R$ 10 a mais.

    Mas fonte POE 24V também custa mais caro, última cotação que fiz a 12V tava R$ 15 e a 24V uns R$ 25. São R$ 10 a mais por cliente (Se forem 6 clientes: R$ 60 a mais).

    E eu estava pensando num modo de colocar essa fonte POE no cliente pra alimentar também o roteador wifi dele, geralmente é simples ligar os pinos 4/5 e 7/8 dum jack RJ45 pro outro de modo a ter tensão dos 2 jacks da fonte, tem roteador wifi barato que funciona via POE.
    (E essa modificação nas fontes é rápida, gasta uns 5cm de fio (Pode ser de cabo de rede) e uns 4 minutos por fonte)

    Se fizer uma fonte que seja comum ao roteador wifi do cliente e ao POE, dá pra remover o rele da placa.

    Usando termo-retratil azul tem como fazer um splitter poe caseiro num cabo de 1,8m ficar mais bonito, pra ter só 1 cabo entre a fonte poe adaptada e o roteador do cliente, mais bonito que isso
    http://e.cdn-hardware.com.br/static/....optimized.jpg
    ou
    http://1.bp.blogspot.com/-4uVV2ouLSB...SDC10157_2.jpg
    Mas a idéia é a mesma, só muda o acabamento.
    (E conector P4 está menor de R$ 1 cada, termo retrátil azul de 6mm deve estar uns R$ 3 o metro (E precisa só 15cm por cliente), mas se quiser comprar splitter POE comercial por R$ 10, a vontade (Só o da esquerda: http://mlb-s2-p.mlstatic.com/kit-ada...7_042015-F.jpg )

    Seria algo assim:
    Clique na imagem para uma versão maior

Nome:	         poe.rev2.png
Visualizações:	2033
Tamanho: 	543,4 KB
ID:      	61779


    Mas isso só vai funcionar bem pra quem obrigar o cliente a ligar a fonte quando quiser internet, por isso falei da idéia de modificar uma fonte POE comum e barata de R$ 15 pra ter tensão nas 2 portas, é só colocar um fio entre os pinos 4 e 5 dos 2 jack RJ45, e outro fio entre os pinos 7 e 8 dos 2 jacks RJ45, não leva mais que 1 ou 2 minutos por fonte se você sentar e fizer isso em sequencia numa noite.

    Se fizer isso, pode colocar bateria só a cada 2 switch. Faz o MESMO circuito em todas as caixas, mas coloca bateria num sim e num não, talvez a cada 2 (Se forem lances de cabos curtos, tipo 70m), o conversor step-up se encarrega de passar de 7 ou 8V (Que chegaria do roteador vizinho, se nenhum cliente estivesse com eletricidade) pra 13,2V, o switch pode ter problemas com 8V, mas com 13,2V vai bem.
    Isso se diferencia de um sistema com 12V saindo da base (E sendo elevado a cada switch) porque o conversor dc-dc opera com a fonte de maior tensão, que nesse caso será o cliente mais próximo (Com cabo menos longo), se o switch anterior está a 80m, e todos os clientes estão entre 30 e 50m, só virá energia do switch anterior se nenhum cliente tiver eletricidade. Note que tem 1 diodo em cada cliente, mas pro switch adiante tem 2 (Um na saída desse e uma na entrada daquele), ou seja, o cliente terá queda de 0,7V (12 - 0,7 = 11,3V) enquanto o switch anterior terá 1,4V de queda (13,2 - 1,4 = 11,8V), esses 0,5V são a diferença em queda de tensão de uns 30m de cabo. Mas se tiver um cliente a 80m de cabo aí realmente ele raramente alimentará o circuito.

    E isso depende de ter roteador wifi no cliente (Se ele ligar direto no PC não adianta, mas quem faz isso hoje?), desse roteador rodar com POE (Senão, vai precisar fazer o splitter que citei antes).
    E depende do switch se um normal 12V que opera com 10 a 14V (Os Intelbras que conheço operam).

    Nesse caso o conversor dc-dc step-up (Não confundir com step-down, são 100% diferentes) deve ser ajustado pra saída na casa dos 13,2V. Eles precisam uma diferença entre entrada e saída maior que 1,25V então pra teste em bancada precisa ajustar pra uns 13,3V, sem problemas. Mas isso quer dizer: Só fonte 12V nos clientes, se colocar uma 24V o conversor dc-dc fica biruta.
    É bem barato, mas tem esses condicionantes. POSSIBILIDADE existe, não digam que poe reverso é caro porque TEM COMO fazer ele bem barato e funcional, é só pegar prática com os circuitos.

    Pra um sistema 24V seria só ajustar o conversor pra saída em 27V, mas... que switch aceita isso? Aí ia precisar um conversor step-down pra baixar das baterias 27V pra uns 12V, ia gastar mais com baterias, e mais com conversores.




    ===============================================================
    A idéia do LM555 desligando o swtich quando o led da ethernet 1 apaga, é ligar os +3V do led no lugar dessa chave no circuito:
    http://eduardopaulo.no.sapo.pt/esq%2...ador%20555.jpg
    Hora que o led apagar a tensão será menor que 0,8V então o reset deve entrar em ação, tem que ver um valor calculado pro capacitor C1 pra ele desligar por uns 10 segundos. Enquanto não houver tensão no led ele ficaria ligando por 10s, desligando por 10s, infinitamente. Seria só tirar o cabo ethernet lá na base, esperar 2 ou 3s, replugar. Aí o switch já estaria desligado. Quando o LM555 religasse o rele depois de 10s o switch depois de 1 ou 2s ia acender o led (Já que você replugou a ethernet lá na base) e o reset ia impedir o circuito de desligar depois de 10s.

    A intenção de montar desse jeito é que o rele FECHA quando o led desliga, ou seja, o estado normal e de menor consumo é com o rele aberto, em caso de defeito o rele aberto significa switch funcionando. Então caso o circuito falha por qualquer motivo, o switch fica LIGADO, e não desligado. É uma proteção mínima contra falhas.

    Ainda não achei um 555 aqui pra montar e calcular direitinho os valores dos componentes mas o grosso da idéia é essa, usar os 2-3V do led da ether1 pra acionar um timer de 5 a 30 segundos.
    (E se colocar em todos, de modo que a ether1 sempre venha do switch anterior, você produz uma reação em cascata que desliga todos por uns segundos, e eles religam sozinhos. Inclusive ajuda a diagnosticas switch pifado, se um está morto os leds não acendem, e nenhum switch pra frente dele liga, pelo próprio relato dos clientes ("O led da wan tá apagado") você descobre fácil qual switch em qual poste deu problema)

    ======================================
    Se o circuito que sugeri é igual o do vídeo... foi mal... minha internet por sinal de fumaça aqui na roça não está abrindo vídeos hoje...



    ============================================
    E sim, vários switch baratos podem ser modificados pra aceitar 27V (Com o MC34063 é só trocar o capacitor de 16V por um de 35V ou mais), mas... acho mais fácil modificar as fontes POE baratas pra ter POE nas 2 saídas, e essa opção 12V permite troca rápida de switch, fora que gasta menos (Só 1 bateria).
    Se 1 bateria 12V 5A já pesa, imagina 2.

    E... se conseguir switch que opere entre 5 e 7,5V (Tenho um LG e um Pacific assim) pode usar bateria 6V 4Ah, são mais baratas, com um regulador step-down a partir das fontes 12V dos clientes. Só que aí precisaria um step-up pra elevar a tensão pro switch adiante, apesar de simples na parte dos clientes, complica na parte de uma caixa alimentar a outra, obriga a usar um conversor extra, de uns R$ 12, custo que no sisteminha 12V não tem.

    Tá certo que pra reiniciar tudo ia precisar soldar um fio no led pra aquele circuitinho com LM555, mas teria a possibilidade de usar LDR, hora que achar um lm555 eu testo as opções.



  3. Boa noite!

    Nível baixo para qualquer circuito integrado Cmos é menos 50% da alimentação, ou seja, nível lógico baixo de 5V seria 2,49

  4. Por isso não pode usar as versões Cmos do 555, que são basicamete o 7555 e o C555.
    (TLC555 ou LMC555).

    Mas LM555, NE555 e TL555 não são Cmos.

    E ainda fico na duvida se nas versões Cmos precisaria no pino trigger uma tensão tão alta, pra mim que é 0,8V também, não é uma porta lógica.
    (No pino do reset é outra estória, mas a tensão do led dum switch não iria pra ele e sim pro trigger, talvez nem faça diferença nesse uso ser um 555 ou um C555)



  5. Alias, tava vendo a wikipedia, e ela dá uma informação meio que inexata:
    https://pt.wikipedia.org/wiki/CI_555
    Fala que algo menor que 1/3 do Vcc (Que nesse caso seria 12V, portanto menos de 4V) aciona o biestável. Mas na verdade o comparativo é feito com a tensão no pino de reset (Pino 4).

    Em uso típico o pino de reset vai no VCC, aí sim ele teria 12V e precisaria mais de 4V pra desarmar a oscilação. E realmente o circuito que eu queria mandar não use o pino 4 com Vcc, e sim algo assim:
    http://www.sentex.ca/~mec1995/gadgets/555/555ex8.gif
    ou
    https://www.kitronik.co.uk/wp/wp-con...tasheet_04.jpg

    Enfim, o pino 4 não precisa obrigatoriamente ir plugado no Vcc como na maioria dos esquemas, então o pino 2 pode operar com tensão mais baixa, não achei qual datasheet diz isso mas pra mim que o mínimo é 1,8V (E o led dos switch costuma ter bem mais que isso, uns 2,5V).


    =================================
    E a wikipedia em ingles diz melhor quais versões são Cmos:
    https://en.wikipedia.org/wiki/555_timer_IC#Derivatives

    E ela também fala no pino 2 precisando pelo menos 1/3 não do VCC, mas da tensão (De origem interna, pelo visto) no pino 5. Ou seja, a wikipedia em pt-br tá errada mesmo.
    O pino 5 parece que aceita coisa maior que Vcc:
    http://media.tumblr.com/tumblr_lig85gX6th1qf00w4.jpg
    Internamente parece que tem um divisor resistir de modo a ter por default 2/3 de Vcc, mas... se tem o pino do lado de fora é porque isso pode ser alterado com tensão externa, o Vcc não é o limite.






Tópicos Similares

  1. Rede cabeada com controle de banda com RB433
    Por josenyas no fórum Redes
    Respostas: 4
    Último Post: 19-11-2014, 07:58
  2. Pedido de ajuda no balanceamento no mikrotik
    Por innoscent no fórum Redes
    Respostas: 1
    Último Post: 06-05-2013, 02:43
  3. Pedido de ajuda
    Por shion1987 no fórum Redes
    Respostas: 3
    Último Post: 10-03-2011, 21:10
  4. Agradecimentos e mais um pedido de ajuda!!
    Por Valterri no fórum Servidores de Rede
    Respostas: 1
    Último Post: 05-04-2005, 10:15
  5. Pedido de Ajuda para os mais sabidos... !!!
    Por Rubao_b no fórum Servidores de Rede
    Respostas: 3
    Último Post: 26-01-2003, 21:46

Visite: BR-Linux ·  VivaOLinux ·  Dicas-L